terça-feira, 9 de maio de 2017

Je Ne Suis Pas Calimero

Sempre admirei a resiliência. Os meus exemplos de vida são aquelas e aquelas que lutaram contra a adversidade, as inclinações e desvantagens na vida e com isso se tornaram fortes. Uma vez, um querido amigo que ficara cego e que partilhava o então comboio comigo para a faculdade, disse-me uma frase que me marcou. Disse-me ele: "A melhor forma de vencer um obstáculo é torná-lo irrelevante". Fiquei, naturalmente, com um enorme arrepio na pele, tal o grau de importância desta enorme lição de vida! 

Aqueles e aquelas que têm dificuldades nas coisas mais simples, e que muitos fazem com uma naturalidade que as torna invisíveis, sempre mereceram a minha admiração. Tantas e tantas pessoas que conheço, com as vidas mais complicadas, mas uma força, uma garra e uma coragem que me inspiram, e que nunca oiço falar de que são vítimas e que eliminaram a expressão "não consigo" dos seus discursos! 

Ontem ouvi, no Universo Porto, Paulo Miguel Castro dizer uma frase que registei. Disse ele, a propósito da absurda expulsão de Moncho López, que estava "à vontade para falar da questão do árbitro até porque o FC Porto venceu o encontro". E isso diz tudo!

Pelo menos desde o tempo de Villas-Boas que temos arbitragens inclinadas. Circulou por aí um vídeo onde mostra João "Pode Ser" Ferreira a, literalmente, dar uma chapada a Álvaro "Palito" Pereira. Tivemos roubos de igreja, túneis, Estorilgates, mas nunca deixamos de nos superar e de jogar um futebol de imensa qualidade e muito superior ao dos rivais!

Evidentemente que fazemos muito bem em combater o Polvo! As recentes alterações do video-árbitro e dos relatórios públicos dos árbitros são avanços que, apesar de tímidos e que não resolvem o problema, ajudarão a diminuir o grau de inclinação dos campos e tornar mais justa a luta! E só acontecem devido à muito importante intervenção da comunicação do FC Porto, mormente nos três do Universo Porto da Bancada, que mudou o paradigma da discussão dos méritos do inimigo e do seu modus operândi para sempre!

Mas reduzir os erros deste ano - de que falarei no final do ano - às arbitragens e outras inclinações é absolutamente contraproducente porque isenta das suas responsabilidades o Presidente, a direcção, a equipa técnica e os jogadores! Vitimizações fazem deflectir responsabilidades e, no FC Porto, seja qual for o obstáculo, por muito injusto e nojento que ele seja, este é para ser encaradi com esforço, luta e espírito de sacrifício, por forma a jogar muito mais e conseguir os objectivos!

Por isso, nada de "Calimerices!". Não vamos agora gritar "It's an Injustice, it is!" O segredo está em jogar muito mais que os outros, dominar os encontros, procurar sempre as vitórias, dar tudo e trabalhar com qualidade e potenciar o talento enorme do nosso plantel e então, só então, só depois, apontar os erros, os roubos, as trafulhices! Até porque, se tornarmos todo esse esforço de malas e afins absolutamente irrelevante, a soberba passa a crítica e a confiança a hesitação!

Quem ultrapassa obstáculos enormes, passa por cima dos normais com facilidade!

Por isso, não contem comigo para ser Calimero! Isso é para outras paragens! Se somos vítimas de injustiça e de obstáculos maiores do que os dos outros, trabalhemos para os ultrapassar e depois acabemos com eles!

29 comentários:

  1. Como vi, e muito bem, escrito neste mesmo blogue, duas verdades não são mutuamente exclusivas. Temos é que definir em cada conversa sobre o que vamos falar, porque é um exercício de masoquismo enorme debatermo-nos com a influência do que não depende só de nós e com a nossa incompetência.

