domingo, 30 de abril de 2017

Análise GD Chaves 0-2 FC Porto - Na Luta

Boa vitória, ontem em Chaves. Jogamos contra uma equipa que é, inegavelmente, muito boa. Já nos tinham feito o funeral neste jogo. Já tínhamos perdido pontos e já houve quem festejasse às 20h (outra vez). Tivemos (outra vez) uma primeira parte mázinha e uma segunda parte onde se melhorou muito. E de resto, tudo igual, ainda que com outros intervenientes. A mesma falta de ligação entre defesa e ataque. A mesma falta de ligação e jogo excessivamente pelos corredores. Só que a bola entrou. Vamos a notas.


Meio-campo - Começando por ordem ascendente de números, Rúben Neves esteve absolutamente excelente. Evidentemente, não tem o físico de Danilo nem a sua capacidade de choque, mas tem um elevadíssimo sentido posicional, uma leitura de jogo muito boa, uma capacidade de passe fora de série, ao que agora se acrescentou uma capacidade de pressão, de corte e de segurar a bola muito boa. Além de tudo, tem um belo remate exterior. Joga muito poucas vezes porque a concorrência é o que é, mas merece muito mais. De equacionar um duplo-pivot defensivo em alguns jogos de maior intensidade. André André esteve soberbo. Foi às bolas todas, pressionou, procurou sempre a baliza e tentar assistir para golo. Não tem a capacidade de leitura rápida de jogo que resolva o problema da transição defesa-ataque mas... sobre isso tenho uma opinião que, oportunamente, darei. Otávio emprestou criatividade e raça à parte final do ataque, com mais um jogo muito bem conseguido.

Reacção à perda - Não houve Chaves porque o FC Porto foi sempre intenso e pressionante na reacção à perda de bola. Não o foi sempre no ataque, mas o facto do Chaves não ter tido uma ocasião de golo diz bem da forma como o FC Porto trabalhou bem - e na maioria das vezes no sítio devido, que é fora da área. Nas poucas situações em que o Chaves conseguiu penetrar a primeira linha defensiva, os centrais e os laterais, com o apoio defensivo dos colegas, salvaram muito bem, de tal forma que Casillas só fez duas (simples) defesas. Que pena o trabalho ofensivo não ter sido como o defensivo. Menção para a entrada de Óliver nesse capítulo - embora me irrite que ele seja reduzido a isso - fez dezenas de recuperações e equilibrou a posse como nenhum outro.


Mais do mesmo - Comecemos pelo futebol. Não gosto da falta de ligação entre defesa e ataque. Não gosto do futebol em profundidade mas, para este estilo de... jogo... acho que os intervenientes estão correctos. Não gosto das entradas em jogo do FC Porto e acho que o ataque tem de ser melhorado já! Posto isto, subscrevo inteiramente as visões de Cândido Costa e José Fernando Rio que podem ser vistas aqui e também à posição de Francisco J. Marques na Dragões Diário. Mais uma corrida, mais uma viagem. Maxi é (bem) expulso, mas Luisão não foi contra o Moreirense. E assinala-se um penalti favorável ao benfas que depois ao contrário, para o senhor Fejsa, já não existe. Esta inimputabilidade tem tudo para acabar muito, muito mal.

Em jeito de conclusão, deixem-me rir acerca do Mr Hyde do jornal O Jogo de hoje. Além das avaliações estapafúrdias dos jogadores e do Tribunal d'O Jogo lhe ter dado os cinco minutos - então o penalti sobre o Otávio a semana passada era e esta já não é? - ainda faz juízos de valor absolutamente surreais! Meus caros, o Marcano não fez nenhum "passe" para o Perdigão! Este é que entrou de fora do campo de uma forma porca e fez um corte veementemente protestado por Casillas! Não é a mesma coisa! Querem quê, agradar aos vermelhos? Dr Jeckyll, por favor! 

sábado, 29 de abril de 2017

A (Triste) Final Da Champions

Hoje o Futebol Clube do Porto joga a final da Champions. Sim, leram bem, a final da Champions. A razão está aqui. Eu vi, ninguém precisa de me contar, os jogadores do Feirense prostrados, exaustos, derreados, no fim do jogo na semana passada no Dragão. Não é uma equipa de especial talento, mas bateram-se como se a vida deles dependesse disso. E se foi assim com o Feirense, imagine-se com o Chaves!

E tudo isto vem do quê, exactamente? O que faz com que jogadores com a sua situação na Liga absolutamente resolvida se superem desta maneira? A resposta é simples: isto. Este é mais um dos tentáculos do Polvo - a mala, ostensiva, ridícula, imensa.

O facto dos direitos televisivos não terem sido centralizados é uma das principais causas deste problema. Uma Liga define o seu valor na exacta inversa proporcionalidade com o fosso entre o primeiro e o último classificado. Nas Ligas com maior representação, não há este estilo de pontuações ridículas - todos podem perder com todos.

Mas é evidentemente triste - embora compreensível, nem todos ganham o suficiente, nem perto disso, a jogar futebol - que a motivação esteja a soldo desta maneira. E quanto às promessas de integração num grande... por favor! Sim, vem. Vem para uma sucessão de empréstimos e zero de oportunidades realistas. Que alguém falseie realidades, que jogue mais ou menos, que meta mais ou menos o pé, que meta a bola na baliza certa ou errada ou se faça a um lance conforme o incentivo, é só deprimente.

Quando se vê Proença no delírio de nos querer num Top 5... só temos de dizer.... meu caro, este estilo de coisas aproximar-te-á muito mais depressa da Grécia do que da Inglaterra. E fará com que seja cada vez mais claramente paradoxal, no estrangeiro, que o tretacampeão tuga leve goleadas sucessivas onde mais interessa.

Desprestigia o futebol português, anula a sua competitividade e o seu interesse. A continuar assim, admito, vou passar a escrever sobre Basket e Andebol. Com todos os seus defeitos... ainda está longe disto!

NOTAS: Noutros tempos, a pouca vergonha do bieirinha seria uma excelente gasolina para hoje. Com um treinador que não sabe usar expressões correctamente e que se farta de meter os pés pelas mãos por causa da defesa ser contranatura... vai passar absolutamente despercebido. Enfim. Melhores dias, certamente, virão.

O Futebol Clube do Porto fez o que lhe competia e reagiu como devia. Não muda nada, mas a posição de princípio fica clara.

sexta-feira, 28 de abril de 2017

Vómitos

Confirmou o Conselho de Disciplina a não despenalização de Brahimi para amanhã. A que se deve a decisão? Pois, ninguém sabe. Um árbitro, que escreveu o que escreveu no Facebook - comprovadamente dele - escreveu uma lista de baboseiras no relatório. Lista de baboseiras essas contrariadas pelas imagens. Ou Brahimi é tipo o Flash, e vibra tão depressa que consegue criar duas imagens suas em simultâneo para parecer que está no banco aquando dos "faz-de-conta-que-são-factos" descritos aconteceram, ou então são comprovadamente falsos. Ainda assim, a palavra de um árbitro alvo de um inquérito disciplinar sobre as imagens que provam que mente. É uma palhaçada. É um vómito!

Ao mesmo tempo, o sportem vai apresentar um participação ao mesmo CD com imagens da coacção benfas a Artur Soares Dias. De que valem? Afinal, ninguém escreveu nada sobre isso no relatório! Já se sabe onde vai acabar....

Querem que levemos isto a sério? Enterremos o machado de guerra? O quê? Aceitemos ser sodomizados?! Dream On! No mesmo dia, vê-se o irritante Sonso armar-se em superior, no entanto insultando o FC Porto, dando uma de superioridade moral e quejandas (ai se fosse connosco) enquanto sabe que, a ele, ninguém critica, ninguém diz nada, dele não se diz que "inflama discursos". É uma palhaçada. É um vómito! 

Ontem Fellaini levou três jogos de suspensão por um encosto de cabeça a Aguero, muito parecido com o que levou Felipe de um jogador do Belenenses na primeira volta e que deu... um amarelo a cada um. A decisão levou uma hora a ser feita, baseada nas imagens claras. Já Samaris continua à solta, e vai cumprir um castigo, se cá estiver, para o ano... É uma palhaçada. É um vómito!

