quinta-feira, 30 de abril de 2015

Gerir De Dentro Para Fora [Actualizado]


Se alguma coisa a caixa de comentários do post anterior demonstra, é a verdadeira panóplia de vontades e perspectivas em relação a todos os aspectos deste ano: treinador, jogadores, contabilidade, plantel, rivais. A pluralidade é um benefício para a discussão sempre, mas acaba por demonstrar uma das características que o Futebol Clube do Porto tem - para o bem e para o mal, não é gerido em função da vontade dos adeptos

Deve ficar bem claro que nem Paulo Fonseca nem Vitor Pereira foram despedidos. Um pediu para sair várias vezes antes de ser concedida a dispensa, o outro recusou-se a renovar. Pinto da Costa, O Nosso Grande Presidente, aposta sempre numa estabilidade e não vai atrás da vox populi. Devemos relembrar que o NGP é um dirigente Portista que iniciou a actividade numa altura em que o FC Porto não ganhava rigorosamente nada. E tornou-se o mais titulado Presidente em todo o mundo.  A gestão do Futebol Clube do Porto não se faz a pensar na popularidade. O Futebol Clube do Porto quer vencer e manter-se protagonista nacional e internacionalmente.

Solidarizando-me com o meu caro Jorge Bertoccini, do estimado Porta 19, o que me abriu as portas à Bluegosfera, também a mim me preocupa tamanha fragmentação e certezas absolutas no discurso adepto. Mas, realisticamente, o rumo de Pinto da Costa não muda consoante a opinião adepta, e quanto mais fragmentada, mais ruidosa e, por isso, menos preponderante será.

Também, desde a primeira hora, me parece que Lopetegui não fica muito melindrado com vozes críticas e assobios. Um homem com um projecto deve saber sempre que este não tem de ser popular a todas as horas. Tem de ser é de acordo com o rumo acertado com a Direcção do Clube e os seus objectivos, e dentro do prazo estabelecido para isso. Lopetegui tem essa qualidade, não exulta com as vitórias e não se desmorona nas derrotas. Com tudo o que isso terá de bom e mau. E nesse sentido, tenho a certeza que manterá o rumo. Que, a mim, se me afigura ser transversal a todas as áreas do Clube.


Sugiro aos meus amigos Portistas que estejam ao facto de que João Capela vai arbitrar, novamente, o confronto entre Gil Vicente e benfas, e que com este na arbitragem, o benfas nunca perdeu.

Por último, quero chamar a atenção para este nojo. Depois, nós é que somos baixos por gritar "Filhos da Puta SLB". O elogio à mediocridade, à estupidez e à arrogância, merece uma resposta em termos. Porque isto não pode continuar, o gozo em praça pública do nome do técnico.

"Enquanto formos bons rapazes, seremos sempre comidos" -José Maria Pedroto.

Adenda: Pior do que um arrogante ignorante burro, só mesmo um arrogante ignorante burro com a mania. No dia em que saires detrás do jogo viciado a teu favor, de deixares de cobardemente fugir de duas das quatro frentes em que estás e viciares as outras duas, poderás ter o direito de falar alguma coisa. Até lá, ganha vergonha na cara, imbecil! O Karma vem a caminho!

quarta-feira, 29 de abril de 2015

A Dura Realidade Dos Objectivos


Talvez custe a perceber, mas ficou claro este ano que Julen Lopetegui está a cumprir dois objectivos fundamentais e vitais para o Futebol Clube do Porto: a ida o mais longe possível na Champions League e a valorização dos activos. Ambos tem a ver com saúde financeira do nosso Clube. Não são objectivos glamorosos, é certo, não trazem canecos. Mas uma coisa é certa: o objectivo da SAD para a Champions era os Oitavos de Final. E tudo, mas absolutamente tudo, tomou um lugar secundário à obtenção do objectivo. A verdade é que, pese embora termos sido eliminados em Munique (atenção: a diferença de golos entre o Barça e o PSG é superior à do FC Porto e Bayern nas duas mãos), o nosso prestígio internacional conheceu novo fôlego e o interesse em activos nossos como Brahimi ou o já vendido Danilo foi garantido. Ou alguém acha que Danilo poderia ter sido vendido por 31,5M para nós + 5 de objectivos, não fosse este reanimar de Lopetegui?

O jogo da Taça de Portugal contra o zbordem foi imediatamente antes  do jogo de San Mamés, o jogo onde o The Guardian admite que foi o que despertou o interesse internacional em Brahimi.Brahimi não é nosso na sua maioria, mas a recompra de uma parte do passe é garantida e, qualquer que seja a mais valia da sua mais que provável venda, dará lucro ao Clube.

Se a isso juntarmos a venda de um Quintero que não parece querer estar cá, de um Reyes que não tem lugar no clube, talvez de Herrera, e certamente de Jackson, as mais valias de negócio vão ser interessantes, e farão com que o nosso Clube tenha uma saúde financeira que os nossos rivais não possuem.

Sim, porque do zbordem não vale a pena falar, o orçamento deles vai rondar os 25M no total. Vão despachar Nanis, Carriços, Rui Patrícios e por aí em diante. O seu magnífico terceiro lugar (curioso ver a poule de adversários e como a vida vai ser fácil) e uma hipotética Taça, que vai ter de discutir com o Braga, não dão nada parecido com a entrada de capital que precisavam - e que vão atira-los para uma travessia interessante. Fora a questão Rojo e Doyen que lhes deve cair em cima.


E se tivéssemos feito como os rubros, ein? Se em Novembro tivéssemos dito adeus à Champions e Liga Europa? É ver aqui a mentira do desinvestimento benfas, que parece que o chiclas comprou. Com 50.8M de gastos (mais o valor de Johnattan Rodriguez e dos "custos zero" de Júlio César e Jonas), Gaitán, Sálvio e Maxi Pereira parecem estar junto à porta de saída. Como o chiclas decidiu "concentrar-se no impartánte" - o campeonato e, aparentemente, a Taça da BjeKa®, uma vez que a Taça de Portugal já foi ao ar - não há proveito nenhum com o seu empate e vitória. Nenhum. O benfas terá de ser "criativo" e Vieira já avisou que vai haver forte desinvestimento no plantel.

Repito: Se, na Terra Dos Sonhos, num qualquer delírio, Lopetegui tivesse feito justamente o mesmo? Onde estavam o cansaço e as roturas musculares? Mas que seria do prestígio internacional, do chamariz que será sempre sermos a única equipa presente regularmente na Champions? E, tivéssemos batido contra um adversário mais acessível, onde estaríamos?

Eu sei que, para muitos, nada disto conta. Mas a realidade é que a casa reconstrói-se dos alicerces, não pelo telhado. E já nem falo dos recordes sucessivos que temos batido.

Mas uma coisa é certa - o #colinho existe. Vide a garantia que é Capela a arbitrar no sábado. E roubou-nos os pontos que nos dariam o campeonato. E esvaziariam esta discussão, certamente.

Uma última nota: Se algo me ficou da entrevista de mais um meu conterrâneo que serviu de referência para o meu Portismo, António André, foi que ele exibia orgulhosamente as cores do seu Futebol Clube do Porto "ainda o Porto não ganhava nada". Fiquei a pensar se será necessário um período de nova seca para termos um orgulho no Clube e não só nos canecos. Se Lopetegui tivesse desistido da sua prova principal e tivesse um só jogo por semana, não duvido que talvez conseguisse até um triplete.

O problema é que estamos a lançar as sementes para o futuro.  E essas precisam de um pouco mais do que a espuma dos dias.

terça-feira, 28 de abril de 2015

Incomparáveis Injustas Comparações


Esta semana, como acontece recorrentemente de cada vez que o FC Porto falha neste ano de Lopetegui, lá surge um velho fantasma - o nome de Vítor Pereira. Cometem-se vários erros de análise que sou aqui a desmontar, apesar de ter estado sempre ao lado de Vitor Pereira enquanto foi treinador do meu clube, e quanto é injusto para Lopetegui ser comparado com o anterior treinador vitorioso.