    Uma coisa é certa: ganhar ou perder, preferia fazê-lo dentro das regras. E neste ano foi muito difícil. Já não foi só roubar-nos escandalosamente em jogos cruciais, como antigamente. Foram jogos seguidos onde, jogando bem ou mal, sempre estivemos próximo de ganhar e tal nos foi sonegado pela "estrelinha" a que prefiro chamar de benefício/prejuízo arbitral (aquele lance duvidoso que poderia desbloquear mas que o árbitro deixou passar, o que não o faz noutras latitudes - algo a que só tivemos direito com o Tondela ou na Feira, por exemplo). Sem isso, se calhar agora já estávamos só a cumprir calendário e a meter o José Sá para a medalha.

    Só que, e como bem é aqui citado, face a isso, tivemos a oportunidade de dar a volta: bastava jogar e actuar dentro dos pergaminhos que nos permitiram ganhar contra tudo e contra todos. Não foi feito.

    Espero que, dentro da estrutura, não acabe a postura de combater o dito "polvo" mas haja uma abordagem virada para dentro que, finalmente, aceda ao que é pedido há 4 anos: mudança rápida e eficaz de paradigma.

    Saudações,
    Fábio Pinto da Costa

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Exactamente. Uma coisa não invalida a outra.

      Abraço

      Eliminar
  2. Gostei muito de ler este post, um olhar sobre a vida e as dificuldades dela mesma, muito interessante!
    Arbitragens e a culpa própria, resultou em mais uma época sem nada ganhar, é verdade, mas não ser "calimero" ou nao querer ser calimero fica ao criterio de cada um!
    Era agora o que faltava depois de ouvir durante anos e muitos longos anos de portista outros adeptos a queixarem se a denegrir e a tirar mérito ao meu clube nas vitorias e agora nao me poder queixar, propagandear e atribuir estes campeonatos perdidos á culpa dos árbitros, por vergonha de ser chamado de calimero!
    Deixemos o moralmente correto e esse dever de justiceiros de parte (não ganhamos nada com isso) e vamos lá abrir os olhinhos e tentar perceber que o NES e esta equipa teriam sido campeões, apesar do futebol que a equipa joga e da serie de empates em jogos fulcrais, no fim ninguém poria o NES em causa, nem o esforço desta equipa ao longo da época!!

    Será que temos que ser anjinhos papudos que fazem mea culpa só porque "somos diferentes e somos justos"?
    Qual é o dever moral que nos obriga ate nas vitorias a queixar sobre a arbitragem?
    O que nos faz adeptos de um clube diferente não é ser calimero ou não, a diferença do meu clube para os outros foi sempre a capacidade de reagir e se reinventar a cada época ganhando, algo que nos faz muita falta!


    Dragonite

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O que digo é que virar o foco SÓ para a arbitragem desresponsabiliza tudo o resto!

      Abraço

      Eliminar
    2. Lopetegui foi o expoente máximo disso mesmo

      Eliminar
  3. Eu não alinho no discurso Calimero! Recuso-me. Não sou lagarto... sou Portista.
    Polvo? Campos inclinados? Arbitragens duvidosas sempre a beneficiar os mesmos? MAS ISSO É SÓ DE AGORA???
    Caramba! Mas já ninguém se lembra que foi sempre assim? Sempre!
    Desde muito novito que me lembro das benesses ao benfica, dos campos inclinados a favor do benfica, do atravessar da ponte, do Lisboa a arder, da casa de banho do estádio das Antas, do Lisandro ser o único jogador no mundo que levou dois jogos de suspensão por hipoteticamente ter simulado um penalty (contra o SLB, claro!), dos sumaríssimo, dos túneis, do José Pratas e do Bruno de Campo maior! E a agora de repente é que isso se tornou um problema incontornável?
    Oh pá! Não me lixem! Abram a pestana e corram mas é com o velho de lá para fora!
    Quatro anos com cinco treinadores medíocres! Quatro anos com quatro estratégias desportivas diferentes que variam entre contentores de espanhóis emprestados ou comprados a peso de ouro a putos da formação atirados às feras sem preparação alguma.
    Quatro anos de milhões de euros deitados à rua com compras ridículas e inexplicáveis de verdadeiras anedotas que se demonstraram inúteis como Depoitre ou Adrien Lopez só para referir os dois casos mais encandalosos enquanto pelo meio deixa que Lopetegui se permita a dar um chuto no cu a Ricardo Quaresma.
    O nosso problema é interno. O polvo e a liga Salazar é areia para os olhos de quem não quer ver.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O nosso problema são OS DOIS.