No meio desta palhaçada, e de nomeações para rir, o senhor da APAF ainda tem a lata de fazer estas declarações! Haja descaramento! É uma palhaçada. É um vómito!

Por último, notícias do confesso autor da morte do adepto - acidente, diz ele - e que se veio entregar por si próprio. Não houve detenções! Não! Entregou-se! É defendido por este senhor aqui em cima, com este belo histórico. Exacto. Como pertence a uma claque que não existe, também é normal que pague ao advogado com dinheiro que não tem, para o defender de uma acusação que ainda não existe. É uma palhaçada. É um vómito!

E este último é especialmente grave, por ser criminal, mas também porque demonstra que isto não é uma questão desportiva, o mal que temos vivido, mas supra isso. Tem a ver com uns tentáculos tão poderosos que imunizam os seus á Lei e Ordem. Com isto, quem pode levar este estado de coisas a sério?

Este é mesmo o campeonato da treta! Só acredita nele quem quiser!

quarta-feira, 26 de abril de 2017

Caracol Caracoleta, Não Tens Mesmo Vergonha Nessa Careta

O nosso amigo Ruizinho tem umas piadas muito giras! Então, no caso do adepto morto, os três clubes têm culpa?! Então os três presidentes têm discursos inflamados? E como se chega a essa conclusão? "Todos temos memória do "só quero ver Lisboa a arder", discurso da bomba e semelhantes". Claro, claro, Ruizinho. Do lado em baixo, ninguém fez circo, nunca , verdade? Tudo santinhos! 

Não tem vergonha, esta ratazana. Tanto moralismo tem, mas o seu propósito é um e um só: diluir responsabilidades para escamotear o assassinato ocorrido na sua amada Lisboa. Pouco falou do adepto, a não ser para dizer que as claques são uma vergonha e que, por ele, acabavam. Não interessa, aqui para o caso, dizer que nos últimos anos houve zero incidentes com os Super Dragões e muito menos com o Colectivo 95. E não me venham falar da pretensa coacção de Artur Soares Dias à entrada do Centro de Estágios da Maia, que o próprio presidente da APAF fiz não poder afirmar ter sido mesmo de Super Dragões, comparada com isto é uma brincadeira de crianças! 

E o que falou a ratazana da "verdade desportiva" sobre isso? NADA! Na verdade, o grande arauto da superioridade moral não passa, pois, de mais um peãozinho nas mãos do seu amigo bieirinha, que quer que o futebol se cinja à sua adorada capital e seque tudo o resto! Depois usa expressões como "colapso" e "fim de ciclo" e consegue fazer esta proeza aqui em baixo, a de arranjar nove penaltis a favor do benfas (!!!) e de ter um critério diferente num dos treze unânimes penaltis analisados pel'O Jogo, e assim, fazer com que o seu amado benfas fique à frente na sua "Liga (Ir)Real".

Este é só mais um exemplo de um porco com muito tempo de antena e elevadas audiências que todas as semanas faz propaganda anti-FC Porto, mas que mesmo assim, é ouvido e relevado por adeptos Portistas! Também será mais um que irá ficar desiludido...

terça-feira, 25 de abril de 2017

Basta Desta Palhaçada, Já!

No dia da Liberdade, é fácil de ver que pairam no ar os fantasmas da censura e do respeitinho. O Artista do Dia mostra, neste post, o quanto regredimos nos últimos anos e o estado de coisas a que estamos votados. 

Não é só a arrogância de quem se acha Dono Disto Tudo, tem também a triste constatação naquele vídeo, dos sorrisos dos jornalistas enquanto este insulta o treinador do sportem e lhe dita, live, a cartilha e ainda tem pena do "coitado do Artur". O Artur, coitado, que ele foi apertar ao intervalo, para ter a certeza de que não perde.

Tudo isto é tão estupidamente batoteiro, mas não acaba aqui! A farsa é caleidoscopal. inclui imprensa, Federação, Liga, arbitragem  e Comissões. Mas, mais triste de tudo, conta com os clubes, que alegremente vão perpetuando este estado de coisas, ao obedecer ao diktat do DDT, ao rebolar e fazer de morto quando convém a este, mas mais importante de tudo, ao dar tudo por tudo contra nós enquanto se oferece e é complacente com os outros.

Como diz, e bem, RCBC no Bibó Porto Carago, " Gostei de ver o esforço sobre-humano dos pupilos do sr. manta. Mal terminou o jogo, era vê-los cair no chão completamente exaustos, língua de fora, após tanto suor derramado. Gostei também de ver a exibição fantástica do gr, defendeu tudo e mais alguma coisa, sempre com a concentração a um nível máximo. E gostei de ver os defesas com cortes acertados, todos certinhos e alinhados. Sem auto-golos, nem frangalhadas do gr... gostei, a sério que gostei!". Triste, mas verdadeiro...



De repente, somos de novo os indesejados. Temos de ter memória destes tempos. Eu sei, o quadro em cima provoca muita inveja, mas não é com trapaça e batota que lá se chega.  Quer dizer, chega-se, comprando tudo e todos, cá dentro. Mas depois vai-se lá para fora e... leva-se as abadas que se leva.

Títulos internacionais, só o Futebol Clube do Porto. Deve ter sido por causa da "fruta". E ainda não há vergonha de se continuar a falar nisto....

segunda-feira, 24 de abril de 2017

Um Filme Já Visto Demasiadas Vezes

Ficaram dois penaltis por marcar do tamanho da Torre dos Clérigos. Ridículos de tão absurdos. Um sobre Otávio e outro sobre Marcano. Qual deles o mais ostensivo. Rui Costa estava ali. Viu. Não fez rigorosa e absolutamente nada! Teve uma dualidade de critérios aberrante. E tudo isto se repete.

Está contado, então, o jogo? Nem pensar! Não jogamos NADA! Mas esta frase não se reduz ao jogo de ontem! É uma simples e clara constatação transversal! Fico atónito, do meu lugar que tanto amo, ao ver todas as equipas chegarem ao Dragão com ideias concretas, ligações a meio campo e simplicidade de processos nos contra-ataques.

Que vejo eu do FC Porto? Uma ideia defensiva - do Danilo para trás! - forte. Ponto final, parágrafo. Mas suspeito - e vamos ver agora a seguir, em Chaves - que é assente em dois bravos homens que não estarão, seguramente, cá para o ano, Danilo e Felipe, e num terceiro que vai ser, aposto, um daqueles nomes que estará ligado à História do FC Porto - Ivan Marcano. 

Dali para a frente - zero! Não há ligação do meio campo, é absolutamente aterrador como, ora se atropelam Óliver e André, ora parecem duas luas de um qualquer planeta em órbitas difusas! É espantoso como Soares e André Silva vão às mesmas bolas nos mesmos sítios e conseguem atropelar-se e tirar o golo um ao outro! E Jota está tão confuso quanto eu sobre o que fazer!

O que sobra? As laterais e os cruzamentos. Sempre da mesma forma. Sempre, de tal maneira que já todos, de olhos fechados, sabemos o que vai acontecer. É difícil parar isso? Nem pensar!

E os 150 327 cantos? Sempre marcados do género "bola lá pro meio e aqui vai alho"? Onde Marcano choca com Filipe, e Danilo está lá a estorvar muito mais do que acertar?

Tudo isto tem um nome: Nuno Espírito Santo. Durante um tempo iludiu-me. Não ilude mais. Após a chegada de Soares, marcou-se e jogou-se porque temos bons jogadores que já todos, sem excepção, fizeram jogos extraordinários de Brasão Abençoado ao peito! Já todos os que ontem jogaram, marcaram belos golos, já a grande maioria foi o melhor em campo,

O que é constante? A cara de pânico e o vazio de ideias de um one trick pony chamado NES. O senhor #somosporto. Que se contentou com a "fortaleza" e a "ideia defensiva". Só que agora, na hora da verdade, quando os jogadores estão cansados e perdidos, era preciso uma voz forte! E essa não existe. Nem nunca existiu!