"Vitor Pereira foi corrido injustamente" - Vitor Pereira não foi "corrido" de lado nenhum, Vitor Pereira recusou a renovação, alegadamente por achar que o FC Porto tinha de experimentar algo diferente. A verdade é que, apesar de ter conquistado um bi campeonato, ganhou-o no último ano nas últimas. Atenção, se a história se passasse a nível de pontuação como a de VP, Lopetegui seria também campeão. Vitor Pereira teve pressão para ser despedido por alturas Natalícias, mas Pinto da Costa - e bem! - segurou-o. Vitor Pereira granjeou uma elevada antipatia na massa adepta pela sua soporífera qualidade dos jogos e pelo seu futebol iminentemente defensivo. Não era incomum ver jogos ganhos in-extremis. Apesar de tudo, em 60 jogos averbou apenas uma derrota. Mas esta "hecatombe Lopatêga" tem, até agora, justamente o mesmo número de empates - 6. E não houve nenhum tipo de #colinho na época de VP. Também não foi por culpa de Pinto da Costa que VP não continuou. Ele interrompeu a sua progressão no Futebol Clube do Porto.

"Com este plantel de luxo, o Vitor Pereira dava duas voltas de avanço" - Pinto da Costa conta que o nome de Brahimi foi sinalizado por Lopetegui (JL) nas primeiras conversas que tiveram, pós aceitação do convite. Tello veio por exclusiva responsabilidade de Lopetegui. Bem como Óliver e Marcano. Foi Lopetegui que insistiu na noção de que Jackson teria de ser para manter, e mesmo outros nomes importantes do plantel foram apostas pessoais de um treinador hands-on como VP nunca foi. Ainda assim, Lopetegui tem uma vida muito mais difícil na composição de plantel do que Vitor Pereira. O plantel pode ser mais caro, mas em que Universo Moutinho fica atrás de Herrera, James Rodriguez fica atrás de Óliver, Fernando fica atrás de Casemiro? E qual é o Hulk no plantel de Lopetegui? o Tello? E o Lucho de Lopetegui, é o Rúben Neves? Plantel de luxo contra sobras? Nem por isso.

"O FC Porto de Vitor Pereira era muito mais Porto do que esta cambada" - Pudera! Como já enumerei por alto, Vitor Pereira tinha Lucho, Moutinho, Fernando, Hulk, James, Rolando, Varela e Helton, Otamendi. Era preciso explicar a este plantel o que era Ser Porto? Quantos líderes dentro de campo poderia ter VP? Aliás, um deles é figura de proa no Mónaco, um lidera o Valencia, o outro é a figura mais importante do Zenit e um até tem a alcunha de Comandante! Este último, aliás, fenomenal estratega que fazia o que falta dentro do campo agora, que é dar ordens! Mais, não só não era preciso explicar o que era Ser Porto a estes jogadores, como ainda tinham mais idade e experiência combinada, e tiveram três épocas a conhecer Vitor Pereira, uma delas como adjunto de Villas-Boas. 

Acrescento a isto que JL não foi minimamente preparado para o #colinho, para o anti-jogo e para a Matemática do Pontinho, e isso notou-se. Nota-se também a falta que fizeram jogadores chave como Óliver dois meses lesionado, Tello ou Jackson. Não há nenhum tipo de comparação possível entre um treinador que tem de reconstruir tudo e outro que pega na máquina oleada. E, insisto, falta o factor de resolução e "desata-nós" que acontecia num Hulk ou num James Rodriguez por exemplo. Veja-se, no caso deste último, a diferença de qualidade do Real Madrid, com e sem ele.

Por último, o facto insofismável de que reconstruir tudo do absoluto zero depois de um ano pavoroso não pode ser minimamente comparável a ser campeão depois de campeonatos seguidos e anos brilhantes, com muito do mesmo plantel. A prova deste facto foi a conquista por parte de Paulo Fonseca da Supertaça Cândido de Oliveira. Não foi ele que a ganhou, foi o sistema de jogo e os jogadores de VP. A quem ninguém teve de ensinar o que era ser Portista, o sistema do #colinho e o futebol português. 

segunda-feira, 27 de abril de 2015

Mas Que É Isto?


Ainda estou em estado de choque com esta imagem. Esta imagem não honra os pergaminhos do Futebol Clube do Porto. Este blogue não é Anti-Quaresma - é o jogador que mais pus na coluna "Golos" - mas a minha desilusão não tem fim. É assim que são os golos que ele mais gosta de marcar? Aos beijinhos e abraços com quem lhe roubou um campeonato ao colinho e ao anti-jogo? Com quem se tinha pegado com o seu treinador minutos antes? É isto que mostra a tradição de João Pinto, Lima Pereira, Aloísio, Jorge Costa, Fernando Couto ou André? É isto que é um Portista?

Não caibo em mim de fúria. Julen Lopetegui errou várias vezes, pode não ter acertado na táctica para este jogo e isso é discutível, é uma opinião que eu respeito. Mas é inegável que, durante um ano inteiro foi a única voz a chegar-se à frente nas alturas complicadas. Foi o único que deu o peito às balas, foi o único que nunca se calou e se atravessou pela equipa e vem-me um birrento e faz-me uma destas? Pensem bem, meus caros Portistas, qual é a imagem da Raça que pretendem. A de cima ou a de baixo. 

Tenho dito. Citando e subscrevendo o meu prezado Vila Pouca "Essa da troca de camisolas e do abraço com beijo, remeteu-me para a entrevista de Lima Pereira ao Bernardino Barros. Mas se o Porto ainda tem alguma coisa daquele Porto que falava o Lima, na próxima época ou estará cá um ou outro. Os dois... tenho muitas dúvidas. Ou então isto está ainda pior do que penso."

Uma vergonha.


Em outra breve nota, digo que não vou ver mais nenhum programa paineleiro depois do absoluto espectáculo que foi ver o especial que deu após o jogo na SIC Notícias. Dois homens cultos, inteligentes e razoáveis a falar sobre os seus clubes com uma absoluta classe e preparação. Que diferença quando as pessoas não vem para programas vomitar bílis ou dizer que sim com a cabeça! 

Independentemente da côr política, tanto o dr. Diogo Feio do lado do Futebol Clube do Porto como o dr. Nuno Rogeiro do lado do benfas, foram o exemplo da classe e da inteligência, o primeiro exemplarmente preparado, como sempre, demonstrando o óbvio, que graças a Lopetegui o FC Porto conseguiu fazer uma época muito acima de qualquer expectativa em Junho de 2014 depois do pesadelo Fonseca e que, mesmo perdendo contra a maior equipa do Mundo, nos devolveu o prestígio internacional e a projecção de vendas, e Nuno Rogeiro ao saber admitir que "falta um nome de referência" ao benfas e que uma equipa que se quer grande "não pode ficar contente com vencer títulos nacionais" desistindo, desde Novembro, de qualquer coisa internacional.

Aliás, vê-lo mostrar as evidências ao senhor Rita foi muito bom, com este último a fazer a apologia de mediocridade.

Diogo Feio fez nota de que Pinto da Costa está a dar um contrato de 3 anos pela primeira vez e falou de uma coisa óbvia: as boas vendas darão o equilíbrio financeiro que nenhum dos seus rivais terá, assim podendo garantir jogadores de qualidade novamente. Onde é que o dr. Diogo Feio é paineleiro? Em nenhum programa, porque pese a sua disponibilidade, não precisa do cheque, nem de vergar a cabeça ao pensamento dominante.  

domingo, 26 de abril de 2015

Jogo Passivo


No andebol há o jogo passivo. Nesse jogo passivo, se não se atacar durante um determinado período de tempo, a bola passa para o adversário. Foi isto que aconteceu, e não há nada a fazer. Acho que Lopetegui deu o jogo ao chiclas, ao pôr um Brahimi inoperante na primeira parte e jogar a defender foi deitar fora 45 minutos. Este era forçosamente um jogo de riscos. E o fim do jogo disse tudo - bola para trás e etcetera. Perdemos um campeonato por não atacar. Eu acho que o perdemos. Não acredito que o benfas vá perder 4 pontos em 4 jogos.

Agora, desistir, só no fim. Mas é preciso um milagre. Porque o FC Porto não jogou intenso e atacante. Não há jogo que se ganhe sem golos. E fizemos o jogo do benfas. E agora vamos ouvir falar do fim das hegemonias. E agora vamos levar com o fim dos tempos. E agora, vamos sofrer todo um ano de toda a espécie de parvoíce.

