sábado, 31 de dezembro de 2016

Bom Ano!


Um excelente 2017 para todas e todos os leitores e comentadores do Porto Universal, muito obrigado pela companhia e que este ano vos encha de felicidade e sucesso! E de títulos, já agora! Até segunda!

sexta-feira, 30 de dezembro de 2016

Análise FC Porto 1-1 Feirense (Taça da Carica) - Displicência

Mas, afinal, em que ficamos? Conta ou não conta a Taça da Carica? Fico bastante confuso com esta atitude. Mudamos, de um jogo para o outro, guarda redes, um jogador na defesa - aceitável - todo o meio campo e ponta de lança! Seis jogadores. E o sistema de jogo. E a nevralgia do dito jogo. É esse o sinal de uma competição importante?

E se o é, será minimamente admissível a falta de atitude de praticamente todos? Como pode ser que o FC Porto que vence o Leicester categoricamente não consegue vencer o Feirense? Querem ou não este título? Se o querem, têm de rebentar o Moreirense. Se não querem... avisem de antemão.

Ter 41 mil pessoas no Dragão e apresentar esta pobreza franciscana, não é só displicência: É um insulto! Ainda não me saiu da cabeça a falta de velocidade e de Alma que a equipa passou durante todo o jogo, pese embora as oportunidades que foi criando - mal seria que não as criasse! - mas que, mesmo assim, não deram golo.

Mas o que aconteceu na segunda parte, após o golo de Marcano, é de pasmar: defender o 1-0 contra o Feirense é de indignar até o mais calmo dos Portistas! A forma como se deu a iniciativa de jogo ao Feirense e se achou que "já está" roça o patético. Antes do golo contrário, já tal se adivinharia e não há que enganar: a culpa é toda  do FC Porto! Contra equipas da dimensão do Feirense não pode haver arbitragem ou bola parada que nos roube a vitória! 

De uma vez por todas, seja qual for o 11 do FC Porto - são ou não todos "importantes" e "válidos"? - controles de jogo não podem ser feitos na margem mínima! E em nenhum caso pode haver a displicência com que, por exemplo, Corona encarou o jogo de ontem! 

Salvou-se no meio de tanto disparate a boa prestação de Herrera e de João Carlos Teixeira, este último bom no remate exterior que nos falta, a confirmação de que José Sá  é o mesmo do Europeu - formidáveis defesas - e pouco mais. Uns fogachos não podem ser o FC Porto num jogo com 41 mil no Dragão.

No meio disto, claro, um "árbitro" com uma dualidade de critérios que nos faz pensar se ele é mau por ser mau ou se é de propósito. Mas, convenhamos, se vamos ser a equipa que, contra o Feirense, diz que perdeu pela arbitragem... dizia Lucho na fantástica entrevista ao Porto Canal... " Como dentro de campo a jogar de igual para igual eles sabem que não conseguem vencer o FC Porto, arranjam estratagemas extra futebol para acabar com a nossa motivação e confiança." Mas, como dizia também Casillas na sua recente entrevista... Não nos podemos queixar de arbitragens ao jogar contra Tondela e Feirense. Temos de ser capazes de muito mais. Temos de ser categóricos. E não fomos. Culpa nossa. Não pode haver tanta assimetria entre exibições.

quarta-feira, 28 de dezembro de 2016

Parabéns, Antevisão e a Saudade


Antes de mais, o mais importante: Parabéns Presidente! Que, para o ano, nesta mesma data, o seu octogésimo aniversário seja um com mais dois... ou três (... :) ...) títulos de futebol a engrossar a sua já longa lista de Presidente mais titulado da História do Futebol.

Ainda bem que o treinador interino do Feirense diz que "só a vitória interessa". Fico bastante agradado. Afinal, o jogo do FC Porto é favorecido quando as equipas procuram a vitória em vez de tentar apenas o pontinho. Aparentemente a Taça da Carica conta e, como tal, há que encará-la na máxima força, como disse NES na antevisão ao Porto Canal. Não sei o que quer isso dizer e, como não há convocatória.... não apresento onze provável. Com quem for, como for, é para ganhar e seguir em frente na prova. Lá estarei. E pelos vistos, casa cheia no Dragão. Ainda bem.


Acho curiosíssimo como há empresas que gostam de dar tiros nos pés do tamanho deste post, e queimar possíveis patrocínios com esta ligeireza.  Talvez Laurent Depoitre lhes mostre duas ou três coisinhas. Enfim, deixar estúpidos ao volante dá acidente na certa.... O bet.pt ofendeu o FC Porto. A reacção tem de se fazer notar e ser forte.

Hoje, quarta feira, o Porto Canal passa uma entrevista ao meu jogador preferido de sempre: "El Comandante" Lucho González. Portista como sempre, o melhor Capitão desde o Bicho, Lucho foi uma inspiração para todos os que jogaram com ele. A não perder. Para matar saudades. Eu, pelo menos, vou. Bem-vindo a casa, Comandante!


segunda-feira, 26 de dezembro de 2016

As Liberdades Interpretativas e a Universalidade Portista


No dia de Natal, Luís Gonçalves - finalmente uma voz assertiva para lá da do Presidente - deu uma excelente e bastante aberta entrevista acerca de todos os temas relevantes relacionados com o futebol. Destaco a coragem de dizer, sem pudores, aquilo que muitos não querem ver - que todos se queixam quando a vida lhes corre mal - papoilas incluídas - mas só o FC Porto o faz quando a coisa corre bem.

Lá porque sabemos, no FC Porto, que temos de jogar quase sempre contra 14, não significa que não saibamos o desgaste que isso provoca e a injustiça que representa. Saber que não nos calaremos é importante. Saber que vamos continuar a lutar contra as adversidades também. E principalmente, é bom saber que isso nos ajuda a ser cada vez mais fortes

Sim porque, ao mesmo tempo, foram publicadas estas declarações do senhor João "Pode ser" Ferreira, onde este se diz "globalmente satisfeito" com as decisões arbitrais! Pudera! São a favor dos seus amiguinhos! Com esses, pode sempre ser! Também é de relevar a mestria nos jogos do FC Porto! Se a FIFA e a UEFA recomendam que em caso de dúvida não se marque, muitas certezas há nos jogos do FC Porto. Mas só a azul. As outras cores confundem muito.

E já agora, Jiménez, é isso tudo. Queremos que estejam confiantes no vosso "ADN". Olha, como em 2013, contra o Marítimo. Muito confiantes!


Todos sabem do quanto gosto do nosso Maestrinho. Tenho muita pena que não tenha muito golo. Mas tenho esperança que isso mude. No entanto, esta entrevista só me pode deixar extremamente feliz. Especialmente a parte em que um colchonero durante tanto tempo acabe por dizer "Oxalá cheguemos juntos à final da Champions... e que ganhe o FC Porto!". Óliver sabe, bem no fundo, que o FC Porto vai ficar com ele. Todos sabemos. E ainda bem. Com Óliver no meio campo o FC Porto é sempre mais. E o seu sentimento tão Portista de pertença é mais uma demonstração do quanto o FC Porto é mesmo... Universal.

quarta-feira, 21 de dezembro de 2016

Então, Parabéns!


A ratazana lampeira alertou ontem para a papoilização do sistema do futebol português, sem no entanto desistir do seu wet dream: a nação da segunda circular unida contra os mauzões do Norte. No entanto, com um á vontade de quem acabou de entalar as leguminosas numa gaveta, lá foi advertindo para a verdade que temos estando a alertar, eu e muita da bluegosfera, há já demasiado tempo: o poder das papoilas vai muito para lá do desporto. Com o bieirinha está o poder judicial, o poder político e o poder económico. Tem também os amigos da publicidade, perdão, dos media, com ele - veja-se o comunicado ridículo do Sindicato dos Jornalistas hoje, ignorando que a informação e a opinião são coisas totalmente diferentes!  

Basta procurar um pouco e ver os nomes que costumam estar na tribuna presidencial, quantos clubes têm jantares na Assembleia da República ou os nomes de apoio à última candidatura de bieirinha à presidência!