NES não se pode queixar de nada: teve um apoio do Dragão como eu nunca vi - nem Mourinho ou Villas-Boas o tiveram assim! - teve o respaldo de um ataque aos nossos adversários de fora de campo ímpar nos últimos anos - e que espero que continue! - teve uma onda azul e levá-lo em ombros e a dar-lhe a tolerância e paciência que não tiveram com mais ninguém!

Que fez ele com isto tudo? Deitou fora! Durante meses Francisco Marques, Bernardino Barros, José Cruz, Cândido Costa, Paulo Miguel Castro, José Fernando Rio e Rui Cerqueira foram falando de casos absurdos que mereceram zero de defesa por parte do nosso treinador! Vir agora falar de arbitragens, quando já é seguro, quando já não aleija e já não é senão patético? Uma vergonha! Então e pós Chaves, na Taça? E pós Alvalade? E nas outras 29 jornadas!? Agora é tarde! E eu sei que não é sincero! 

A responsabilidade da escolha do treinador é de uma só pessoa - o Presidente Jorge Nuno de Lima Pinto da Costa. Por muito Polvo que haja, não há, pelo menos, desde 2010? E não ganhamos por causa do Polvo? Acho muito bem que se combata o Polvo, mas é preciso também que se perceba uma verdade de La Palice: não é qualquer "macaco" que treina o Futebol Clube do Porto! Há que saber, ter provas dadas, perfil RAÇUDO!  Além disso, é bom que os corpos directivos entendam também, de uma vez por todas: aos adeptos, não interessa nada pela mão de quem venha um treinador de qualidade, essa deverá ser a PRINCIPAL condição para treinar o FC Porto! E, desde já assumo: a mim não me interessa nada se os outros são tetra ou penta ou hexa ou hepta. Interessa-me ter uma equipa competitiva, que ganhe e que nunca vire a cara à luta. Se for preciso tempo, que se assuma! Se for preciso perder para depois ganhar, que se assuma! Há quem tenha estado 19 anos sem ganhar nada! E não deixaram de ser Portistas!

Se estamos contra tudo e contra todos, temos de ir de faca de mato nos dentes, temos de ter um treinador que incuta esse espírito nos jogadores, e temos deixar de querer ser agradáveis! Essa é uma realidade que nunca existirá! E, já agora, Presidente: o Norte está-se a cagar para nós! Há muito que se vendeu à capital! Concentremos-nos em nós, que já não é pouco! Tem a palavra o senhor Presidente!

domingo, 23 de abril de 2017

Até Ao Fim

Pedro Sousa dizia ontem na TVI24 que este teria sido, provavelmente, o derby mais mal jogado que já vira. Eu subscrevo. Um jogo patético, amorfo, mal jogado (como é possível que William tire o lugar a Danilo na selecção?!) sem reais oportunidades de golo de parte e banda e com golos feitos de bola parada e com uma arbitragem do mais discutível que pode haver (a mim, parece-me que teve a brilhante ideia de inclinar uma parte para cada lado, embora seja surrealista o senhor Ederson não ter levado sequer um amarelo!)

A verdade é que, chegados a esta altura, poderíamos e deveríamos estar em primeiro, e a culpa não é unicamente das manhosas arbitragens a que temos sido sujeitos. Cabe a nós fazer a nossa parte, continuar na luta até ao fim e entregar-nos de corpo e Alma a um duplo adjectivo - ficar a um ponto do primeiro e a sete do terceiro. Só a vitória interessa, mas a verdade é que se não formos capazes de derrotar o Feirense em casa não estamos a fazer nada para tentar conquistar o título. Contudo, não posso deixar de sorrir quando vejo os foguetes e buzinas na minha rua, após o jogo, e oiço os gritos de "Campeões, campeões!. Ontem tive oportunidade de ver o Estoril, e não estou a ver a, muito bem orientada, equipa de Pedro Emanuel a dar de barato os 3 pontos, ou sequer os meus caxineirinhos. E em Guimarães também me parece que os fãs não abundam. Os lampiões do Norte são os seus arquirivais. Da mesma forma que não admito o baixar de braços e o desistir, não deixo de sorrir com quem parece não ter aprendido ainda nadinha.

Quanto a nós, perdemos Corona no treino de ontem - uma baixa significativa - e com isto os dois extremos habituais, mas há soluções boas de ataque em Otávio e Diogo Jota, ou mesmo João Carlos Teixeira e Layún (que fez brilhantemente de extremo direito contra o Chelsea, em casa). Para além disso, a recuperação de André André como falso extremo direito não é mau pensado e deu-nos muitas alegrias, em especial em jogos de elevada importância. Haja espírito e Alma e não haverá lugar a perder mais uma oportunidade. Temos Felipe, Danilo, Alex Telles e Corona à bica, e os dois primeiros preocupam-me de sobremaneira. Mas agora não é a hora de cautelas. Só a vitória interessa.

Na madrugada de ontem, aconteceu um homicídio de um adepto italiano próximo do sportem, alegadamente num confronto entre claques, por um ficaben. Essa é verdade dos factos, embora eu, por respeito do processo em curso e da dor da família, não me queira alongar sobre isso. Espero - desejo - que haja o mínimo de decência e de respeito pela democracia em que vivemos - onde o FC Porto cresceu e floresceu - e não haja ainda mais um protegido do regime, numa questão tão grave como um crime. Paz à Alma de quem pereceu e justiça para o(s) criminoso(s). Não se pode pedir mais daí. Mas pode perdir-se mais sobre tudo o resto!

O branqueamento que aconteceu a esta notícia é de uma baixeza inqualificável, e torna bem patente o quanto as televisões e jornais, na sua grande maioria, são servis a um tentacular estado lampiânico. Compreendo a indignação dos adeptos sportenguistas, que insultavam os repórteres de rua de lampiões. A inércia absolutamente patética com que iam actualizando a notícia deste crime é disso bem demonstrativa! Primeiro era um mero atropelamento. Depois, lá foram falando de que seria mesmo de uma claque. Só muito, muito depois é que se falou a verdade, que todos conhecemos. 

Não há sequer qualquer comparação com algo que tenha ocorrido à volta do Canelas. Nunca houve - e desejo que nunca haja  - nenhuma morte resultante de nenhum arrufo entre as claques do FC Porto e qualquer outro grupo organizado. E falo disto pelo simples facto de que, após a agressão do ex-jogador do Canelas ao árbitro, houve análises, capas de todos os jornais, destaques, especiais, todo um coro de indignação. Após a perda de uma vida, é vergonhoso que Público e Diário de Notícias não tenham sequer uma chamada de capa sobre o assunto! E quanto aos jornais desportivos, é a vergonha que se vê em cima! Não é difícil de adivinhar o que seria se o presumível assassino fosse dos Super Dragões ou do Colectivo 95! 

O facto de haver favorecimento clubístico até em notícias desta importância, só pode deixar uma pessoa doente!

Mais, as declarações do bieirinha são aberrantes. Quem se mete com o benfas, leva? A culpa é do sportem? Mas que raio de conversa é esta? É assim, são pequenos em tudo. E, evidentemente, dá margem para que depois, os meninos continuem a cantar a música do very-light durante o minuto de silêncio e coisas quejandas. Mas se o presidente do clube tem um discurso destes e também se revela quando a boca lhe foge para a verdade, que se pode esperar de diferente?

É contra estas vergonhas que lutamos. E é por isso que temos de dar tudo hoje. A nossa batalha trava-se em campo. Também, para que tudo isto não seja recompensado! Pra cima deles!

sexta-feira, 21 de abril de 2017

No Bom Caminho

A notícia do recurso do castigo de Brahimi apresentado pelo FC Porto - e assinado por Pinto da Costa - é uma notícia que me deixa satisfeito, porque me dá sinais do retorno do FC Porto que tanto amo há muitos anos. Se a queixa sobre o "senhor" Antunes é mais do que natural, o recurso da decisão sobre Brahimi é uma questão de princípio, uma tomada de posição bem pública e uma afirmação que o FC Porto deixou de se ficar. Tivemos durante muito tempo um FC Porto passivo e calado, e isso habituou a classe dirigente e corpos federativos a encarar-nos como o bombo da festa. Foi chegada a hora de dizer basta! 


