sábado, 28 de fevereiro de 2015

Um Clássico Dos Clássicos


Amanhã jogar-se-á um clássico com ambiente de clássicos. Será decisivo, mas só para nós, porque, quer se queira, quer não, o clube visconde atirou a toalha ao chão. Não vale a pena fazer rodeios, eu não os vou fazer: se arrumarmos, como eu espero, amanhã com o zbordem, os dois primeiros lugares ficam atribuídos. Costumo ter pena. Não sou dos que pensa que o zbordem estava pior antes: ainda que armado em pseudo-cultural, o zbordem tinha, depois da era Sousa Cintra, uma certa bonomia, classe e respeito. Como o meu pai, o meu tio/padrinho e o meu falecido avô paterno são zbordenguistas, metade de mim sempre - à excepção dos jogos connosco - quis que o zbordem fosse longe e tivesse a melhor das sortes. Este ano não foi assim, não é assim, não consigo que seja. Aquele... ser... que é Bruno de Carvalho tem levado o FC Porto como seu principal adversário - tenho a certeza que é por ser um Pinto da Costa wannabe. Estou rigorosamente convicto que, na biblioteca de Bruno de Carvalho, estarão todos os livros, oficiais e oficiosos, de e sobre o Nosso Grande Presidente. 

Além de Bruno de Carvalho, a personagem do Dr. Cutty Sark, patética e deprimente, também confesso que me pica um pouco. Aquele sua arrogância própria dos pequeninos, de quem se empoleira em bicos de pés para ser maior, ao eleger a "equipa lá do Norte" como inimiga, está a passar, ele sim, um atestado de provincianismo e de sulismo muito vergonhoso. Era mais fácil se fosse tudo como sempre, nos tempos do antigamente? Não é, temos pena. Atenção, nada me move senão respeito pela equipa zbordenguista, treinador e jogadores tem feito uma época esforçada, à medida das suas possibilidades, e isso é de louvar. Prefiro ver jogos competitivos, e acho que só mesmo um FC Porto inocente e menino perderá pontos amanhã. Mas não acredito nele. As contas de Lopetegui em clássicos e a posição na tabela fazem com que haja a necessidade do melhor FC Porto amanhã. E esse é o que teremos. No fundo, adoro a ideia que muitos zbordenguistas têm de que já ganharam no Dragão e que por isso é possível. Foi contra um FC Porto desfalcado e desligado do jogo, mas é bom que assim se pense e que errem ao medir o adversário. Assim mostrar-lhes-emos que vamos continuar a ser melhores, maiores, protagonistas. Juntos somos invencíveis!

Estou cada vez mais feliz com a atitude de Lopetegui nas conferências de imprensa. A ataques vís e mensagens enviesadas responde-se com força, garra, coragem e ... Latim. "Excusatio non petita, accusatio manifesta". Mais nada. E tudo dito. Para quem não sabe falar uma língua, um treinador que fala, pelo menos, cinco. E que lhe responde à letra em cada uma delas. Porque o chiclas pode ter lata. Mas não se livra da resposta que merece. Esta:


Convocados: Fabiano e Helton, Danilo, Indi, Maicon, Marcano, Ricardo, Alex Sandro, Casemiro, Evandro, Herrera, Quintero e Rúben Neves, Quaresma, Brahimi, Jackson, Hernâni, Gonçalo Paciência e Tello.

A minha equipa provável (4x3x3): Fabiano; Danilo, Maicon, Marcano, Alex Sandro; Casemiro, Herrera, Brahimi; Quaresma, Jackson, Tello;

Meu caro amigo, gosto sempre muito mais de te ouvir lá fora do que cá dentro. Ainda bem que já te passou o feitiço de Paredes. 

sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

Porque Temos De Ganhar


No domingo não há só um clássico. Há um dos jogos mais importantes da época. Há um jogo definidor, inflexivo, daqueles que muda o rumo das coisas. E porque?

- Porque temos de vergar mentalidades.  Porque há seres nojentos, vís, ridículos que se acham inimputáveis. Como há falta de vergonha e muita lata para dizer-se absurdos e grosseiras faltas de noção, há que dar uma cabal demonstração de força no domingo. Para que se mude o discurso e se re-equilibre os pratos da balança da justiça. Deixar certas cascavéis sem veneno é imperativo. Para que aprendam em respeito o que lhe falta em moral.

- Porque temos de calar soberbas. Porque há doutores e engenheiros que, apesar de não ganharem nada há anos, ainda têm aquele sonho dourado de reaver um prestígio que a história lhes insiste em tirar. Grandes discursos, com a soberba do tamanho da sua pança, devem ser anulados dentro das quatro linhas, mesmo jogando 11 contra 14.

- Para criar melões naqueles que nos tentam lavar o cérebro. Usar um programa de comédia, como o 4x4x3, para destacar positivamente tudo o que seja zbordenguista e para retirar louvor a tudo o que seja afecto ao FC Porto, não é só ignóbil, é absurdo. Com que então Tanaka, Marco Silva e o zbordem são os positivos, e Lopetegui, André Simões e os dirigentes são negativos? Então e a multa ridícula ao chiclas? E então os queixumes do chiclas? E a sem-vergonhice do chiclas? E ainda dizem que Lopetegui é queixinhas? Vejam a reacção do chiclas depois do jogo contra o Paços! Ou na Champions!

- Porque somos melhores! Porque temos os melhores jogadores, a melhor atitude, o melhor ataque, a melhor defesa. Porque somos a única equipa verdadeiramente internacional. Porque somos menosprezados por tudo e todos. Porque temos uma desforra a fazer!

PORQUE SOMOS PORTO!

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

Esquizofrenia


Isto está mesmo muito jeitoso! Nem vale a pena comentar. Até a próxima fornada já vem formatada. Que faz a SAD? Nada. O Nosso Grande Presidente escreve na Dragões este artigo aqui em cima (via  Tribunal Do Dragão), mas a verdade é que não chega a raspar a superfície. Como diz Miguel Guedes, mais depressa ganharemos a Champions League. Isto ainda vai no início, e a pressão para o bi-campeonato é crucial pelos motivos que aqui muito bem explica o grande José Lima. O blogger que melhor fala de contas explica o motivo daquilo que está porvir: uma hecatombe financeira sem precedentes daqueles que manipulam as contas e precisam de areia para os olhos como do pão para a boca. E vale tudo para o conseguir. Isto explica absolutamente tudo. 


Mas, ainda assim, a massa adepta continua esquizofrénica. Desde que este ano começou, que havia vozes a pedir isto: que Brahimi fosse para o meio, o seu lugar natural. Agora que Lopetegui parece - e bem, no meu entender - querer estudar essa hipótese, que acontece? Acontecem vozes de crítica! Agora estaremos fracos no meio campo? Agora o Casemiro vai ficar desamparado? E o Herrera? É um verbo de encher? Herrera estava cansado, é normal sendo que foi um dos que mais deu em Basileia. Brahimi no meio dará certamente o jogo interior que falta e as soluções que abundam nas alas tem de poder ter os seus minutos. Eu acho que um trio Quaresma - Brahimi - Tello é avassalador. E com uma multiplicidade de soluções! Caramba, às vezes não entendo! É como a questão dos jogadores portugueses que abordei no post anterior - já há vozes que se erguem contra.

"United we stand, divided  we fall". Sem a união que faz a própria fibra do Futebol Clube do Porto seremos engolidos por todos estes crocodilos que nos querem comer. E assim, não vamos lá.

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

Precipitações Fóbicas


Quando Lopetegui chegou e trouxe consigo um grupo de jogadores falou-se em "armada espanhola". Aqui d' El Rei que ficamos descaracterizados, perdemos a Mística, nunca mais teremos referências, vontade e Portismo dentro da equipa do FC Porto. Deste grupo que trouxe Lopetegui, falou-se muito dos espanhóis. Sete meses volvidos, é do senso comum que Óliver faz parte dos desejos mais profundos de qualquer Portista e a sua permanência no onze inicial não é contestada por ninguém. Mas, lá está, Tello ainda padece desse mal e, durante muitos , muitos meses, de cada vez que Quaresma saía para dar lugar a Tello, por exemplo, lá se ouvia da bancada "Tens que dar lugar aos teus, seu espanhol de merda!". Certo era que, como tem sido apanágio do treinador, a leitura de Lopetegui era a correcta e o jogo beneficiava disso. Mesmo assim, claro que se falava que isto agora seria o Futebol Clube del Oporto, e outras hispanofobias quejandas. Curiosamente, aqui,  como na maioria da bluegosfera, foi relevado o facto de que Lopetegui viria para um contrato de 3 anos + 2 de opção e, já por mim dito antes, na minha perspectiva, os valores trazidos com Lopetegui não seriam mais do que as referências que JL conheceria, e que o ajudariam a cimentar o modelo.