Mas mais! É preciso dizer à ratazana o seguinte: então, parabéns! Era vê-lo aqui, tão bem acompanhado na sua cruzada contra a "corrupção" no futebol português, pela moralização e a justiça, e ver quem estava do lado dele. Foi usada então a ratazana como uma meretriz de beira de estrada e levada como uma tonta. Estamos muito melhor, verdade?

É, meu caro amigo: tanto correste, obcecado por quem tinha mérito para ganhar títulos internacionais, que te aliaste ao pior dos batoteiros, que é tão bom nessa arte que consegue tudo na palma da mão, chegando a fazer com o teu sportem a mesma coisa que faz com todos os jogadores a quem promete um lugar ao sol: deixou-os ter a ilusão do poder e depois deu-lhes um chuto onde o sol não brilha para lá do real carago. E tudo isto com o teu apoio! Pelo terceiro ano consecutivo, vai uma batotice pegada da pior espécie, rumo a mais um recorde fajuto, em nome de uma tentativa hegemónica assente na base da inclinação de amplitude elevada. Tudo isto enquanto, internacionalmente, se vai vendo, apesar do imenso urinol, o quanto a base treme.


Enquanto isto continua, vai também prosseguindo a sem-vergonhice: o senhor Pizzi foi hoje expulso aos 94 minutos por duplo amarelo - com o jogo praticamente no fim - e vai poder estar fresco como uma alface em Guimarães, cumprindo o castigo na primeira jornada da taça da carica - que se joga um mês depois da nossa, poucos dias antes de jogarmos a segunda. Isto na mesma semana em que um "sorteio" ditou que o adversário deles na Taça de Portugal é... drum roll please... o Leixões!  E no galinheiro! 

Há muito para combater, e sendo que esta é a quinta exposição que fazemos..... vai acabar por ter de ser com mais vêemencia.

Entretanto, ratazana, não esquecer... parabéns, ein? Muito melhor agora, verdade?


terça-feira, 20 de dezembro de 2016

Análise FC Porto 2-1 GD Chaves - Na Raça!


Mais um jogo que constroi uma equipa, que a funde com os adeptos e que demonstra a PALHAÇADA que tem sido - e que, aposto, vai continuar a ser - este campeonato. Ao melhor estilo calaboteano, tudo foi tentando e feito para que o campeonato ficasse entregue às papoilas já antes do Natal. Só que do outro lado está o Futebol Clube do Porto. E isso quer dizer que nunca viramos a cara à luta, que somos e seremos alimentados pelas injustiças que cometem contra nós, e que, qual boomerang, com quanta mais intensidade nos tentarem atirar para fora, com quanta mais força que lhes atingiremos com a reacção! Vamos a notas.


"San" Iker Casillas - Não tenho palavras para descrever o que vi. A segunda parte foi mesmo à minha frente, por isso sei o que vou escrever. Não me interessa quanto custa Iker Casillas, se ganhamos o jogo e se ainda temos hipóteses de lutar pelo título, devemo-lo a ele. E não, não estou a falar das defesas de campeão do mundo que ele fez ontem! Estou a falar de que Casillas é o verdadeiro líder desta equipa, a referência para a juventude desta equipa e que ele não pode sair! As defesas do outro mundo, toda a gente viu, a Sport TV mostrou-as. Mas não mostrou o papel fundamental no ponto de ordem que Casillas fez a Felipe, quando este parecia perdido após nova escorregadela ter dado outro golo impossível - sim, nem mesmo San Iker poderia ter defendido aquilo - não mostrou a organização que deu, as palavras que disse e a forma como incentivou e orientou toda a equipa da baliza e a forma absolutamente deliciosa como a sua mão despachou o verme após este lhe ter dado um amarelo absurdo por ter demorado a repor a bola em jogo, enquanto Casillas protestava, pela segunda vez, pelos jogadores do Chaves quererem jogar andebol na nossa área. E aposto o meu pescocinho que houve uma daquelas palestras antes da subida às segunda parte por parte de Iker. Se isto não vale o seu peso em ouro...


Danilão - Não é só pelo golaço que marcou. Em campo, é também ele o Capitão e uma demonstração de imponência, verticalidade e raça a toda a prova. Bem sei que estas exibições  podem acabar por levá-lo para longe do Dragão, mas Danilo Pereira é nuclear nesta equipa. Na defesa já o sabíamos extraordinário, no discurso já o sabíamos o verdadeiro jogador à Porto, mas se começar a subir como ontem, a marcar golos como o de ontem.... Ninguém o vai segurar. Sim, eu sei que Marcano ontem foi um verdadeiro João Pinto a pedir o amarelo a Perdigão e a levar ele um amarelo por isso. Mas a braçadeira também não destoava em Danilão.

Depoitre - Eu sei que Depoitre não jogou mais do que a equipa - já lá vou - mas foi aquilo que tem faltado no FC Porto -.força bruta. Com Depoitre temos presença inabalável na área, temos um ponta de lança posicional que ontem fez 3 excelentes temporizações, marcou um golaço - estas a ver, André, é assim que se cabeceia - e foi a muralha de que precisávamos... quando precisávamos dela. Uma excelente substituição. E uma indicaçãozinha de que, afinal, talvez não esteja tudo tolo.


Na raça, carailhe! - Quando nos querem derrubar, é na raça que reagimos. Quando nos querem pisar, é assim que reagimos. Absolutamente irrepreensível a segunda parte do FC Porto, em que não houve uma gota de suor por sair a ninguém, Temos uma equipa unida, forte e solidária, e que sirva então de exemplo para qualquer equipa que é assim que reagimos ao antijogo primário, à barbárie da agressividade e da luta que se vê sempre mais um bocadinho contra nós e ao proteccionismo calaboteano. Andaram em simulações e atrasos ridículos? Pois ficaram a correr atrás da bola feitos tolos depois do 2-1! O Karma é fodido, amiguinhos! São estes jogos que fazem campeões e só há uma equipa em Portugal que o merece - nós! Assim se constrói a imponência do Dragão! Na raça, carailhe!

Público - Este é o Dragão que andava a pedir há dois anos! Este! E fica bem visível o quanto é fundamental que o público esteja com a equipa e a empurre para a frente! Contra 14, também o Dragão soube ter 14 jogadores, com todo o suplemento que nós também lhe demos. Assim, seremos sempre um osso duro. Assim, todos juntos, poderemos ser campeões!


Corona e Jota - Mais o segundo do que o primeiro, é certo, mas ambos passaram totalmente ao lado do jogo, um a atrapalhar mais do que a construir , o outro perdido numa tentativa repetidamente frustrada de tentar ser um Messi. A rever urgentemente. Que esta pausa de Natal faça bem à cabeça dos dois.

A primeira parte mázinha - Sim, entramos perdulários e desorganizados - ao contrário do Chaves, que joga bem e que sabe ocupar bem os espaços e jogar ao primeiro toque - sem intensidade e amorfos, e nem com o golo soubemos reagir na medida do exigível. Felipe a.bC (antes da bronca de Casillas) estava entre o perdido e o aluado, também. Enfim, eu sei que há jogos assim, mas ainda bem que a segunda parte nada teve a ver com a primeira!

Calabotes - Sim, nem mais nem menos. Não tenho medo das palavras. Este assalto que fomos vítimas ontem tem de ter consequências! O Presidente falou, e falou muito bem, ontem, acerca disso, e o FC Porto vai tomar medidas. Antes que, como bem o Presidente disse também, alguém perca a paciência. O homenzinho do assobio  estava em modo tempo de compensação por ter ousado permitir a derrota das papoilas no Funchal - sim, foi este - o assistente é um mouro incorrigível. Resultado? Um golo absurdamente anulado e um penalti que se via de Júpiter por assinalar. Isto, para lá de que Brahimi teve sempre uma inclinação de mais 30º, porque estava sempre a ser puxado em qualquer movimento. Isto, apesar do tempo de comensação ridículo dado na primeira parte. Isto, apesar do amarelo sair muito mais rápido para o nosso lado do que o outro. Amiguinhos, continuem a mandar postais! SÓ NOS FAZEM MAIS FORTES!

domingo, 18 de dezembro de 2016

Batota E A Resistência


Tenho andado deprimido com o estado do futebol português. No caso da mãozinha, bem descrito aqui pelo Vila Pouca e sobre o qual não vale a pena repetir o que tão bem por este foi escrito, tudo o que é abjecto está descrito no post, mas falta, quanto a mim, falar de mais uma coisa: a forma como a mão estendida dobra a espinha. Muitos de nós exultamos com a saída do tenente-coronel com a roupa arco-íris, como finalmente uma análise no Tribunal d'O Jogo mais condizente com a realidade e menos anti-FC Porto. Desenganem-se. Foi sim uma manobra de diversão, um clássico misdirection para mascarar a realidade mais abjecta: também O Jogo, último bastião contra o pensamento único dos media, vergou a espinha ao centralismo. Inventa-se a análise de um suposto penalti que mais ninguém viu para dizer que não houve Paixão no resultado. E pronto, siga para bingo.

