terça-feira, 31 de maio de 2016

A Triste Arte Do Vazio Sem Nexo


O imenso buraco negro especulativo em que se tornou, por estes dias, o FC Porto, é um sintoma de depressão tremenda. É claro que há que entender-se, mas há, principalmente, que comunicar progressos, mostrar a evolução das coisas e DEMONSTRAR QUE O FC PORTO É A PRIORIDADE! 

Este vazio de notícias, de demonstração de trabalho, como se tudo estivesse maravilhoso ou fosse indiferente, faz ebulir os adeptos e pôr tudo em causa!

Não é deixando correr intrigas sem desmentidos cabais que se vai a algum lugar, não é ignorando a ansiedade dos adeptos que se vai voltar a "Ser Porto".

E, por falar nisso, se NES é/vai ser o nosso treinador, não será um bocado contraproducente estar a apresentar livros de benfas de Paredes?!

segunda-feira, 30 de maio de 2016

Esclarecimentos Cabais Exigem-se [ADENDA ESCLARECEDORA DE PENSAMENTO]


"COMUNICADO DA FC PORTO – FUTEBOL, SAD

A Administração da FC Porto – Futebol, SAD chegou a acordo com o treinador da equipa principal de futebol, José Peseiro, para a cessação do seu vínculo contratual no final da presente época desportiva.

A Administração
"

Com este curto comunicado, chega ao fim a ligação de José Peseiro ao FC Porto. Não é inesperado, claramente. A ele o meu muito obrigado pela disponibilidade, mas obviamente que os resultados estiveram muito aquém do exigido.

Vou ser curto e grosso - espero que nas próximas horas seja anunciado um treinador. A ser verdade o veiculado de ser Nuno Espírito Santo, o que se está a passar é, no meu entender, grave, e não é por causa da qualidade ou não do treinador! Grave se for resultado de facções, grave se for uma "imposição de Jorge Mendes para ajudar a moldar a equipa" e gravíssimo se representar um episódio de influência de Alexandre Pinto da Costa, alguém que não tem nem pode ter nenhuma ligação ao FC Porto! E se ganhar comissão, será o fim da picada!

ADENDA: Admito não ter sido claro no meu pensamento, portanto esclareço: uma equipa que se quer forte e lutadora não pode dar espaço e tempo para que pretensas divergências possam fragilizar a posição de qualquer treinador que venha!

Não pode ser uma mera apresentação de este x é o treinador do FC Porto! Tem de ser uma manifestação de união total da SAD  e a demonstração cabal de que não começaremos com fendas no próximo ano.

Uma comunicação clara e atempada exige-se, um comprometimento com as opções de todos exige-se, uma massa adepta com o treinador SEMPRE exige-se! Só essa pode ser a chave do sucesso.

DEIXAR ARRASTAR ESTA SITUAÇÃO SERÁ UM INSULTO AOS ASSOCIADOS.

domingo, 29 de maio de 2016

Campeões Nacionais Basket 2015/2016 - Um Milagre De Moncho


Quando, há quatro anos, o FC Porto decidiu, com muita tristeza, que tinha de fazer um "começar do zero" à equipa de basket, um vazio preencheu a minha Alma Portista. Tendo jogado basket toda uma vida, à parte do futebol, foi com muita tristeza que temi pelo quase inevitável fim da modalidade. Uma pessoa sempre acreditou: o grande Moncho López. 

Moncho é um competentíssimo treinador, tinha imenso mercado e poderia ter feito algo infinitamente melhor com a sua vida do que treinar uma equipa da CNB2 e depois da Proliga, sendo que foi decidido que não subia de divisão enquanto não houvesse condições para fazer uma equipa competitiva para lutar pela Liga Nacional de Basket. Com ele ficaram também alguns heróis como André Bessa, o Capitão da equipa, que aguentaram com paciência e empenho toda esta travessia no deserto. Mas foi graças ao plano de Moncho, traçado a regra e esquadro, que conseguimos ser campeões. E é a ele que isso devemos. A emoção do Presidente assim o demonstrou, mais uma vez tendo batido o pé para que o basket não acabasse. A imagem de Moncho a falar ao telemóvel de punho no ar a dizer "conseguimos!" com o Presidente do outro lado em lágrimas, é uma que irá acompanhar, sem dúvida, a imagem da primeira vitória do hóquei em patins. É bom ver que o Presidente ainda tem vontade e interesse emocional em conseguir mais. É um bom sinal para o futuro.

Chegada a altura de competir na primeira liga, fez-se uma equipa competitiva, mas ainda aquém das possibilidades da luta pelo campeonato. Com as contratações de Albert Fontet, Nick Washburn, José Silva, Arnette Hallman e, principalmente, Brad Tinsley, o FC Porto cresceu e chegou-se à frente, mas o factor decisivo foi a contratação do fantástico Troy DeVries. Este veterano abnegado e exímio extremo inclinou a balança a nosso favor com a sua genial criatividade, sabedoria posicional e tiro exterior.  

Vencemos os verifiques por 3-1, com os jogos do Dragão Caixa a serem o exemplo claro da resistência, solidariedade e raça que caracteriza o FC Porto no seu melhor, em perfeita comunhão com uma massa adepta que soube apoiar do primeiro ao último minuto e sem assobios para conseguir derrotar uma equipa com muito maior orçamento e o rei na barriga.

Sim, não poderia acabar sem falar do ogre Lisboa, que teve a distinta lata de ter estas declarações no fim do jogo. Não, Carlinhos, temos todos boa memória, limpa e cristalina, da forma "cavalheiresca" como comemoraste a tua última vitória, com piretes, bocas de "filhos da puta" e mãos a bater no rabo. É preciso ter uma latosa descomunal para falar da forma como falaste ontem. Mas é assim, caríssimo, que se passa sempre que a soberba se instala. O murro na cara que a humildade nos dá é bastante maturador. Fica aqui a lição. Isto se continuares como treinador no próximo ano.

É tempo de celebrar, com um especial agradecimento à massa adepta que acompanhou a equipa nos últimos quatro anos e lhes deu o impulso para chegar até aqui, mostrando que as modalidades não são nada menores e que superam em muito e dão uma grande lição de raça à equipa de futebol A, mas também que a UNIÃO entre equipa e adeptos é ESSENCIAL para as grandes conquistas e que o APOIO e é muito mais fundamental do que a "exigência".

sábado, 28 de maio de 2016

Acordar

E o FC Porto, na pessoa do seu Presidente, acordou. Acordou para a realidade de que rigorosamente nada mudou. Acordou para a realidade de que continuam a querer rebaixar as nossas conquistas e exacerbar as nossas perdas. Ainda bem que o Presidente percebeu, de uma vez por todas, espero, que os inimigos não são para tentar agradar, mas antes para vencer. E são inimigos, "uma vara", como disse o NGP, no inflamado discurso de ontem. E assim é, Presidente. E precisa da sua voz presente, directa, insistente, precisa que os rejeitemos, precisa que os tratemos como os vermes que são!

Nesta linha, não deixa de ser interessante ver que as pretensas "operações fénix" merecem mais destaque de primeira página do que as letras muito pequeninas em todos os jornais desportivos da CONDENAÇÃO de Paulo Pereira Cristóvão, dirigente do Sporting Clube de Portugal por por dois crimes de peculato, por uso indevido de dinheiro e bens do Sporting, por um crime de acesso ilegítimo e ainda por denúncia caluniosa agravada ao árbitro José Cardinal. Assim sendo, é exigido que à justiça comum se siga a desportiva! Qual será a pena para o sportem? A descida de divisão, como é devida? A perda de pontos?

Mas mais importante do que tudo o resto, qual continuará a ser a lata desta gente de nos falar de frutas e afins? NINGUÉM do FC Porto foi condenado! Nos nossos amigos da capital sim! Caiu-lhes a máscara da impunidade e da pureza angelical. Está na hora de voltar a lutar de igual para igual e de vencer, ainda que custe dez vezes mais.

Um bom exemplo disso é mais uma vitória da nossa equipa de Basket, por 98-89, literalmente contra tudo e contra todos. A equipa de arbitragem tudo fez para ajudar os amigos, a marcar faltas contra o Capitão André Bessa porque o piso estava escorregadio e a Troy DeVries por respirar, por exemplo. Uma vergonha! Mas a raça e superação Portistas - sempre com um público excelente a puxar pela equipa - levaram a uns últimos 5 minutos de grande categoria e maturidade que põe a final em 2-1 para nós, ou seja, a uma vitória do título! Hoje poderá ser um dia histórico e merecidíssimo, de uma equipa que poderá ter vindo directamente da Pro Liga para arrebatar um título a um gigante orçamental como o verifique. Que assim seja!