O tempo tem-me (nos) dado razão, e a verdade é que Lopetegui lançou o jovem Rúben Neves, cada vez mais uma certeza na convocatória e nos jogos, desde a primeira hora, foi buscar Gonçalo Paciência aos Bs como alternativa futura a Aboubakar e terceiro ponta de lança no ranking, atrás do inquestionável Jackson Martinez e do referido Aboubakar, como muito naturalmente deve estar o jovem de 20 anos, assinou Sérgio Oliveira que foi buscar de novo ao Paços de Ferreira e agora Hernâni ao Guimarães. São espanhóis? Não. São portugueses. Sabem qual é a identidade Portista e os valores? Certamente!

Agora vem a público a não-notícia, para mim, da certeza da contratação de André André. Uma excelente notícia, claro, o bom filho a casa torna e a sua linhagem, tal como a de Gonçalo Paciência, faz parte dos anais da história Portista. Mas atenção, não é uma imposição do Nosso Grande Presidente! É um pedido expresso de Lopetegui. Julen Lopetegui tem-se mostrado um extraordinário treinador, potenciou todos os jogadores que normalmente convoca - sim, todos, eu ainda acho que Adrián vai crescer com Lopetegui -  e, além de claramente já ter assimilado o que é ser Portista, fê-lo da forma que mais nos orgulha : com a firmeza, a garra e a combatividade.


Aqueles que estavam ansiosos com a falta de Portismo, contemplem então agora um onze de futuro:

Fabiano, Ricardo, Maicon, Marcano, Ángel, [Ruben Neves/Sérgio Oliveira], André André, [Óliver/Brahimi/Evandro], [Quaresma/Hernani/Adrián/Tello], Gonçalo, [Quaresma/Tello/Hernâni]. 

Este onze parece-vos pouco português? Parece-vos desconhecer a realidade do futebol nacional? A mim só me parece uma coisa simples: aqueles que criticaram o NGP pelas contratações milionárias, por terem descaracterizado o FC Porto e tê-lo tornado apátrida e estrangeiro, serão os mesmos que acusarão o FC Porto de não ter competitividade europeia e nacional. Felizmente, estas transições não são feitas do pé para a mão e tudo será feito de tal maneira que todos se integrem e se potenciem ao máximo. Com tempo e com cabeça. Para o melhor do FC Porto. E muitos outros estão já a ser trabalhados na equipa B. E sobre esses falaremos mais tarde.

terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

Mais Uma Corrida, Mais Uma Viagem

Não adianta, caros amigos. Nem com Rui Santos a dizer o evidente se retratam. Agora, é João Capela para o benfas-Estoril. Garantia de sucesso. Como prémio por limpar os centrais, Soares Dias vai arbitrar os nossos jogos. Mas no pasa nada! Porque haveria? Ainda ontem, no Prolongamento, o Dr Mãozinhas conseguiu justificar o injustificável, sobre a expulsão de André Simões. Diz o excelso Dr. que "o jogador já tinha sido avisado diversas vezes". O problema é que não tinha. O problema é que, a ser verdade, isso daria amarelo e não vermelho. E o jogador nem virado ao árbitro estava. A próxima vez que vir um jogador do benfas encostado à cara do árbitro exijo que este seja expulso. Mas não será. Porque se perdeu a vergonha toda. Porque se passou todos os limites. Porque nem é preciso esconder. E mais, o Dr Mãozinhas ainda teve a lata de dizer que Jackson devia ter sido expulso! Como? Ganhem vergonha!

Mas atenção, caro Mister Lopetegui, proponho-lhe que "ande para trás" na sua box e veja dito programa. Note bem como se portou o Dr. Cutty Sark. O seu anti-Portismo militante, a sua sobranceria, a forma como menospreza o FC Porto, tem de servir de motivação para uma exemplar lição no domingo! Isto tem de acabar! É uma nojice o campeonato destes tipos ser vencer o FC Porto. Domingo tem de sair do Dragão com uma exemplar lição!

E, para terminar, absurda, ofensiva, azienta, esta crónica! Gostavam que ele se calasse, não era? Parecia um menino bem comportadinho, não era? Está a dar uma certa azia, um incómodo, não é? Pois ele não se calará, ele terá a coragem que, infelizmente, a estrutura não tem, para falar do óbvio. Aquele jogo de ontem foi um massacre, permitido pela arbitragem. É cansativo, é? Pois, era muito mais fácil se aqueles desordeiros do Norte não existissem, verdade? Temos pena! Eu sabia que vocês eram sectários e nojentos, basta só ver a paineleirice que grassa o vosso programa de televisão! Mas serem assim, frontalmente, tão desavergonhados? Não verei nem mais uma vez, não tenho a vossa app e gostaria que todos os Portistas vos desamigassem do Facebook, Não, meus amigos, os adeptos Portistas não querem que Lopetegui seja confrontado com o vosso julgamento eufemístico da nossa equipa, nem que confrontem Lopetegui sobre o que falta ao FC Porto! Os adeptos querem saber o que vão fazer a esta palhaçada que é a Liga Nos! Envergonhem-se, seus sectários!

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

Vitória da Raça e Do Querer


Como jogar bem contra uma equipa que só não quer perder? Como abrir brechas contra quem só tenta não levar golos? Estranho jogar futebol assim. Mais um festival de sarrefada que teve como tónica dominante a pressão intensa do Futebol Clube do Porto que tentou sempre por tudo chegar à àrea. O nosso Cristo Jackson sempre a levar pancada de meia noite, com um entrosamento muito interessante. Evidentemente, o jogo excessivamente lateralizado tem de terminar, mas ainda assim, e apesar de se ter visto alguma falta de calma - esta pressão dos 7 pontos, completamente injusta e bárbara, é absolutamente pornográfica - deu, depois da entrada de Brahimi ao centro, lugar ao cerrar de dentes e a uma vitória justíssima arrancada a ferros. Aliás, o golo de Brahimi foi uma libertação orgásmica do alívio da pressão que foi a vitória do futebol. A vitória da única equipa que quis jogar futebol.

GOLOS


Jackson - Este homem, como digo, é um autêntico Cristo. O absoluto festival de pancada, empurrões, penalties, e sarrefada em geral que leva os 90 minutos dá-lhe credenciais para jogar rugby. Um golo delicioso, de quem nunca desiste e que merece cada um dos recordes que tem. Um Capitão pelo exemplo.

Defesa M&Ms - Bem sei que Indi será, tecnicamente, o melhor de todos os centrais. Mas há qualquer coisa no entendimento Maicon e Marcano que parece um muro. A ligação e o entendimento dos dois é muito, muito boa.

Tello - Tello fez um jogo surreal. Jogou pouco tempo, mas o tempo que jogou foi um em que não teve medo do campo, não desistiu das bolas, caiu e levantou-se e pareceu-se redimir de todas as suas ausências anteriores. Muito bem mesmo. Grande cruzamento para golo. E grande assistência para golo!

Brahimi - Entrou com vontade, muito mais capaz do que Quintero no jogo interior e, no fundo, a justificar o discurso daqueles que o querem ver mais a 10 e menos na ala. Solidário, fez um jogo muito mais entrosado e chegou a ser a "voz da razão" quando toda a equipa parecia começar a perder o Norte.

Raça e Querer - A força de vontade e o nunca desistir desta equipa está a começar a ser, jogo após jogo, a imagem de marca de um FC Porto à Porto. Muito bem! Contra tudo, contra todos e contra os tolos.

FALTAS

Quintero - De cada vez que Lopetegui lhe dá opotunidades, Junfer parece deita-las pela janela. Já são demasiados anos, demasiadas oportinidades, de início, a substituir. Quintero não defende, não desce como Óliver e, claramente, precisa de um espaço que 95% das equipas não lhe dá. Ou se adapta ou perderá a batalha de vez.

Herrera - Não tendo de percorrer kilómetros, torna-se estranho, não define, não se define. E isso faz com que fique ansioso, perca a capacidade de defender e de ser aquela parede de meio campo que sabe ser. Muito distante do que pode e sabe ser.

Arbitragem - Já não há palavras. Pareço um papagaio, estou sempre a repetir-me. Mais um (dois?) penalty não assinalado, mais um festival de cacetada e mais importante que tudo, já não é demais. É ridículo. E não parece haver maneira de mudar. Jogar sempre contra 14 cansa. Mas torna-nos rijos.

Surrealismo Em Dia De Derby

Tempos estranhos estes, quando temos Rui Santos a defender a nossa honra. Fiquei estupefacto ontem, quando estava a a ver o Play Off, a ouvir este "nosso amigo", insuspeitíssimo de ser Portista, a dizer que "não gosta de ver campeonatos ganhos desta maneira", que "tudo isto cheira muito mal" e que há um "claro benefício" ao benfas. Num dia um pouco subpar do Capitão Rodolfo - Capitão, se um jogador chama filho da ... a um árbitro, de costas e depois de levar uma obstrução clara - um bocado da "táctica" do chiclas - isso não é "ser parvinho", é fazer o mesmo que os outros todos. Mas, se o Capitão teve um dia não, fomos compensados por Rui Santos, que não só falou sobre as arbitragens como também do claríssimo penalty não assinalado a Eliseu, como também do comportamento do chiclas e tudo o mais. E ainda disse que Lopetegui tinha razão em queixar-se do tratamento por parte da imprensa. Evidências, todas elas? Claro. Mas ditas por quem disse, são autenticos milagres. E tem o peso de demonstrar a clara manipulação de resultados. E dá-nos uma frase para usar até ao fim do campeonato: "Se até o Rui Santos o diz, quem sou eu para criticar".