E esta é a dificuldade do campeonato português. Jogamos futebol, muitas vezes de elevada qualidade. Temos uma equipa jovem, como bem Casillas explicou, temos de deixar de vender todos os nossos melhores, e deixar de ter ciclos de três épocas no Clube, como bem disse Deco hoje. Mas temos, e essa é a parte mais difícil de todas, de enfrentar com apuro técnico e aperfeiçoamento de jogo a mais pura e básica batotice.

Todos sabemos, é muito complicado combater esta realidade. Usando os dados de casino como analogia, por muita prática e destreza que se tenha no lançamento de dados, se alguém ao nosso lado tem os dados viciados e sai sempre o sete em qualquer lançamento, continuar a praticar, a insistir e a aperfeiçoar sabendo que o mais certo será ficar atrás do batoteiro, é muito complicado. Mas tem de ser feito.

É que um dia o dado erode, o mecanismo falha e fica apenas a destreza do lançador: nenhuma! E então, do outro lado, está um concorrente com técnica e experiência. Além do mais, um contará sempre consigo e com a sua sabedoria, o outro com o amparo de terceiros. E saberá, intimamente, a fraude que é.

Se se convencer do contrário, óptimo. Nada melhor do que a sombra da bananeira. E muita segurança no vazio. Serão apanhados na curva. E é com isso que podemos contar.

Mas é idiótico estar a pedir que se vençam dados viciados. Como também o é pensar que não estão.

sábado, 17 de dezembro de 2016

A Lenda


Espero que a entrevista que Casillas deu ontem a Juca Magalhães, e que foi por este muito bem conduzida, tenha ajudado muitos adeptos a perceber quem temos connosco, talvez só até final do ano. Temos um dos melhores jogadores da História do futebol connosco. Uma lenda.

Iker Casillas foi cordato, moderado, inteligente, mas também sincero e frontal. Não houve rodeios, meios termos ou desculpas: veio ao FC Porto ganhar títulos. Veio para o FC Porto porque este é um Clube vencedor. Mas disse também sem rodeios tudo aquilo que muitos não querem ouvir. No meu entender, estes são os pontos-chave da importantíssima entrevista que deu:
  • Casillas não se desculpa com as arbitragens. Acho muito bem. Disse-o, sem complacências: uma equipa que se quer campeã tem de conseguir vencer um Tondela ou um Vitória de Setúbal sem vir apontar os erros de arbitragem como a principal causa da perda de pontos. Assume as responsabilidades óbvias da equipa neste estilo de situação. Já no jogo com o sportem a coisa é diferente: num jogo onde fomos superiores, fica claro que Casillas percebeu bem o tamanho do roubo que sofremos. A lembrar para a segunda volta. Assim como o roubo em Chaves que nos afastou injustamente da discussão pela Taça de Portugal.
  • Não veio aqui passar férias, o que é muito bom saber. Está obcecado com a ideia dos títulos e, como alguém que já ganhou tudo, quer voltar a sentir o sabor das vitórias. Acho lindamente. Prefiro alguém como fome e vontade do que alguém que está descontraído. Será, sem dúvida, um bom exemplo para o balneário.
  • Foi frontal e disse aquilo que muitos sabem mas talvez não queiram admitir: os nossos rivais têm equipas mais sólidas do que a nossa. Andar todos os anos a vender equipas inteiras, sem manter uma base consistente, é muito prejudicial. Passar a vida a começar do zero não beneficia nada nem ninguém. Só com uma "espinha dorsal", como classificou, por exemplo, o caso do sportem, será possível voltar a ser uma equipa dominadora. Que falta o espírito ganhador para levar as coisas ao limite, um ADN campeão. Estou de acordo.
  • Foi bastante evidente que, na perspectiva da equipa, as coisas pareciam estar bem até ao Natal do ano passado. Estávamos em primeiro, é um facto, e que as mudanças de treinador e a indefinição na equipa precipitaram o descalabro que se viu. A equipa ficou insegura e ansiosa. Foi bastante frustrante para os jogadores "a quatro jornadas do fim já não estar na discussão do campeonato".
  • Fiquei agradevelmente surpreendido em saber que Nuno Espírito Santo é um treinador exigente e que aquela imagem de santo que passa para fora não é igual dentro. Ainda bem. Dentro é que é importante. Se é duro, exigente e frontal, óptimo. Moleza não traz títulos.
  • Por fim, creio que ficou subentendido - pelo menos foi essa a ilacção que tirei - que sem títulos não faz sentido que Casillas por cá continue, o que eu compreendo. Mesmo assim é muito bom saber que a sua grande ambição é  "pôr o cachecol Azul e Branco" e festejar títulos junto com os adeptos.
Por mim, não saía mais. Sei que tem um salário elevado, mas a publicidade que dá ao Clube e a exposição que isso traz certamente compensa. Mais a mais, ficando, não faz sentido que a braçadeira não seja dele. Uma pessoa pode sonhar, e ver Iker Casillas pegar na Taça da Liga Dos Campeões pelo FC Porto seria, certamente, uma alegria que me daria. Mesmo assim, Iker Casillas ontem mostrou bem o seu estatuto e a sua postura: é uma lenda. E será, para sempre, lembrado na cabeça dos Portistas como tendo usado as nossas cores. E eu tenho o privilégio de o ver todas as semanas. E sei disso.

sexta-feira, 16 de dezembro de 2016

Análise FC Porto 2-1 Marítimo - A Força Esteve Connosco. Quer Dizer, Mais ou Menos...

Os campeonatos estão cheios de jogos destes. Quantas e quantas vezes, nos temos de Vítor Pereira, Mourinho ou Villas-Boas, não os vimos? Jogo de domínio absoluto até às substituições (ver FALTAS), aberto a saca-rolhas argelino, com uma absoluta desinspiração da frente de ataque, aquilo que poderia - e deveria - ter sido outra copiosa goleada, redundou numa vitória justíssima, mas com uma ansiedade que não deveria ter passado pelo Dragão. Vamos a notas.

Óliver - Cada vez mais o fiel da balança do FC Porto, o nosso Maestrinho fez mais um jogo como só ele sabe: pressionante e aguerrido na defesa, esclarecido e com super-visão no ataque. Às vezes até demais, como no caso do brilhante passe para a desmarcação de Maxi à direita, que este pura e simplesmente não teve pernas para acompanhar. É uma felicidade tê-lo nesta equipa do FC Porto e quando sai... nota-se bem a sua falta.

As extremidades do ataque - Soberbos jogos de Brahimi e de Corona, cada um deles com excelentes ataques, e com Brahimi premiado com um fabuloso golo de ângulo "impossível" só ao alcance daqueles que acreditam sempre, mas principalmente pelo apoio defensivo que conseguiu transformar o 4x2x4 num efectivo 4x4x2 de pressão imediata e de reacção à perda de bola. Ver Brahimi a fazer cortes junto à linha é uma alegria esfuziante! Como dizia ontem o meu amigo João "Golden Dragon" Santos, "quem é aquele, o número 8? É novo?" Que maravilha! Assim há equilíbrio. Pena não ter havido pontas de lança, mas já lá vamos.