      Abraço

      Eliminar
    2. De acordo. Longe de mim não achar que a influência doentia do benfica no nosso futebol não prejudica e torna as coisas (relativamente) mais difíceis.
      Agora, o que acho indesmentível é que basta um Porto bem estruturado, bem organizado e liderado por gente lutadora e competente para desmanchar este polvo com relativa facilidade. Foi isso que o "Somos Porto" nos demonstrou constantemente ao longo destes últimos 30 anos.
      Revejam por exemplo nas últimas 15 épocas em que anos é que o benfica conseguiu ser campeao... Só quando o Porto andou perdido ou a re-estruturar-se.

      Eliminar
    3. Chega de hashtags. O que se quer é ATITUDE!

      Abraço

      Eliminar
    4. Miguel.ca "corram mas é com o velho de lá para fora"! Nem mais.Mas, duvido que isso aconteça. O velho só sai por vontade própria tal como nos regimes totalitários, porque tem noção do que aconteceu a Vale e Azevedo. Recentemente a imprensa noticiou que , desde 2005 entrou nos cofres do F.C.Porto SAD a módica quantia de 700 milhões de euros. O F.C.Porto está numa situação financeira insuportável e inaceitável. Porquê? Um dia vai-se saber.Só não percebe quem não quer.

      Eliminar
  4. Caro Jorge
    É evidente que apesar de lutarmos contra tudo e contra todos, com "armas" desiguais, nos sentimos frustrados porque na hora decisiva não fomos competentes. Não contem comigo para branquear este facto evidente! Estamos de acordo. Todos nós portistas sentimos que deveríamos ter feito mais e daí a nossa revolta. Porque é que não fomos capazes ?
    Espero (e exijo) que quem tem responsabilidades nos explique o que falhou e nos diga qual vai ser o caminho.
    Não sendo o único responsável, permitam-me que insista, E AFIRME MAIS UMA VEZ a minha total falta de confiança por reconhecida incompetência do ainda nosso treinador.
    Não é bom andar sempre a mudar de treinador mas a inépcia, a ausência de evolução positiva ao longo da época, a incapacidade de reagir, enfim um completo vazio de ideias são razões mais que suficientes para a sua não continuidade.
    Fiquei incomodado com a subserviência e cuidados para não ferir o patrão dos comentadores ontem do Universo Porto.
    A seguir nos próximos capítulos
    Saudações
    Manuel Magalhaes

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Toca-se em tudo.. mas há partes onde se toca menos... e ainda há intocáveis...

      Abraço

      Eliminar
  5. Belenenses 0 x 0 FC Porto

    NES coloca exactamente a mesma equipa que dias antes tinha feito em Copenhaga um jogaço.

    P. Ferreira 0 x 0 FC Porto

    Quiçá, o pior jogo da época do FC Porto.

    2 empates que se resultassem em vitórias seriam 6 pontos...estaríamos a 1 de avanço sobre o 5lb...

    Fala-se muito (e bem) dos jogos em casa com Setúbal ou Feirense, mas caramba, foi NES que depois do jogo de Tondela disse "Temos de ganhar este tipo de jogos. Estes jogos definem as grandes equipas Chegar e ganhar."

    Só prova que ele não aprendeu com os erros ou se aprendeu não tem solução para os remediar.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O medo, a inercia ou o desnorte com que a equipa entra em campo é responsabilidade TOTAL do treinador. E a sua inconstância exibicional também!

      Abraço

      Eliminar
  6. mais nada caro Jorge Vassalo, mais nada! Calimero nunca!