Uma boa notícia, já esperada, é saber que Miguel Layún já é nosso e é indiscutível. Aparentemente, junto com ele, haverá o regresso de um maturado Diego Reyes. Começa a desenhar-se uma equipa forte, como deve ser! Que deixemos pois, de ser bons rapazes, porque não ganhamos nada com isso! Sejamos feios, porcos e maus e irritantemente indestrutíveis!

sexta-feira, 27 de maio de 2016

Tanta Estupidez Irrita Um Gajo

Antes de mais, ia escrever um longo post sobre a forma surreal e ridícula com que Fernando Santos se desculpa da não inclusão de André Silva no lote de convocados para o Euro, mas o meu Imbicto amigo adiantou-se, e eu não sou de repetir o que está bem dito. Como sublinhado do último parágrafo, digo apenas e só que cabe a estes jogadores e, principalmente, ao Futebol Clube do Porto, tirar daqui as suas devidas conclusões sobre a cedência de jogadores para fazerem de tapa-buracos descartáveis e verbos de encher. É claro que todo o jogador se sente honrado em defender a sua bandeira - ouviu, Luís Miguel? - e será sempre tarefa difícil dizer a um jogador que se decidiu que não vai. Se for o próprio, melhor. Mas se for para hipotecar épocas, como aconteceu com o André André, há que bater o pé bem forte e fundo. Escusado será dizer que quero - à excepção do nosso Danilo! - que a selecção se lixe! A mim, não me representa!

Outra estupidez que ouvi ontem foi a de que o Layún já se quer pôr a andar daqui e que só pensa em sair. Mentira! Perguntaram-lhe se gostava de jogar no Real Madrid e se rejeitaria essa hipótese. Naturalmente, este disse que gostaria muito. Evidentemente, estava só a ser sincero e qualquer jogador diria o mesmo. E não, não quer dizer que não dará tudo no FC Porto e que pense estar "de passagem". É só a verdade básica para 98% dos jogadores do que jogar numa equipa de Top 5 europeia era um sonho! Normal! O único que sabe o preço desse sonho é... Iker Casillas! Que nem por isso deixa de ser madridista! Miguel Layún entregará cada gota de suor seu em cada jogo, disso não tenho a mais pequena dúvida! Deixemos de ser complexados, ainda para mais com um jogador que já provou ter entrega e disponibilidade para se dar completamente a cada jogo, no melhor possível e, como visto a nível defensivo, está a melhorar a cada dia! Que não seja ele o novo "patinho feio!" Seria escandaloso!

Por último, cada vez entendo menos o Porto Canal, sinceramente! Então agora comentadores habituais do Porto Canal, como José Fernando Rio, vão a apresentações de livros do benfas de Paredes, o ser mais odiosamente anti-Portista d'aquem e d'além mundo?! Algum decoro, senhores! Eu sei que sofro, como a maioria dos Portistas, está visto, muito mais do que alguém que tem o privilégio de viver de comentar os jogos do Nosso Grande Clube. Sei que encaro esta gente, que muitos de vós chamam de amigos, como inimigos quase mortais. Sei que levo muito a peito todas as tropelias, diferenças ostensivas de discurso e a bílis nojenta destes benfas doentes. Sei que se calhar mais do que a grande maioria do Porto Canal combinada! Mas exijo respeito pela instituição FC Porto e pelo que ela representa.  

Se querem andar aos abraços e beijos a quem, na verdade, vos prejudica e quer o mal da vossa entidade empregadora, no vosso tempo privado, é lá convosco. No meu entender, retira-vos o direito de se sentir prejudicados ou injustiçados, quando sois vós a alimentar esta injustiça. Mas o que é inadmissível é que se faça publicidade aos eventos dessas pessoas e a apresentações de livros onde, directa ou indirectamente, a vossa entidade empregadora é visada de uma forma indigna e injusta. E sobretudo, sobretudo, quando são VOCÊS a denunciar estas injutiças! O Porto Canal parece uma salada, com funcionárias benfas que comemoram títulos contra nós, com programas que passam o progresso dos outros contra nós e com funcionários que fazem publicidade a eventos onde vão alegremente bater palmas a quem nos quer prejudicar!

Senhores, orientem-se! Acabem com esta palhaçada ridícula! Só vos fica mal! E ainda nos gozam!

quarta-feira, 25 de maio de 2016

Dignidade E Respeito


Ia escrever um longo post sobre Peseiro e o disparate que foi a sua estadia, mas pensei duas vezes e não vale a pena. Exijo dignidade e respeito para com José Peseiro. Apesar de tudo, teve a coragem de assumir uma casa em chamas e de fazer o melhor que sabia e podia, e por isso tem a minha eterna gratidão e respeito. Espero honestamente que saia com um agradecimento bem público pelo seu trabalho e com a noção de que é reconhecida a sua entrega, ainda que mal dirigida.

Preocupa-me, bem mais, a notícia de hoje do DN, que fala da saída de Antero Henrique por divergências com a posição do clã Pinto da Costa. Não conheço AH, nunca falei com ele, mas sei que com ele ganhamos muitos títulos e fomos muito bem sucedidos no Clube. AH tem muitos defeitos, nomeadamente um pobre cuidado da sua imagem pública e uma mania de estar em silêncio em alturas importantes. No entanto, não dá as mãos a Vieira, não acompanhou José Veiga no ataque ao FC Porto e nunca teve uma fase de complexo de Édipo como teve Alexandre Pinto da Costa. 

Vou ser perfeitamente claro: não considero o Futebol Clube do Porto o Pinto da Costa Futebol Clube. Já me é bastante incomodativa a ideia de Alexandre Pinto da Costa caminhar nos corredores do Dragão como se de sua casa se tratasse. Não admitiria que agora APC fizesse parte das decisões do Clube de uma forma tão elevada. A escolha de jogadores e treinadores não pode ser feita por APC. Digo, desde já, que se isso acontecer estaremos a caminhar para um buraco ainda mais fundo. E, com muito pena minha, será um peditório para o qual não darei.

Compreendo o rumo da Vida, onde, numa fase onde a mortalidade nos olha de frente, queiramos "arrumar a casa" em termos de família. Mas, por muita gratidão, admiração e respeito que sinta por Pinto da Costa, não consinto uma oligarquia. Não será com o meu voto, não será com a minha concordância e não será com o meu dinheiro.

Espero que esta notícia não passe de um ruido de clickbait, e que Pinto da Costa perceba, de uma vez por todas, a forma como o seu filho é visto pelos adeptos. Se não o fizer, perderá bem mais do que títulos nos próximos tempos. 

O que é demais é moléstia. Haja Dignidade e Respeito.

segunda-feira, 23 de maio de 2016

Á Mixtxcá Dos Intócáveis


Vivemos tempos estranhos no Dragão. Se chegamos ao primeiro lugar do campeonato, os nossos jogadores e treinador são assobiados. Perdemos a Taça de Portugal e a nossa equipa é recebida... com aplausos! Há assobios, claro, mas só para alguns - os "estrangeiros" do plantel. Os que não são "dos nossos". Helton enterrou de uma forma absurda - das duas vezes! - e custou-nos um título, e é aplaudido. Já Herrera leva assobios. 

Quem viu Iker Casillas a sofrer ou a festejar o golo do André como qualquer um de nós, não pode ter estes critérios diferenciados para com a equipa. Da mesma forma, aceito que um jogador seja "profissional", embora saiba que muito jogador do FC Porto emprestado teve febres de última hora antes de jogar contra o FC Porto. Mas, depois da fita do choro e por aí em diante, nada como andar, feliz e contente, a fazer de repórter do título ganho à equipa que lhe paga o ordenado e que é, supostamente, a do seu coração.

Somos uma piada, uma piada ainda maior quando o capitão da nossa equipa, depois de ser responsável directo pela perda de um título, vir dizer que "a equipa está de parabéns"! Como assim, Helton, parabéns por quê? Pela atitude? Qual? A de começar a tentar jogar com 2-0 a desfavor? Essa atitude? E o resto? E o nosso treinador, a dizer que "Fomos Porto na segunda parte" e que "jogamos muito bem". Como assim?