Os laterais com as pilhas todas - Já todos sabemos como Maxi é alguém que deixa tudo em campo mas, além disso, no ataque não pára de criar situações, boas subidas e chegadas à linha, excelentes tabelas... enfim. A não ser pelo cansaço que demonstra de quando em vez, pode muito bem ser que venhamos a ter o "sacrilégio" de deixar o fenomenal Layún no banco mais tempo. Mas a época é longa e haverá muito espaço para ele. Já Alex Telles, em dia de aniversário com direito a parabéns cantados no Dragão - e que ele agradeceu profusamente - parece ominpresente. Intenso e pressionante na defesa, com óptimas subidas à linha, tem justificado exponencialmente a sua contratação. É uma alegria tê-lo, com toda a sua paixão, por cá.

Danilão - É preciso dizer mais alguma coisa? Corta tudo, pára tudo, sai para o ataque, impulsiona a subida dos seus colegas, é um verdadeiro Capitão dentro de campo.... falta talvez sentir-se seguro para o remate. Ficaríamos muito bem servidos com um tiro exterior potente. Creio que lá chegará.

Os pontas de lança que querem uma mantinha e um cházinho - Uma absoluta nulidade André Silva e Diogo Jota, ontem. Especialmente este último, uma vez que o primeiro estava no sítio certo para receber o passe de Brahimi para golo (embora o mérito tivesse sido do argelino e de Óliver), estavam lá nitidamente sem chama e praticamente na Lua. Então Jota... a forma como ele falha um golo feito, em frente à baliza, com um remate frouxo, à figura... merecia um apertão do Danilão e um "puxão de orelhas" do Casillas. Está a precisar de terapia de banco.

Baralhar sem necessidade - Estava ganho o jogo, sim, estava. Era altura de dar espaço a jogadores que precisam e merecem minutos. Sim, era. Mas como explicar as trocas? Porque tirar Brahimi e Corona, quando ambos estavam com vontade de contribuir? Então Jota não estava bem pior? Não era hora de dar mais segurança defensiva, passando para um 4x3x3 com cabeça? O que aconteceu de seguida é culpa disto. Baralhadas que estavam as pedras em campo (em especial depois da saída de Óliver, embora aí a troca fosse directa), veio a desorganização, o golo maritismista, sem que estes tivessem feito o que quer que fosse que o justificasse, e os nervos, que tão bem Casillas descreveu. As substituições devem ser equilibradas, embora João Carlos Teixeira fizesse por merecer os minutos há muito devidos.

Arbitragem - Mais um habilidoso, mais dois penaltis, mais critérios diferentes para coisas iguais. Enfim, sempre o mesmo. Não são os jogadores que têm de fazer algo acerca desta pouca vergonha. A responsabilidade mora mais acima.

Público - Tanta gente exige, tanta gente vocifera, tanta gente fala do alto da burra e critica mas... e estar lá? Pois! O Portismo novo! Curiosamente, contra Bayerns e papoilas não falta, independentemente das condições climatéricas! Mas é contra Marítimos que se ganha ou perde os campeonatos que os "exigentes"... exigem! Ou então, como estamos numa fase em que as coisas parecem correr bem... não dá pica, verdade? É como as caixas de comentários nos blogues... para dizer mal entopem elas! Uma tristeza!

Segunda feira há mais, contra uma equipa de maior valia e intensidade. Temos contas a saldar com esses meninos. Vamos a eles, carago!

quarta-feira, 14 de dezembro de 2016

Antevisão FC Porto - Marítimo Seriedade e Concentração


Voltamos amanhã ao que é importante, os 90 minutos da bola a rolar que nos dão a alegria e a felicidade, o convívio com os nossos, as curvas mágicas da Nossa Casa. Voltamos ao Dragão, em jornada antecipada, para defrontar a muito organizada formação maritimista, que conseguiu derrotar as papoilas e que fez uma primeira parte agressiva e intensa nesse jogo.

O onze de amanhã nada tem a saber, é, de certeza, salvo lesões ou imponderáveis, este que está em baixo. Contra o Marítimo será necessária uma intensidade e uma concentração muito superiores ao jogo de domingo! Também é importante que NES explique a Brahimi e Corona a diferença entre um 4x4x2 e um 4x2x4. A atacar até pode ser este último, a defender é suicida. A recuperação da bola deve começar na linha da frente e não deixar um Óliver que, já sabemos, está demasiado perto de Danilo, a fazer tudo sozinho.

Vamos ver se há a evolução que falta fazer: a da equipa jogar compacta, em 60 metros, como o treinador deseja. Se assim for, este esquema funciona bem. Senão, é vulnerável ao contragolpe. Um FC Porto que consegue golear o Leicester também conseguirá fazer boa figura frente ao Marítimo. O desafio é ter a noção de que a importância é rigorosamente igual.


NOTAS: Saúdo vigorosamente a coragem de Francisco J. Marques em denunciar a perniciosa manipulação informativa de ditos jornais "de referência" e "isentos". A forma vigorosa e célere com que FJM desmascarou o torcer da verdade e expôs o bullying jornalístico ao qual o FC Porto foi votado é de aplaudir de pé. Naturalmente, espero de ora avante igual atitude em relação a todas as manipulações jornalísticas que afectem o Clube e não só o seu Presidente e família deste, como é óbvio.

E, por falar em manipulações, por todo o lado se vai assistindo ao mudar de agulha do inimigo para o FC Porto. Além da exposição deste caso, tão ridículo na sua dualidade de critérios aberrante e propositada, também se torna bastante óbvia  a forma perciosa com que a ratazana ontem, no seu programa de solta-bílis, se dedicou a insinuar que André Silva não "precisava" de ter caído, dizendo que, apesar de reconhecer que é penalti pelas leis do jogo,  "se estes penaltis são para se marcar não vamos fazer outra vida". Claro, claro, ratazana! Malandros, esses do FC Porto! Já o intensómetro, quando toca ao jogadores da mui querida segunda circular, a Pátria Lusa para a ratazana, funciona que é uma maravilha! Nem que seja para declarar válido o mergulho de Lima e Jonas ou os golos de Braçobol de Gelson e de Bryan Ruiz. A manha é toda do Norte, já sabemos. Como sabemos, e sabemos muito bem, que o campeonato perfeito para o menino tirava esses empecilhos da zona das Antas.

Temos pena, not gonna happen!

terça-feira, 13 de dezembro de 2016

O Copo Meio Cheio Do Presidente

Ontem o Jornal de Notícias inaugurou a sua plataforma de conteúdos online - iniciativa que, naturalmente, saúdo - e teve como entrevista inaugural o Presidente do FC Porto, Jorge Nuno Pinto da Costa. Devo dizer que gostei bastante da entrevista.

Em primeiro lugar, não foi no canal do Clube, não foi para consumo interno e respondeu a todas as questões de jornalistas independentes da sua forma característica. Mas gostei bastantes das seguintes coisas, e passo a elencá-las:

  • Gostei da forma clara, sem rodeios, como respondeu às diferentes questões. Quem não deve, não teme e é bom conhecer a sua visão dos assuntos.
  • Gostei da forma como se assume primeiro responsável por todas as decisões e momentos do Clube. 
  • Gostei da forma clara como explicou o negócio com a MEO.
  • Gostei de saber que o FC Porto está interessado em apostar na formação de activos primordialmente locais. Está mais que visto aos olhos de todos que a identidade Portista "de berço" é mais do que valorizada pelos adeptos. E há muito e bom talento nacional, na grande maioria das posições, para preencher um FC Porto com a identidade local que se exige, essa que é, e sempre foi, na verdade, a sua grande força. O talento estrangeiro deve ser cirúrgico e conforme as necessidades.
  • Gostei de saber que essa é também uma grande prioridade de Luís Gonçalves.
  • Achei de muita classe o esvaziamento de pressão feito pelo Presidente sobre a dupla Jota/André Silva, ao dizer o óbvio: aos 20 anos não se lhes pode exigir outra coisa senão trabalho para a realização do seu potencial.
  • Foi impecavelmente incisivo na questão da arbitragem e da Taça de Portugal, demonstrando o seu ponto sem recorrer a linguagem e atitude baixa demais para a posição que ocupa.
  • Finalmente, concordo em absoluto sobre a questão da alternativa. Sim, é verdade o que diz o Presidente: muitos criticam e escrevem e falam, mas chegam aos sítios apropriados e não falam na AG, não dão a cara à luta e não se apresentam como alternativa
De resto , já conhecem o meu pensamento sobre a sua atitude perante a presença do filho, sobre a desvalorização de uns adeptos sobre os outros e sobre Lopetegui, embora concorde que este salário de seleccionador de Espanha é escandaloso. Também sinto que a forma como fala de Adrián é muito pouco cordata. É (ainda) um activo do Clube, e deveria ser tratado como tal. Contudo, concordo que a Palavra de um homem deve ser o seu maior tesouro e fico contente que tenha aprendido uma lição sobre Jorge Mendes e os seus negócios.