Evidentemente, o Universo Porto da Bancada tem sido, de uma forma consistente, uma pedrada no charco, e já começa a deixar todos em sentido e com o respeito devido. Não chega, evidentemente - tenho esperança que a ideia se multiplique - mas traduz o sentimento dos adeptos, de que querem ver uma competição minimamente justa, onde as falhas humanas são, evidentemente, aceites, mas onde o compadrio é denunciado abertamente e o abuso de quem quer ser dono disto tudo também.


O melhor sinal desta inversão é a capa do rascord onde, desde que me lembro, é a primeira vez que o FC Porto não vem mencionado em lado nenhum da mesma! Afinal, o FC Porto denuncia árbitros parciais e de atitudes vergonhosas, reclama de assaltos à mão armada, desmascara as tentativas de controlo de reguladores, denuncia comportamentos de claques ilegais.... Não convém chamar à capa esse estilo de coisas - é fingir que não existem.


Não faz mal, nós agradecemos, com uma vénia, a deferência - neste caso, temor é sinal de respeito. Esta deixou de ser, definitivamente, a casa da mãe Joana. Mas nós não queremos mais do que o elementar - o respeito de não tentarem fazer de nós palhaços.


Bem sei que o caminho é longo e cheio de pedras afiadas, que terá, provavelmente, tiros no pé e alguns passos mal medidos, mas onde há atitude e frontalidade - como, por exemplo, a de NES hoje, na conferência de imprensa, algo ao retardador que tenha sido - há também um FC Porto à Porto.

Que seja um caminho irreversível para voltar a ser quem somos, o grande Futebol Clube do Porto. Lá estarei, de azul e branco da cabeça aos pés, no sítio do costume, domingo. Com muito orgulho! Assim, sim! Pra cima deles, carailhe!

PS: Nunca é demais lembrar, a quem quiser, a máscara de Brahimi, da autoria do grande Bruno Sousa, está disponível aqui. Sejamos todos Yacine Brahimi no domingo! 

quarta-feira, 19 de abril de 2017

Dados Viciados

Ontem o Universo Porto - Da Bancada foi lapidar - este campeonato é um absoluto ESCÂNDALO. Está a vista de todos. Demonstrou-se ontem o poder e a abrangência do benfas, ao controlar Luciano Gonçalves da maneira que se viu. Demonstrou-se o quanto a arbitragem está no bolso do benfas, com este escandaloso castigo a Brahimi e a Luís Gonçalves e também na questão desportiva com a dualidade de critérios gritantes entre uns e outros.

Como seria de esperar, a lavagem aconteceu logo no dia seguinte, com as chamadas à capa das prostitutas do regime da frase de LG e o completo ignorar no caso da bolha e o menorizar, no caso do rascord, da questão dos mails. E é isto, tudo na paz, nada acontece, nada muda, tudo permanece igual.

No post de ontem falei sobre a questão psicológica dos jogadores do FC Porto, e esta parece-me importante. Com este estado de coisas, ao se saber participar num jogo com os dados viciados, como contrariar este estado de coisas? Com garra, vontade e muito Querer. Não há mesmo outro caminho senão o de ser muito melhor para poder ter os mesmos resultados. É injusto? Sem dúvida! Mas a equipa tem de saber que nós saberemos o quanto eles lutaram a mais do que os outros!

Por falar em lavagens, lá esteve a ratazana no seu "Tempo Extra" a branquear toda esta questão. Apesar de ser evidente que as imagens contrariam a narrativa do senhor Antunes, não se coibiu de dizer que "há que acreditar na idoneidade do que escrevem os árbitros" e que, assim sendo, "os jogadores têm de perceber que não podem ter este tipo de comportamento". Como é difícil descortinar qual - uma vez que não há imagens que o provem - não vamos falar de qual é. E nem da mensagem que se provou ser do árbitro de uma conta que ele admitiu ter apagado! Importante foi destacar o comportamento de "velho Porto" de Luís Gonçalves por oposição à "boa atitude" de Pinto da Costa (tire-se acerca disso a conclusão que se quiser...).

É curioso, não é? Conheceu-se, em tempo recorde, o relatório dos árbitros - afinal, pode conhecer-se? - ao contrário de outras vezes. Não se sabe o que diz Rui Vitória nas suas longas conversas ou a atitude de Pizzi à entrada do túnel de saída do relvado. Aqui soube-se tudo, ipsis verbis. Só que, tendo em conta a dificuldade auditiva do árbitro relator.... é de estranhar tal detalhe. Absolutamente tudo  o que a ratazana diz é para denegrir o FC Porto! É assim que se quer fazer a "verdade deportiva"?

P.S. Continua o imenso silêncio à volta da gravíssima questão dos e-mails. As papoilas fizeram uma queixa por...pirataria. Pois. Difícil contrariar a verdade

terça-feira, 18 de abril de 2017

O Abatimento Pela Impunidade [ACTUALIZAÇÃO]

Esta imagem aqui em cima regista bem o clima que se vive no futebol português. O nosso amigo Tiago Antunes teve esta bela resposta a um adepto que o confrontou com os erros grosseiros da sua "arbitragem" - sim, era apenas o quarto árbitro mas foi absolutamente decisivo - e deixou completamente provados todos os nossos argumentos e desconfianças, enquanto Portistas - estamos, realmente, entregues a um Polvo cada vez mais descarado, despudorado e desavergonhado,

Os comentários do "senhor" Antunes deveriam - pelo seu evidente tom racista e xenófobo  - exigir a sua mais imediata irradiação da arbitragem. Ficam demonstrados o seu desprezo pela liberdade religiosa e filosófica, mas também a completa e total parcialidade no julgamento, que o impede de ser árbitro.

Á luz destes factos, qualquer que fosse a penalização a Brahimi deveria ser anulada e este árbitro liminarmente castigado! Só que, como o estado do futebol português é o que se conhece, o "senhor" Antunes vai passar impune e, quiçá, até arbitrar esta jornada alguma infeliz equipa qualquer.

É esta capa de proteccionismo que não mata mas mói. 

Ontem, Paulo Miguel Castro, Cândido Costa e Rui Ferreira analisaram , brilhantemente, o claríssimo traço de ligação entre o momento psicológico dos jogadores e as vergonhosas arbitragens a que têm sido sujeitos desde o início da época. Particularmente arrepiantes as primeiras palavras de Paulo Miguel Castro, a frontalidade de Cândido Costa e a análise deste ao lance do Felipe.

Absolutamente desolador. Vamos, sem dúvida, continuar a lutar até ao fim. Sabemos, evidentemente, não nos desculpar nas arbitragens. Mas campos inclinados, clubismo exacerbado em árbitros e despudorado gozo dos agentes de jogo ao FC Porto têm de ser combatidos com muito mais do quie meras palavras na televisão do Clube.

Tem de haver uma demonstração de força e de Querer inequívoca e uma posição de intransigência directiva. A falhar qualquer uma destas, o FC Porto passa a ser conivente com este estado de coisas. E isso é absolutamente inaceitável. O caminho para os Aliados não é feito de gente mansa! É feito contra tudo e contra todos!

{ACTUALIZAÇÃO] E pronto, é a puta da loucura. É "pela atitude" não pelas "palavras imperceptíveis". Entreguem as faixas. Não há, literalmente, pachorra.

segunda-feira, 17 de abril de 2017

Compassos De Espera

Quando os erros se tendem a repetir e as acções tendem a ser as mesmas... e tudo já foi dito... nada como deixar a marcha do tempo fluir... o que for será. Aguardarei, pacientemente, que os mesmos erros não se comentam e a História não se repita....

sábado, 15 de abril de 2017

Análise SC Braga 1-1 FC Porto - Tarde Piaste

E é isto que dá oferecer 45 minutos de avanço. O FC Porto não pode começar a carburar tarde e mal, não pode entrar a carvão e lento. Não é este o FC Porto com que cresci, o FC Porto de Robson ou de Villas Boas entrava como este acabou. Uma vez mais, Óliver péssimo e uma táctica perdida, algures entre o híbrido que não se permite a quem quer ser campeão.