Então despedimos um treinador pela falta de acutilância defensiva, pela ausência de critério na rotação de jogadores, pela constante variação de posições durante o jogo, pela ausência de rotinas e pela pólvora seca, e depois é isto? O que mudou?


Ainda bem que a Mistica mora no futuro e que, depois da tempestade, uma bonança se avizinha. Porque parece que o Presidente terá uma ideia "diferente" da de Peseiro. E há quem tenha fome de muito mais do que queixar-se sem olhar para si mesmo. E esse é o verdadeiro FC Porto! O que vai até ao fim pelas vitórias e aquele que fica fodido pelas derrotas. Desejo ardentemente que este volte para o ano. É que há por aí muito "Guardião da Mística" algo ressabiadito.... e convém voltar a centrar a Mística no Presente e no Futuro. 


NOTAS: Aparentemente, do outro lado da fronteira não há nacional-verificanismo. Há, sim, uma clareza de raciocínio sobre questões de óbvia matreirice. A este caldinho comercial, junte-se o Atlético de Madrid e teremos uma bela caldeirada. Pelo menos uma caldeirada milionária. Nem que seja de ar e vento. Mas, de certeza, com uma bela de uma comissão associada. Só que sem aparecer nas capas da lixeira. Ou da bolha. Ou do rascord. Mas o que não quer dizer que não aconteça. Já agora, um sublinhado especial ao nome do outro clube envolvido na investigação que não o benfas.

domingo, 22 de maio de 2016

Epílogo e Enterro De Uma Época Desastrosa


Este jogo da Taça de Portugal foi o espelho daquilo que representou a época. Foi, aliás, toda uma metáfora para a época: erros defensivos da pré-primária, uma cadência sonolenta que só acorda quando tem medo de perder e uma táctica rotativa de bradar aos céus.

Não se pode começar um jogo que se disse que se queria vencer com aquela cadência. Não se pode fazer isso. Não pode. Não se pode não reagir a um golo estúpido pensando que se pode sempre recuperar. Não pode. E não pode, de uma vez por todas, haver espaço para "ah, deixa estar, vou fazer um atraso ou esperar que o guarda-redes apanhe a bola".

A defesa foi um disparate, e só equilibrou minimamente quando o trinco foi para central. Por sua vez, só quando entrou Rúben e André André a cadência ficou mais acelerada. Foi tarde. O herói da tarde, este menino que está de caras no plantel da próxima época este quase para fazer o impossível: recuperar praticamente sozinho e fazer-nos vencer a Taça.

Assim não foi, e é justo que não seja: esta época merece ser o vértice de um inflexão que se quer para sempre, o corolário de uma ridícula passividade e amorfismo que vai desde a SAD até aos jogadores, passando pelos técnicos, e que nunca mais pode ser repetida. 

André Silva, André André, Rúben Neves, Maxi e, talvez, Danilo e Layún, mereciam esse título. Mesmo assim, foram muito poucos para o conseguir levar para casa. Como diz o ditado: "Tarde piaste".

sexta-feira, 20 de maio de 2016

Ganhar A Taça Que Parece Não Interessar A Ninguém


Pois é, neste domingo joga-se o único título possível esta época. Temos o plantel na máxima força (excepto Alberto Bueno, que já não jogaria mais esta época) e, pelo que leio e vejo, todos os jogadores com a consciência da importância vital deste título que pode dar acesso a dois (o vencedor disputará a próxima Supertaça Cândido de Oliveira com o ficaben). Concentração, foco e empenho total é o que se espera para vencer um Sporting de Braga que fará contra nós o que não fez contra mais nenhum dos nossos rivais, ou seja, dar o tudo por tudo.

O NGP já tinha avisado que, este ano, a Taça de Portugal não iria interessar nada a ninguém, mas confesso que não esperava isto. É como se, de repente, nem houvesse jogo no domingo. A cobertura é inexistente, o interesse redunda a irrelevância e a nossa equipa parece invisível. Não faz mal. Os nossos títulos não são aumentados em virtude de "matemáticas criativas" mas são, isso sim, ganhas em sangue, suor e lágrimas.

Também ao contrário dos desejos do NGP, Artur Soares Dias será o árbitro do encontro. Pois que seja. Mas que faça uma arbitragem idónea e isenta e que saiba marcar as faltas quando as vê e os penalties quando eles existam.

Os convocados estão na imagem que se segue, disponibilizada pelo twitter oficial do FC Porto.



(4x2x3x1): Helton; Maxi, Chidozie, Marcano, Layún; Danilo, André André; Varela, Herrera, Brahimi; Aboubakar;

NOTA: Mesmo depois de se constatar o óbvio, ou seja, que a táctica "o FC Porto está interessado em mim" foi, mais uma vez, utilizada por Jorge Jesus para ver o seu contrato renovado e salário incrementado em supostos 20%, continuam a sair "notícias" estapafúrdias, como por exemplo que, se Jesus viesse treinar o FC Porto, a Doyen perdoaria a dívida do sportem, Imbula regressaria e por aí em diante. Sim, sim. O Céu abrir-se-ia e, por entre a Luz Divina, baixariam os Anjos cantando a chegada do Messias! Por favor! Não me lixem! Mais tabaco nessa cena, por favor!


quinta-feira, 19 de maio de 2016

Os Vencedores Das Guerras Inventadas E Os Repastos Fofinhos [ACTUALIZADO RESULTADO]

Uma vez mais a história se repete, desta vez no sportem: O Futebol Clube do Porto tudo faz, supostamente, para ter Jorge Jesus, mas este, com um imenso amor à camisola, e os olhos lacrimejantes com a emoção de ser recebido em ovação depois de ter perdido o campeonato, declara um amor eterno leonino. Nem os imensos e faraónicos milhões do FC Porto e a sua amizade com Pinto da Costa o farão deixar de dizer que só ele sabe porque não fica em casa.

Acontece que é mentira, naturalmente. É mentira que o FC Porto vá dobrar o salário jesuíta,  é mentira - e qualquer pessoa que acompanhe minimamente a necessidade de mais valias Portista, saberá disso - que o FC Porto tenha 150M para investir em "valores seguros" para agradar o técnico e e, principalmente, é um absurdo que a Altice seja tida ou achada na escolha do treinador do FC Porto! Era o que mais faltava! Mal estaria o FC Porto se agora o patrocinador tivesse intervenção nas decisões sobre a equipa. Há uma razão pela qual o FC Porto não foi comprado por ninguém! 

Mas a verdade é que o redactor da notícia de ontem, o senhor Hugo Forte, é um sportinguista e afecto à estrutura. Evidentemente, o interesse é claro. Ou bem que projecta uma conhecida desavença interna sobre a venda de Slimani e João Mário para um "inimigo externo", ou bem que justifica a renovação de Jorge Jesus, aumento salarial consequente e mudança na política desportiva, como uma "vitória sobre o papão". Era bem feito se não fosse absurdo. Não digo que Jorge Jesus não possa ser o próximo treinador do FC Porto, mas a mentira, de tão desproporcionada e exagerada que é, teve de ter "resolução" rápida, como se vê em baixo. Todos ficam felizes: o sportem e os seus adeptos que se imaginam grandes e fortes no braço de ferro imaginário e Jorge Jesus que reforça o seu poder dentro do clube. D. Quixote de La Alvalade vence e resgata a sua Dulcineia. Yay!


Bem mais interessante e preocupante é a notícia de mais um almoço entre Octávio Ribeiro, director da lixeira da manhã, com António Salvador, do Sporting de Braga que, aparentemente, terá ocorrido no restaurante D. Júlia, em Braga.  Lá está o tentacular polvo a estender-se aos "lampiões do Norte". Já todos sabemos que, para o Sporting de Braga, o importante é derrotar o FC Porto. Isso, não é nenhuma novidade. E que são muito amigos dos lampiões do sul. Agora o importante é ver se o Porto Canal vai continuar a transmitir as galas do Braga, se o FC Porto vai continuar a ceder jogadores por empréstimo ao Braga para depois ser comido, e por aí em diante. Está na hora de responder aos inimigos, como deve ser: como inimigos que insistem em ser.