    Raoc

    ResponderEliminar
  7. sim convem nao sermos, alias nunca foi tao facil ganhar um campeonato como o deste ano apesar da roubalheira, nao o ganhamos porque nao quisemops, nao fomos capazes. Em relacao ao futuro e com o segundo lugarsinhoi assegurado, ou as coisas mudam mesmo em todo o futebol do clube ou nao sairemos da cepa torta, senao reparemos falta agressividade, velocidade e presenca fisica e intensidade em TODAS AS EQUIPAS DO CLUBE, a A e o que se ve , a B equipa fraca tivemos a sorte de aparecer folha que nao inventa e se tem galeno a carburar aposta nele, os jun A com excelentes jogadores tornou se numa equipa vulgar com um treinador formador de homens como ele diz, os sub 15 sao uma desgraca franciscana, os sub 17 caminham para uma epoca falhada e tudo porque sempre que apanham equipas com jogadores rapidos, fortes e agressivos falham existe muito passesinho, muita lateralizacao, muita lentidao, o espirito de conquista e do contra tudo e contra todos perdeu se , alias o mesmo que aconteceu em tempos ao benfica que diziam eles bastava as camisolas para ganhar, os papeis invertem se. Pinto da costa deveria ter saido depois da vitoria da uefa ou do ultimo campeonato que ganhamos, amancebou se, o clue amoleceu e passou a ser falado pelas namoradas do presidente, os resulatdos estao a vista. Claro que nos temos sempre fe e esperanca de vitorias e perdoamos e esperamos .

    ResponderEliminar
  8. Boa noite Jorge Vassalo

    O que eu penso e o que peço sempre de uma equipa do FCPORTO é que lute sempre, e se for preciso de lutar contra tudo e contra todos, então que lute, que dê o máximo e se for preciso que morra a tentar.

    Para mim, foi este sentimento de ser PORTISTA que faz a diferença na hora de ganhar ou perder.

    Podemos não ganhar, mas daremos tudo em campo em qualquer jogo como se fosse uma final de champions, e é isso sempre que eu peço a um jogador do FCPORTO, a um treinador do FCPORTO, a uma equipa do FCPORTO.

    Porquê se fizermos isso estaremos muito mais perto de ganhar, mesmo contra Polvos, colinhos, etc...

    Pelo menos foi isso que aprendi com o Verdadeiro Pinto da Costa, não este de agora.

    Portanto se o FCPORTO depois de ir empatar ao benfica ganha-se todos os jogos até ao fim (como o NES dizia que ia conseguir), isso iria obrigar o benfica a ter de ganhar todos os seus jogos também...(mesmo que tivessem sempre penalties a favor).
    E mesmo que ficassemos a 1 ponto no final do campeonato ai sim tinhamos toda a moral do mundo para lhes atirar á cara o polvo, agora se desistimos quando estamos tão perto, se enfrentamos finais sem a ambição necessária de marcar o primeiro, depois o segundo, depois o terceiro e ai sim rodar a equipa...

    Que adianta falar do polvo quando parece, digo, "parece" que alguns jogadores, que o treinador pouco sentem esta desilusão de estar tão perto e depois desistir...

    É que isto dos campos inclinados já vem muito detrás, mas desde que o LFV está no benfica, isso é mais notório nas ultimas epocas pois parece que este sentimento de lutar contra tudo e contra todos não está no espirito de todos...

    E como o LIDER, vulgo PRESIDENTE está ausente, então esta força, esta mistica que existia parece que já não faz efeito.

    Concluindo:
    Falar do Polvo, denunciar os casos desta e de outras epocas, sim, claro que sim, e se possivel evitar que outros detenham todo o poder nas instituições do futebol português.

    Mas foda-se temos de arrumar a casa de uma vez por todos e por todos a remar para o mesmo lado, senão vamos continuar a penar.