Hoje é o dia de um Derby que todos sabemos já ter significado mais. Mas para quem significa mais é, sem dúvida, para Julen Lopetegui, que desconhecia a forma absolutamente sarrefeira com que o Boavista enfrenta todos os seus adversários menos um - justamente a equipa do coração do seu pitbull. Será preciso uma equipa concisa, compacta, sólida e forte, com um criativo que substitua Óliver e um 8 que crie esses espaços para essa mesma criação. Com a cabeça no sítio, será com certeza possível, num jogo que será de sentido único. A desforra deste resultado é fundamental. Eu, para além da inclusão de Rúben Neves a 6, dada a estranha falta de convocatória de Campaña, gostaria de testar Brahimi a 10, o seu suposto lugar natural. Ainda assim, Evandro ou Quintero deverão fazer essa posição. Quaresma deve jogar na outra ala, este jogo não puxa nada a velocidade de Tello.

Ruben Macedo, André Silva, Rafa, Fréderic Maciel e... Gonçalo Paciência. O futuro do FC Porto será assegurado por Portistas. Parabéns rapazes, grande jogo contra o Farense.

Convocados: Helton e Fabiano (g.r.); Martins Indi, Maicon, Marcano, Quaresma, Brahimi, Jackson Martínez, Quintero, Tello, Reyes, José Ángel, Evandro, Herrera, Hernâni, Ricardo, Rúben Neves e Aboubakar.

A Minha Equipa Provável: Fabiano; Ricardo, Maicon, Marcano, Ángel; Rúben Neves, Herrera, Quintero; Brahimi, Jackson, Quaresma;

domingo, 22 de fevereiro de 2015

Anatomia de Um Crime



Não tinha visto ainda imagens deste escândalo. Ponho-as em cima, para que possam ajuizar bem. Isto é ridículo. Não é só um crime o comportamento de Jorge Ferreira, por tudo o que se falou pela bluegosfera (e eu junto o duplo penalty de Eliseu!), mas também pelo evidente favorecimento de Marafona ao benfas nos golos. Especialmente no segundo - e eu acho que o primeiro também! - é evidente que Marafona se manda para o chão. Depois da vergonha do Marítimo, mais uma vez um guarda-redes surge associado ao benfas uma semana antes do jogo e depois faz... isto. Não pode ser, é inacreditável, está mesmo tudo controlado. No boxe, isto é conhecido como "manda-te para o tapete". Foi isto que Marafona fez. Uma vergonha evidente. Claro que depois, o seu colega na conferência de imprensa diz isto que ponho em baixo. Esta escandaleira não tem nome. Ainda para cúmulo, o chiclas vem a seguir dizer que sabe que o que disse o jogador expulso do Moreirense por palavras foi "muito feio". Incrível, nojento, ridículo. E e claro, nos jornais desportivos, nada! Nada! Um absurdo.




Absurdo também é já o silêncio da SAD. Nada aconteceu, pela enésima vez. Quem cala consente e torna o silêncio incómodo, estranho e ridículo. Se há algum interesse económico, financeiro ou político que se sobreponha à massa adepta do Clube, este não merece os seus adeptos. Estou e estarei no Dragão até ao fim. A equipa joga um grande futebol, Julen Lopetegui não tem culpa disto, e eu tenho orgulho na Raça, Querer e Atitude dos jogadores e equipa técnica. Eu estive lá em muitos grandes momentos esta época, e tenciono estar até ao fim, assim a saúde pessoal e familiar o permita.

Quero deixar bem claro que isto é especialmente desrespeitoso para os milhares de adeptos que acompanham a equipa para todo o lado, incluindo os Super Dragões e o Colectivo 95, e que são os verdadeiros Portistas que mereciam outro respeito e outra atitude por parte de quem dirige o Nosso Grande Clube. O silêncio faz nascer e fomentar todo o tipo de teorias da conspiração que, verdadeiras ou não, criam um clima de suspeição que nunca fez parte dos pergaminhos do meu Futebol Clube do Porto.

Não me revejo neste modus operandi, acho que ele é lesa Futebol Clube do Porto. Manifesto o meu repúdio pelo silêncio. Não acredito por um segundo em resultados combinados, senão entregaria o meu cartão de imediato, e não mais poria os pés no Dragão. Mas a pacificação da Liga, a centralização dos direitos desportivos, e todo um manancial de encontros políticos, não me surpreenderiam. E nesse caso pergunto: vale a pena ter a nossa equipa a ser gozada indecentemente todos as semanas para isto? Claramente não! Uma vergonha! Uma decepção! Isto não é ser Portista!

sábado, 21 de fevereiro de 2015

Contigo Até Ao Fim, Tu És O Nosso Amor


Não vou escrever muito. Apenas que tenho muito orgulho em ser Portista. E que a próxima pessoa que chamar corrupto a Pinto da Costa devia ter vergonha. Eu tenho 36 anos, não vi Calabotes. Mas, se era isto, não há vergonha nenhuma neste país. E peço à SAD FAÇAM ALGUMA COISA!

"VERGONHA? O QUE É ISSO?
Quando a palavra vergonha é banal para descrever este campeonato, está quase tudo dito. E o mais triste disto tudo é que ao intervalo do Moreirense X Benfica, já estávamos aqui todos a comentar como iria ser o escândalo da 2ª parte. E há hipóteses inesgotáveis de colinho e mil e uma maneiras de o fazer, como aliás se tem visto. Hoje, foi um amarelo por mostrar ao Sálvio que foi convertido num canto inexistente que por sua vez deu o golo do empate. É que nisto também há coisas elaboradas. Ia lá uma pessoa lembrar-se desta...
Depois há uma expulsão direta a um jogador do Moreirense que só o árbitro a conseguirá explicar. É mais um daqueles mistérios que só acontecem em jogos com o Benfica. E ainda há as coincidências de frangos com guarda-redes associados dias antes ao Benfica. Mas não me apetece ser ridículo e ir por aí...
E depois querem ver os estádios cheios e que as pessoas vão ao futebol. Gastar o nosso dinheiro para ir ver o quê? Um campeonato que está viciado e que já tem faixas de campeão antecipadas? Escândalos consecutivos jornada sim, jornada sim sempre para o mesmo lado? Mas vamos ao estádio fazer o quê? Enganarmo-nos a nós próprios? Sinceramente só o nosso amor nos faz continuar a ir ver o Porto e a apoiá-los sempre em todos os campos. É que os nossos merecem isso. Mas depois não peçam mais gente nos estádios...
O que eu quero é ver um Dragão esgotado na Champions, no jogo da 2ª mão com o Basileia. Eu sei que temos de ser profissionais nos jogos com o Boavista e com o Sporting e tenho a certeza que vamos vencer esses jogos e lutar até ao fim numa luta que semana após semana é cada vez mais desigual. Mas nós não nos rendemos. Vamos ser dragões até ao fim e acreditar que ainda pode haver justiça. É difícil acreditar racionalmente nisso, mas o nosso coração vai estar sempre com o Porto. E naquilo que depender de nós, vamos lutar com unhas e dentes. Depois no fim se verá..."

"Não adianta pedirem para a Direcção do FC Porto falar, toda a gente está a ver que isto está a ser claramente entregue ao clube dos parolos.
A Direcção pode e deve estar a fazê-lo, exigir investigações, levantar processos, etc.
Falar? Não adianta e só nos íamos desgastar.
Eles estão impunes mas não estão imunes à violência que estão a gerar.
Acho que vão acontecer problemas graves que vão ser uma consequência natural perante tamanho descaramento.
Os adeptos, especialmente os do FC Porto, não vão aguentar serem gozados até ao fim, simplesmente não vão e os árbitros têm de ter consciência disso."

sexta-feira, 20 de fevereiro de 2015

Um Post Abrangente Num Dia Sem História

Eu sei que és zbordenguista, mas devemos-te muito. E obrigado, Francisco Costinha, pela tua força em defenderes o FC Porto num programa tendencioso e, como bom trinco que sempre foste, calares de imediato o resto dos paineleiros ao falares da inquestionável valia do FC Porto e na razão que assiste a Julen Lopetegui. Para além de dizeres que aquele circo mediático de ataque é indecente, valorizaste o nosso FC Porto e a atitude de Lopetegui lembrando, e muito bem, que sempre foi assim, mesmo no teu tempo, Fizeste-nos um desfavor, meu amigo, falaste da nossa Poção Mágica. Disseste-lhes o nosso truque: sim, é verdade, o ódio deles é o nosso combustível, a nossa gasolina, é o fogo que nos faz ir para cima deles sem piedade. Quanto mais nos criticam, nos menosprezam, quanto mais artigos e coisas sem fim a anunciar a hecatombe, quanto mais o chiclas diz que temos que olhar para cima, mais nós cerramos fileiras e partimos para cima deles com toda a força. Obrigado ein. E, já agora, senhor Levanu Pimpim, se o nosso Mister tem o apoio das redes sociais, tem muito mais dos verdadeiros adeptos, daqueles que sabem esperar que o bolo coza. Também gostava de saber onde está tamanha preocupação quando o "seu" chiclas nem sabe que está eliminado da Europa. Ainda bem que a nossa cultura de exigência está "morta" como diz! Imagine se estivesse viva!