ACTUALIZAÇÃO: Como previsto, Bruno de Carvalho já veio anunciar que renova mais um ano com Jesus. Portanto, o mesmo por mais. Bravo! E, se é verdade que Jesus exige João Mário e Slimani, vamos ver então a "excelente saúde financeira" do sportem a todo o gás.

quarta-feira, 18 de maio de 2016

Traição Aos Abnegados [ACTUALIZADO ONDE ESTÁ O WALLY]


Aquando do "grande derby que pararia Portugal", Fernando Santos resolveu poupar os jogadores das duas equipas para não melindrar os meninos, nos particulares então marcados. Atiraram com Danilo e André André para cima, e este último teve um desgaste tão grande que não voltou a recuperar. Resultado? O FC Porto reclamou desta opção suicida - e muito bem - e André André lesionou-se de tal forma que até hoje nunca mais recuperou como deveria.


Ontem à noite, nenhuma surpresa. O predestinado lá foi  convocado. Não esquecer, há 5M para receber extra caso o predestinado chegue às 25 internacionalizações. (Já agora, conta? Não tem de ser jogador do Bayern? E se já é jogador do Bayern, não é do benfica, certo? Então o benfas está como o Porto, só com um convocado, certo?) E, evidentemente, André André teve a recompensa do seu esforço. Ah, não, espera! Foi proscrito pelo predestinado! 

É uma dura lição para o André, que todos soubemos que se sacrificou em prol da honra de ajudar o seu país. André André estará, por estes dias, a sentir o mesmo que Baía já sentira antes, a selecção não é para Portistas. E Danilo está lá para as sobras de William Carvalho, e só porque este pode não estar a 100%. A selecção é mais um daqueles lugares fechados ao valor técnico e táctico Portista. E a próxima vez que alguém achar que o FC Porto foi "exagerado" ao reclamar desta utilização suicida do André, lembrem-se da falta que este fez, ao longo da época. E depois perguntem-se porque é que os Portistas não querem saber da selecção e digam que não somos "patriotas". Verei, sim, o Danilo se ele jogar. Verei, sim, Casillas. Verei, sim, Aboubakar. E verei os da Copa América. Tudo o resto, indiferente. E, já agora, já que não convocaram o André Silva, ficarei surpreendido se passarem a fase de grupos.

Meus caros, que queiram acreditar que o Renatinho tem só 18 aninhos, estejam à vontade. Mas o que é demais é moléstia. Dizer que é o "mais jovem de sempre" e não sei quê, é pura e simplesmente não ter vergonha na cara!


ADENDA: Então o Mitroglou custa VINTE E CINCO MILHÕES e ninguém diz nada?! Onde está a escandaleira? E o investimento brutal e exagerado do verifique? E o plantel milionário, de luxo? Só o Jiménez e o Mitroglou custam QUARENTA E CINCO MILHÕES!

terça-feira, 17 de maio de 2016

Sentimento Nacional E A Mística Dos Tótós [ACTUALIZADO DESMENTIDO]

Não se admirem se as tropelias do benfica forem sempre perdoadas. Cada dia há uma nova - hoje autorizações de transmissão dadas pelo telefone para evitar multas e perdas de pontos - mas não é difícil perceber que portas 18, vouchers, jogos duplamente vermelhos e coisas do género não sejam investigadas. Basta ver o poder político e judicial que estava na lista de apoio à candidatura de Vieira. Ao mesmo tempo, é fácil de ver como o desemprego baixa, a confiança económica sobe e até mesmo Bruxelas é mais simpática quando o benfica é campeão. Ontem o Jornal da Noite conseguiu dar os primeiros 15 minutos de uma emissão de 45 ( ou seja, 1/3 do telejornal em horário nobre! ) ao benfica e à "festa do 35". 35 que deveriam ser 32, mas graças a um contabilidade muito própria, sobem miraculosamente, sem contestação. Tudo está bem quando acaba em bem, e desde jornais generalistas como o "i" a destacar o número 35 e a escrever tudo a vermelho a outros como o JN a dar "posters do tricampeão", o mundo é belo e pintado de cores

Sou um grande admirador de muitas glórias Portistas, mas muito poucas tanto como Domingos Paciência. Lembro-me dele a despedir-se em lágrimas dos Portistas ao ir para o Tenerife, lembro-me de brilhantes golos e foi com muita emoção que vi o primeiro golo do seu filho com a camisola principal do FC Porto e o Gonçalo a imitar o gesto do pai. E é por isso que, sinceramente, quando leio declarações destas, não deixo de sofrer um pouco. E ainda mais quando vejo os comentários de Portistas a aplaudir esta atitude com adjectivos como "bom fairplay" e "um senhor e um cavalheiro". Não era, no entanto, tão senhor e cavalheiro quando jogava, quando sabia quer era o benfica o seu verdadeiro inimigo, quando os jogos nas Antas eram rasgadinhos. Não havia nada de "cavalheiresco" ali.

Mas são estes os "Guardiões da Mística", aqueles que criticam a passividade dos jogadores actuais, que acham que eles já não têm os "valores do FC Porto" mas que depois vão ao beija-mão ao clube do regime, para ficar bem na fotografia. Dizem que o FC Porto está passivo, mas ao mesmo tempo procuram sempre estar "acima disso" e ser consensuais. A verdade é que lhes custa a admitir, mas para eles o FC Porto morreu aquando da demolição do Estádio Das Antas. Como o Porto Universal é, isso mesmo, Universal, não me custa dizer que gosto muito mais das declarações de um Layún a dizer que "importante é a Taça" ou a forma muito aborrecida e pausada com que Casillas disse que "o benfica foi muito... regular... por isso é campeão". É bom que se sintam um bocadinho. E que saibam que tem de ser com raiva e garra que se deve enfrentar o regime, porque ainda está para nascer o próximo jogador ou glória benfiquista que venha a achar o FC Porto um justo vencedor. Mas vou dar um desconto ao Domingos. Pela forma como falou do André Silva, pode ser que este discurso tenha motivações mais... pessoais.

NOTA: Tinha escrito um texto sobre o Maicon que este acabou de desmentir, na imagem em baixo. Ainda bem. Ainda assim, quero sublinhar que, se o São Paulo gosta do Maicon compre-o, que não haverá objecções deste lado. Tenho sincera pena que esta situação acabe assim, de uma pessoa que tenho como boa e a quem estou grato, sempre. Desde que não diga disparates. Ainda bem que estes são falsos. Gostava muito que o seu abandono de campo também tivesse sido.


domingo, 15 de maio de 2016

Crime, Dizemos Nós


É um crime sem pudor nem vergonha o que se passa com o benfica. Sim, benfica, nada de brincar ou fazer anagramas. Não é brincadeira, mas tem uma letra muito pequenina. Há um "jogo duplo", mas só se investiga o lateral na segunda liga. Queixamos-nos  das sobras, mas passamos ao lado do bolo. O Farense e o benfica B distam 1 ponto. Um desce, o o outro fica. E desceu o Farense, depois de perder 2 pontos pelo caso Hamarriz. Mas, mesmo assim, o benfica B viu-se em superioridade numérica depois do mesmo jogador do Freamunde fazer dois penalties. Um deles fora da área. Uma maravilha.

E agora, pergunte-se: se for o Leixões condenado, quem fica na Ledman Pro? O Farense! Um escândalo.

No andebol não vale a pena falar, ou vale, dos livres de sete metros nos últimos minutos, das tropelias e decisões inusitadas, dos dois minutos distribuídos como freepasses de discoteca. Deu no resultado que deu, e somos todos do ABC desde pequenino. Ainda não chegamos à final do basket, mas já sabemos que teremos de ser muito, muito melhores do que eles para levar o título para casa.

No hóquei, novo escândalo. Tó Neves - de quem não sou especial fã - disse isto na conferência de imprensa, depois de um jogo completamente desnivelado e ganho graças aos senhores do apito.

No futebol da Primeira Liga, é o que se sabe. No jogo de hoje, que deu o tricampeonato ao benfica, isto.  Mas atenção, não é nada, mas mesmo nada, que não estivesse já pronto. O presidente do Nacional deixa bem claro que tem o seu coração dividido. Os adeptos do Sporting de Braga festejam os golos do benfica, precedidos de penalties em contra não assinalados, efusivamente. O União da Madeira, que "não precisava de pontuar na luz" vai para a Ledman Pro. Mas é só a ponta de um iceberg com, mais exemplos aqui. O Belenenses, entre outras equipas, abriu a passagem aos amigos, com goleadas que não consentiu a mais ninguém. Todo um festival de arbitragens, de jogos com adversários a jogar abaixo do seu potencial, entre muitas outras tropelias. É assim, foi sempre assim, tem sido sempre assim.