Saúdo, portanto, a entrevista, fazendo votos que se repita muitas vezes, porque um Presidente incisivo e ao ataque é algo que vamos precisar e abençoar sempre.

segunda-feira, 12 de dezembro de 2016

A Senhora Velha e a Intenção Pura.


Está então a vecchia signora no nosso caminho nos Oitavos de Final da Champions League. Naturalmente, um adversário muito difícil - todos o são nesta fase - e com o qual temos contas antigas a acertar. Eu acredito que a perspectiva histórica tenha sido dada por todos os outros blogues, por isso, vou por outro caminho.

Teremos pela frente um adversário que chegará, previsivelmente, fresco em Fevereiro à nossa casa em virtude do fosso enorme que tem de qualidade e profundidade de plantel e mesmo de conhecimento da sua equipa em relação aos rivais (neste dia em que escrevo, a nossa conhecida Roma e o Milan estão empatados no segundo lugar a 7 pontos de distância), por isso focado completamente em conseguir um título europeu que perseguem há anos. 

Contra Buffon, Alex Sandro, Higuaín e companhia terá de ser um FC Porto muito forte defensivamente e incisivo no ataque para seguir em frente na eliminatória. A Juventus sabe ser camaleónica o suficiente para ser imprevisível e cínica o suficiente para controlar até desferir um golpe raro, sem qualquer contemplação. Onde nós temos juventude e vontade, do outro lado morará a experiência e o treino repetido. Só com criatividade e muita raça será possível passar a muralha alvinegra. Difícil, sim. Impossível, jamais. No entanto, ver dois gigantes europeus amigos nas duas balizas vai ser um daqueles eventos históricos ao qual não faltarei.

Ontem à noite, deu-se o previsível desporto nacional, o do branqueamento de penaltis lampiónicos. Sim, são os dois penaltis. Isso, ou a mão de Felipe não era, e  deveríamos estar 2 pontos à frente, a mão de André Silva não era e deveríamos ter tido um resultado muito mais dilatado e por aí em diante. E não, não são coisas despicientes. São influências directas no resultado.

Pizzi não teve a "intenção" de dar na bola, dizem uns. Pois, mas com qual dos braços? É que ele ajeitou a bolinha com os dois, primeiro o esquerdo e depois o direito! Que não haja avaliador que dê disso conta, seja no Tribunal d'O Jogo ou noutro lado qualquer, é absolutamente surrealista! E, neste caso, não só seria penalti a favor do sportem como é a jogada imediatamente anterior ao primeiro golo benfas! Não há maior influência directa no resultado do que esta! E no caso de Nelson Semedo, enfim, o peito dele deve ter uma extensão angular qualquer. Este é o braço direito de Nelson Semedo a tocar a bola. Num movimento deliberado. Ou isso, ou está com espasmos musculares. Mas aqui diz-se por todo o lado que "foi sem querer" e que "não havia intenção".

Aqui está a via sacra benfas em todo o seu esplendor rumo ao tetra. É que Jorge Sousa, depois de ter ficado de molho uns bons meses, viu literalmente "a luz" e já sabe o que fazer. E é por isso que estou, infelizmente, profundamente convicto da infinitesimal probabilidade do título, apesar de acreditar até ao fim. É que podemos jogar bem, fazer grandes espectáculos de futebol. Mas quando lutamos contra dados viciados, e ainda por cima contando com um autêntico golden shower papoilar para ajudar à festa... é complicado. Foram inferiores em tudo. São e sê-lo-ão. Mas passam fases de grupo com sorte e têm uma eficácia surrealista no contra-golpe. Como uma equipa pequena. Num jogo pragmático.

Contamos, através de um FC Porto de qualidade e resistente, com a "glorificação antecipada" que leva à soberba. Ganhando os nossos jogos, ficará sempre a ideia de que um Marétmo pode acontecer mais vezes. Mas será muito raro. Não deixaremos contudo de lutar até ao fim.

domingo, 11 de dezembro de 2016

Análise Feirense 0-4 FC Porto (13ª Jornada) - Estamos Na Luta

Jogo de resultado enganador, contra uma equipa numa posição da tabela também enganadora. Apesar dos momentos oscilantes e de um 7º clean sheet seguido que poderia não ter sido - parece que a sorte voltou a querer algo connosco, já não era sem tempo - houve muita descompressão, aquela que eu temia, neste jogo. 

Ainda assim o que importa é que levamos os três pontos e estamos na luta. Não será um daqueles jogos que vamos querer rever, mas marcar muito e bem ajuda sempre. Agora temos dois jogos em uma semana intensa onde perder pontos é proibido. Enquanto escrevo acabou o jogo entre os coisinhos, com o resultado menos apelativo dos três. Mesmo assim, temos o segundo lugar isolado e um sportem que, afinal, não tem a arbitragem assim tão na mão.... é continuar na luta, sempre. Fazer a nossa parte e o resto.. que seja o que for. Vamos a notas.


Óliver - O Maestrinho é, cada vez mais, o cérebro desta equipa. Por ele passa, praticamente, todo o jogo. A visão de jogo de Óliver Torres é absolutamente genial. Sejam eles passes em profundidade, mudanças de flanco ou passes a rasgar, o nosso Tsubasa é, sem dúvida, a peça chave do FC Porto. Falta-lhe golo, mas tudo o resto, e também a parte defensiva, com muitas e boas recuperações, é de uma qualidade absolutamente gourmet.

Defesa de betão - Serão Marcano e Felipe irmãos? Eu sei que nasceram em dois países e dois continentes diferentes, mas a dupla imperial da defesa não permitiu a reacção de um Feirense esforçado e, dentro do possível, O lance do golo de Felipe/Marcano é, aliás, uma demonstração clara de duas coisas: a primeira, que Marcano é, cada vez mais, um Capitão a sério. A segunda é que são uma equipa, compensando-se, tendo uma simbiose mais que perfeita. Sete jogos seguidos sem sofrer golos. A melhor defesa da Europa. É isso o que temos. Ah, e nos poucos lances de perigo, está lá um guarda-redes, Casillas de seu nome, de classe mundial para fazer o que falta.

Danilo - Não esquecer a primeira linha do ataque e da defesa, o tanque Danilão. Não passa nada pelo nosso tanque! Pura potência e sabedoria defensiva, quando agora até se aventura no ataque... a continuar assim estará muito pouco tempo de Azul e Branco. Infelizmente.

A criatividade - Faltava uma peça no ataque. Chamava-se Yacine Brahimi. Com Brahimi no jogo, o saca-rolhas passa para o argelino e Corona ganha mais tempo, e espaço, para a sua própria magia, cada vez mais e melhor. Assim sendo, vê-se um FC Porto bem aberto e projectado, com múltiplas soluções de ataque e maior versatilidade. Se calhar, já poderia ter sido antes. Mas ainda vamos a tempo.


Lento, parado, descomprimido, na boa - Bem sei que era tudo menos inesperado. Mas não deixou de me criar ansiedade. Especialmente depois do golo e da expulsão, o FC Porto baixou a velocidade, chegando ao ponto de quase inerte pouco tempo depois do golo de Brahimi. Felizmente veio a segunda parte e outra atitude... mas isto não pode acontecer muitas vezes.

Os monges Portistas -  Ah, e tal, se calhar não é penalti. Ah, e tal, esta coisa da "tripla penalização" e tal. Espera aí! Mas está tudo doido?! É de não estarem habituados a arbitragens justas?! A tripla penalização justifica-se sempre que o jogador não procure jogar a bola! Viram José Mota reclamar?! Então.... deixem-se de tretas! É para ser do contra? Depois queixem-se da sorte!