Adoro o mago Óliver, tenho muita pena que vá estar fora algum tempo. Mas lembro-me bem, ficou-me na retina, a dança perfeita entre Campaña e Rúben Neves, gosto da forma como se apoiam e entre Quintero e Herrera - se estiver bem - na frente fico bastante descansado. Ou quem sabe tentar Brahimi a 10, já que ele só está a fazer asneiras na ala? Temos 3 extremos de elevada qualidade e Ricardo Pereira e José Ángel já demonstraram bem que tem valia suficiente para equipas do género Boavista e muito mais. E ainda temos um joker multi-posicional Evandro. Temos que nos convencer que temos dois jogadores para cada posição e que, mesmo que nos faltem 4, ainda nos sobra muita valia para enfrentar os desafios. E não posso, em boa consciência, dizer que a perspectiva de ver Ruben Neves e/Campaña não me aguça curiosidades. Ainda assim, as melhoras, puto, precisamos de ti!

E finalmente, tal como previsto por mim, o zbordem esmoreceu e foi-se abaixo. Curioso que aqui não houve capas insultuosas nem de gozo. Houve, sim, a questão do penalty como um crime de lesa pátria. Também achei cómico-trágico todo aquele folhetim nos pós-match da SIC e no meu programa de comédia favorito, o 4x4x3. Terminando como comecei, mesmo aí Costinha esteve primoroso dando o exemplo do nosso FC Porto. Diz ele que não passaria pela cabeça de ninguém o NGP deixar uma pessoa não ligada ao clube vir falar em nome do clube. Isso diz tudo do respeito que todos têm pela nossa instituição. Nomeadamente os Campeões Europeus. Mesmo que zbordenguistas.

Eu ia falar do Danilo e da sua tirada magistral, mas tenho um amigo que se antecipou e disse tudo o que eu ia dizer :)



quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015

Azias e Amuos

O site MaisFutebol resolveu criticar aqui a resposta - bem dada, à Porto! - de Lopetegui a mais um rol de perguntas de desmorecimento do Futebol Clube do Porto por parte de jornalistas portugueses. Curiosamente, não pôs mais que 40 segundos da resposta épica de Lopetegui, que pode ser vista em vídeo em baixo. Lopetegui faz muito bem em denunciar o ridículo que grassa a imprensa e restantes media nacionais: É um absurdo, quando até a imprensa internacional nos tece rasgados elogios e o treinador adversário diz que fomos "super, super superiores", vir diminuir a exibição desta maneira. Mas tem um porquê. Chama-se inveja. Inveja da solidez ofensiva, inveja da pró-actividade, da posse da bola, do mandar em qualquer campo, do dar a volta às adversidades. Mas não festejamos empates. Outros sim. Para nós, falta sempre qualquer coisa. E isso é o que vos corrói.

Já neste artigozinho aqui ao lado, está lá tudo, pelas mãos de Hugo Vasconcelos (via Tomo II). Todo o fel, o veneno, a azia, a perfídia, da comunicação social sulista que pretende esmorecer o feito Portista ao falar, com uma lata incrível,  dos "erros básicos" de Lopetegui. Extraordinário, contudo, é que a páginas tantas, diz Hugo Vasconcelos " o golo sofrido é ridículo - bastava ver que o mesmo Derlis, a passe do mesmo Frei, ao Ludogrets, para conhecer a jogada". Curiosamente, nas citações escolhidas pelo mesmo Vasconcelos, aparece a de Lopetegui a dizer "sofremos o golo numa transição, numa jogada que tinhamos visto". Parabéns, sr Vasconcelos! Você conseguiu escrever que Lopetegui devia ter feito o que fez! Sabe, isto de ser treinador, às vezes, é um bocado ingrato: pode ser que o jogador, no calor do momento, não se lembre da jogada XPTO/15. Mas a responsabilidade não é do treinador, é do jogador. E, já agora, não é nenhum "amuo" de Lopetegui - é dar-vos a resposta que merecem. Vocês podem tentar mandar abaixo o jogo do FC Porto. Isto é como uma vacina. Torna-nos imunes. Mas também torna o porquê evidente: como o zbordem está, o mais certo será claudicar contra um Wolfsburgo forte e vencedor, e a equipinha do chiclas nem na Europa está. Sim, porque quando douto Mestre da Táctica se aborrece e vos grita e insulta não há cá amuos, é só o chiclas a ser o chiclas!

Já agora, subscrevo na íntegra o caro amigo Felisberto, que tenho muita honra em ter como comentador habitual neste blogue:

"(...)andamos nõs a efeverscer com a Comunicação Social centralista, quando temos dentro de portas, jihadistas!!!!
Ou é o Lopetegui que não percebe um corno, ou é o Maicon, ou é o Quaresma, ou é o Fabiano... creio que não deve haver mais clube nenhum onde haja adeptos orgulhosamente fana´ticos do bota-abaixo...
Se calhar devem pensar que jogamos sozinhos, o adversário não conta para nada e a Champions mais não é que provazita onde qualquer um ganha!!!!
Se forem a analisar individualmente o FC PORTO e o Basileia, a equipa suiça tem jogadores a anos luz com mais experiência internacional que quase a nossa equipa toda, carago!!!!"

Começo, tal como com o silêncio da SAD, a não compreender as críticas de certos adeptos: não entendo o que é preciso fazer mais do que reduzir ao autocarro uma equipa que ganhou ao Chelsea em casa, que ganhou ao Liverpool e que criou muitas dificuldades ao Real Madrid. Se querem ser sócios do Barça ou do Bayern, submetam o vosso pedido de sócios nos sites respectivos.

E, já agora, a partir deste post a política de comentários no blogue muda: Serão permitidos perfis anónimos mas não comentários anónimos. Quem não assinar o seu comentário com, pelo menos, um nick ou o nome, não merecerá credibilidade. Obrigado.


quarta-feira, 18 de fevereiro de 2015

Empate Contra a Injustiça


O FC Porto hoje jogou à Porto. Contra tudo, contra todos e contra tolos. Mais uma vez, depois da Juventus, um roubo de catedral contra um Basileia a jogar à benfas. Fechado, fechadinho, trancado, trancadinho, manda uma bola para a frente e golo. Não acho que haja culpa de Fabiano, de Marcano ou Maicon. Muita da agressividade e assertividade do FC Porto perdeu-se ali. Evidentemente ansiosos, porque o golo veio no sentido inverso do jogo, o FC Porto perdeu um pouco do critério

Na segunda parte, depois de alguma ansiedade inicial e depois de um golo mal anulado (dizer que o Marcano obstruiu o guarda redes só pode ser piada), o FC Porto partiu para cima do Basileia e mostrou que só uma equipa quis jogar para ganhar - nós. Alguma justiça veio depois de uma clara grande penalidade, por mão na área, excepcionalmente convertida por Danilo. Mas merecíamos a vitória, embora a fraca presença na área tenha mostrado um FC Porto rápido e pressionante, mas não matador. A rever para a segunda parte.

GOLOS

Danilo - Forte, rápido, construtor, defesa. Para mim, o claro MVP. O golo é um prémio merecido para tudo o que fez, este que é, para mim, um dos melhores laterais direitos do mundo.

Alex Sandro - Exímio na recuperação de bola, forte no ataque, tentou sempre construir as jogadas. embora o seu companheiro de ala, Brahimi, não tenho estado à mesma altura.

Pressão e segurança - Com excepção de alguns períodos do jogo mais à nora, fomos sufocantes e, tratando do capítulo da finalização, mostraremos que somos muito mais fortes que este Basileia ultra defensivo e faltoso.

Tello - Passou por ele o melhor da primeira parte, a sua velocidade pode ser letal, chegou a marcar um golo (mal) anulado. Falta gente na área com quem possa tabelar, Danilo não pode fazer tudo.

Quaresma - Entrada forte, agressiva, com garra, a substituir um Brahimi claramente perdulário.

FALTAS

Brahimi -  Parece desajustado ao pendor do resto da equipa, individualista, a perder-se novamente em fintas, fintinhas e fintarolas. Não fez jogadas de ataque em condições, não soube passar a tempo. Um desespero.