E não há que enganar, cabe ao FC Porto e a mais ninguém, combater esta tendência de regime podre. Só o FC Porto tem capacidade e meios para fazer frente a este escândalo. E é por isso que nós, Portistas, temos a obrigação de fazer muito mais do que fizemos este ano, temos a obrigação de saber o que combatemos, contra quem lutamos e que a luta é bem mais séria do que se possa imaginar. Não esquecer, bastaram dois jogos em que se marcaram penalties, AGORA QUE NÃO INTERESSA NADA, para que, quem jogava connosco, tivesse um pouco de calma e não partisse de peito feito. 

O FC  Porto tem de se bater acerrimamente por uma arbitragem mais justa - está visto que nós não precisamos de mais do que isto, e de encarar cada jogo como a final da Champions. Chega da postura passiva e distanciada, de clube de "elite mundial" , "acima disto tudo". Não podemos andar sempre a fazer escalada de montanha além de remar contra a maré. Temos de lutar com as mesmas armas.

E não temos de ser anti nada. Somos só pelo orgulho de ser melhores. Que temos de voltar a ser. Mas estar aqui, sempre. Não em Saturno. Aqui. Ou então seremos sempre papados.

sábado, 14 de maio de 2016

Análise FC Porto 4-0 Boavista FC - Serviços Mínimos Em Resultado Dilatado


Jogo matinal, em tom descontraído, com mais público do que eu esperava - 26 122 - mas que primou por um ritmo lento, em especial na primeira parte, e que na segunda deu goleada , mas uma goleada que não foi resultado da pressão nem da intensidade, mas antes do desnível competitivo das duas equipas e do inconformismo de Herrera, Rúben Neves e André Silva. 

O nosso menino marcou um belo golo, e fechou a contagem de golos desta época no Dragão, com a emoção que se impunha e que merece. Não sei é se este FC Porto, a jogar com esta intensidade, chega para vencer a Taça de Portugal.  Assusta-me que Peseiro ache que tenha sido "um jogo muito bom". Mas vamos a notas.


André Silva - MVP da partida, no Dragão e também para mim. Entrega total ao jogo, vontade, ímpeto, irreverência, André Silva assistiu Layún para o 2-0, marcou o último golo Portista do campeonato e foi sempre uma dor de cabeça na área. Destapada que está a rolha, num golo de belo efeito, que para a semana seja a confirmação da presença "de estaca" de André Silva no plantel do FC Porto. Parece-me mais que preparado. A sua reacção ao golo é o amor à camisola que se pede a todos os jogadores. É um exemplo a seguir.

Herrera - Poderemos estar a ver os últimos jogos do Capitão do FC Porto com as cores azuis e brancas, mas toda a entrega, empenho e dedicação a cada lance está lá. Todo o jogo passa por Herrera, que ajudava a definir, servia os seus companheiros e se entregava a cada lance como se a sua vida dependesse disso. É o eixo central da roda, e merecia muito mais carinho, respeito e admiração dos adeptos do que aquela que partirá do Dragão a ter. O tempo fará dele uma referência Portista, sem dúvida, este patinho feio mal amado.

Rúben Neves - Danilo saiu ao intervalo com queixas - nada de sério, nem impeditivo para o jogo da Taça - e a entrada de Rúben para o seu lugar deu uma dinâmica diferente, uma velocidade e um critério muito mais definido às jogadas. Evidentemente, não barra o caminho como Danilo, mas a forma como consegue (pre)ver o jogo a acontecer, é fascinante. A mudar de flanco, a abrir pelo meio, a rematar de longe (quase marcava mais um belo golo), é um propulsor de ataque poderosíssimo. Não é vendido cheio de truques e habilidades, está a crescer defensivamente para se tornar indispensável em breve. Muito bem.

Segurança defensiva - Chidozie e Marcano entendem-se bem, não houve bola de cabeça que não fosse cortada, e tirando alguns - muito poucos - erros naturais de Chidozie, o perigo boavisteiro foi afastado com muita classe. Junte-se ainda um Miguel Layún com uma grande exibição defensiva e um bom critério ofensivo e um Maxi que não desiste e nem desarma, e temos a defesa sólida que tanto procuramos todo este tempo. Marcano é, sem dúvida, a peça do puzzle que faltava.


Corona - Que jogo de porcaria que fez o Jesus. Uma nódoa total. Foi subtituído, e bem, por Brahimi, que, sem ser brilhante, foi muito melhor que o seu companheiro de ataque. Tem muito mais futebol e talento do que aquele que demonstra, é neste momento um jogador em contra-ciclo com o resto da equipa. Displicente e amorfo, ou muda ou vai ter vida difícil. E não é de ser mexicano, porque Herrena e Layún também o são.

Massa Assobiativa - Que foi aquilo no penalti, senhores?! Mas está tudo maluco?! Então era o ponta de lança ansioso por marcar golos que ia marcar o penalti, era? E se falhssse, como era? E, mesmo, marcando, era assim que que queriam que a caminhada de golo do André começasse, era? Com um golo de penalti? Ou com o golo lindo e pleno de raça, superação e emoção com que foi brindado? Deixem de ser estúpidos, que não há cá "os nossos" e "os deles". E a decisão foi de Peseiro! Porque não o assobiaram a ele? Não é estrangeiro, é? Ainda bem que o Lucho é da Ribeira e o Madjer das Caxinas! Caladinhos eram poetas! Para já não falar da pressão que colocam no miúdo! Se a raiva com que Brahimi festejou o golo era contra vós, foi justificada e é uma vergonha. A continuar assim, não vão perceber que desaires futuros serão culpa vossa!

NOTAS: Com muita Paixão, lá ficou o verifique B na segunda liga, com um #colinho autenticamente calabótico e a despromoção de quem se vergou para ser sodomizado para os ajudar. Isto numa tarde em que foram detidos quatro jogadores do Oriental, o presidente do Leixões e vários jogadores do Oliveirense, por suspeita de jogos combinados. Está lindo isto, está. Está à vista como o futebol mudou decisivamente depois dos processos contra o FC Porto. É pleno de integridade e honestidade. Mas tenho de dar um grande aplauso a Vieira. Cito, de notícia do Mundo Deportivo, aqui, as condições do tão badalado "prémio hipotético" a Renato Sanches. Deliciem-se com a grande capacidade de Vieira de fazer do nada, muito: "En el caso de Renato, los 35 millones que ingresará seguro el Benfica se podrían convertir en 80 por los 35 en ‘bonus’ que debería pagar el Bayern si se cumplen unas variables que sí han trascendido: 5 millones de euros si llega a las 25 internacionalidades con la absoluta Portugal (lleva 2); 20 millones de euros si gana el Balón de Oro; 10 millones de euros si entra en el pódium del Balón de Oro; y 10 millones de euros si es elegido en 11 ideal de la FIFA..." Palmas. Bravo. Fazer de 35 (E comissões? E prémios?), 80, é de mestre!

Para terminar com chave de ouro, porque um jogador à Porto não se vê só dentro de campo, uma palavra de agradecimento ao enorme coração de um jogador que espero que se confirme que fica por cá, Miguel Layún, e pelo sua emocionante atitude para com o menino Afonso, que sofre de paralisia cerebral, ao levá-lo ao colo para dentro de campo, cumprindo assim o sonho do menino. Fiquei de lágrimas nos olhos, Layún! És grande! Aqui fica o post do Facebook  de Bruno Sousa, o grande artista Portista, a relatar o sucedido, e de onde roubei a imagem aqui em baixo.


quinta-feira, 12 de maio de 2016

Subestimações


O título dos nossos Bs não é um título menor ou irrelevante. É um título de uma relevância extraordinária. É com uma cultura de união, de grupo, e de vitória, como aquela que ficou bem patente em mais um Azul e Branco e mais uma excelente reportagem de Ricardo Amorim - para não variar - que se chega longe. É assim que se cimenta o Portismo de Futuro (*) e se cria laços de sangue azuis e brancos que levam à Identidade que procuramos. Mas a Identidade nova, refrescada, multi cultural, multi colorida que fará as bases do Porvir, cria-se com as conquistas e a entrega que se vê nestes rapazes, neste grupo.