    Abraço, Gil Lopes

    ResponderEliminar
  9. Grande post. De facto, inicia-se agora a campanha de branqueamento das responsabilidades, sobretudo do senhor lá de cima. Vamos começar agora a ouvir com insistência que o trabalho de NES foi minado pela arbitragem e, doutra forma, teria sido excelente. Queixas aqui e ali. Jesus está de saída do Sporting. Tenho medo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. André, tirando Jesus, quem escolheria para treinar o F. C. do Porto?

      Eliminar
    2. Pedro Martins. Assim de repente. Duvido que tenhamos orçamento para mais e melhor. Caso houvesse €€€, Paulo Sousa seria um treinador experiente, que já treinou em várias ligas de diferente competitividade, esteve em clubes vivendo situações diversas e que sabe montar e gerir uma equipa. Infelizmente, acenam-lhe da Rússia com petro-rublos e está na calha para substituir Lucescu no Zenit. Nós não somos o Sporting, que pode pagar o salário de um treinador no top 10 mundial dos mais caros!...

      Eliminar
  10. Espero bem que não se lembrem de ir buscar o porco do sou o mais bom melhor do mundo come chiclas do jasus. É que além de ser como é, (e achando eu que para ser treinador do maior é preciso qualidade mas também carácter)a nível de resultados também não é grande coisa. já treinas à 143 anos e ganhou quantos títulos? E no sítio onde foi que todas as ajudas e mais algumas.
    Além do mais creio que iria dividir a massa associativa, e não existiria aquilo que houve durante esta época, um apoio incondicional à equipa.
    Dito isto penso igualmente que se deve mudar de treinador, mas mudar só por mudar não. Alguém com qualidade, carácter e dentro do possível consensual.
    Já estamos na fase do pró anos há mais, e espero que para o ano aja muito mais.
    Abraço.
    Rúben Alves.

    ResponderEliminar
  11. Ontem, no Universo Porto da Bancada, o José Cruz, questionado por alguns Portistas se não se iria falar sobre questões internas do clube no programa, já deu um lamiré sobre a questão do treinador, do qual não está de acordo com o modelo: marcar, defender o 1-0, e depois sofrer, tais são os imponderáveis no futebol… e a fortuna, que nos tem sido madrasta e divina para as papoilas, digo agora eu.

    Falar de toda a roubalheira e de tudo o que nos tem condicionado – vão falar também dos delegados – não entendo que seja com intuito de branquear a má gestão financeira e desportiva verificada nas épocas anteriores. Este ano e dadas as circunstâncias, motivadas por aqueles erros de gestão, tem-se procurado refazer a casa, retomando também uma política de comunicação mais atenta, interventiva e agressiva, que se tivesse sido assim incisiva em épocas recentes, particularmente com Lopetegui, não estaríamos agora a pôr tudo em causa.

    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. num canal do clube nao e aconselhavel falar de assuntos internos, porque qualquer palavra ou qualquer expressao mais dubia sera de imediato aproveitada pelo polvo, agora ao pessoal do porto canal e nao sonao bastara parecer serio teem mesmo de o ser.

      Eliminar
  12. O post espelha exactamente o que eu penso. Os meus parabéns.

    Abraços

    ResponderEliminar
  13. Num pico de confiança, por uma entrada avassaladora, dizer aos jogadores para terem cabeça em vez de continuarem com alma, é um balde de gelo para quem está galvanizado e uma aragem cálida para quem está desesperado. Não esperava de ti, Simeone. Vês no que dá, Nuno?

    ResponderEliminar
  14. Ouve erros de Arbitragem, mas os maiores erros foram da Equipa ou seja jogadores, treinadores, Direcção etc..Tiros e mais tiros nos pés..E parece que vai sair mais um valente tiro chamado Mestre da Gorila..


    ResponderEliminar
  15. JE ne suis pas calimero.
    Mas depois é fazer posts todos os dias a chorar <3
    Adoro.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Chorar? O que é "chorar"?

      Querias que nos calássemos, não era?

      Pois NÃO VAI ACONTECER!

      Eliminar