Não acabou, longe disso, mas a verdade é que já nunca seremos líderes isolados para a semana. E assim vamos escorregando, lentos, permissivos e muito titubeantes. Ou crescemos ou não chegamos lá. Dependíamos de nós, deixamos de depender. Dependemos da derrota dos adversários para sermos campeões... e pode não chegar.

No entanto, parabéns à APAF. Felipe leva um amarelo com um minuto de jogo, enquanto o Braga pôde fazer o que lhes deu na gana, inclusive penaltis e vermelhos directos.  Enfim, campos inclinados. Só que, meus amigos, o meu FC Porto não dependia disto. Se é contra tudo e contra todos, é preciso MAIS!

sexta-feira, 14 de abril de 2017

Sempre Com Tudo


O jornalismo morreu. Está morto e enterrado. Não se perde mais tempo sequer a tentar disfarçar que não se é tendencioso, hipócrita e parvo. Não adianta nada que se se tornam evidentes as trangressões e crimes praticados por adeptos organizados de uma instituição, se um cântico estúpido é suficiente para abafar crimes. Não adianta nada que seja evidente uma cartilha, como se vê, e o que isso significa em termos de reiteradas mentiras e na teia de ligações entre aqueles cujo dever é informar, denunciar e investigar e a defesa sectária de um clube. Pouco importa se se critica estupidamente treinadores por responderem um pouco mais grosso, quando um sonso se acha no direito de dar duras a jornalistas, de branquear comportamentos que dão suspensões e por aí em diante, se não há confronto jornalístico. O preto é branco e por decreto passa a ser e acabou-se,


É uma batalha dura, esta que temos que fazer. Imperativo ganhar amanhã e continuar a abalar a estrutura daqueles que se fazem grandes mas só ganham graças aos olhos fechados de quem manda, de quem arbitra, de quem é oponente e de quem avalia. Por isso, tudo se resume a fazer o nosso jogo e a ir duro e forte nesta batalha. Até que esta estrutura de poder, esta teia caia de podre. Cada um com a sua parte, sempre com tudo.

Bem podem tentar, bem se podem iludir. Temos fibra, somos fortes e estamos habituados a remar contra a maré. Por isso... até lavar os cestos é vindima. E nós sabemos o que temos!

Curiosamente, disto aqui em baixo ninguém fala.... que estranho.... Se calhar tem menos piada.... Nunca vi outros presidentes mais ruborizados a fazer nada disto...



quinta-feira, 13 de abril de 2017

Ponto De Ordem À Mesa

O que se passou ontem no Dragão Caixa foi sério. Foi grave. Foi ofensivo. E foi estúpido. Foi grave porque não traduz o sentimento dos adeptos do FC Porto. A imensíssima maioria dos adeptos do FC Porto (arrisco uns 99,9%) não se revê neste tipo de brincadeiras de péssimo gosto, nem nutre esse sentimento pelos adeptos ou equipas das papoilas. Temos diferenças de postura, de valores e de vontades dentro do desporto, mas isso não significa que queiramos mal a quem quer que seja.

O cântico foi ofensivo também às vítimas e aos familiares e amigos das mesmas. É um desrespeito à memória de inocentes, este género de coisa. Não tem propósito ou a mínima justificação, é uma infâmia. Como tal não pode suceder mais. Mais a mais, é uma atitude estúpida porque vem numa altura em que estamos a ferir gravemente o inimigo com a exposição das suas enormes e reiteradas hipocrisias. este tipo de parvoíce apenas dilui a mensagem e é aproveitada pelo inimigo para se arvorar em superior, que não é.

Isto porque, atenção, é bom não esquecer que as claques do fifica não são também constituídas por santinhos. Não é comparar, até porque é importante continuar a manter a distância em termos de comportamento, mas que ninguém se venha arvorar em campeão da moral e da virtude! 


Os Super Dragões não são responsáveis por um homicídio de um adeptos com um engenho pirotécnico e muito menos fizeram um cântico a vangloriar-se disso de seguida! Nem fizeram uma tarja a recordar isso como se de uma medalha se tratasse, prometendo mais para breve!


O fifica, antes de olhar para os defeitos dos outros, deveria concentrar-se nos seus próprios! A coisa está de tal forma que agora dizem que se deveria falar "apenas do futebol" e "do jogo jogado". O exemplo máximo vem no comunicado de hoje das papoilas, que pode ser visto aqui. Aproveitando o facto do FC Porto se ter demarcado deste comportamento, adorei a forma como, no terceiro parágrafo, não deixam de pedir que nos calemos.

Não! Não vos vamos calar! E lá porque sabemos que esta atitude em particular é ESTÚPIDA, não vamos confundir a estrada da beira com a beira da estrada. Até porque há muito mais exemplos da ESTUPIDEZ no outro lado do que no nosso! Há que ter memória e EU nunca vou 
esquecer!



quarta-feira, 12 de abril de 2017

Inimputável

Eis então a decisão do Conselho de Disciplina: abrir um inquérito disciplinar a Samaris. Como seria de esperar, não houve nenhum sumaríssimo, ou processo sumário, como se queira chamar. Vai haver um inquérito disciplinar que pode demorar dois meses e meio e, com recursos e por aí em diante, bem, já se sabe, só na próxima época o senhor Samaris estará de novo à liça. Se cá estiver. E é assim a inimputabilidade benfas, O que é preciso averiguar? Há imagens claras de Samaris a dar um murro no estômago de Diego Ivo! Mas como em tudo o resto, como também no caso das claques, onde toda a gente sabe mas ninguém nada faz, temos aqui o alcance do benfas: escapar ileso a cada expediente que faz para contornar a verdade e as regras - do futebol e não só.

Não é só culpa dos lampiões. Todos aqueles que lhes amparam as jogadas - sejam pessoas ou instituições - têm uma quota parte de responsabilidade neste regabofe. Só lhes é possível ter claques ilegais se as entidades competentes agem como agem. Só é possível manipular os media se eles passarem mensagens falsas ou se deixarem submeter. Só é possível pela conivência de muitos - de praticamente todos.

As nomeações desta jornada, por exemplo, são escandalosas. Se, por um lado, temos Hugo Miguel, árbitro internacional e semi-competente, a arbitrar-nos, no galinheiro foi-lhes oferecido o seguro de vida do Ferrari vermelho, Nuno Almeida. O seu currículo fala por si, o seu papoilismo é mais do que conhecido e o resultado está mais do que garantido.

São estas as forças contra as quais lutamos. Contra tudo e contra todos

Já agora, o Mister do Café também achou interessante a história do autopicanço do César e foi investigar. Muito curiosas as conclusões. A ver com muita atenção.

terça-feira, 11 de abril de 2017

Os Vendidos Que Traem a Guerra

Esta diferença escandalosa dos preços - e atenção que o preços para os adeptos  do FC Porto é de 30€ - é bem demonstrativa do que há muito sabíamos: estes são os lampiões do Norte. Na prática, preferem ter um estádio vazio a ter lá Portistas. Como tal, uma posição em termos deve ser tomada pela direcção do FC Porto. Não bastou a brincadeira de nos terem ficado com um título graças a um jogador nosso, de, apesar disso, não terem facilitado a compra de um jogador no qual estávamos interessados e que acabou por ir para um rival - ainda bem, grande barrete! - apesar disso, ainda lhes compramos um central - para ser terceiro - bem caro!

E qual é o retorno? Estão sempre de pernas abertas para ver o seu amado fifica a espetar-lhes goleadas e a roubar-lhes títulos! Não haja a mais pequena dúvida, a única coisa a fazer com o Sporting Clube de Braga e devolver na exacta mesma moeda tudo aquilo que nos dão - rigorosamente nada. Querem fazer parte dos "parolos do Norte" que se vergam ao fifica? Que seja! Mas saibamos que, no próximo sábado, teremos uma espécie de fifica tão motivado como os do sul para nos tramar! Respondamos com o melhor Futebol Clube do Porto! E digamos, sem papas na língua, que negócios com eles vão no Batalha! Quem prefere ter os lugares vazios a chatear os donos... está tudo dito!