É na mesma uma vitória cheia de lutas e sacrifício. Com quarenta jornadas na liderança. É na mesma uma vitória da superação das adversidades e a tradução de fileiras cerradas que, como diz bem Chicão Ramos, "são o resultado de nos conhecermos tão bem há tantos anos". Sim, é verdade, a maioria deste plantel da equipa B conhece-se desde que se conhecem a si mesmos. E isso não é irrelevante. Não é um "título menor", como não o foi o dos sub 19 no ano passado ou dos sub 17 e por aí fora. É a tradução da luta de quem ganha, contra tudo e contra todos. E que já têm uma noção importante: a que estão mesmo a lutar contra tudo e contra todos.
E isso não é, nem pode ser, nem certamente será, apenas uma questão de quanto custa o passe dos jogadores. É muito mais do que isso. Nesta altura, é fundamental que haja quem sinta a camisola. E estes miúdos já ganharam muito, já superaram muito, já viveram muito, vestidos de azul e branco. E isso é, a todos os títulos, essencial.


Fico também pasmado com a forma blasé e até, porque não dizê-lo, sobranceira, como se menoriza o facto de Iker Casillas ter prolongado o contrato até 2018 e querer, segundo palavras do próprio, terminar a carreira aqui. Casillas é um histórico da baliza, fez algumas asneiras este ano, que todos fazem, mas sendo parte do sector do nosso jogo que mais mudanças teve e que se viu mais descalço. Mesmo assim, nos jogos contra o nosso eterno rival, foi bem patente a fenomenal qualidade de Casillas e a mais valia que pode ser, desportivamente falando, se tiver à sua frente centrais constantes e laterais que saibam defender

À parte da questão desportiva, Iker Casillas tem milhões de seguidores em redes sociais, é mundialmente conhecido e poderia, fosse o FC Porto competente no seu marketing, ser um factor decisivo para a expansão da marca FC Porto mundo fora. O que não se traduz apenas em camisolas, traduz-se em parcerias, publicidade e exultação das qualidades do FC Porto e do Porto enquanto cidade e região. E o extraordinário - e AMADOR da parte do FC Porto - é que Casillas e a sua mulher já o fazem, por eles mesmos! Quer na utilização regular do Instagram, Twitter e Facebook, quer nos vídeos de Facebook e YouTube que este faz, o FC Porto, os seus jogos e o seu progresso, estão sempre constantes e presentes. Iker Casillas não é equiparável, nesse sentido, a nenhum outro jogador do plantel. E bons contratos publicitários não são coisa de somenos. Eu fico muito feliz, em todos os aspectos, com a sua continuidade. Tenho a certeza que, noutro clube mais a sul, Iker já seria um herói nacional.

Em vez de sermos velhos do Restelo, está na hora de exultar o que temos de bom e procurar potenciá-lo e protegê-lo em vez de o menorizar. Temos demasiadas coisas boas que já são menorizadas pelos media corruptos e propagandistas para ainda pregarmos mais um prego. Se não defendermos e gostarmos do que é nosso, ninguém mais o fará.

(*) Estou muito cansado dos "Aconteceu" e das efemérides. O FC Porto foi criado e teve sempre uma cultura de ser um Clube de olhos postos no futuro. Chega de estar sempre a lembrar as "velhas Glórias do Passado". Pontos de referência, sim. Saudosismo, nem pensar. Olhar para o Passado faz-nos ficar parados. E isso não é o FC Porto.

quarta-feira, 11 de maio de 2016

O Algodão Não Engana


O ficaben não queria Hugo Miguel no jogo do ficaben, por ser empregado da Macron, fez uma pressão pública notável, que teve posterior eco na BTV 3, perdão, a SIC e a SIC Notícias, em forma de peça noticiosa. Resultado das nomeações: Nuno Almeida na luz. O amigo algarvio, nada tendencioso, vai apitar o jogo do título. Enquanto isso, pur si move, Hugo Miguel vai... para a Pedreira. Apitar o sportem e o Braga. 

Vítor Pereira despede-se com um sorriso cúmplice aos seus amigos circulares. De bem com um e outro. Afinal, os únicos que importam. Curiosa esta realidade actual, quando a alegação do Apito Dourado era a de escolha de árbitros. Fabuloso. Estamos realmente muito melhores. Ainda bem que os corruptos são coisa do Passado!

E por falar em controlo e estruturas de poder, a RTP abdicou da transmissão do jogo da Taça de Portugal. Deixou de ser importante. Passou para a BTV 4, perdão, a TVI. Fico sempre a sorrir cada vez que oiço alguém a dizer que "os Portistas são paranóicos" e que "têm a mania da perseguição". Claro que temos! Vamos ver a imensa cobertura da TVI da Taça! Não interessa, verdade? Acima de Santarém é a Galiza! Sugiro então ao benfas de Paredes e ao seu minion Gilberto que vão fazer os programinhas para a Capital do Império!

Uma vergonha e uma palhaçada à que urge pôr cobro.

terça-feira, 10 de maio de 2016

Imutáveis Mentiras Verdadeiras


Nada mudou na última década, todos sabemos. As noções, implantadas pelo "senso comum da bola", manipuladas pela imprensa e pela vox populi, continuam iguais. Mas não deixam de ser surreais algumas coisas, que passo a elencar:

Continuamos a ser o clube dos "corruptos", apesar de estar há muito provado que o Apito Dourado parou em Leiria, terra fronteiriça da "linha da verdade, da ética e da moral". Desde então, 12 anos volvidos sobre os "incidentes" relatados no processo, nunca mais nos afastamos da linha ética e moral rígida, já que os campeões da dita moral imperam. Nunca mais houve coacção a árbitros, condicionamentos ou escolhas de árbitros. Nunca. Nunca mais houve jogadores que foram comprados, treinadores que foram afastados por não concordar com as direcções que clubes tomavam ou mesmo posições de clubes contra a sua própria SAD.

Somos gastadores e comissionistas, enquanto a sul não há nenhuma comissão ou negócio esquisito, as contas estão uma limpeza, e os "esforços de contenção" e "aposta na formação" são notórios. 

Somos insurrectos e condicionamos a imprensa. Nunca mais houve capas implantadas, negócios falsos ou notícias combinadas nas mesas de canto de restaurantes vários. Veja-se aqui o caso de hoje: Renato Sanches foi vendido ao Bayern de Munique por 35M mais objectivos, num total de 45M. A ambiguidade linguística do comunicado é linda, faz entender que são pagos 35 a pronto mais 45 de objectivos. É claro que devemos levar muito a sério objectivos como a bola de ouro, mas pronto... sempre é mais um negócio que, embora bom, tem uma grande câmara de ar, e que pressupõe a venda de um jogador de 18 anos ao preço de um Jackson de 29. E bem longe dos 80 que se falava... E, claro, sem comissões nem despesas nem qualquer outra coisa.

O FC Porto, por seu turno, para além da imprensa da capital, tem agora um querido inimigo: o jornal O Jogo. Como Iker Casillas lhes desmentiu uma capa, toca a fazer uma "sondagem" para ver se a malta quer o Iker cá pelo Dragão. Hell hath no fury like a newspaper scorned.

Este ano já vai muito tarde, mas é bom que o FC Porto abandone a sua parcimónia e a sua budista compaixão, porque estes atropelos à verdade do que somos influenciam a opinião dos únicos que importam: os adeptos. Veremos se aqueles que nos gozaram por ser "campeões de vendas" não serão agora os exultadores de certa cobra vermelha por fazer exactamente o mesmo. Espero é que haja resposta adequada então.

domingo, 8 de maio de 2016

Campeões Contra A Tacanhez


O FC Porto B é Campeão Nacional da Ledman Ligapro. Antes de mais, parabéns rapazes! Foi, é, e ainda será, esta semana, um prazer ver-vos jogar, a vossa Paixão, a vossa entrega, o vosso Sentir e jogar à Porto. Hoje estiveram mais de 6 mil, num prémio mais do que justo para o fantástico trabalho que fizeram. É claro que, vamos acreditar que esta vai ser a média de assistências este ano, verdade? Claro, claro, os 516 de média são uma coisa do passado, certamente. Tenho a certeza que Paulo Miguel Castro se enganou totalmente ao dizer que "faz lembrar certos políticos, que aparecem para cortar a fita". A partir de agora, só assistências acima dos 3 mil. Mesmo assim, ainda não dava para compor minimamente o Dragão...