Falta de presença na área - Há uma coisa que vou gostar mais com Aboubakar do que com Jackson - estou certo que compensará a falta de mobilidade e de jogo de costas para a baliza com uma presença mais sábia na área. Hoje viu-se que Jackson não esteve no jogo. Não esteve na posição dele. Certo que faz tabelas e compensações. Mas se não é ubíquo, deixa de estar lá para marcar o golo.

Árbitro -  O colo colo Europeu é de fazer parecer o nacional uma brincadeira de crianças. Não sei se é manipulação de apostas. Mas o campo esteve mesmo inclinado. Uma vergonha.

Basileia - Jogar na Champions League à defesa tem destas coisas. Terão a vida muito complicada no Dragão. Vamos para cima deles. Não haverá mais golos fortuitos. A vantagem é toda nossa.

Adenda Matinal: Não sou eu que digo, são eles! Ridícula a forma como falam os adeptos aziados com a própria equipa quando os adversários veem o FC Porto melhor que os próprios adeptos.

As Equipas Fraquinhas Estão Na Champions League

É hoje. A excitação é fenomenal, mesmo que tenhamos de ver o jogo numa estação de televisão que nos odeia, pertencente a um grupo que nos despreza e que humilha ao falar sobre nós de uma forma absurdamente levezinha e desrespeitadora, a transmitir em SD e, com certeza, com uns comentadores de cachecol do Basileia ao pescoço. Hoje é dia de Champions League. Hoje vamos jogar como merecemos e gostamos de jogar - futebol. Hoje, vamos mesmo jogar futebol. E sim, já sabemos, o adversário é "fraquinho", com uma equipa "acessível" e "ao nosso alcance". Mito. Disparate. Essa é, aliás, a ratoeira de Paulo Sousa: falar do nosso favoritismo, a ver se mordemos. Garanto, caro Paulo Sousa, que o sonho de Tello, Óliver, Herrera, Casemiro, Brahimi, Jackson e todas as outras nossas estrelas internacionais, é jogar na Champions League. Não haverá aqui um só jogador displicente e que não dê o máximo de si. E confio numa vitória em Basileia porque temos muito mérito e jogamos um futebol absolutamente delicioso, e ainda em construção. E não porque o nosso adversário é "fraquinho".

E, por falar em "fraquinho", o "fraquinho" Shakhtar Donetsk, pertencente ao nosso "fácil" grupo da Champions League empatou ontem contra o Bayern! Sublinho que o Shakhtar foi a única equipa que empatou connosco na fase de grupos, sendo que este empate se deveu, na primeira mão, a dois erros defensivos que não se estão a repetir - Óliver, então, nunca mais repetiu a gracinha mesmo! - e, na segunda mão, ao facto do jogo ter sido em modo "jogo treino" entre jogos importantes e, mesmo assim, fizemos um jogo que bastou para o Shakhtar, e com um golaço de Aboubakar. Isso demonstra a nossa capacidade de jogar futebol. E a nossa valência técnica. No palco do futebol jogado para vencer, temos todas as capacidades para chegar aos quartos de final. Temos um conjunto jovem mas hiper-motivado e uma grande vontade de chegar longe, a tal ilusion de que fala o nosso Mister, de fazer história. Todos acreditamos que será possível.

E por falar em acreditar, os nossos sub-19 foram fenomenais ontem, vencendo o Real Madrid e com uma extraordinária exibição daquele que é a melhor contratação desta época, nesta categoria, Raul Gudiño. Parabéns miúdos, acreditar é assim mesmo!

Nota-se muito que gosto de falar de futebol jogado a sério e sem "drama"? 

Convocados: Helton, Fabiano, Ricardo Nunes, Danilo, Martins Indi, Maicon, Marcano, Casemiro, Quaresma, Brahimi, Jackson Martínez, Quintero, Tello, Evandro, Herrera, Hernâni, Alex Sandro, Óliver Torres, Rúben Neves e Aboubakar.

Equipa Provável (4x3x3): Fabiano; Danilo, Maicon, Marcano, Alex Sandro; Casemiro, Herrera, Óliver; Brahimi, Jackson, Tello. 

terça-feira, 17 de fevereiro de 2015

Comunicados à lá Carte


Ontem, Bernardino Barros falou, primorosamente, no Porto Canal de uma coisa evidente - se este comunicado for verdadeiro, é um caso de manipulação de resultado evidente e inédita, um crime lesa-futebol e uma evidência (mais uma?) do colo colo que grassa esta temporada, lamentavelmente sem resposta à altura da nossa SAD. O meu caro amigo Miguel Lima, com a coragem que lhe reconheço sempre, interpelou o nosso Director de Comunicação de uma forma bastante peremptória. A ver vamos o que vem por ai. Bernardino fala, alto e bom som, de todas as manipulações, desafia, com coragem, quem de direito a agir neste caso como agiu em outros, mesmo que sabendo - todos nós sabemos - que não vai dar em coisa nenhuma. Uma verdade subjaz de tudo isto - já não se pode falar de futebol se isto já nada tem a ver com futebol. Muito bem senhor Bernardino! Bem haja e que nunca lhe falte a voz!

Mas que dizer depois dos programas de segunda feira, Prolongamento e Grandes Adeptos? A pessoa de Sousa Martins começou a fazer uma cronologia dos acontecimentos que opuseram o badocha ao Dumbo mas, ao falar no comunicado, não lê - convenientemente - a parte em que ele fala da proposta de viciar o campeonato por parte do Dumbo ao badocha. Muito curioso, verdade? Aliás, o dr Cutty Sark até vem dizer que não é nada comparado com as "picardias durante anos entre os outros dois clubes". Claro, esse incómodo que é haver uma equipa a Norte que dá cabo desta panelinha, não é verdade? Dava tanto jeito poder dividir isto! No Grandes Adeptos, nem uma palavra! Nos dois casos, claro, funciona maravilhosamente a misdirection: falar das tarjas pela enésima vez afasta o foco da questão essencial. Como também é comum, desde que o FC Porto joga primorosamente, dedicar parcos 5 minutinhos ao FC Porto e ao seu jogo (incluindo prognósticos sobre o jogo de Basileia!). Pois é, meus caros amigos, lá porque nos tentam ignorar, nós não vamos desaparecer!

Sejamos directos - eu não percebo o  porquê do silêncio da nossa SAD. Já o falei no post anterior. Mas uma coisa é certa: a hipótese de Pinto da Costa ter aceite tal compromisso com o Dumbo  não só é ofensiva como pouco inteligente. Não há nenhuma necessidade do FC Porto, hegemónico e vitorioso, nacional e internacionalmente, garantir um compromisso com o rival, nem sendo 3 para mim um para ti. Nós temos melhor futebol, mais capacidade, melhor regeneração, maiores objectivos. E eu não posso crer, seria muita burrice de quem, comprovadamente, não é nada burro, permitir que passemos pelo mau da fita anos a fio, enquanto outros, os que propõe, se acham heróis. Impensável.

segunda-feira, 16 de fevereiro de 2015

Desânimo


Quando temos uma situação injusta que se propaga no tempo e se repete consistentemente, há primeiramente a sensação de revolta. A esta segue-se a reacção. A essa reacção segue-se ou a euforia ou o desânimo. Confesso que estou desanimado. Muito desanimado. Não posso, em consciência, sentir-me de outra forma. A quantidade de casos do benfas-Vitória de Setúbal não é acaso. A quantidade de vezes que este processo se repete, não é obra do acaso. Vejam aqui o caso de ontem. Mas nem é por isso que estou desanimado. Estou desanimado pela postura do meu Clube, aquele que é o principal prejudicado por tudo isto. Sinto-me órfão de protecção enquanto adepto do jogo que gosto de ver. Sinto que a competição está ferida de morte e o moribundo assiste passivamente à sua Morte.

Sobre isso que fazer? Farei aquilo que sempre faço - denunciar e comentar. Eu e todos os outros bloggers da bluegosfera. Sou um orgulhoso Portista, como todos os meus colegas - se calhar não certos Portistas com muito orgulho, mas enfim - e vou estar com a minha equipa até ao fim. Nem que seja a feijões, estarei lá a apoiar até ao fim. E, entenda-se, tenho grandes esperanças em sermos campeões. Para mim, parece-me inquestionável que somos os melhores, jogamos infinitamente melhor que todos os outros e que Lopetegui já fez um grande milagre.


Tenho para mim que estaríamos isolados na frente se houvesse justiça - e não duvido que estaríamos a muito maior distância pelo efeito psicológico que isso teria nas equipas contrárias. Mas não deixo de sentir desânimo com a apatia da SAD do meu Clube. Quando vejo reacções oficiais a questões laterais como prémios e galas e notícias patetas, e nenhuma reacção ao roubo de catedral que somos vítima em tosas competições, fico desanimado. Quando não vejo nenhuma reacção à acusação de que tudo isto está a ser manipulado e combinado - está à vista de todos! - não posso deixar de sentir desânimo. E, se é por causa da estabilidade da Liga, ainda pior. Defender uma entidade que nos trai é ser anjinho, e de uma forma que não corresponde à própria identidade do nosso Clube.