Rui Vitória recusou-se a responder à pergunta sobre a arbitragem de Nuno Luz da SIC. Calou-se tudo. Nem um ai. É isto que temos. Quando se lixam, queixam-se. Quando são levadinhos... mandam calar jornalistas. Como diz Bernardino Barros, "tudo normal".

Antevisão Feirense - FC Porto (13ª Jornada) - Continuar e Capitalizar


Somos chegados então à difícil deslocação à Vila da Feira, com o seu campo curto e tendo à nossa espera uma formação fechada como os romanos dos livros do Ásterix à espera do Obélix. O desafio é simples mas complicado ao mesmo tempo e o elixir adquirido: rapidez e variações ofensivas rápidas para criar desequilíbrios. A juntar a isso, não esquecer que teremos a preciosa ajuda do senhor Luís Ferreira, que irá, do alto da sua imensíssima auto-estima, apitar tudo o que é falta, faltinha e falteca, cortando o fio de jogo, de preferência a bem dos da casa.

Este é o campeonato da Liga NOS, a liga da concorrente do nosso patrocínio. É, não é o nosso habitat natural. O nosso habitat natural é jogar futebol contra quem quer jogar futebol. E é tão difícil pôr os pés no chão depois do sonho de ter o FC Porto a jogar bem contra uma equipa que joga bem. Sim, bem. Hoje o Leicester ganhou ao Manchester City por 4-2. Sim, esse, o de Pep Guardiola. E 6 jogadores jogaram os dois encontros - 3 titulares e 3 substitutos. Só para que conste. Não foram assim tantas as diferenças. Mas adiante.

Ganhando na Feira, como é nossa obrigação, ganharemos pontos a um dos nossos rivais, ou aos dois. Se isso não é uma forte motivação, não sei o que será. O nosso mister parece mais solto e dá conta do bom ambiente no grupo. Lá solidário, unido e raçudo está ele. Que haja mais umas vitórias para dar consistência à equipa. A equipa parece saber disso. Óliver disse-o: "É preciso vencer todos os jogos até ao Natal". Se a equipa assim o sente, quem sou eu para dizer o contrário.

Ah, já agora, o menos futebol é uma cambada de aziados. A bolha agora vende jogadores aos 100M de cada vez. Isso, gosto. Continuem a menosprezar-nos, a enfiar a cabeça debaixo da areia. No final, cá estaremos para acertar a conta.


sexta-feira, 9 de dezembro de 2016

O Norte e o Sul


Ontem o mundo Portista "sobressaltou-se" com a notícia de que a BBC tinha reparado na capa da bolha que dava mais destaque à derrota do sportem que aos 5-0 ano campeão inglês. Se calhar faz parte de uma certa sobranceria bifa, mas a verdade é que não sabem eles que a edição norte da bolha está com a ordem invertida. 

E aqui reside o verdadeiro problema, o da "alfaiataria" de capas consoante a região do país. É certo que a moda começou há mais de 15 anos, mas nos jornais de referência e generalistas. O facto de terem um caderno regional é interessante e normal - as notícias de carácter regional ficam para o público que interessa, e até mesmo quando o JN e o DN começaram a mudar partes das capas - mas não as notícias principais - não se pode dizer que não fizesse sentido chamar a atenção a questões locais na capa.

Só que, no desporto, isso não faz qualquer sentido! A relevância dos resultados e das capas deve ser avaliada na lógica de que temos uma competição NACIONAL e não regional! O interesse relativo das notícias deve ser avaliado segundo o impacto das mesmas num âmbito nacional! Não faz qualquer sentido esta distinção, porque não existe primeira liga dividida em sectores regionais! Se o pessoal do Porto tem de levar com uma notícia papoila ou lagarta, pois seja. Se o pessoal da mouraria tem de levar com uma notícia do FC Porto, seja! 

O critério editorial, como defende o senhor Gobern - que mora na Póvoa de Varzim! - segundo o qual as vendas são devido ao facto de que os clubes do sul vendem supostamente mais, é mentira. Está mais que provado, pela quebra continuada de vendas, que isso é mentira. Já cheguei a ler até que as vitórias do FC Porto vendem bem melhor!

É, sim, eco do mais bafiento centralismo, a querer reduzir o Norte à sua pequenez e querer deixar-nos contentinhos sem reclamar. Mas não, não sabem eles que nem "o Norte" pensa todo igual... e é por isso que o wet dream de Juca Magalhães falha, e as suas operações de charme de passar galas de outros clubes da região redundam em gozo: nem eles próprios estão alinhados, solidários entre si como clubes Nortenhos! Enquanto os Tondelas, os Moreirenses ou os Bragas desta vida se derem tão bem com o poder centralista... tal não vai fazer sentido. E não vai haver real contra-poder que não o do FC Porto.

Mas é fundamental que terminem as bacocas distinções a tentar dividir-nos em duas terras, em dois lugares, dois Portugais, o do Norte e o do Sul. Somos só um. E quem está em cima tem de ser destacado. Por muito que doa. Não há desculpas! Mesmo que a placa que gostemos mais na mouraria seja esta aqui de cima....

NOTA: Este que vos escreve resolveu agradecer o trabalho do treinador, não começar a acreditar em unicórnios, fadas e duendes! Nem no Pai Natal! Temos longo caminho a percorrer, temos de ter os pés bem assentes na terra, como diz, e bem, Óliver Torres, o único jogo que importa é o do Feirense, e o do Marétmo, e o do Chaves.. e por aí em diante. Nem ontem era tudo horrível, nem hoje é tudo perfeito. Mas a essência de ser adepto é viver no presente do indicativo, a beber e a saborear o néctar das noites de Ópera - e não, não contra Bs, é mentira: a maioria dos jogadores que jogaram contra nós caberiam numa qualquer grande equipa Europeia sem pestanejar, e um deles até deu cabo do (Not) Sportem Lisbon.... - como a curtir os Blues quando eles aparecem... Não é esquizofrenia, é a irracionalidade própria de um grande Amor! Não se atrevam a tentar tirar esse Sal e essa Pimenta do Desporto! Não o concebo de outro modo! 

quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

Análise FC Porto 5-0 Leicester CFC (Champions League) - Cincazero! (® Silva)


Noite de gala no Dragão, com um FC Porto absolutamente mágico a jogar um futebol de elevadíssima qualidade e a garantir o apuramento para os Oitavos da Champions. Parece fácil, dito assim, mas não é. 

Claro que, por todo o lado, a máquina papoila veio logo desvalorizar a vitória como sendo contra as segundas linhas do Leicester. Só que tal não é exactamente verdade. Drinkwater, entre muitos outros, não são segundas linhas. E, mesmo sendo, Ranieri estava pior do que estragado no fim do jogo. E o que querem dizer "segundas linhas" no caso do campeão em título inglês? Um campeão que teve, só de receita televisiva, 106M de prémio? Quer dizer que não estávamos a jogar contra tótós, como aliás se viu à entrada da segunda parte.

O que aconteceu foi que estou a ser deliciosamente provado errado. O ketchup destapou-se, a malapata foi-se e, em rigor, veio apenas o que faltava a esta equipa: golo. Isso, mas também o facto dos jogadores todos terem feito exibições de encher o olho, bem, até Casillas que, a única vez que tocou na bola, foi para uma excelente defesa.. de um fora de jogo.


Felipe é absolutamente extraordinário! Que central este que nós compramos! Felipe é o esteio desta defesa que, pura e simplesmente, parece saltar dez metros em cada canto, faz umas recuperações com uma grande velocidade e está sempre nos sítio certo. Assim como Marcano, que também fez uma excelente exibição. Só que o primeiro mantém-se sempre calmo e sem hesitações enquanto o segundo complicou um pouco na reacção do Leicester. Mesmo assim são a melhor dupla de centrais do século XXI. É isto que temos. E se juntarmos a isso dois laterais de imensíssima qualidade como Alex Telles - que esteve absolutamente irrepreensível nos cortes e fantástico nos cruzamentos - e Maxi - fabuloso no ataque, como sempre com uma raça e uma entrega absolutamente ímpar na defesa, digníssimo ostentador do 2 nas costas - temos uma defesa de primeiríssima água, capaz de um recorde de 6 jogos sem sofrer golos e de fazer com que o FC Porto esteja sem perder há 13 jogos. Digo isto porque, se ninguém mais o diz....