Adiante. Foi uma bela vitória sobre o ficaben B, que continua a ter sobre si o fantasma CNS. Mas tenho a certeza que o maior dos prémios que a maioria destes atletas deseja é o prazer de jogar na equipa A. Jogadores como Graça, Victor Garcia, Chicão Ramos, Tomás Podstawsky e, claro, José Sá, e estão mais que prontos para isso, ou para ganhar estaleca e rodagem numa equipa competitiva da Primeira Liga antes de ingressar na equipa principal do FC Porto. Mais do que qualquer outra coisa, a entrega, a querer e o Portismo de cada um destes jogadores é indubitável. Foram Campeões de uma forma muitíssimo justa, ao estar na frente do campeonato mais de 3/4 do tempo das absurdas 45 jornadas da prova.

Curiosamente, parece que, a julgar pela SIC, a única que falou da tarde de hoje, os Campeões foram o Desportivo de Chaves. Directos, entrevistas, 7 minutos de abertura. Nem uma só referência ao FC Porto B. Zero. É claro que isto de ter, pela primeira vez na História, uma equipa B como Campeã é uma coisa de somenos importância. Até porque parece que somos menos de 10% da população nacional. 

900 mil é, realmente, insignificante como audiência. Pelo menos, segundo o verifique Simões, que diz que sportem e benfas fazem 90% da população nacional interessada em futebol. E este é o pensamento dominante abaixo do Mondego. É assim como nos vêem, como um residual insignificante, e é por isso que fazem de tudo para nos afastar deste "campeonato de amiguinhos" que tanto desejam. 


E é por isso que há que perceber que se tem de ir à luta com as mesmas armas e que, lamentavelmente, não há espaço para sermos como uma equipa da Bundesliga ou da Premier League, longe do lodo pantanoso da contestação arbitral e de se fazer valer contra erros. Há que voltar a ser feio, porco e mau. Esta na altura de voltar a afrontar os poderes que como podem ver na imagem, estão mais do que instalados. Chega de tentar ser consensual e aceite. Nunca o seremos na vida. Não vale a pena tentar sequer. Como se vê na imagem acima, só poderemos passar por palermas, ao tentar fazê-lo.

Identidade, cultura de vitória, solidariedade, Irmandade, Um Por Todos, Todos Pelo FC Porto. Saber, sentir, perceber, absorver que estaremos sempre sós nesta luta desigual. Saber que cada Vitória será um feito Heróico, uma Odisseia e que é mil vezes mais difícil para nós do que para qualquer outro. Mas é bom saber que um dos nossos Capitães do próximo ano já sabe as nossas músicas, que um jogador raçudo mexicano nosso já se identifica com a nossa formação. Estamos no bom caminho. E o futuro apresenta-se num Azul e Branco Forte.

 
 
(As fotos de hoje foram tiradas por João "Golden Dragon" Santos,. Um dos 516 que esteve lá sempre).

sábado, 7 de maio de 2016

Análise Rio Ave 1-3 FC Porto Um Bom Jogo Em Fade-In


Quem visse apenas os 20 primeiros minutos do jogo do FC Porto, era capaz de falar numa qualidade ao nível do jogo com o Tondela. Lentos, complicativos, desligados, desleixados, desposicionados, apesar de sempre a tentar atacar, a dar muito espaço e a perder muitas bolas de uma forma infantil, assim se começou. Foi, aliás, de uma dessas perdas infantis, dos pés de Brahimi, que a bola acaba por sobrar para Hélder Postiga que, de zona frontal, remata com qualidade - embora me pareça que Helton estivesse adiantado - para um grande golo.

Ao contrário do que seria de esperar, neste já clássico "jogo de remontada", não se notou grande reacção Portista, apenas uma série de chegadas à área muito confusas. E foi numa dessas que aconteceu o Milagre que só se verá uma vez este milénio. André Silva é agarrado na área e Paixão marca o penalti, que Layún converte, como sempre bem, para devolver a justiça ao resultado. Não daria para, no primeiro tempo, fazer mais.

Fez-se depois no segundo. Sérgio Oliveira - para mim o melhor em campo - foi tentando, foi rematando, foi insistindo e, depois de um remate colocado defendido para canto, aos 56', marca quando a bola sobra em zona frontal, com uma bomba extraordinária. No início da segunda parte já se notava mais o fade-in de qualidade, a equipa ia crescendo em qualidade, em organização e vontade e, a partir do golo de Sérgio Oliveira, tomou autenticamente conta do jogo e não deixou o Rio Ave responder. 

Faço notar que o FC Porto teve, nesta segunda parte, uma solidez defensiva muito grande, com faltas a meio campo a cortar contra-ataques, muito empenho e entrega e muita solidariedade defensiva. Depois, foi só confirmar, já a terminar o encontro, a vantagem merecida, num ataque rápido, com Maxi a colocar pela direita a bola em Varela, que recebe magistralmente, e coloca a bola com força cruzado ao primeiro poste.

Um bom jogo, que cresceu do mau para o bom, roçando o muito bom, mas com a vontade à Porto e a união dos atletas. Estamos, a continuar assim, a bom ritmo para vencer a Taça de Portugal.


Sérgio Oliveira - Quanta raça hoje, a ser o autêntico MC do jogo, a controlar os tempos, a definir as jogadas, a fazer passes de rotura, a defender com vontade, a rematar com confiança. MVP do jogo, para mim conquistou lugar no plantel do próximo ano. Acho até que Sérgio Oliveira é dos tais jogadores que fazem a espinha dorsal do FC Porto, com toda a intensidade e espírito de sacrifício que é exigido a quem tem sangue azul e branco nas veias.

Bons sinais e esperança renovada - Numa equipa sem Danilo, Rúben foi agressivo como nunca o tinha visto, ganhou lances de cabeça e tentou até ao limite as recuperações, Marcano foi o patrão da defesa, com classe, a ganhar tudo de cabeça, a fazer as dobras e apoio a um Layún que hoje esteve muito melhor a defender do que a atacar, e ainda bem, porque um lateral tem de saber defender, e Miguel parece ter percebido que é menos extremo e mais lateral. Não ficamos pior. Maxi esteve por todo lado, como sempre, e faz boa parelha com um Varela que esteve num dia muito bom, a defender e a atacar, num dos seus melhores dias. O golo foi inteiramente merecido. Assim como o merecia André Silva, que tem, no entanto, que controlar essa ansiedade e procurar fazer o golo que tiver de ser, que não seja necessariamente bonito mas eficaz. No entanto, foi insuperável na entrega e na vontade. A tua hora chegará, puto!


Brahimi - Aqui e ali esteve bem, mas nota-se que já fez o check-out do Clube e que já está a jogar de favor. Muita qualidade naqueles pés, muito arejo naquela cabeça. Lento, complicativo, a segurar para lá do razoável a bola, foi mais a pedra na engrenagem do que a mudança de velocidade que se lhe exigia. Tenho pena. Depois da Taça, au revoir. Chidozie também esteve demasiado irascível, e se o jogo não fosse a feijões, e se houvesse mais "paixão" no jogo, Chidozie teria ido tomar banho mais cedo. Peseiro tem de lhe puxar as orelhas.

Correr atrás do prejuízo e entradas em fade-in - Não é exclusivo de Peseiro, mas pode acabar no consulado deste. Uma entrada forte faz um jogo forte, uma entrada fraca faz... o jogo que fizer. Foi um jogo em crescendo, que precisou da "pimenta" de um golo em contra para impulsionar esse crescendo. Hoje correu bem. Mas mais vale prevenir que remediar. Convém inverter esta tendência.

quinta-feira, 5 de maio de 2016

(Des)Comunicações

Por vezes tenho uma certa pena do jornalismo desportivo, a sério que tenho. Deve ser muito complicado ter de encher páginas de jornais com o mínimo de qualidade para que estas possam ser compradas pelos leitores. Nesse sentido, não fico surpreendido com o facto do rol de "interesses" e "contactos" do FC Porto por jogadores cresça exponencialmente quando estamos na silly season e não há nada suficientemente picante para fazer disso notícia. Inventa-se, edifica-se, sabendo que, algum tempo depois, se vai dar o "negócio" como falhado. O problema é quando o feitiço se vira contra o feiticeiro.

Hoje de manhã eu, mais cedo do que a maioria, vi a capa do jornal d'O Jogo aqui reproduzida em cima. Sei que o interesse da Major League Soccer (concretamente, nesta altura, da equipa de Miami) é real, mas o interesse do guarda-redes, aparentemente, não. Como Casillas não é info-excluído, e sabe que o Departamento de Comunicação do FC Porto funciona lindamente, resolveu fazer um Facebook Mentions (aqui) onde, entre sorrisos, desmente completamente qualquer saída. Resultado: A maior parte das pessoas vê as capas dos jornais de manhã, e às 9, já Iker Casillas tinha desmentido O Jogo. Nada contra o jornal - acontece a todos os jornais desportivos - mas fica aqui o exemplo do que será toda a silly season e o quanto se deve dar uma importância... relativa... a tudo o que não seja oficial.