Temo outra coisa. Temo que a minha SAD esteja numa vertente mais de negócio do que de títulos. Acho que seria um contra-senso, porque os títulos exponenciam os negócios. Mas talvez o FC Porto SAD esteja mais interessado na montra da Champions e queira, por isso, fazer passar uma imagem de indiferença sobre as questões internas para não parecer quezilento.

Se tal for, quero que todos os que me honram com a sua leitura saibam: estou muito feliz com a minha equipa, com a sua evolução e entrega, tenho a certeza que os parcos empates e derrota que sofremos são normais numa fase de adaptação. Nenhuma equipa ganha sempre. Acho que a derrota contra o benfas foi injusta e ingénua, mas ajudou a aprender. E depois da entrada de Cafú sobre Casemiro, não me falem mais do jogo do Boavista. E em todos os outros fomos roubados indecentemente, zbordem incluído. Acho que Lopetegui tem mais frontalidade e Portismo do que 90% da SAD - não incluo o Nosso Grande Presidente! - e não posso estar mais feliz com o seu carácter, determinação e capacidade de potenciação da equipa e suas individualidades.

Caiam em cima do roubo, caiam em cima da apatia da SAD. Não caiam sobre Lopetegui e os seus jogadores. Em condições normais, teríamos o comando que merecíamos . E mais não se lhes pode pedir. Estou desanimado, mas acredito que a Justiça prevalecerá. Embora não perceba a apatia.

Importante Adenda: Estou desanimado mas não calado, e a senhora ratazana Santos que torne as suas acusações em factos concretos, se faz favor. Além de estar a dizer que a responsabilidade do confronto zbordem-benfas é do FC Porto (!!!), ainda que indirectamente - porque ratos sem vergonha são assim mesmo - ainda acabou, durante os cinco minutos que se falou do jogo do FC Porto, por insinuar que fomos buscar o Hernâni para diminuir o Guimarães, e de gozar o cumprimento de Lopetegui a Quaresma no fim do jogo! É um ser ridículo este, que se esquiva toda a emissão de falar nas acusações gravíssimas de manipulação de resultados do badocha ao Dumbo e depois vem culpar o Nosso Grande Presidente. É o veneno sujo de uma ratazana sem vergonha, que como disse e bem o nosso Capitão Rodolfo, não passa que eu não deixo!

domingo, 15 de fevereiro de 2015

A Rubra Realidade


Toda a gente sabe que o chiclas vive de se engrandecer ao tornar cada vez mais pequena a poule de resultados e adversários que encontre. É como se tivéssemos um adolescente a jogar à bola com crianças e festejasse efusivamente cada golo que marcasse. Diz então sua sapiência sábia sabedoríssima que o FC Porto e o zbordem não ganham nada em estar na Europa. Pois não, meu amigo! Na tua lógica à-lá Segunda B, tudo se resume a ganhar um campeonato, seja de que forma for, com que colo colo for. A ti interessa-te chegar a finais, entre penalties e jogos encostados à baliza, a bem da verdade como jogas (?) contra nós. Estás frágil e pequeno, sabes que nos engrandecemos a cada dia, e que o teu segredo está em jogar contra 10, de preferência cedo e com dualidade de critérios. Por isso, a ti, não te interessa nada a Europa. Sabes perfeitamente que ali não te deixam dar a volta de avanço. Mas nem assim ganhas. Dão-te um Ferrari, mas não sabes por gasolina. Como não paras nas curvas, das cabo do carro todo. Temos pena. Este ano será mais um. Mas agradece a ti mesmo e à tua fanfarronice. E já agora, aos teus amigos dos jornais, que te declaram campeão no início da segunda volta.

Também o teu paizinho protector vai ficando com a margem encurtada, ao meter-se com o louco incendiário fanfarrão do outro lado da estrada. Então não é que o amigo veio por a boca no trombone? Está visto que o senhor Dumbo, se um não quis, decidiu fazer as coisas sozinho. Mas como cutucou o incendiário, tumba, take there strawberries, e agora a margem fica - ainda mais - curta para poder reclamar um campeonato sério. Aliás, por falar em incendiário, veremos certamente amanhã a maravilha de comunicado que eles farão para reagir à derrota ao empate contra um Belenenses ainda sem carburar em pleno, graças a um piu-piu de colecção (Miguel Lima, gif please) e a um charuto à lá Jardel nos últimos segundos do Mané. Atenção, José Nunes, já saberás quem pôr no "Ele e mais 10" de quinta feira!

E, já agora, muitos parabéns à nossa direcção confortávelmente adormecida pelo negócio com a TVI da transmissão da Champions League, em SD e num grupo que tudo faz para nos ignorar e que, para título de exemplo, tem "programas desportivos" em que fala de nós 10 minutos em 90, e só para discutir casos en passant e mesmo assim perguntando(?) ao ex-boto® Baía se tinha sido mais fácil com um Guimarães diminuído (uma vez mais)! E depois intercalando com duas declarações de Lopetegui e de Jackson com 30 segundos cada, e ainda assim voltando ao zbordem! Ridículo. A repensar, senhores da SAD!

(imagem do cartoon da Travessa da Queimada tirada do facebook do Art Ilusion, a quem agradeço desde já).

sábado, 14 de fevereiro de 2015

Ganhar Contra Cacetebol

No começo do ciclo difícil de jogos que por aí vem, era importante entrar com um FC Porto à Porto para levar de vencida um dos jogos mais complicados do ciclo. Temos uma história de rivalidade com o Vitória de Guimarães, a quem ninguém no seu perfeito juízo pode acusar de "levar o autocarro". Ainda assim, na primeira parte Fabiano foi um mero espectador de uns 45 minutos em que só deu Porto. Infelizmente ontem Jackson não teve a eficácia e premência que normalmente costuma ter, mas felizmente temos de volta o pequeno argelino que conseguiu atribuir a vitória ao vencedor justo. Esta primeira parte termina num bom pendor sufocante depois de inúmeras situações de golo, mas com um Casemiro em sérias dificuldades, Casemiro este que foi uma vítima de tudo o que é agressão karateca. Em suma, uma primeira parte unida, sólida, em que se viu que os jogadores estavam conscientes daquilo que tinham de fazer: ganhar o jogo. 

Na segunda parte, uma entrada frouxa e perdulária demonstrou, lamentavelmente, que essa garra ficou no balneário. Excepção feita a um Casemiro resistente que jogou futebol mas recebeu cacetebol, um Óliver que não sabe jogar mal, um Quaresma com muita garra mas com pouca velocidade e uns centrais muito competentes, toda a restante equipa pareceu retornar sem pilhas, fazendo-nos regressar a tempos antigos, em que o FC Porto se contentava com um mero 1-0. Felizmente não é essa a identidade do FC Porto de Julen Lopetegui, e este tipo de atitude só não se estranha se pensarmos que quarta feira há jogo da Champions League, uns quartos de final onde se adivinha um FC Porto muito mais concentrado. Ou então terá sido da medicação por 6 jogadores terem estado, segundo Lopetegui, febris, que os deixou num estado alterado de consciência. Também de realçar um estranho caso de um Vitória de Guimarães reaparecido, agressivo e forte, ainda assim sem ter tirado o sono a Fabiano, com muito poucos remates e sem ocasiões claras de golo. Ainda assim estranho como estamos moles com uns e muito fortes com outros, não é verdade rapazes? Um caso para as tuas "petites grey cells", mon ami. 

Uma vez mais, o meu muito obrigado ao casal Dragão de Ouro, João Santos e Ana Neves, pelo prazer da companhia e do inquestionável Portismo. E claro, o meu muito obrigado também ao grande Vila Pouca pela sempre enorme sabedoria - essa sim, verdadeira, não como a de certos chiclas - num pré-match que muito me honra. Assim, vir ao Dragão ainda é melhor! Icing on the cake.


GOLOS

Brahimi até ao golo - É muito bom ver Yacine Brahimi ao vivo. A forma como finta, como consegue os espaços, como arranja velocidade para ir buscar bolas que parecem estar perdidas, sem ser um velocista, é um absoluto deleite para quem o vê de perto. Como fome de bola, vontade e garra, notava-se que queria uma desforra da injustiça vimaranense. Ainda que mais egoísta do que no jogo anterior - sinal que não gostei - soube sempre correr e nenhum adversário o assustou. Depois do golo, parece que achou que o seu objectivo fora cumprido, Lopetegui não gostou e, muito bem, tirou-o.