Por falar em lampiões, a quem surpreende isto que está escrito no blog do sportem, Mister do Café? A ninguém. É evidente que a bolha e o rascord são prostitutas do benfas! O que é curioso é que haja Portistas que levam essa espécie de pasquins a sério. Já me aborrece, contudo, bastante mais, que um jornal como o Público, da imprensa dita "séria", faça de câmara de eco de blogs do benfas, sem ver que a dita "notícia" é... completamente falsa! O que não surpreende, porque o dito escriba é... um doente vermelho. Uma vergonha! Tentar desvalorizar o incidente de Samaris com falsidades até se entenderia nos pasquins supracitados, agora se nem na imprensa generalista estamos a salvo desta manipulação absurda....

Falando de manipulação, aqui temos o prémio "a sério não me digas!":É evidente que não se pode dizer que foram Super Dragões que "invadiram" nada, porque não houve invasão nenhuma.

O que há, sim, é isto. Este senhor tem uma argumentação absolutamente extraordinária: diz ele, sem se rir, que o assunto "já rolava" (sic) antes dele e por isso é um assunto que "não conhece assim tão bem". Como já estava lá antes, e está durante, ele não conhece. Claro, claro. Esta é a papoilização das instituições em todo o seu esplendor. Depois digam-me que "só estamos a falar de futebol". Há uma razão pela qual o benfas é o clube do regime. Já agora, é de ver as declarações de Nuno Saraiva aqui.


segunda-feira, 10 de abril de 2017

À Descarada

É quase unânime que o que se passou ontem em Moreira de Cónegos foi uma vergonha. É ponto assente em todo o lado menos na bolha que Luisão deveria ter visto o vermelho directo aos 30 minutos. Seria uma hora sem o defesa central que mais cortes fez o jogo inteiro. O lance do golo nasce de uma falta ridícula marcada a Dramé, que toca primeiro na bola, e vê um amarelo por isso. Se assim fosse sempre era o bom e o bonito. Por exemplo, no jogo da semana passada, o chutão no pé de Brahimi, em pleno remate, não era vermelho, era preto ou coisa que o valha. E, icing on the cake, a questão do Samaris é de bradar aos céus. 

Coroado dixit
Mesmo que não tendo visto o murro - vermelho directo! - de Samaris, alguém teria de ter visto. E mesmo que ninguém visse, na hora, é mais do que evidente a agressão - quer dizer, menos para Ribeiro Cristóvão! - e, como tal, impõe-se uma sanção disciplinar pronta e exemplar. Em Inglaterra, Kun Aguero levou quatro jogos de suspensão e Fernandinho e Ibrahimovic três por coisas bem mais soft! Pouco me importa que o Conselho de Disciplina não queira ser Video-Árbitro. O certo é que julgar este estilo de coisas está dentro das suas competências, e a elas não pode fugir! 

Posto isto, na verdade ficou bem patente que o benfas não joga nada, a maioria das vezes, e que, apesar de um plantel de 202M, não é capaz de ultrapassar o estonteante Moreirense sem a inclinação correspondente. Tanto apoio e tanta liberdade para fazer o que lhe apeteça não dá para vencer a uma equipa que tem uma eficácia perto de zero. É caso para tirar uma ilação: só ganharão o campeonato se os empurrarem por aí fora. E, dessa forma, não há como levar nada disto a sério.

Já agora, que dizer disto aqui em baixo? Ah, não é o Canelas, verdade? Não é da Associação de Futebol do Porto, verdade? Não interessa! Esta é a "verdade desportiva" que tanto se apregoa! Assim, à tripa forra, Assim, à descarada! E assim se vão "ganhando" campeonatos mentirosos! E assim se vai subvertendo a verdade e criando falsas narrativas! E querem que se leve isto a sério? Pelamordasanta!


domingo, 9 de abril de 2017

Análise FC Porto 3-0 Belenenses - A Vitória Paradoxal [ACTUALIZADO]

Como pode um jogo em que se tem um punhado grande de boas ocasiões, algumas delas cantadas, onde ficam dois penaltis por marcar e se marcam três golos, deixar um amargo de mal jogado na boca? É assim a exigência de um Portista que, quando não levada ao extremo, é positiva por ser de um realismo muito grande. Embora num campeonato vão certamente haver vitórias mais conseguidas e outras menos, há que se ter sempre presente que há que melhorar. Tenho a certeza que, contra o Braga, onde a própria natureza do jogo é diferente, estaremos melhor. Vamos a notas.


Brahimi - Foi assim com Jardel, foi assim com Hulk, é assim com Yacine Brahimi. Infelizmente, quando algum jogador com este talento e vontade está em campo, acaba por levar os colegas a dependerem de si - ou a contar consigo - para a resolução dos problemas. O único que, durante a péssima primeira parte, levou a equipa para a frente, foi quem criou e baralhou os jogadores do Belenenses. Foi muito bom sentir o medo e ansiedade dos jogadores adversários na sua área. Se tivesse sido mais ajudado por alguém algém de si mesmo, tenho a certeza que este teria sido um jogo para os livros. Vai deixar saudades.

Corona - Há um jogo a.C e outro d.C, sem sombra de dúvida. A magia e a técnica de Corona vieram agitar o marasmo irritante que estava a ser o jogo até então. Magia e imprevisibilidade, é o que Jesus Corona traz ao jogo em dia sim. Cria uma verdadeira quadratura do círculo a NES. No meu entender está bem assim, entrando quando os adversários estão desgastados com toda a sua explosão, técnica e magia. Mas merece ser titular. Enfim, paradoxos.


Sonecas - Que foi aquilo, senhores? Numa altura em que se exige vitórias para sermos campeões, só uma entrada forte pode assegurar o objectivo de uma forma calma. Mais a mais, a nítida ansiedade que se foi sentido com o decorrer da partida, não tem lugar quando se assegura golos logo nos primeiros minutos. Foi visível para toda a excelente moldura do Dragão - mais de 40 mil - que após o segundo golo a equipa se soltou e foi o FC Porto que todos merecemos. Sem medos, por favor! Somos o FC Porto! E a expressão "pra cima deles, carailhe!" tem de estar tatuada no vosso cérebro!

Meio-campo - O desgaste é visível, a hiper-defensividade do Belenenses também não ajudou - claramente à procura do pontinho - uma vez que, cada vez que ÓIiver tocava na bola, lá tinha uma muralha defensiva à volta, mas a verdade é que este fez uma das piores primeiras partes que já lhe vi fazer, Danilo esteve muito confuso durante a primeira parte - apesar do belo golo e da felicidade de ver a braçadeira no seu braço - e mesmo André André, o melhor dos três, só se encontrou quando os parceiros se encontraram também. Cada um dos 8 falhou um golo cantado - mas quero ver Óliver a fazer mais disto, por favor! - e as ligações entre os dois, a dinâmica, parecia falhar.  A rever, com urgência. Contra o Braga, serão os três essenciais!

Finalização - Pelamordasanta, os nossos rivais precisam de meia oportunidade para marcar golos, connosco é um fartote! Não se admite! Treino, treino, treino, por favor!

Seguimos na luta, embora espere rigorosamente zero do jogo em Moreira de Cónegos, porque o pitbull é fiel aos donos, e já se sabe o que a casa gasta. Tenho a certeza que vai haver muito "futebol positivo" e muitos golos na baliza do Moreirense....

Excelente vitória do Andebol do FC Porto, por 30-28, com mais uma recuperação histórica. Estou em negociações para fazer regressar o meu colega do Andebol que, por motivos alheios à sua vontade, se encontra em sabática forçada, mas pelo que vi, apesar de uma primeira parte desastrosa (que se passa com as primeiras partes, povo?), encarreirou para uma vitória à Porto contra o Sportov. Raça de campeão é isto! À atenção da equipa de futebol!

ADENDA: Uma vez mais, os senhores do Governo Sombra estão cheios de piadas imuito giras sobre o FC Porto, um tema, aliás, recorrente em dito programa. Em particular o senhor João Miguel Tavares diz, alegremente, que Fernando Madureira se farta de bater em jogadores e em tudo o que mexe. Ai sim, senhor Tavares? Onde é que você viu isso? Onde está a prova? Fazer alegações públicas desta natureza é difamação, como certamente saberá!