Não podia ser aquilo que foi. Foi aquilo que não podia ser.

"No goals, no ganha" - Bobby Robson

sábado, 25 de abril de 2015

A Prova Dos 9.


Amanhã teremos a verdadeira prova dos 9. A prova de saber a valência de todo o trabalho deste ano no FC Porto. Não aceito, repito, não aceito, que a equipa que jogou da forma que jogou no passado dia 15 faça menos do que dominar completamente o seu rival, amanhã às 17h.

Estamos na fase das decisões, portanto não aceito desculpas. Quem conseguiu surpreender o Bayern de Munique tem de saber superiorizar-se ao "mestre da táctica" e à sua táctica anti-jogo. Não pode haver falhas, tem de se dar tudo por tudo nos 90+whatever minutos.

Temos de saber o que está em jogo aqui. Não é só a nossa moral e força, não é sequer só o campeonato. Será todo um ano de enjoativa perseguição, de "fins de hegemonias" e discursos quejandos. Será, caso aconteça uma derrota, a supremacia de quem trapaceou, enganou, manipulou e pressionou, de quem joga a favor da maré.

Se calhamos de perder, perderemos a paz de espírito durante um ano inteiro, que é a única coisa que nos vai ser garantida se por ventura ganharmos o campeonato. É necessário saber que temos de ter aquilo que significa ser o FC Porto: a Raça.

Se entrarmos sem Raça, não perderemos só o desafio, teremos perdido a nossa Identidade. Essa Identidade tem que ser bandeira, tem de ser porta-estandarte do nosso jogo. Se a tivermos, venceremos certamente. Porque somos melhores. Porque somos o Futebol Clube do Porto.

Convocados: Helton, Fabiano, Ricardo, Martins Indi, Maicon, Marcano, Danilo e Alex Sandro, Casemiro, Quintero, Evandro, Herrera, Óliver e Ruben Neves. Quaresma, Brahimi, Hernani, Jackson Martínez e Aboubakar.

O Meu Onze Provável (4x3x3): Fabiano; Danilo, Maicon, Marcano, Alex Sandro; Casemiro, Herrera, Óliver; Quaresma, Jackson, Brahimi;

quinta-feira, 23 de abril de 2015

Ao Cuidado do Exigente Culto


Prezado Exigente Culto (EC),

Detenho-me a pensar em ti, contemplo-te com inveja. Invejo os teus poderes sibilinos, a tua inata capacidade de saberes que tudo vai falhar. Invejo o quanto estás preparado para o fracasso, invejo a tirada irónica do teu olhar, ao género do "vais-te lixar não tarda nada". Invejo o teu cinismo e a forma como te vês a ti próprio. No teu olhar, não há nenhum mistério para ti.

No fundo, EC, tu conheces todas as tácticas, sabes que jogador está preparado para cada dado momento. Constatas o óbvio, como se fosse um desenho tridimensional que só a terceira dimensão do teu incomparável génio conseguisse vislumbrar. 

Tremo contigo, EC, pela forma como deves ser estupidamente rico e bem sucedido. Não só porque as casas de apostas já sabem o teu nome de cor, como aquele que sempre acerta, mas também no toque de Midas que deves ter na tua empresa ou nas sucessivas promoções no teu currículo! Saber o que dizer, a cada dado momento, deve tornar o teu sex appeal num Casanova imparável, indomável porque cada gesto está pensado como uma jogada de xadrez.

Constato, EC, não estou ao teu nível. Eu, pateta que apoia e que tem paciência para ver crescer um projecto, não sou capaz como tu de fazer a tua superior gestão de recursos e de percursos. Afinal, como já disse, se todas as tácticas te estão conhecidas, se todos os jogadores têm uma valência conhecida para ti ou são desastres que só tu sabes, não é possível chegar a ver os jogos como tu. Tal como Neo no Matrix, tu já vês o código por detrás da matéria.

A tua forma sarcástica fascina-me, caro EC. Os melhores jogos foram para ti sofríveis, mas dignos de que os visses. As melhores equipas do teu Clube foram vistas por ti, que, naturalmente, conseguiste descortinar, naquele preciso momento, que iam ter um resultado histórico e irrepetível. Deve ser tão fascinante, tu que vives uma versão real do Timetraveler's Wife. Tu sabes que o Histórico está a acontecer no momento! Tu sabes qual é o treinador, desde o momento 0, quais são os jogadores, desde a hora 0, que serão fantásticos! E por isso o teu sorriso tudo diz - tu tens a Fonte do Conhecimento em ti, tens a Pedra Filosofal contigo.

Rogo-te por fim, EC, salva o meu Clube. Candidata-te a lista própria, uninominal, evidentemente, pois tu sabes gerir o Clube melhor que todos os Presidentes, tu sabes fazer escolhas melhor que qualquer Presidente do Departamento de Futebol, sabes mais de contas do que o melhor Contabilista e percebes mais de táctica ou jogadores do que qualquer Treinador.

Ou então não.

Ou então cala-te.


quarta-feira, 22 de abril de 2015

E agora?


O FC Porto investiu claramente as suas fichas, este ano, na Champions League. Deixou cair a Taça de Portugal por isso, e acho que, aqui e ali, o campeonato também sofreu. Apoiei com convicção que assim fosse.

O primeiro objectivo fica largamente conseguido. No total, o FC Porto trará para casa mais de 30M em receitas da Champions. Até ontem, trazia também o bom nome dos seus jogadores mais vendáveis. Vamos ver agora se o tempo esbate este último fresco da memória dos agentes e eles reconhecem o valor.

E aqui está o busílis do jogo de terça. Se jogadores como Yacine Brahimi estavam a dar um esforço extra na Champions League, como explicar o seu apagamento? Muito simples, Pela sua inexperiência. Talvez pela juventude da idade média do plantel, talvez pela forma como se deixaram intimidar, a verdade é que o claudicar nos momentos decisivos tem sido uma infeliz característica do FC Porto deste ano. Uma infeliz característica, diga-se, que Lopetegui tem de assegurar-se que não ocorre Domingo. 

Se, quando enfrentamos desafios decisivos, nos tremem as pernas, vamos ser passados a ferro uma e outra e outra vez. Se não soubermos ter um killer instinct que saiba dar o golpe de misericórdia no adversário, perderemos todas as finais, todos os jogos de um vida. E aí a culpa não será dos árbitros, nem dos média, nem do valor das outras equipas.

Será do Futebol Clube do Porto. Transversalmente. É verdade que já se viu que consegue Ser Porto quando querem. Mas não podem viver numa constante curva sinusoidal motivada pelo medo e ansiedade.

O futebol não é um desporto para meninos. E está na hora de o tomar de assalto e bem de frente. Sob pena de terminarmos o ano como uma equipa que quase esteve lá.

Capacidade técnica para o que aí vem, há. Haverá vontade? Haverá coragem? Haverá Portismo? Temos de ver.

O apoio massivo dado pelos adeptos à chegada exige uma resposta à Porto, a fazer por merecer o voto de confiança dado. Que ninguém tire o pé, que ninguém deixe de dar tudo no campo, que ninguém entre passivo, sem Raça. Aí, não contarão mais connosco.

terça-feira, 21 de abril de 2015

KO Em 20 Minutos


Há noites assim. Só quem não percebe que na outra equipa jogam 6 campeões mundiais e alguns europeus é que pode não entender essa realidade. Levamos um banho de bola dos antigos, de uma equipa que tem mais 350M de orçamento bruto e que tinha o orgulho ferido. Demos uma paulada na Anaconda mas esta acordou e viu a dimensão que tinha. 

Vi no jogo do Bayern tudo o que vi o Bayern ser ao longo do ano: uma equipa com uma velocidade a mais, imperiosa a atacar, ligada como mais nenhuma, fabulosa a defender. E claro, Alex Sandro e, principalmente, Danilo, são nomes já conhecidos. Não jogamos só sem laterais, jogamos sem experiência. E isso foi mortal. Não há culpas estratégicas, há de concentração. Não há "Golos" ou "Faltas", há a evidência: uma equipa jogou e a outra entrou em tontura com aquela velocidade de passe.