No meio campo Danilão é uma imensa parede móvel capaz, cada vez mais, de umas excelentes subidas, com uma classe e um nível tal que fazem com que aposte que - infelizmente - não esteja cá para o ano. 6 como estes não há muitos, e tinha os olhos do mundo nele postos. Depois, todo o jogo passa nos pés do Maestrinho Óliver, que fez mais um jogão e variar flancos, a fazer passes, cruzamentos e ainda a fazer importantes recuperações de bola e pressão defensiva. Óliver é o eixo da roda, com ele em campo tudo corre melhor. O seu trabalho pode não ser valorizado como deve, porque há por aí uma vertigem parva qualquer de que os jogos têm de ser jogados sempre em corrida desenfreada, mas ter alguém com a visão de jogo de Óliver ( e de Rúben, que uma vez mais entrou muito bem, a preencher bem o difícil lugar do Danilão) tem muito mais. 

E que dizer da magia pura nos pés de Brahimi e de Corona? A largura ganha no ataque, assim como a imprevisibilidade e a magia com a entrada de Brahimi é fantástica. Fez um jogão, solidário e com o toque que só ele pode emprestar, mas desta vez, na maioria das vezes, a conseguir entregar a bola aos colegas no tempo certo. E isso é só o que falta. E não é preciso dizer nada sobre o golaço de calcanhar que marcou, pois não? O sorriso que todos tivemos ao sabermos que podemos registar a marca magrebina a este estilo de golo, ao lembrar-nos do grande Madjer, alguém que todos sabemos que este admira. Assim como fabuloso foi o golo de Corona, mas também a capacidade que ele teve de partir os rins à defesa dos Foxes e, principalmente, o crescente entendimento que vai tendo com Maxi e que faz com que a ala direita do nosso ataque seja demolidora. 


Na frente Diogo Jota foi uma formiga de trabalho que viu coroada com um golo aquilo que tem vindo a fazer por merecer: o destaque devido, especialmente ontem. Jota teve uma explosão de velocidade muito boa e uma disponibilidade de dar jogo a condizer. Assim, muitos mais golos se seguirao. E finalmente, André Silva. Voltou aos golos, muito bem, voltou a esvaziar o tanque , voltou a deixar tudo em campo, marcou o penalti que, tenho a certeza, precisava para exorcizar as matrafonas. Mais, e claro, com o ataque organizado, já não tem de andar como uma barata tonta e assim sem o desgaste que teve antes, o que potencia estar no lugar certo à hora certa. Assim, o seu crescimento vai ser exponencial.

Uma palavra ainda para a boa entrada de Herrera e a estreia de Rui Pedro na Champions League, com um pormenor de uma temporização para a diagonal de Maxi que mostra bem que temos ali futuro para muito e bom futebol.

E finalmente, claro, Nuno Espírito Santo. Sou homem para dar a mão à palmatória e reconhecer a minha precipitação. O trabalho - que sim, admitidamente, é visível - está a dar os seus frutos, temos um grupo muito unido e solidário e de grande qualidade e potencial. Claro, vamos ver se sábado temos mais contra o Feirense - tão, tão difícil pôr os pés na terra depois deste sonho! - para confirmar esta tendência, mas tem já o meu reconhecimento e a minha admiração. E os votos de que continue a levar a sua, indubitavelmente sua, equipa a patamares ainda mais altos.


Para terminar, claro que é sempre tão bom ver a azia da comunicação social e sentir, uma vez mais, a sua derrota e da sua estratégia! Nunca perceberam que isso só nos torna mais fortes e combativos e que a pressão só nos faz melhores! Não precisamos de colinho nem de loas a mestres da táctica. Somos trabalho, suor, esforço e dedicação. E assim ganhamos - categoricamente! - enquanto uns passam de favor e a contar com a sorte e outros ficam em terra, de peito cheio, com as suas "vitórias morais". No final de contas, o que conta é aquilo que construímos, e isso, está bom de ver, vê-se melhor a médio prazo. 

quarta-feira, 7 de dezembro de 2016

Antevisão FC Porto - Leicester CFC (Champions League) Dar Tudo


Ultima jornada da fase de grupos da Champions, jogo decisivo no Dragão contra o campeão em título inglês. Não há que enganar, é um jogo dificílimo que exige  concentração e entrega máximas.
Sim, é verdade que Vardi, Mahrez e Cotoveladas não vão jogar. É verdade que Ranieri sabe que tem de jogar contra o Manchester City no domingo próximo e que o seu lugar nos oitavos - o primeiro - está assegurado. Mas isto não faz o jogo mais fácil! Muito pelo contrário! Os jogadores que jogarem na vez destes três vão querer mostrar serviço e impressionar o treinador, à procura de uma oportunidade. 

Teremos também que combater o inimigo interno do facilitismo. Nada é garantido - teremos de o garantir. Não há jogos fáceis, muito menos neste contexto! E ganhar significa não pensar em terceiros, até porque o Copenhaga não se vai suicidar de repente e é superior ao Brugge.

Está nas mãos dos nossos jogadores a entrega, a paixão e a força. Até porque, já sabemos, não há cá xixis de sorte como no galinheiro. Impressionante. Sem jogar nada, lá estão eles. Mas o ditado é claro: podes enganar uma pessoa todo tempo, todas as pessoas algum tempo, mas não todas todo o tempo! Um dia a sorte acaba. Nós temos o talento, o esforço, a raça e a dedicação. Com uma boa finalização, destapado que tem de estar o ketchup, vamos lá chegar, tenho a certeza.



terça-feira, 6 de dezembro de 2016

Grandes Murcons Todos Borrados


É sempre um prazer ouvir o Grandes Adeptos da Antena 1 quando o papoilas perde. Adoro ver aquele abjecto ser que dá pelo nome de Telmo Correia a contorcer-se todo, no seu mais aproximado Sméagol, a barafustar contra o FC Porto. Admito, é pessoal. Nunca gostei de pessoas com soberba e quando, há uns anos, enquanto tocava na Feira Medieval de Silves, o vi fazer ter um ataquinho contra um malabarista que lhe pediu os óculos para um truque onde obviamente eles não seriam usados, era então sua excelência o Ministro do Turismo, fiquei-lhe com um pózinho daqueles. Não me surpreendeu saber que era papoila.

Mas adiante. Diz sua excelência que o FC Porto passa a vida a fazer dos seus jovens os novos bibotas. Que lata do carago! Quer dizer, não é nova. Este é um homem com uma capacidade invejável de fazer estas coisas sem se rir. Sim, uma papoila teve a lata de nos dizer isso. Uma papoila! Não há Zé do Golo, nem Renatinho Sanches, nem Gonçalinho Guedes nem Nelson Semedo que os faça pôr a mão na consciência. Nem vale a pena dizer que o Zé do Golo evaporou, pois não? E que o Renatinho tem uma média de utilização de 14.6 minutos por jogo no Bayern, pois não? E que o Gonçalinho andou na equipa B para segurar as pontas e está na montra para ser vendido mas, se não for, outra vez, lá vai ser encostado para não sei onde? E que o Nelson Semedo está lá porque a alternativa é... André Almeida? Pois.

Mas também a ele se juntou, em coro, o senhor representante do sportem, de seu nome Jaime Mourão Ferreira, a fazer a mesma crítica. Que idade tem o Gelson "100M"? Pois. Não há vergonha. Mas este último também fez o favor de falar nos festejos do golo como se fosse um pecado capital. Sim, porque andar o presidente do clube dele a fazer voltas olímpicas ao estádio para agradecer o apoio em derrotas, isso sim, está maravilhoso!

Junte-se a isso a lata de dizerem ambos que o Braga esteve "por cima" enquanto jogou com 11, que o FC Porto não jogou nada e se safou "por sorte" e temos a verdade mais simples de todas: já estamos a voltar a incomodar. Boa. Isso quer dizer que já estamos a fazer alguma coisa bem! Estamos no bom caminho!