Depois dele, os outros convivas, todos papoilas - o moderador é doente - ainda se entreteram em piadinhas sobre o Canelas, invocando Tarantino e outras lindezas que tais. Curiosamente, aquando do saque e destruição de parte do estádio Afonso Henriques, em Guimarães, não foram eles tão incisivos. Falaram do polícia e nada mais! Continua a campanha de associação do Canelas ao FC Porto, quando nada tem a ver uma coisa com outra.

Contudo, não me surpreende. Citando o senhor Tavares, quando questionado se o jogo do Canelas-Rio Tinto seria um derby, a resposta foi "aquilo lá em cima é tudo perto umas coisas das outras". Claro, claro. Somos uma aldeia, não é? Viva a soberba da capital! Fica claro que isso do centralismo é um mito! Exacto!

sexta-feira, 7 de abril de 2017

As Evidências

Está bom de ver que a verdade é como o azeite. No seu devido tempo, tudo se conhece, tudo se sabe e, por vezes, faz vítimas. O caso da Cartilha é um, mas há mais pontos de interesse. Vamos então às evidências.

É evidente que o que importa mais é a bola. É um facto, amanhã joga-se o primeiro dos jogos em que só um resultado poderá levar ao objectivo: vencer. É evidente também que o campo estará mais do que inclinado: Fábio Veríssimo já mostrou ao que vinha no Bessa e só alguém muito inocente pode pois pensar o contrário. Vai ser interessante, para os subscritores da teoria de que Xistra não poderia ter a coragem de ser isento no galinheiro, poder ver como um árbitro não se vai ensaiar nada em continuar a permitir cacetebol e seus derivados no Dragão, e contra o FC Porto. Mas já temos esta circunstância há anos e não foi por isso que deixamos de vencer. Está mais que visto que o benfas de belém vem mais do que incentivado a fazer uma gracinha, está mais que visto que seremos 12 contra 16, mas assim se fazem os títulos no FC Porto: com todo o suor gasto. Não há maior prioridade do que esta. O Dragão é a nossa fortaleza, e esta vai replicar-se durante os próximos sete jogos. É imperativo que os jogadores percebam que jogam a vida aqui. Independentemente das circunstâncias. Estamos, todos, a lutar para nivelar o terreno, mas Roma e Pavia não se fizeram num dia, e a pressão faz diamantes. Por isso há diferenças entre os jogadores que saem do FC Porto e outros que saem de outros lados....

É evidente que nenhum Portista que lê o Porto Universal ou muitos outros blogs que compõe o maravilhoso mundo da Bluegosfera - a minha selecção pode ver-se aqui ao lado - poderá ter ficado surpreendido com a Cartilha. Ela era uma evidência há muito, muito tempo. Quem se pôs a jeito foi quem passou a vida a negá-la. Afinal, apesar de ser tão fácil de ver, pelo discurso, pelas frases, pela repetição em cadência e entoação, que erma ensaiadas como se de uma peça de teatro se tratasse, repetidas ad nauseam para passar a mensagem, não era possível resistir ao doce apelo do moralismo e à sedução de se arvorar em superiores à maralha. Assim, são hilariantemente apanhados em contrapé, denunciados pela sua própria soberba e por terem tido a lata de, como se vê, terem negado aquilo que todos intuíamos. É, como disse, hilariante assistir às contradições de quem não se quer contradizer e, no caso do senhor Window, de ser desmascarado como o autor de uma propaganda fascistóide e mentirosa. Agora, tanto quiseram armar-se em santinhos e impolutos, que qualquer argumento que seja da Cartilha - no fundo, todo o arsenal que compõe a mesma cassete, há anos gasta de tanto uso - poderá e deverá ser ridicularizado pelos comentadores adversários. Afinal, tudo poderia ser mais simples - mas era tão divertido ver os comentadores Portistas a pensarem pela própria cabeça e a, por vezes, criticar o Clube...

Por fim, a melhor das evidências, a de que a bolha e o rascord não passam de panfletos com uma estratégia de exaltação de cada traque de cor rubra. Também, onde estão as novidades? Se se via o Reco-Reco Guerra a defender o seu amor bromelho na bieirinhaTv com aquele afinco todo... não era surpreendente. 

Agora, uma coisa acabou. Nunca mais poderão fingir-se ISENTOS. Obedecem à voz do dono - coisa que nenhum Portista que eu conheço faz. Nem Bernardino, nem nenhum nos Migueis, nem Manuel Serrão ou Rodolfo - todos eles já mandaram umas bocas bem mandadas ao Clube que amam, quando as coisas não têm a qualidade que se lhes exige. E esse tipo de isenção não se controla nem se compra. Nem por 100 mil ao ano!

quinta-feira, 6 de abril de 2017

Fundamentalismo Religioso e Encobrimento Jeitoso

Hoje o dia começou com os Portistas subscritores a receberem, pela Dragões Diário, aquilo que Francisco J. Marques chamou "Cartilha" mas que eu vou dar um passo maior e insistir que é, antes, uma doutrina. É surreal, este documento!

Não é necessário estar a desmontar as alarvidades ali inclusas, qualquer pessoa minimamente consciente e com o mínimo de isenção ou que não seja fundamentalista, vai saber ver o ridículo de toda aquela patética argumentação. Falar de protecção da polícia quando se vê o que se vê com drogas e armas a serem transaccionadas em pleno estádio, falar de protecciosmo da justiça quando se tem, em pleno centro da tribuna, o primeiro ministro e o ministro das finanças a ladear o presidente, é risível, falar de correcção no jogo porque não levaram amarelos é roubar e ainda se gabar do roubo por cima. Enfim, nada de novo.

Mas que chegou ao FC Porto, chegou. E se veio via Chouriço, não deixa de ser interessante. Zangam-se as comadres, sabem-se as verdades. Mas, mais importante do que tudo, mostra que há vontades e objectivos diferentes dentro do galinheiro. Além disso, deixa-me bastante mais feliz ver que a papoilagem já se acha outra vez a última Coca-Cola no deserto. Ainda bem! A soberba é a nossa melhor amiga. Continuem a achar que são "muito melhores que o Porto"!

Ontem foi dia de Taça, e dia de ver contrastes. Se uns foram afastados por causa das arbitragens, com três penalties e, por isso, não puderam tentar vencê-las, outros, vai-se a ver, conseguem lá chegar com um golo nestas condições aqui em cima. Assim se prova que, ao contrário do que foi dito, um golo em fora de jogo evidente não é uma coisa que se possa desvalorizar. Pode ser a diferença entre estar ou não a lutar por um título. Enfim, uma vitória à papoilas.

Mais ainda, se um qualquer adepto fo FC Porto fizesse isto que este senhor está a fazer, a tentar agredir um jogador do Estoril com o casaco, o que não seria por este Portugal fora. Assim, não se passa nada. Em lado nenhum. Enfim, talvez apareça como um grande feito numa das próximas cartilhas. A falta de vergonha ajuda a tal.

quarta-feira, 5 de abril de 2017

Doutrinação, Lavagem Cerebral E A Massagem Do Ego

No fantástico, e cada vez mais essencial,  Universo Porto - Da Bancada de ontem, foi provado o que há muito se sabia: que o discurso da paineleiragem benfas está melhor sincronizado do que o de uma equipa de natação dessa variante. O que não se sabia - mas poder-se-ia inferir - é que está micro-organizado ao nível do patético. O senhor Carlos Janela, que de independente tem tanto como eu tenho de arquitecto, mas que se gosta de arvorar em tal, e de se fazer passar por tal, envia semanalmente aquilo que os meninos devem dizer - repare-se no segmento em que Francisco Marques cita as frases sobre Bruno de Carvalho e vejam lá se não se lembram logo daqueles cujo perímetro abdominal é maior - e ainda sublinha que eles devem glorificar sempre o clube de regime!

É patético e ridículo, mas bem exposto: falam de nós como se fossemos uma máfia, mas vai-se a ver, são eles que não permitem pensamento crítico, diferença de opinião e que tentam mudar a opinião pública com um punhado de frases bem cadenciadas e que, ouvidas em diferentes fóruns, são uma propaganda Goebelliana bastante eficaz.