No Dragão houve critério e pressão cuidada, mas também houve sobranceria do Bayern. Desta vez houve respeito e atitude. Porque uma final é possível, uma eliminatória é muito pouco provável.

A única coisa que me espanta é, admito, que uma equipa que viveu para a Champions não tivesse sabido reagir antes do intervalo e que o seu agente de mudança fosse um miúdo de 18 anos.

Ainda assim, ninguém esperaria que chegassemos tão longe e, convenhamos, contra o Bayern este resultado foi apenas...normal. E tudo o resto é treta.

Fico muito feliz por todos os benfas virem festejar. Parabéns, agora já podem ser campe... ah espera, não podem nada. Foram eliminados na fase de grupos.

E não me encham a caixa de comentários do blogue com críticas a Lopetegui. Ele não passou a ser uma besta só porque perdeu por 3 golos de diferença contra a maior equipa da Europa. O meu orgulho em Lopetegui e no meu Futebol Clube do Porto continua intacto.


Quem Sabe Sabe E O Julen É Que Sabe


Não vai ser longo este post, meia dúzia de linhas.

Hoje vive-se a segunda parte do sonho, a parte do pesadelo. 70 mil alemães vociferando mais alto do que todos os bombos da Madeira. Um treinador competente. 7 Campeões do Mundo. Um campo com um inclinação de 90%. Toda a trapaça e sujeira permitidas a um. Aqueles que os Deuses querem na final. Aquele que os patrocínios pagam. Aquele que faz audiências. Aquele que tem orçamento colossal.

Do outro lado, a irredutível aldeia Nortenha. 11 bravos contra 16. Uma defesa compacta, mudada mas unida. Um resultado favorável mas longe de ser definidor. Toda uma Nação Portista orgulhosa. E toda a Garra, Vontade, Querer e Ambição de ultrapassar o Cabo das Tormentas. Estamos convosco.

Da minha parte, estou orgulhoso de todos, independentemente do resultado. Já fizeram um milagre, já mostraram que são Porto. Deem o vosso melhor. Mas sem medo. Nada vos defraudará. Porque deixareis tudo no campo.

FC Porto Sempre!

Convocados: Helton, Fabiano e Ricardo; Ricardo Pereira, Martins Indi, Maicon, Marcano, Reyes; Casemiro, Quintero, Evandro, Herrera, Óliver e Ruben Neves; Quaresma, Brahimi, Hernani, Jackson Martínez, Aboubakar e Gonçalo Paciência.

O Meu Onze Provável (4x3x3): Fabiano; Ricardo, Maicon, Marcano, Indi; Casemiro, Herrera, Óliver; Quaresma, Jackson, Brahimi

(Imagens Facebook Tertúlia Portista; Rúben Neves)


segunda-feira, 20 de abril de 2015

A Soberba E O Fogo Amigo


Confesso que estou desapontado e ao mesmo tempo feliz com Pep Guardiola. Confrontado com a derrota, não tem feito outra coisa senão deflectir. Sorridente na conferência de imprensa, Guardiola deu um ênfase absurdo a uma palavra: infiltrado. Quer isto dizer que Guardiola acha que Jackson estava a jogar com analgésicos para não sentir dores. A forma como entrou em campo no sábado desmente-o completamente. Mas mostra uma coisa evidente: tal como com o nosso jogo, Guardiola, em vez de olhar para os seus próprios problemas, está novamente a vitimizar-se. Coitadinho de Guardiola e da sua equipa de 450M. Agora vão jogar Schweinsteiger e Ribéry. Sim, eu acho que Ribéry vai jogar. Mas sobre isso falarei no post de amanhã.

Guardiola veio, na conferência de imprensa, claramente dizer que Jackson contornou as regras. Isto apesar de dizer que "é normal". Isso, señor Guardiola, seja sobranceiro. Disse também Guardiola que não sabia como era Lopetegui como treinador, mas que como pessoa é excelente. Sabe, señor Guardiola, Lopetegui sabe exactamente como você é como treinador. Como pensa. Como reage. Como substitui. Chama-se estudo. Continue a pensar assim! E já agora, com Mullen também ao seu lado, que já disse que "ganhar por 2-0 não é nada de anormal". Fiem-se na virgem e não corram.


Ontem - hoje vá, que não pude ver em directo - lá assisti mais uma vez estupefacto a Rodolfo Reis a dizer que "se o FC Porto não ganhar de nada serviu a vitória de quarta feira", enquanto continuou a defender ad nauseam que Lopetegui queria correr com o Quaresma e não o deixaram. Depois, hora e meia dentro do programa, ficou muito surpreendido quando Rui Santos diz que o FC Porto só ganhou por erros primários do Bayern. e que este perdera porque jogara "ao pé coxinho". Aí, fúria e chispa sairam dos olhos de Rodolfo, indignado porque percebeu que Rui Santos fez o que faz sempre - dizer que não foi o FC Porto que ganhou mas sim o Bayern que perdeu. Meu caro Rodolfo, permita-me uma achega: comece a ver, de uma vez por todas, o que devia estar aí a fazer - defender o seu FC Porto. Se você é o primeiro a atacar, depois surpreende-se?

A ilustrar este post estão duas fotos da maravilhosa recepção de adeptos no aeroporto, à partida para Munique, com os nossos tertulianos Ana Neves e João Santos à cabeça. Estes são verdadeiros Dragões de Ouro (® Tomo III), mas gostava de ter visto a mesma força, a mesma empatia, e a mesma dedicação contra a Académica da parte de todos os outros adeptos à excepção destes dois - que estavam lá, à minha beira, também. 

domingo, 19 de abril de 2015

All-In E O Futuro Começa Com H


Se há coisa que ninguém pode acusar Lopetegui é de não ser corajoso. Adivinhava-se contenção e segundas linhas no jogo, mas não acredito que ninguém tivesse previsto a verdadeira revolução de Lopetegui. Três centrais (Reyes no centro - a Capitão!- Alex Sandro e Ricardo), e depois Campaña, Evandro, José Angel, Evandro, Quintero, Hernâni e Aboubakar. Uma verdadeira revolução táctica cujo esquema de jogo confesso que nem visível ficou, com muitos jogadores com pouquíssimos minutos e que nunca jogaram todos juntos.

Sem nenhum tipo de entrosamento, obviamente, notou-se a falta de ligação em passes de rotura e cruzamentos, mas não creio que se pudesse exigir mais entrega do que aquela que aconteceu. Com a excepção de Quintero - ver coluna "Faltas" - todos os jogadores deram o máximo de si mesmos, e toda a linha da frente procurou incessantemente os golos, alguns que por muito azar não chegaram.

Por isso, Hernâni destacou-se, está visto que temos jogador.Falo detalhadamente sobre ele mais à frente. Marcou o golo muito bem, e a sua capacidade de luta e a sua garra fizeram com que o perigo rondasse sempre a baliza da Académica, que teve no seu guarda redes Cristiano a grande figura com algumas excelentes defesas, que impediram que o golo entrasse. Do outro lado, também Fabiano fez uma excelente defesa aos 63 minutos, numa falha defensiva própria da falta de entrosamento dos jogadores.

Na segunda parte, Lopetegui achou - e bem! - que devia solidificar a equipa, voltando ao natural 4x3x3, entrando Marcano que ajudou a solidificar a defesa por troca com Quintero, depois Óliver por troca com um esforçado Campaña, que não faço ideia porque não joga mais, e finalmente, aos 82 minutos, Jackson para o lugar de Aboubakar.

Aboubakar esse que me deixa preocupado. Não esteve mal, esforçou-se, mas creio estar a ser um peixe fora de água, algures perdido no limbo entre um ponta de lança clássico e o móvel que Jackson é. Nota-se que a sua confiança está a baixar, e sendo que este é o futuro do FC Porto no ataque, presumivelmente, é bom que mude rapidamente.

Pese embora tudo isto, aposta claramente ganha por Lopetegui, que pôs as fichas todas na mesa e, sem ter um Full House, pode-se dizer que ganhou com um par de Ases.