Por falar em descomunicações, o caso de Peseiro, hoje, é paradigmático. Peseiro tem razão em queixar-se da arbitragem, certamente. Mas deve ser advertido que a desculpabilização de todo e qualquer resultado com as arbitragens, não pode colher. Há que assumir o que é evidente. Esta semana, Capucho deu o exemplo no Varzim que treina. Uma atitude à Porto é esta: assumir os erros, ser claro com as falhas próprias e dos jogadores, e não estar sempre a culpar a situação nos terceiros. Claro que somos roubados, claro que é preciso falar nisso, mas fazer disso o centro não colhe. Há que assumir e responsabilizar-se - que faz - e os seus jogadores - que não faz. Ganhamos 7 campeonatos na última década, apesar de remarmos contra a maré. Como diria Mourinho "em condições normais vamos ser campeões. Em condições anormais... também vamos ser campeões!" Com a coragem a vencer o medo.

quarta-feira, 4 de maio de 2016

O Jogo Da Bancada


Acho impressionante a forma como o futebol português tem a capacidade de fazer ilusionismo, o misdirection e a cortina de fumo, o jogo dos espelhos e dos cumprimentos especiais.

O ex-líbris desta capacidade fenomenal está no Guardanapo. Ao mesmo tempo que diz que o verifique pode tramar-se na questão do jogo da mala, já nada diz do "jogo da bancada". O que é o "jogo da bancada"? É o jogo que o verifique mais gosta de jogar, aquele de fazer com que o verifique "jogue sempre em casa", onde quer que vá. 

Como os comícios partidários, com autocarros cheios de aparatchicks para fazer monte nos comícios, também o verifique é adepto de comprar uma bancada inteira para os seus poderem entrar e sentar-se em apoio à "onda vermelha".  A isso o senhor Guardanapo não desdenha.

Não desdenha, pois não, assim como não desdenharia que a final da Taça CTT fosse jogada nos Barreiros... pena que Pedro Proença não deixou. Continua a palhaçada alegremente repetida. É ficar a ver a banda a passar, verdade? Pois. Pode ser, no entanto, que o Marítimo se lembre de quem ganhou a Taça da Liga do ano passado. Pareciam, à altura, algo surpreendidos....

Há por aí muita diferença de tratamento nas notícias, consoante a cor: Se Pedro Guerra, director de conteúdos da bostatv, diz o que alegadamente se passou no balneário do Guimarães sobre o discurso de Sérgio Conceição, das duas uma: ou há escutas no balneário ou há algum informador entre os jogadores/equipa técnica. Seja como fôr, gosto muito da forma blasé como se pode fazer acusações de crimes ou, pelo menos, a julgar pelo Carmo e a Trindade quando se falou de um prémio especial aos jogadores para ganhar um jogo por parte do FC Porto - apesar de possível e não ilegal - uma grave ofensa. Como diz o Vila Pouca, imputáveis são só alguns. Provar, tá queto. E, assim sendo, não é difamação? Pois, só se fosse alguém do FC Porto a dizê-lo....

Também parece que, Matrioskas, só mesmo em Braga. Curioso. Bem se sabe do passado democrático e nada vermelho da Procuradora Geral Distrital da capital, mas é engraçado, parece que não se fizeram buscas na segunda circular! Não é nada com eles! Ainda bem que, como diz o ratazana tão bem dissecado pelo Miguel Lima, "não há nenhum indício de um clube grande pelo meio". Como no caso deste samba, também os verifiques dizem: "não é nada meu". Vamos então fazer mais umas quadras ao som deste samba? Borá lá.

E de quem é essa coca toda?
Não é nada meu.
E de quem é este chequezinho?
Não é nada meu.
E de quem é este voucherzinho?
Não é nada meu.
E de quem é este jogador dos outros?
Não é meu, mas também é meu.

De quem é toda esta bancada?
Não é nada meu.
E de quem é esta comissão?
Não é nada meu.
E de quem é esta empresa fantasma?
Não é nada meu.

Excelência eu não tenho nada,
Isso é tudo de amigos meus.

Para fechar o pagode com chave de ouro, só faltava o Bruno Paixão na Vila.... a ver se a anedota acaba este ano e no próximo ano falamos a sério.

terça-feira, 3 de maio de 2016

Vontade, Querer E União: Os Ingredientes Do Sucesso [ADENDA KARMA]


Ontem, o Leicester, o underdog do campeonato inglês da Premier League, sagrou-se campeão. É a demonstração cabal de que os nomes, as estrelas, não fazem os campeões. O Leicester tem uma fracção do orçamento de um City, de um United ou de um Chelsea.

O que teve foi união, espírito de sacrifício e vontade. Num certo sentido, essa também é a matriz do que faz o FC Porto o FC Porto, desde sempre. Claro, fomos buscar talento aos trópicos e outros lugares, mas a área metropolitana do Porto sempre foi a raiz da identidade daquilo que faz a transposição da luta Nortenha para o futebol.

Não mudou o centralismo: está até cada vez pior. É por isso que faz falta recuperar o FC Porto enquanto símbolo de uma unidade Guerreira contra os poderes de um regime que nos quer fazer desaparecer a todo o custo. É por isso que "um por todos, todos pelo FC Porto" tem de ser um lema escrito no balneário, por muito ultra-moderno que seja. 

Acredito que este é o futuro do FC Porto, a substituição do orçamento pela raça, vontade e querer, até à última gota, até que as pernas se encham de cãibras, até que não sobre mais um átomo de energia para a vitória. Não temos de ser um colosso cheio de estrelas, temos de ser um dos grandes com gente humilde e trabalhadora, polvilhada com alguns craques mas cujo prazer seja jogar pelo FC Porto.

Acredito que essa será a grande novidade da próxima época. Não ficarei surpreendido, não ficarei senão agradado, se não vier o próximo craque que diga que fica muito feliz se jogar na Champions. Não. O campeonato é toda a prioridade. E as Taças. E Ser Porto. De uma vez por todas. Para nunca mais se perder o centro. E a razão de jogar. O Brasão Abençoado, no Início e No Fim.

Neste sentido importa também o ponto de vista de Simão Fernandes, sobre a união dos adeptos com o Clube, magistralmente exposto no comentário ao post de ontem reproduzido abaixo. (a formatação e destaques são meus)

"A minha opinião é simples e sucinta. 

Acho que nós portistas merecemos passar pela fase horrível pela qual passamos actualmente. Pode parecer quase masoquista da minha parte tirar esta ilação, mas estas aguas agitadas pelas quais navegamos foram, em boa parte provocadas por nós. 

Falando na situação desportiva apenas. Exigência sem coerência é isto que nós temos. A falta da adaptação à realidade desportiva e a falta de reconhecimento dos méritos dos nossos adversários é outro erro gritante. É verdade que eles são ajudados de forma vergonhosa (viva ao rico colinho) mas também é verdade que os tempos que eles tinham manducas e kikin fonseca, assim como fernando aguiar e beto ja la vai. ( não estou a incluir o sporting pois quero ver se este crescimento é continuo). 

Os campeonatos são para serem disputados até ao fim, os tempos dos 10 pontos de avanço já acabou a muito tempo e infelizmente nos ainda não aceitamos isto. Só por isso é que conseguimos mandar embora um treinador que perde uma jogo em 2 anos, só por isso é que conseguimos assobiar um treinador que com 16 jogadores novos faz mais de 80 pontos e não é campeão(se calhar era muito pesado para ser levado ao colo). Até o Jesualdo que fez milagres na transformação de jogadores e nos deu 3 titulos, foi assobiado

Aqueles espírito de luta e de sacrifício e de amor a camisola que pedimos ao jogadores? Desta forma não temos moral para cobrar. Nada serve, tudo é fraco. O que vale é que a teimosia de alguns (treinadores e dirigentes também) foi muitas vezes surda perante toda esta critica desmedida e nos deu titulos. Alguns não deram mais porque não os deixaram, outros porque nós não deixamos."

ADENDA: Podes enganar todas as pessoas algum tempo, algumas pessoas todo o tempo mas não todas as pessoas todo o tempo. Isto é só o começo.... e depois os corruptos somos nós! Pois!