Marcano - Seguro, determinado, interventivo sem ser faltoso, entende-se muito bem com Maicon e isso nota-se. Desde que assumiu a titularidade, a baliza está inviolada e isso é um fraco sinal para Indi que, ainda assim, faria melhor parelha com Marcano, se um dos dois fosse destro. Um grande jogo do central que, além de tudo o mais, tem uma excelente saída de bola. 

Óliver - Um génio com a bola. Incansável sem ela. Óliver a ser Óliver. Imprescindível.

Casemiro - Cada vez mais trinco, sofreu com o cacetebol que levou mas soube fechar os espaços, fazer dobras e cortar o ataque vimaranense. Chegou atrasado a uma ou outra bola, mas estou certo que seria muito mais pelo desgaste do martírio que sofreu do que qualquer outra coisa.

Quaresma - Que bom é ver que Lopetegui está a entender-se cada vez melhor com RQ7. E como se nota isso em Quaresma! Vai progressivamente eliminando o que tinha de pior - a irascibilidade e egoismo - e potenciando o que tem de melhor - a garra, a luta, a solidariedade, um sentimento de ser mesmo Portista. Assume bem a indubitável titularidade com todo o mérito e, se já não tem a velocidade de outrora, está a começar a demonstrar que tem muito para dar à equipa em espaços mais interiores e em condução de jogo. Bravo!

Lopetegui - O mais inconformado de todos os Dragões, Lopetegui era um homem furioso na segunda parte. Tenho a impressão clara que estava capaz de calçar ele as chuteiras e distribuir (ainda mais) lenha aos seus jogadores para eles acordarem. Adorei a forma como ele festejou a vitória, adorei a ainda mais a forma como ele, ao dizer a Herrera - um jogo subpar - que se mexesse e este a responder para ele ter calma, o substitui de imediato. Também com Brahimi, quando este faz (mais um) atraso assassino que dá um contra-ataque do Guimarães. E como a sua mão voou a chamar Rúben e Tello, como que dizer, "chega desta merda"! Também, claro, referir a forma absolutamente irrepreensível como reagiu à enésima conferência de imprensa com perguntas idiotas. Um Mister à Porto.

FALTAS

Nuno Almeida y sus muchachos - Critérios diferenciados, faltas inexistentes, amarelos cirúrgicos (perguntar a Lopetegui se queria o Alex Sandro amarelado aos 28 minutos é de mestre) e aquele lance inenarrável de Cafú em Casemiro ("Amarelo ou vermelho"? "Amarelo" - ouvi eu na conversa entre árbitro e bandeirinha, mostrando bem quem é que o Dumbo tem na mão) dizem muito do quanto nos tentaram derrubar. Temos pena, já sabemos que jogamos contra 14. E, já agora, obrigado por isso, ein? Reacenderam um público adormecido! A nós, nada nos alimenta mais do que a injustiça.

Cacetebol - Para um Guimarães tão fofinho na Luz... ah espera, nem consigo acabar esta frase! Desde sempre se chamava ao Guimarães o "benfas B". E sabendo que Rui Vitória será, muito provavelmente, o próximo treinador benfas, ainda mais se vê a passadeira que se estendeu. Connosco, um festival de sarrafada consentida pelo árbitro mostrou bem como se defende em Guimarães - partindo pernas. Uma vergonha.

OK pronto já está redux - Mais uma vez, pica-se o ponto... hora do Vitinho. Mesmo tendo de ganhar todos os jogos. Mesmo tendo pela frente um classificado na tabela da parte superior. Mesmo sabendo que o resultado era escasso. Mas não é culpa de Lopetegui. Já existe há que tempos no FC Porto. Tem é de acabar. Já.

Herrera - Desconcentrado, trapalhão, amorfo na segunda parte, o pior dos Portistas na mesma. Contrariar o treinador mostrou-lhe o caminho do banco. É, Hector, aqui não há insubstituíveis.

sexta-feira, 13 de fevereiro de 2015

A Revolta Que Nos Faz Ser Grandes


A Revolta que nos faz ser grandes é aquela da diferenciação, aquela que faz com que sejamos constantemente ignorados e humilhados pelos media dominantes, como uma equipazinha inferior que só ganha porque os outros jogam mal ou com o autocarro. Dizem isso quando ao mesmo tempo superlativizam uma equipa que, essa sim, joga durante 90 minutos com o autocarro e depois marca com um chouriço de um jogador, no puro desespero e que depois passa a ser, pela paineleirice vigente, uma suprema lição de contenção e sabedoria táctica e esse mesmo jogador passa a ser "ele e mais dez".

A Revolta que nos faz grandes é aquela da calúnia, como a capacidade de, sem se rir, equiparar uma violência gratuita e a exultação de um homicídio - involuntário que o seja - à exibição de uma mera chamada de atenção a uma situação que estava, está e pelos vistos, como ainda ante-ontem se viu, estará ainda bem vigente, apenas para trazer a equipa conotada com tudo o que é mau à colação e envolvê-la numa discussão da qual não faz parte, essa que até tem especiais e análises ad nauseam em tudo o que é meio.

A Revolta que nos faz grandes é aquela do insulto, como seja estar constantemente a perguntar em conferências de imprensa como "respira o treinador", como se se sente por ganhar a uma equipa diminuída, contida, inferiorizada etc, assim também como perguntas de subestimação e de inferiorização constantes, pondo-nos como meros espectadores no nosso Destino e não elementos decisores do mesmo.



A Revolta que nos faz grandes é aquela do compadrio e influência, que ainda por cima tentam colar sempre à nossa pele como se nossa se tratasse, quando tem obras ilegais, perdões ficais de um Presidente Camarário da mesma cor, absorções de dívida por um Estado que os favorece, no Anterior e no Contemporâneo Regime.

E mais importante do que todas, é aquela Revolta que nos faz grandes a do sermos mesmo grandes, por temos jogadores que potenciamos a serem cobiçados por dois rivais de uma das Ligas mais competitivas, por sermos falados pelos nossos feitos e futebol nas mais importantes publicações do Mundo, pelo nosso treinador dar uma entrevista a um jornal de referência global, pelos nossos terem tal craveira que são disputados por clubes de topo, entre ofertas e lutas, entre pressões de media e desejo ardente dos mesmos no seu plantel. Em todo o lado do Mundo somos falados pelo nosso futebol e admirados por dirigentes, treinadores e adeptos. Menos aqui. Aqui não somos nada. Tentam, quais avestruzes dentro da areia, passar a ideia que dependemos da boa vontade dos clubes de bairro da capital.

Essa é a Revolta que fará com que logo levemos a melhor sobre um forte Guimarães. E rumemos ao Título que só pode ser ganho por uma equipa Grande.

Convocados: Helton, Fabiano, Danilo, Martins Indi, Maicon, Marcano e Alex Sandro.,Casemiro, Evandro, Herrera, Rúben Neves, Brahimi, Quintero e Óliver Torres, Jackson Martínez, Aboubakar, Tello, Quaresma e Hernâni.

O Meu Onze Provável (4x3x3): Fabiano; Danilo, Maicon, Marcano, Alex Sandro; Casemiro, Herrera, Óliver, Brahimi, Jackson, Quaresma;

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2015

O Caminho Faz-se Caminhando


Não sei se deriva do caso de lutar contra um impedimento físico há 36 anos, que me provoca dores lancinantes constantes para mexer, falange a falange, nervo a nervo, cada veia, cada membro, não sei se é porque o ritmo de tal me força a ter menos frenesim, se foi por ter sido forçado a ver, não só a espuma dos dias, mas também a marca que o bater dessa onda deixa na areia, que fui habituado pela minha vida a ter tendência a ver o médio/longo prazo em vez de me perder no curto. Se o curto era sofrimento e dor constante, o prémio de tal esforço era por demais saboroso no fim. Dessa forma, sempre soube que só há uma forma de evoluir consistentemente: com tempo, paciência, esforço, dedicação, degrau a degrau, de uma forma cimentada e coerente. Tudo o que é feito em cima do joelho, de uma forma abrupta, explosiva, não leva a lugar nenhum. Pode criar uma vertigem imediatista, um fogo fátuo, mas não passará de um momento.

Neste particular, ter o prazer de ler esta entrevista, via Tomo II,  que demonstra não só que o nosso treinador não é nenhum "flopetegui", mas sim um treinador de craveira internacional, e que tem uma ideia, um rumo, um processo e um propósito, deixa-me assaz confiante no futuro do meu Futebol Clube do Porto e também por isso vejo as rodas do relógio a mexer para mudar o paradigma filosófico do próprio Clube e do seu modus vivendi. Se antes já tínhamos um bom scouting para descobrir valores e fazê-los crescer, agora teremos todo um método para potenciar o valor dos jogadores, a sua percepção do jogo, a sua noção do propósito dentro do mesmo, que já demonstrou, neste curto espaço de tempo, uma valência e um crescimento incrível na potenciação do jogadores disponíveis e que está a aproxima-los, a passos largos, do aproveitamento do seu potencial. Todos os jogadores do plantel habitualmente convocados tem crescido exponencialmente nas suas valências e criado um sentimento de união e de prevalência do colectivo que, sabendo que é planeado e trabalhado, ainda dá mais prazer ver.