GOLOS

Hernâni - Este jogo teve muito factor H. Como o seu padrinho, Quaresma, nunca desiste dos lances, procura sempre a baliza, tem um jogo junto à linha final potente e, quando souber cruzar mais rápido e tiver mais entrosamento com os colegas, vai ser certamente um dos nossos jogadores mais importantes. O pormenor de se pôr de pé e cruzar para Evandro, na bola que este mandou ao poste, é absolutamente delicioso. Mostra a raça deste grande jogador.

Rúben Neves - O nosso menino tem um controle de bola fenomenal e a sua capacidade de decisão é de ouro. Foi a todos os lances e, não tendo o poderio físico de Casemiro, soube usar o seu excelente sentido posicional para fazer as mudanças de flanco necessárias e abrir os espaços onde eles não existiam. Aposta importante do FC Porto, em poucos anos teremos aqui o Capitão, numa lógica de leitura de jogo muito na linha da de Lucho González.

Evandro - Lutador, raçudo, sabe proteger a bola como poucos e teve em muitas das oportunidades de golo. Um jogador com óptima capacidade de decisão, merecia o golo que lhe foi negado.

Marcano - Que diferença quando está em jogo! A segurança com que vai aos lances, o jogo de áreo (não falhou um corte de cabeça!) faz de um dos nossos M&Ms uma presença de líder. Muito bem!

FALTAS

Quintero - Que desgraça, que tristeza! Não percebo o que se passa com este rapaz! Tem tanta qualidade, tanto futebol naqueles pés, e parece insistir em não querer jogar. Afigura-se contrariado, amorfo« e, se ofensivamente ainda fez alguma coisa - pouco, muito pouco para o que já vimos Quintero fazer! - defensivamente, pura e simplesmente, não existiu. Assim, vão faltando oportunidades para não se mostrar excedentário e dispensável.

Reyes - Também estão a terminar as oportunidades para Dieguito. Um absoluto falhanço como central. Já o vi jogar a 6, e até gostei. Se houver futuro por aí, tudo bem, senão, está a anos luz dos nossos M&M&Ms, e titular nunca será de certeza.

Ricardo a Lateral - Eu vou ser claro. Ricardo tem uma boa velocidade. Já vi Ricardo a marcar óptimos golos, a fazer cruzamentos soberbos e a jogar bem na área. Portanto, Ricardo é um extremo. Lateral direito precisa-se. Não sei o que Lopetegui vai apresentar na lateral direita na terça, mas espero, pelamordeDeus, que não seja Ricardo ou Reyes, senão as nossas hipóteses descem drasticamente, 

sábado, 18 de abril de 2015

O Jogo Complicado Que Deveria Ser Simples E Precisa de Todos Nós


Não há palavras para descrever o que sinto sobre a realização do jogo com a Académica hoje. Não só foi a questão da estupidez da hora, naquela dança de não se saber se era às 16, e depois passou a ser às 18, como à colagem do benfas à nossa hora. Mostra bem a ansiedade e desespero que grassa por aquelas bandas. Mas sobre isso já lá vamos. Teríamos, supostamente, acordo com a Académica para a realização do jogo numa data posterior, mas a Liga não permitiu. Tudo bem, venceremos na mesma. A rotatividade de Lopetegui dará certamente os seus frutos, uma vez que acredito que Lopetegui deixe os seus titulares da Champions de fora, e também Danilo, para não arriscar o amarelo contra o benfas.

Será um jogo complicado, mas todas as pedras que creio que jogarão já foram titulares e isso será visível. Viterbo, que tanto poupou a sua Académica contra o benfas, certamente terá que jogar o jogo pelo jogo - o que é uma vantagem para nós. Ao fim de 3 meses, Adrián López - inserir insulto - vai regressar e eu acredito na sua titularidade. Temos bons valores de meio campo e na frente, temos uma defesa bastante sólida que precisa de ritmo competitivo sempre. Ganharemos, estou convicto, os 3 pontos, mas com mais dificuldade do que deveria ser. E sempre sem ajudas, que isso é para os outros.


E por falar em ajudas, que dizer da imagem acima? Que, se fosse atleta de um clube, ficaria envergonhado se a massa adepta do dito clube me acusasse de ser vendido. Este texto, na porta do Estádio do Restelo, mostra que o #colinho que vai tornando mentirosa a nossa liga, terá o seu expoente máximo hoje. Cinco jogadores - cinco! - do Belenenses não vão jogar por ligações directas ou indirectas com o benfas. Depois da Académica lhes ter facilitado a vida, eis que agora querem ter a certeza que ganham. Tudo bem, só se enganam a si próprios. A nossa equipa, que ombreia de igual para igual com os melhores do mundo, faz por jogar futebol. O "líder" do campeonato tem de trapacear, diminuir, mutilar, condicionar, para "golear".

Tem sempre a casa cheia - metade de borla. Faz goleadas atrás de goleadas - contra equipas mutiladas. Joga sem pressão de calendário - com o beneplácito de regras só para eles. E o seu treinador, num misto de ego e palermice, ainda diz que "as vitórias do FC Porto só mostram o poderio do benfas". Isso, chiclas. Pensa assim, que para a semana, depois de tudo fazer para eliminar uma das melhores equipas europeias na Liga dos Campeões, ainda vos iremos ganhar. E já sabemos, contra 14.

Enchamos o Dragão, mostremos à nossa extraordinária equipa que estamos com eles, especialmente nas horas difíceis. Lá estarei.

E já agora, por falar de mentalidades pequenas, isto mostra um misto de sobranceria e desrespeito que não esperava desta pessoa. É por isso que o Karma é lixado, e há lições para serem aprendidas.

Não tenho lista dos convocados, mas vou apostar num onze.

O meu onze provável (4x3x3): Fabiano; Reyes, Maicon, Marcano, Alex Sandro; Rúben Neves, Evandro, Quintero; Hernâni, Aboubakar, Adrián López. 

sexta-feira, 17 de abril de 2015

Parabéns, Nosso Grande Presidente!


Àqueles da minha geração, é costume perguntar qual foi o símbolo do Clube que mais nos levou a ser ferrenhos Portistas. Uns respondem João Pinto, outros Jorge Costa, outros Domingos ou mesmo Futre. A minha resposta sempre foi imediata e pronta - Jorge Nuno de Lima Pinto da Costa.

A História do meu FC Porto confunde-se, para mim, com a deste mito vivo. Não são só as vitórias, não é só uma questão de palmarés, pois sou um Portista na vitória e na derrota. O que me faz admirar o Nosso Grande Presidente não é só a sua vertente Conquistadora.

Pinto da Costa é um homem de uma cultura imensa. Pinto da Costa é de uma sagacidade insuperável. É um homem que vive para o seu Clube. Posso afirmar, com toda a convicção, que tenho a certeza que, a par dos seu familiares, Pinto da Costa não poria nunca nada nem ninguém à frente daquilo que são os interesses do Futebol Clube do Porto.

Basta ver a forma como, aos 78 anos, ele ainda vibra com todas as modalidades do Futebol Clube do Porto - não é incomum vê-lo no Dragãozinho (® Tomo III) - para saber que o sangue nas suas veias foi, é, e sempre será Azul e Branco.

Pinto da Costa não é só um dirigente desportivo. Não é só marketer ou manager. Pinto da Costa é um símbolo da emancipação do Norte, do re-equilíbrio de toda a nossa região, da afirmação do nosso Poder, Garra e Força de Vontade.

O ADN do FC Porto sempre foi o de Pinto da Costa. Um confunde-se com o outro. É um dos mais temidos e respeitados dirigentes da História, votado o maior de sempre.

Certo que, aos 78 anos, já não terá o mesmo vigor que já teve. Mas mais do que a sua multi-titularidade, Pinto da Costa está sempre com os olhos postos no futuro. Basta ver o que já fez este ano.


A contratação de Julen Lopetegui, a forma como está a construir um projecto de longo prazo e de futuro e, mais recentemente, a venda de Danilo de um forma fenomenal, mostra que não há como o Nosso Grande Presidente. Bastou ver, aquando da venda de Danilo, inúmeros comentários acerca da forma fantástica como Pinto da Costa fez mais uma das suas. A sua fama precede-o.

Tentaram manchar a sua Honra, culpando-o exclusivamente por um problema transversal, apenas pela inveja de nunca poder ser mais ou sequer igual. Não é possível ser excepcional sem se ser genuíno. E não há espaço para cópias quando há Jorge Nuno Pinto da Costa. Parabés Nosso Grande Presidente!