E, para terminar, gosto que Rui Oliveira e Costa admita que o sportem já está com "o poder" e que nenhum árbitro expulsaria William e o Jasus antes do derby. Bom saber. Quando os próprios assim o falam e sem pestanejar.....não há vergonha. Mas lutaremos contra tudo isto. Sendo melhores. Sempre.

segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

Ei, Calma Pá!

Mas que é isto? Está tudo maluco? Agora o FC Porto tem de comunicar que "Rui Pedro esteve no treino"? É preciso ter calma, não dar o corpo pelaialma! E em jazz, com um fantástico contrabaixo do João André, para ser mais chill! 

Estou espantado, atónito e, principalmente, estarrecido ao ver que bastou um belo golo para o jovem Rui Pedro substituir André Silva nas esperanças e nas expectativas dos Portistas! Mas está tudo maluco? Já é péssimo que as esperanças do FC Porto estejam depositadas num miúdo de 21 anos feito há quase um mês e tal corolário vê-se na pressão que está - obviamente - a pesar nos ombros de tão novo jogador! André Silva deveria ser a alternativa de um ponta de lança mais tarimbado e experiente ou, quando muito, jogar a seu lado

E quanto a Rui Pedro, pelamordasanta! Ainda "ontem" estava nos sub 19, a fazer umas perninhas na B, e agora já querem que ele assuma responsabilidades de resolver enguiços ou jogar, a frio, numa eliminatória da Champions? E se falha - o que é natural tanto no caso de um como de outro? Cai-lhe o mundo em cima?! É proscrito? Deixa de prestar?

Saltar etapas até pode acontecer - aconteceu com o Rúben - mas pedir-lhes as mesmas responsabilidades das de um jogador experiente e maduro... é uma loucura pegada. Eu até acho que o nosso 6 deveria jogar com muito mais regularidade noutra equipa de idade aproximada, uma vez que a presença do Danilão lhe impede de tal, quanto mais ter um miúdo de 18 anos a entrar na fase difícil com a missão de enfiar a redondinha nas redes! 

Está mais que na hora de perceber que temos um ataque jovem, com uma média de 20 anos e, se por um lado temos velocidade e intensidade, por outro temos a inexperiência própria de quem não conhece e não está habituado à pressão de um Clube que tem de ser sempre vencedor e atacante! 

Não sou contra Rui Pedro, muito pelo contrário! Estou feliz que jogue e que esteja pronto para o fazer! Agora, não o responsabilizo pela falta de maturidade atacante! Como também não faço com André Silva!

Roma e Pavia não foram feitas num dia, e está mais que na hora de perceber que todas as etapas de crescimento estão lá para serem vividas. Temos tempo para saborear a classe de Rui Pedro! Nada de tirar do forno algo que não está pronto!

Foi um belo golo? Sim! Estamos à espera que o marque sempre? Só se formos tolinhos!

Já agora, estou comovido que as papoilas e os lagartos achem que comemoramos demais - "à equipa pequena", ouvi o senhor Gobern dizer - o golo. Claro, claro! Comemorar um empate aos pulos é que é apropriado! Metam-se na vossa vida, mazé!

domingo, 4 de dezembro de 2016

Análise FC Porto 1-0 SC Braga - Um Diamante Feito De Pressão


Absolutamente épico! Já não me lembrava de um momento tão emocionante desde o Momento K, mas esse não vivi no Dragão, infelizmente. Euforia, extase, libertação. À minha volta, sorrisos e lágrimas, uma imensa comunhão. É assim que se fazem equipas. Quando se vence por nunca desistir, pela união, pela entrega, pela paixão que faz, de uma vez por todas, uma equipa. Há que jogar melhor, definir melhor e ser muito mais eficaz. Mas a poção mágica está lá, há um Porto à Porto! Vamos a notas.


Rui Pedro - Como não destacar um miúdo de 18 anos - portanto sub-19 - que tem, cara a cara com um guarda-redes que defendeu tudo e um cento, a frieza de picar a bola e meter a redondinha lá dentro? Classe pura e uma verdade inquestionável, desconhecida da maioria: temos no forno um FC Porto daqueles à antiga a desenvolver e a maturar. O futuro não me amedronta.

Brahimi - É egoista? Menos do que já foi. Às vezes decide mal? Sim, mas decidem todos. É, no entanto, o desequilibrador, aquele que se sabe - e se sente - que de um momento para o outro pode tirar dos pés um remate indefensável e que não tem medo de ir contra a maré. Bem-vindo de volta, Yacine. Só falta ver-te de volta a titular, porque a magia dos teus pés isso merece.

Uma defesa de betão - Que espectáculo Danilo e os seus cortes pelo ar, terra e mar! Que fenómeno Filipe e as suas recuperações "ei-psht-ondéquepensasquebais-carailhe?"! Que sentido posicional de Marcano, sempre com a fineza de veludo a fazer a providencial viragem do jogo ou bola-pa-Campanhã conforme o necessário! E que raça, que entrega, que abnegação de Maxi, que pareceu estar em todo o lado, do meio campo para a frente! Destoar só mesmo um perdido Layún, a quem dou um desconto por perceber que não está nada bem ainda. Temos a melhor defesa do campeonato e uma das melhores da Europa. Assim, Casillas vai conseguir a proeza de fazer a melhor época da carreira sem ter de fazer nada a não ser colocar a bola com uma qualidade excepcional nos pés de Corona.

A União que faz a Força - Não é fácil vencer os demónios de estar há mais de 500 minutos sem marcar, a calhar contra um ser que parecia que tinha molas e chegava a todas, e ter a força de esvaziar o tanque, como bem diz Cândido Costa. Não é fácil criar 14 ocasiões claras de golo e este chegar aos 95 minutos. Mas mais difícil ainda é saber estar com o colega e apoia-lo, levantá-lo, levá-lo atrás e à sua frente. E isso, este FC Porto tem. É uma verdadeira equipa onde não há espaço nem tempo para vedetas. Sim, Brahimi também foi - e é - solidário com os colegas. A tal ponto que o momento mais bem jogado, onde a bola foi trocada com a qualidade que merece, foram mesmo os 30 minutos finais, onde o FC Porto massacrou com qualidade. Aí o Dragão entregou-se totalmente à equipa e foi o 12º jogador, até à vitória final. Em total união. George S. Patton dizia que "A pressão faz diamantes". Esta pedra do FC Porto está a vencer as contrariedades e a pressão e vai a caminho de se tornar um grande e brilhante diamante! Este é o caminho!


A sorte macaca e o mau olhado fdp - Não há que esconder, não foi só a ineficácia (ver abaixo) que a coisa não foi antes. Foi também por uma tremendíssima falta de sorte. A estrelinha, definitivamente, ainda não quer nada connosco. Que este golo de Rui Pedro tenha  quebrado definitivamente a malapata, porque já chega, carago!

Ma(t)rafona - Raisparta o gajo, pá! Como um relógio parado que está certo duas vezes por ano, as duas vezes em que Ma(t)rafona resolve jogar bem são sempre contra o FC Porto. Mas, mais que isso, haja coragem para, de uma vez por todas, expulsar alguém por simulação de lesão, para acabar de uma vez por todas com esta pouca vergonha de um antijogo tão escandaloso que se vê de Júpiter.

Não está tudo bem na frente, nem por sombras - Do trinco para a frente é a confusão geral. NES tem uma grande felicidade de ter muito e bom talento, porque trabalho de campo pura e simplesmente não existe. Não há jogadas estudadas, não há respeito pelas desmarcações, não há trabalho de área, remate exterior nem triangulações entre medio esquerdo/direito e o seu lateral. Nada. Está mais do que na hora de deixar de pensar no talento individual e começar a organizar aquela salada. Eu sei, um dia não estará lá a Ma(t)rafona. Mas o trabalho e o treino conseguem vencer as matrafonas desta vida todas. E com menos sofrimento, pelamordasanta!

Em frente, garantir a fase final da Champions, contra uma equipa que está a passar um péssimo momento. Se jogarmos assim, com um bocadinho da sorte que não quis nada connosco ontem, venceremos. E estaamos a 4 pontos da liderança. Com tudo ao nosso alcance. E já agora, Freitas Lobo, eu sei que tu sabes que eu sei que a tua família é toda ligada ao Braga. Deixa-te de merdas e sê imparcial, carago!