Se os media nacionais não vêem isso, pelo seu preconceito ou visão curta, importa-me sublinhar à massa adepta que me honra com a sua leitura que ainda estamos no início. Fica portanto bem patente que temos um projecto de médio/ longo prazo que torna vazia toda a conversa da "perda da hegemonia" por parte da propaganda aparatchik, que tenta fazer a cabeça de quem acompanha a equipa. Curiosamente, os tempos presentes vão começando a demonstrar aquilo que se vai sabendo: esta vertigem de chegar ao fim do ano bi-campeão, deixa o treinador  -vazio de projecto e de rumo - do clube rubro a recorrer a expedientes de equipa pequena, sem nenhum outro objectivo senão conseguir garantir margens mínimas para um sucesso pífio de constante matemática e jogo sujo, como se fosse possível, chegado a determinado patamar, ser irreversível o tonus do próximo trienio, tetraénico, decaénio. Este limitado senhor, porque alguém lhe disse que se chegar ao fim campeão muda tudo e passa a pertencer aos anais da História e garante anos de vitória benfas subsequentes, tenta ignorar a avalanche que vem atrás para o apanhar - a evidência que um projecto sólido e de futuro abalroará, mais tarde ou mais cedo, o seu castelo de cartas imediatista, que ruirá assim que a erosão do tempo o imponha.

Posto isto, cabe-me reafirmar publicamente o meu incondicional apoio ao projecto de Julen Lopetegui, que vejo frutuoso e com horizonte de vitórias e de um reforço hegemónico futuro. Algo pensado e planeado será sempre muito mais consistente do que a batota e a trapaça que só ilude quem a faz. Acredito que ainda será possível sermos campeões este ano. Mas não estou preocupado se não formos, será nesse caso o vale prévio à mais doce montanha, porque um futuro sólido vem a caminho. E o Caminho faz-se Caminhando. 

terça-feira, 10 de fevereiro de 2015

Abjectos Seres Nos Seus Aproveitamentos


Começo por subscrever antes de mais o que aqui diz o Z e o Vila Pouca em cada letra dos seus respectivos posts. Para além do choque e horror da frase da tarja ostentada pela claque benfas com o escrito "Very Light 96"e um cântico descrito na imagem que tiro do Mística do Dragão, com cujo texto do post concordo na integra,  venho neste curto post falar de um vómito que me deu hoje enquanto trabalhava. Na sua habitual análise dos Grandes Adeptos, um programa radiofónico/ podcástico já de si bastante benfas, onde está também o nosso Miguel Guedes, este abjecto senhor, antigo ministro desta nação, político - a área política aqui é irrelevante - e, portanto, com uma responsabilidade acrescida em ser parcimonioso e correcto com os seus interlocutores e adeptos ouvintes, atalha, no seu truculento e desrespeitoso tom de político - constantemente crescendo vocalmente sobre o seu parceiro paineleiro e cortando-lhe o fio do raciocínio- esta ideia maravilhosa:

Diz o senhor excelso Correia que estas frases são condenáveis mas estão na linha da tarja que os Super Dragões ostentaram a falar da arbitragem. Evidentemente que esta frase deixou em choque e horror Guedes e Jaime Mourão Ferreira, mas que o arrogante, presunçoso e sobranceiro senhor doutor excelentíssimo Correia, resolve insistir e repetir, atalhando que não é mais do que o desrespeito de todas as claques. São este género de... pessoas que branqueiam os comportamentos dos seus adeptos, e criam a falsa noção de que somos todos iguais, resolvendo ver a realidade a umas cores muito próprias. Uma infâmia, uma vergonha.

Que este senhor veja os jogos à luz muito própria e ache que o seu benfas jogou bem é uma coisa. Que ele equipare um assassinato e uma vergonha sem fim, e que ainda por cima gaudada pela claque em questão como um grande feito, a uma coisa em comum com algum cântico ou tarja dos Super Dragões ou Colectivo 95, é uma calúnia sem nome. Vinda de alguém que já foi dirigente da Nação, ainda mais idiota se torna.

Ganhem juízo e tenham vergonha.

E já agora, por falar em vergonha, que dizer do senhor Bruno Prata a defender a "sábia estratégia" do chiclas? É que nem o benfas de Paredes foi capaz de justificar o injustificável!

Repito, ganhem juízo e tenham vergonha!

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2015

Não-Surpresas

O dia das não-surpresas. Nada me surpreendeu, entre ontem e hoje. O "grande derby de toda a nação" foi uma pasmaceira total. O que aconteceu? Aconteceu que as maiores equipas nacionais, daqui e d' Alem Mundo, tiveram um jogo de futebol pobre, cheio de "respeito" pelo adversário e onde tudo aconteceu nos últimos dez minutos. E o que aconteceu? Aconteceu um disparo à figura, um remate, uma recarga e um golo, uma bola parada, uma recarga, um remate e um golo. Oportunidades de golo não realizadas, pouquíssimas, todas para o lado do zbordem. E porquê? Porque o grande mestre de todas as tácticas foi "pragmático" e jogou à Penafiel. Mas sem o contra ataque do Penafiel. Foi um jogo de anti-jogo, joga para o pontinho que "tá-se bem". Aliás, a festa do final e a capa da travessa da queimada anexa, mostra muito bem qual a sobranceria que assola o chiclas e o pensamento que lhe vai na cabeça: 4 pontos chegam. Eu, por meu lado, acho muito bem. Por um lado, arrumou-se a sobranceria zbordenguista - que vai levar outra machadada dia 1 de Março - dos Cutty Sarks e afins acerca do "enorme futebol do zbordem" e percebeu-se que tem uma equipa curta, muito curta, dependente de figuras que, quando anuladas, transpiram um futebol sofrível, e isto contra uma equipa que não fez um ataque em todo o jogo. Por outro lado, confirmou que o mestre da táctica tem uma equipa em ruínas, desgastada, vazia e curta, que só permite um tipo de futebol: o ataque à maluca apoiada numa arbitragem de colinho ou uma defesa com onze atrás do meio campo. Aquilo não é um autocarro. É anti-jogo. 

Existem equipas melhores que o zbordem no campeonato, com quem você vai perder pontos, senhor chiclas! Não são quatro pontos que lhe garantem nada! Por isso, festejem, festejem, afinal faltam míseras catorze jornadas e parcos 42 pontos! O que é isso? peaners! É isto o grande campeão do "futebol vertical" e da "táctica suprema": mais uma equipa da contabilidade do pontinho! Meus caros Portistas, está na hora de verem a verdade das coisas. Nenhuma equipa no futebol nacional se equipara a nós. O nosso melhor futebol é quando se joga futebol! Lopetegui construiu uma equipa que quer jogar futebol e que é constantemente criticada por querer jogar futebol! Até nós, que religiosamente os apoiamos todos os jogos em casa, e muitos Portistas de Ouro até fora, criticamos quando jogamos um pouco menos! Eu pergunto: Se tivéssemos sido nós a fazer aquela palhaçada de ontem, qual teria sido o discurso dos adeptos? Dos media? Da paineleirice? Mas. reitero, gosto deste discurso. Adoro que pensem que já são campeões. Porque, para mim, 4 pontos são melhores que 3. Não se perde um ponto: perdem-se dois ou três. Portanto, se escorregarem ficam a 1 ou a 2, nunca a 3. Não teremos de discutir golos em jogos. É ganhar e pronto. Porque ninguém, no seu perfeito juízo, pode achar que este benfas, desta forma, vá chegar ao fim com mais 42 pontos. Tudo está ao nosso alcance. É fazer a nossa parte.

Outra não-surpresa é a declaração de Jackson Martinez. Para mim - e acho que para qualquer Portista que acompanhe a bluegosfera - é um dado adquirido que Jackson sai no fim da época, desde o início desta. Qual a necessidade dele falar nisto? Nenhuma. Mas tem um lado positivo: a ponderação - espero - pela gente responsável de que, de ora em diante, a Capitania não pode ser um prémio, mas uma honra atribuída a quem a mereça. Dou um exemplo. Para mim, será da mais elementar conclusão que Danilo queira ir para o Barcelona. Se fosse jogador de futebol, também ponderaria certamente estar numa das melhores equipas do mundo. Até acredito que já haja acordo apalavrado  - os 30M  mais Tello que a Sport fala parecem-me muito bem - mas isso implicaria que Danilo Luiz da Silva ficasse connosco pelo menos até Dezembro. Alguém se chocaria se Danilo ostentasse a braçadeira na ausência de Helton? Porquê Jackson? Porque está acordado assim. Mas Danilo tem muito mais a ver com os valores, a Garra e a Ambição Portistas - e nunca faria esta declaração.

Enfim, dia de Não-Surpresas. Pelo menos, para quem segue e sabe como a coisa gira.