Feliz do Clube que o tem há 33 anos como Nosso Grande Presidente!

ADENDA: Eu, e tenho a certeza que toda a comunidade Bluegosférica, associamo-nos na denúncia da vergonha que foi o insulto ao 4LUSOS do Bibó Porto, Carago! Sabemos que Carlos Daniel, o nosso benfas de Paredes, já treme de raiva e medo por ver-nos bem. Mas expôr publicamente a forma injuriosa e vil com que nos trata é da mais elementar relevância e justiça!

quinta-feira, 16 de abril de 2015

Lopatêgo É A Tua Tia [Átuálizadão, Né?]


Ontem vi o melhor jogo de futebol de toda a minha vida. Desculpem-me todos aqueles que viveram as glórias das Antas, mas quero dizer que esta Raça, este Querer e esta Atitude em nada desmerecem o Futebol Clube do Porto de outrora. Ontem vivi a mais sublime comunhão, o mais exfusiante Nirvana futebolístico de que tenho memória.

Vi toda a massa adepta do Dragão entregue desde o primeiro segundo. Vi todo o carinho, não vi outra coisa senão alegria e cor Azul e Branca. Todos estavam com a equipa. 46 mil de nós (+4 mil alemães). Mas tudo superou as mais delirantes expectativas. Entrou um Futebol Clube do Porto pressionante, olhos nos olhos, sem medo. Contrariando a ideia do próprio Bayern. E diga-se, também a nossa. Dessa surpresa nasceu o primeiro golo. Que devia ter dado um vermelho a Neuer. Mas sobre isso já toda a gente fala, não vale a pena falar.

Falar, sim, de um homem corajoso - Ricardo Quaresma. Um homem que não vacilou, marcou o penalty como marca sempre, em pausa, "lendo" o guarda-redes e mandando a bola para o lado contrário. Melhor guarda-redes do mundo, candidato à Bola de Ouro? Indiferente. E assim foi. e passado pouco tempo, roubo de bola do mesmo Homem Sem Medo, passada larga, afirmativa, intensa, golo.

Delírio total. Era incrível. Por momentos, não era uma equipa com um orçamento de 450M do outro lado - era só um adversário difícil. Aí caiu um pouco a ficha - caramba, estamos a ganhar 2-0 ao Bayern! É melhor segurar isto! Erro de palmatória, pago caro com a única falha defensiva do encontro, com Maicon a contar com Indi e vice versa, deixando Thiago Alcântara em frente à baliza e este a fazer a sua parte.

Calma, calma, dizia o nosso superior treinador. E com este susto se foi recuperando. E veio o intervalo.


Mas na segunda parte, o que parecia de sonho tornou-se divinal. Foi um Futebol Clube do Porto perfeito este que regressou dos balneários, ainda mais coeso, ainda mais forte, ainda mais unido. Reduzindo o jogo do Bayern à inconsequência. Nenhuma oportunidade contundente do Bayern. Pelo contrário, Neuer era obrigado a mostrar os seus galões, uma e outra vez, quer a defender milagrosamente um cruzamento-remate de Alex Sandro que, por milímetros, não entrou, quer a buscar a correr para trás uma tentatica de chapéu de Casemiro da linha do meio campo quer a defender milagrosamente o remate de Herrera numa jogada de perfeito entendimento com Danilo. Mas não aguentou, finalmente, Alex Sandro a fazer de Casemiro e a fazer um passe longo para Jackson, que Boateng não intercepta. E Jackson fez o que Jackson melhor faz, que é tirar o guarda-redes da frente e rematar para a baliza vazia. 

Jackson, sim, Jackson. Quem acompanha este blogue sabe, pelo meu post anterior, que o incluí no onze. E passo a explicar porquê. O Futebol Clube do Porto fez os últimos treinos à porta fechada. Suspeitei que fosse para preparar a sua arma secreta - Jackson, até porque Lopetegui não faz bluffs. 

Daí ao final do jogo, foi um FC Porto sufocante que não deixou o Bayern fazer as suas jogadas e soube sofrer para levar de vencida esta mão, de uma forma perfeita.

Jackson passeou a sua classe, fazendo crer que a sua lesão fosse fingida, para descansar, tal foi o poderio e o entrosamento. Óliver esteve sempre bem, rodando sobre si mesmo, temporizando, criando as linhas de passe. Herrera, perdulário no início e na primeira parte, recuperou forças e fez uma segunda parte até ao limite. Brahimi fintou até ao infinito e mais além e levou, inebriados, os jogadores do Bayern atrás dele, libertando os colegas. Os centrais foram imperiais, corajosos, agressivos mas não faltosos. Fabiano foi magristral a fazer algumas defesas e a tremer muito muito pouco. Os laterais foram os melhores da Europa, com uns corredores feitos de uma forma superior. Criminosa a forma como um e outro foram amarelados, numa dualidade de critérios a rondar o pornográfico. Casemiro foi mais do que um polvo, foi uma parede. Impecável em cada corte. E principalmente Quaresma. Excelente a forma como atacou, pressionou mas principalmente defendeu. Vê-lo defender bolas aéreas com a cabeça e com pontapés acrobáticos foi um deleite.


Mas o meu MVP vai para Lotopegui. Perdão. Lopotegui. Perdão. Loltepegui. Perdão. Lopatêgo. Perdão. Flopetegui. Não! Lopetegui! L-O-P-E-T-E-G-U-I! Não me canso de dizer o milagre que é tudo isto: Começamos o ano com uma "equipa" esfrangalhada, sem norte nem rumo, praticamente arredada da Champions - quem acreditaria que passaríamos os Play-Off - e condenada ao sofrimento, para uma equipa sólida, forte, unida, coesa. E isso deve-se a Julen Lopetegui! Ele é o obreiro de tudo isto, e, para mim, já tem o ano como positivo - aconteça o que acontecer. 

Ainda que haja arautos da desgraça que antes de cada jogo prevejam hecatombes. Convençam-se: O Futebol Clube do Porto é uma equipa que sabe jogar futebol. Que gosta de jogar futebol. Sabe menos, motiva-se menos, a jogar anti-jogo, matemáticas do pontinho, e toda esta palhaçada que é o futebol português. É este que não merece o Futebol Clube do Porto e não o contrário.

Julen Lopetegui devolveu o Portismo ao Futebol Clube do Porto. Somos grandes, enormes. Somos a surpresa europeia. Somos o outsider que todos estão a temer. E tudo graças a ele. Viva Julen Lopetegui! Viva o Futebol Clube do Porto!



Adenda: Nada como uma visão tropical de um embate Europeu! Muito bom!

quarta-feira, 15 de abril de 2015

É Hoje. Todos No Dragão.


Bayern de Munique. Teoricamente melhor equipa do mundo. Ao vivo. Na minha frente. A partir das 19:45. Bayern de Munique. Götze, Lahm, Müller, Xabi Alonso, Alcânthara, Lewandovsky, Neüer. Bayern de Munique. Pep Guardiola. O inventor do Tiki Taka. Dono das tácticas flutuantes, das triangulações perfeitas. Bayern de Munique. A equipa com o maior orçamento da Europa.

Do outro lado. O meu coração Azul e Branco. Futebol Clube do Porto. Raça, Querer, Superação de si próprio. Futebol Clube do Porto. David contra Golias, com união e determinação. Futebol Clube do Porto. O melhor lateral direito do mundo, Danilo. Futebol Clube do Porto. Quaresma, Óliver, Brahimi. Futebol Clube do Porto. O joker Jackson Martinez. Futebol Clube do Porto. A vontade de fazer História.

Eu acredito que Jackson vai jogar de início. Eu acredito que ele anda a ser preparado nos treinos à porta fechada.

Eu sei quem vai lá estar. Eu. E vocês?

Convocados: Helton, Fabiano, Danilo, Maicon, Indi, Casemiro, Quaresma, Brahimi, Reyes, Quintero, Evandro, Herrera, Hernâni, Ricardo, Alex Sandro, Óliver, Rúben Neves, Gonçalo Paciência, Aboubakar e Jackson.