Se juntarmos a isso as câmaras de eco dos media subservientes e as massagens, ao ego e a determinadas zonas do corpo, a ratos de esgoto que têm programas dedicados a tentar depositar todos os males do mundo naquela equipa que lhe estraga o sonho de um campeonato da capital dominante sobre os "da província", e também outros avençados que fazem guerrilha suja - chegando mesmo a mentir tão mal que sofrem consequências disso - e temos toda uma máquina de propaganda capaz de lavar o cérebro de quem está mais desatento. 

Iremos desfazê-la peça por peça e reestabelecer a igualdade no futebol. Sim, igualdade, porque tanto orgasmo acontece pelo verifique apoiar o video-árbitro, mas tal só acontece como festinha para a ratazana. Seria difícil ao benfas explicar como tem um jogador há 17 jogos à bica mas a dar castanhada por todo o lado, golos com a mão, empurrões na área e foras de jogo de quilómetros, com o VA. Seria complicado se uma equipa deixasse de jogar ao Bate o Pé enquanto a outra tenta jogar futebol. Sim, porque dualidades de critério desta natureza são pura coincidência e não merecem nem um só segundo de análise!

No fundo, já sabemos que tudo isto vai ser contrariado pelas avestruzes que são os adeptos do ficaben e pelo habilidoso spin doctoring vermelho. Mas o importante é que o adepto Portista saiba identificar e rejeitar este tipo de mentira parva e de análise tendenciosa.

É que, por exemplo, "Ligas Reais" que conseguem fazer equivaler 30 penalties roubados a puxões de camisola visíveis apenas em photofinish, são tão reais como os unicórnios. 

terça-feira, 4 de abril de 2017

Pujança Ou Bancarrota, Depende Da Cor Da Camisola

É um fenómeno curioso, e nunca me cansarei de o demonstrar, este do clube do regime conseguir ter tão boa imprensa, tão excelente spin doctoring, que são capazes de fazer uma coisa péssima - três empréstimos obrigacionistas consecutivos, que demonstram que a gestão corrente ficaben está muito difícil - tornar-se uma coisa boa, repetindo o inefável Domingos Soares de Oliveira que esta operação se destina a "equilibrar o passivo e o activo" e a "fazer depender menos da venda de jogadores" a boa saúde do seu clube. São óbvias mentiras, pois um empréstimo obrigacionista é o que tem as piores condições e serve para gestão corrente, e três seguidos - 145M! - querem dizer alguma coisa. 

Gosto especialmente da frase "fazer depender menos da banca", uma vez que é, obviamente, um punhado de areia atirado aos olhos. Não dependem dos Novos Bancos, dependem das instituições de crédito privadas que servem de plataforma para o empréstimo obrigacionista! Fico feliz que, no FC Porto, quando saem R&C, não há assalariados e avençados que se dedicam a fazer - em muitos sítios! - a apologia do placebo como cura de todos os males. Há, sim, muitas vozes críticas e assertivas aos defeitos e incoerências dos mesmos, a apontar as falhas e a discutir soluções. No ficaben, permite-se que a coisa fique negra, porque logo há um spin patrocinado pelas instituições. Veja-se só a diferença entre esta peça e esta outra, saídas rigorosamente no mesmo dia. 

Todos sabemos que, neste momento, o ficaben está alicerçado na maquilhagem de contas com as vendas a dinheiro de monopólio de jogadores em múltiplos de 15M de Luís Filipe "La Redoute" Vieira e de Jorge Mendes para apresentar contas positivas e assim fugir ao Fair Play da UEFA. Mas a verdade é que isso não muda a realidade das necessidades de dinheiro real. Por isso Vieira é chamado de "La Redoute" por muitas papoilas: passa a vida a tentar vender os seus jogadores a preços que não escandalizem a sua turba. Só que não consegue.

O proteccionismo da bolha e do rascord é altamente pernicioso, uma vez que permite a que este estado de coisas continue. E a sensação de impunidade e de fuga para a frente é de tal ordem que, como se vê em baixo num tweet de Mr Burns, se dão ao cúmulo de gozar com o proteccionismo de que beneficiam. Até ao dia que corra mal. Mas, aí, o problema não é nosso. Por isso, continuem a gozar-nos. Nós, pelo menos, estamos a caminhar para resolver os nossos problemas. Por muito que nos custe.

Quero dar os meus sinceros parabéns ao meu caro amigo Manuel Vila Pouca pelo 10º aniversário do seu essencial Dragão Até à Morte, uma voz basilar na Bluegosfera. Alguém muito dedicado e que vive com a maior intensidade a causa Portista, é, foi, e tenho a certeza que será sempre um enorme exemplo de Portismo para mim. Grande abraço, meu amigo, venham mais dez!

domingo, 2 de abril de 2017

Que Jogo?

Houve algum jogo? Não estou a ver que jogo houve. Para mim, não houve nenhum. De todas as formas e feitios. Vamos ver.

- Não houve jogo para o FC Porto - "Façam o jogo das vossas vidas", estava escrito na faixa à chegada ao Hotel Altis. Foi esse o jogo do FC Porto? Não foi. Entraram lentos, nervosos, perdidos, uma sombra do que deveriam ser. Mérito do adversário? Não. Ansiedade. Estranha e rara ansiedade esta, a de ficar sempre apertados quando podem ficar no primeiro lugar! Onde está o estofo à Porto? Como todas as coisas - e não foram poucas! - que aconteceram neste "jogo", a tremenda ofensa que foi ficar contentinhos com o empate, a mim deixou-me lixado! Exige-se muito mais!

- Não houve jogo pela arbitragem - Felipe não faz lance para penalti, como se pode, claramente, ver aqui em cima. Toca primeiro na bola, embora este ângulo só tenha passado uma vez em imagens. É um lance duvidoso? Pois, pois é. Aceitar-se-ia, sim, se houvesse a mesma certeza e assertividade no resto do jogo. Então e as inúmeras faltas do senhor Pizzi (faltas por trás não dão amarelo?), por exemplo? E então o facto de não ter havido acção disciplinar nenhuma o jogo inteiro para as papoilas? E o facto de qualquer toquezinho ser falta? E não há penalti sobre o Soares ao minuto 35? E o fora de jogo a Jota é de que linha? É uma república das bananas, esta, sem rei nem roque. Ou melhor, rei há, está visto. Mas, sobre isso, mais adiante.

- Não houve jogo para a Honra e o Caracter - A figurinha que fez o senhor Jonas, o nojento, o jogo inteiro, é paradigmática do estado das coisas nesta liga de terceiro mundo. Pela simulação na área que fez na segunda parte, devia ter visto um amarelo. E pela do penalti, outro. Portanto, vermelho. E pela agressão a um treinador depois de um teatro ridículo que se vê em cima, deveria ser sumáriamente banidos por 6 a 8 jogos. Assim, pelo menos, se passa na Preimer League. Aquela que o senhor Presidente da Liga vê como "uma referência". Pois, está bem, ok.  Conta-me histórias.

- Não houve jogo para os adeptos do FC Porto - Adeptos que não viram a primeira parte, adeptos que praticamente não viram o jogo, adeptos expulsos do jogo por adeptos benfas, adeptos mal tratados pela polícia, enquanto choviam pedras e bolas de golfe. Há disto no Dragão? Nem por sombras! Mas nós é que somos arruaceiros e bimbos! Pois, claro!

E tudo isto acontece, finalmente, por que o poder judicial, político e financeiro está, como se pode ver, muito juntionho ao clube do regime. Sem pudor nem vergonha, é a inclinação por excelência. Voltamos ao tempo da outra senhora. Não se passa nada. E depois vemos o FC Porto de novo abúlico e entrópico perante este estado de coisas! Acorda Porto! 

É assim que se quer voltar a ser campeão? Com esta falta de atitude e reacção? Ou só seremos fortes a recuperar desvantagens e nunca a tê-las? Temos sete jornada para resolver esta equação. E tirar daí conclusões. É que, para mim, atitude à Porto, houve muito pouca. Excepto, por exemplo, a do nosso Capi... ah, é verdade, não é. Mas deixou-os lixados! Talvez não seja o suficiente para a braçadeira...



Insisto, estamos numa guerra de tweed e fraque contra armas e facas. Ou arregaçamos as mangas ou não vamos lá.