O meu onze provável(4x3x3): Fabiano; Danilo, Maicon, Indi, Alex Sandro; Casemiro, Herrera, Óliver; Quaresma, Jackson e Brahimi.


terça-feira, 14 de abril de 2015

Não É Uma Desvantagem, É Um Privilégio


Farei a minha antevisão do jogo da Champions amanhã, mas antes gostaria de endereçar o seguinte sentimento. Quero deixar perfeitamente claro que não acredito que um só Portista fosse capaz de prever, no início deste ano, que a esta altura estaríamos nos Quartos de Final da Champions League. Só por isso, já estou agradecido a Julen Lopetegui. Este ano tem sido, na minha perspectiva, um verdadeiro milagre.

É um milagre termos restabelecido um grupo unido, coeso, forte, numa só época. Antes, demorou-se duas a três. Não esqueçamos que Julen Lopetegui vai batendo recordes, e consolidou definitivamente um sistema de jogo, um que estou certo será para o futuro.

Como seria o FC Porto de Fonseca/Castro contra o Bayern? Não chegaria aqui. Viemos sem bilhete, com a plena convicção por parte dos adeptos que, se passássemos a fase de grupos, já seria uma sorte. Encontramos um "grupo fácil", um "adversário fácil" na pré-eliminatória e o Basileia foi "a nossa sorte grande".

Esta narrativa perdurará mesmo que vençamos o Bayern, porque será o "Bayern B". Mas sobre isso falarei amanhã. Hoje falo da narrativa dos jornais e media geral. Estão a vender-nos que é uma desvantagem estar na Champions League, porque nos vai tirar "frescura" para o campeonato.


Eu prefiro estar na Champions League, sinceramente, e arriscar não ser campeão. É uma prioridade inteligente pôr a chegada, o mais longe possível, na Champions, à frente de tudo o resto.

Fixos estão já 30M para a próxima época. E só isso já garante que não vamos ter de fazer um desmembramento para o ano que zbordem e benfas terão necessariamente de fazer, por falta de liquidez. E para o ano teremos um modelo consolidado, uma equipa forte e, com o orçamento que teremos, uma equipa equilibrada, reduzida é certo, mas de uma forma suave e que criará, para o ano sim, uma assimetria maior para com os outros. 

A oscilação do FC Porto presente no início da temporada, não será vista para o ano. E devemos isso a termos conseguido o nosso principal objectivo, ter chegado longe na Champions. Isso é a base de um caminho a longo prazo. E só assim se faz um bom Futuro.

P.S: Recuso-me a comentar a capa do Rascord, é ridícula demais. E espero que tenhamos forças para o galinheiro. Se as tivermos, ensinaremos a lição já este ano. E, quanto às exigências do chiclas adoro momentos de humor. Mas o pior é que o homem não está a gozar. Ele pensa mesmo que tem hipóteses. O verdadeiro Narciso que morre contemplando-se nas margens do rio. Já agora, subscrevo inteiramente o Tribunal do Dragão. Espero ávidamente o sumaríssimo.

Comendo o esforço do Dragão Diário. É um passo na direcção certa. Mas tem obrigação de ser muito melhor.

segunda-feira, 13 de abril de 2015

O Importante É Não Ter Medo do FC Porto


Rui Santos, ontem, no final do programa Play-Off, rematou a conversa da incerteza arbitral ao dizer que o mais importante foi "que os árbitros deixaram de ter medo do FC Porto". Essa era a verdade desportiva de Rui Santos. Não interessa o que aconteceu ontem, no sábado ou no futuro. Interessa, sim, tentar eliminar a comichão nortenha, para que haja, de novo, o futebol entregue à capital e à segunda circular.

E que bela lição que teve Rodolfo Reis, que passa a vida a dizer mal do "seu" FC Porto no dito programa, a ser o primeiro crítico e a dizer que os outros, especialmente o senhor Santos, estão "corretíssimos", ao ser focado em grande plano e ao ter António Simões a perguntar se "custa, não custa?", quando ele, atrapalhadamente diz que agora "passam a ter medo do" benfas, demonstrando o quanto, na verdade, está sozinho naquele programa e em todos os media que fazem as loas do superior benfas, e o quanto está desajustado vindo do bando de insurrectos lá de cima.

Já nem falo do Trio D' Ataque, onde Gobern tem a lata de se insurgir contra a entrevista a Lopetegui ser feita por Rui Cerqueira e Júlio Magalhães, quando o seu clube tem um canal de pura propaganda 24 horas e quando ainda acha "brilhante" aquele burgesso gozar com o nome do seu colega do clube rival, dizendo que é "brincar consigo próprio". E com Miguel Guedes, insuspeito Portista e genuinamente boa pessoa, a "dar por parabéns" pela campanha #colinho.

Se nem a própria SAD se insurge contra nada disto, porque haveremos de o fazer nós? Ou porque hão-de estar os paineleiros preparados? Eles são só o reflexo do que a Estrutura do FC Porto deixou o Nosso Grande Clube tornar-se, às bocas do mundo - uma piada, algo que ninguém respeita ou elogia. A passividade é permissiva. A permissividade anula. E o Futebol Clube do Porto passou de temido a gozado. Parabéns!

domingo, 12 de abril de 2015

Clarificações Que Se Impõe


Não vou dar grande introdução a este post. Venho só sublinhar algumas notas sobre o dia de ontem, uma vez que penso que, quer a massa adepta quer a generalidade dos media passou ao lado de algumas questões essenciais .

- O fora de jogo de Danilo pode ser entendido como tal, mas não se armem os paineleiros em virgens ofendidas. Reveja-se o golo de Jardel ao zbordem, veja-se de onde vem Maxi Pereira, que interfere na jogada, e diga-se alguma coisa. É elemental, também, que um auxiliar que não viu que Brahimi estava completamente em jogo no primeiro golo - e que jogo diferente teria sido se, aos 9', já estivesse 1-0 - não deve estar com a atenção completamente focada no jogador setentrionalmente colocado aquando de uma bola ao poste, mas sim, naturalmente, focada no que se passa junto à baliza.

- Depois de Adrián, é a vez agora de Aboubakar. "A diferença de classe para Jackson é evidente", escreve O Jogo. Desculpe? Pardonnez-moi? Aboubakar, chegado este ano, com poucos minutos de jogo, titular à pressa, com 23 anos, tem de ser igual a um Jackson Martinez de 29 anos e três épocas no FC Porto? Tenham juízo! Aboubakar, para mim, está a fazer uma evolução brilhante e exponencial, e sou capaz até de crer que tem qualidade para ser mais do que Jackson. Os seus erros tem diminuído, as suas arestas têm sido limadas e Aboubakar nunca relaxa, não é passivo e é humilde. Gosto muito de Jackson, mas sou capaz de apostar que Abou não vai andar constantemente a falar de transferências. Só este ano, depois de três anos, se vê um Jackson verdadeiramente comandante e essencial. Dadas as condicionantes, muito tem feito Aboubakar! Não se aprendeu nada com a questão Danilo?

- E agora Lopetegui é criticado por não falar de arbitragem? Em que ficamos?! Primeiro "insulta uma nação inteira" e "desrespeita os portugueses" e agora "foge às questões do jogo"? É isso, muito bem, o que se queria. Assar e virar o frango, deixá-lo tostar bem tostadinho! Já uma boçal criatura gozar com o nome do seu colega, é normalíssimo, verdade? Nem um reparo, uma crítica, uma opinião!

- E por falar nesses, fico tão feliz que falem em "demolidores", "goleada para o título" e por aí em diante! Quero-os é bem inchadinhos e a pensar que os jogos são todos favas contadas! Gosto do excesso de confiança dos rubros, é sempre algo que favorece... a nós. E já agora, dou 10 pontos àquele mergulho do Lima. E espero pelo "Sentados No Banco" com a Académica, o "fundo da semana" com a Académica e o "Lado B" com a falta de competitividade da Académica! Não, não, pouco competitivo é o Estoril! Ou o Rio Ave, já agora!

- Terminando, quero aqui parabenizar alguém que consegue vencer a taxa de desemprego deste país, indo contra a corrente exposta pela OCDE, num verdadeiro contra-ciclo! Piadas à parte, está visto que quem vai ao beija-mão nunca fica sem um tachinho. E com isto se esfuma uma referência minha de Portismo, desde sempre, transformada na sua própria piada fácil. Qual Punch-Me-Clown, sempre sorridente falando uma hora e meia de benfas, e atalhando com uns trocos mal metidos sobre o Clube que fez dele tudo o que ele é. Não faz mal, de yes-mans não reza a história.


sábado, 11 de abril de 2015

Um FC Porto à Porto Na Vila


Quando se entra com vontade, quando não se tira o pé e se está atento, há uma exibição convincente. Forte entrada no jogo, a procurar incessantemente o golo contra o vento, chegariamos ao primeiro por Brahimi logo aos 7 minutos. Ah, não, espera, não chegamos nada. Tiraram-nos um golo perfeitamente legal. Mas a equipa não esmoreceu. Continuou a insistir, a insistir, a insistir, até que o Capitão Danilo consegue cavar um inequívoco penalty - desta vez assinalado - que Quaresma converte de uma forma brilhante, com calma e confiança. Logo depois há um certo abaixamento das linhas, mas durante pouco tempo, e logo se retorna a toda a força, insistindo uma e outra e outra vez. E assim, em cima do intervalo, a bola acaba por dar uma prenda ao Capitão - o 100º golo deste ano é seu.

Assim se foi para o intervalo, assim se veio, a tentar controlar a vantagem de 2-0, já a pensar no Bayern. É justo, é legítimo, não fosse o meio campo relaxar um pouco demais e permitir a redução pelo Capitão Caxineiro, Tarantini. Lopetegui, inteligentemente, persiste na alteração, troca Brahimi por Rúben Neves e deixa para um voluntarioso Hernâni, que entretanto rendera Quaresma, a iniciativa do ataque. Pouco tempo depois, acabaria mesmo por ser Hernâni a definir o resultado final, através de uma excelente temporização e assistência de um formidável Aboubakar, que merecia ter marcado um golo. Mesmo assim, fico feliz porque o meu FC Porto nunca deixou de procurar dilatar a vantagem e segurar os dois golos de diferença até ao fim.

Então e hoje, o Rio Ave é fraquinho também?

(Neste post são dadas a conhecer as novas leis do fora de jogo, nesta inequívoca imagem).


GOLOS

Danilo - O Capitão mostrou que ser contratado pelo Real Madrid só o fez pensar mais ainda... no FC Porto. Fantástico, a todos os níveis. Solidário, comandante, forte, presente no ataque e na defesa. O facto de acabar o jogo ao sprint diz tudo do que é deixar a pele em campo. Vou despedir-me dele de pé, aconteça o que acontecer.

Quaresma - Está a imprimir uma atitude à Porto com as suas entradas raçudas em jogo. Hoje Lopetegui foi inteligente, ao saber substituí-lo quando lhe acabaram as pilhas. Ainda assim, absolutamente essencial na primeira parte, a partir os rins a todos.

Aboubakar - O nosso ponta de lança está cada vez mais completo e sempre a procurar o golo. Nota-se a sua evolução a passos de gigante de dia para dia. Ainda não está completamente afinado, mas indicia uma próxima época cheia de qualidade e de golos.

Hernâni -  Está a adaptar-se muito bem ao seu lugar de extremo veloz e, tal como Tello, só tem de afinar a pontaria. Falta muito pouco. Ainda mede mais ou menos os passes e o seu entrosamento com os seus colegas ainda não é espectacular.

Atitude à Porto - Há lá maior Mística do que reagir a um golo partindo para cima do adversário? Não me falem mais que esta equipa não tem atitude.

FALTAS

Relaxar ma non tanti - Compreensível tentar gerir o resultado para a poupança para o Bayern ao 2-0, mas foi um pouco demais e consentiu-se um golo com muito espaço na área. Inteligente Lopetegui ao segurar o meio campo com Rúben Neves, a impedir a reacção caxineira.

O FDP do vento - Palavras para quê, esta zona é assim.


Ganhar o Campeonato Caxineiro


Ganhar o campeonato caxineiro não é fácil. Nunca o foi, não o será agora. Tão importante como a concentração dos jogadores - e o medo de lesões e complicações para quarta feira - é mesmo o facto do Rio Ave querer sacudir o pó dos seus últimos resultados, que nada tem a ver com a capacidade da equipa. A somar a isso vamos ter um Rio Ave que tem ainda um objectivo - a Europa. E para o orçamento Rio Aveiro não é coisa de somenos. Por isso, é para mim, fora Bayern e benfas, o jogo mais difícil até ao fim do campeonato. Há que ser mais combativo e forte do que temos sido nos últimos jogos. 

Uma coisa é certa: o Rio Ave quer jogar futebol. Não está neste jogo para a Matemática do Pontinho. E nós gostamos de equipas que querem jogar futebol. O futebol bom do Futebol Clube do Porto joga-se melhor quando não está tudo fechado lá atrás. E, depois do jogo com o Nacional, acho que a equipa já aprendeu que tipo de atitude deve ter. Só a Raça, Orgulho, Querer e Determinação podem vencer uma equipa com as mesmas características. Se vacilarmos agora, perderemos o campeonato nos Arcos.

Convocados: Helton, Fabiano, Danilo, Maicon, Marcano, Casemiro, Quaresma, Brahimi, Reyes, José Ángel, Evandro, Herrera, Hernâni, Ricardo, Alex Sandro, Óliver, Rúben Neves, Gonçalo Paciência e Aboubakar.

A minha equipa provável (4x3x3): Fabiano; Danilo, Maicon, Marcano, Alex Sandro; Casemiro, Herrera, Óliver; Quaresma, Aboubakar e Brahimi.

P.S.1: Não gosto mesmo nada que se fale das equipas que defrontam o FC Porto como más, ou que fizeram um jogo mau. O FC Porto não vem passear! O Estoril fez o jogo que lhes deixamos fazer! A posse de bola não é inconsequente. E quem joga para a Matemática do Pontinho connosco, arrisca-se a perder expressivamente. E atenção. Não digo que isso não seja natural nos media. Nenhuma vitória do FC Porto é válida. Agora, dos nossos adeptos e bloggers?

P.S.2: Esta quinta feira Bernardino Barros entrevistou um herói da minha infância. Não directamente, mas o nome Lima Pereira faz parte de toda a minha adolescência. Tenho o privilégio de ter vivido por cima do café do irmão de Lima Pereira, o Café Lima Pereira, um saudável reduto de Portismo, e de ter vivido a adolescência com os meus amigos Márcia e Miguel Lima Pereira. Não vos vejo há muitos anos. Aqui vai, desde já, um grande abraço. O sr. Lima Pereira, irmão do jogador do FC Porto, era dos mais fervorosos adeptos que já vi, e um grande contribuidor para o meu Portismo. Bem haja e um abraço!

P.S.3: O senhor chiclas tem sempre as tiradas que, não só demonstram a sua pequenez e mesquinhez, mas também que só um idiota pode gabar-se da sua incultura de uma forma tão absurda. É por isso que podes ganhar bi-campeonatos - não ganharás o tri, isso é certo - que a Champions League para ti, aqui, em Milão, no Cristal Palace ou no raio que te parta, só a vais ver por um canudo! Diverte-te com as tuas Taças da Liga enquanto nós granjeamos o respeito internacional e o mercado que só pode estar nos sonhos húmidos do teu presidente. Todos nós sabemos que estás com um pé fora, que isto não é coisa que te preocupe, mas sabes, meu inculto anormal, a gerência agradece: Mandas aí a bomba antónia por não teres ido à xémpiéns e por te borrifares nos da casa, e enquanto as tuas pérolas saem a conta-gotas, atiras a tua equipa naquilo que será mais um deserto de muitos e longos anos. Porque pessoas pequenas só pensam no seu umbigo, enquanto que grandes edificam.


quinta-feira, 9 de abril de 2015

Força Azul e Branca e Motivação Contra A Vergonha


Ontem foi um dia bom para o Futebol Clube do Porto. Os Sub 19 venceram o Gil Vicente, seus adversários mais directos, por 2-1, e deixaram para trás os nossos amigos da segunda circular. Um belíssimo jogo dos miúdos, que sofreram muito daquilo que sofre a equipa A - uma arbitragem vergonhosa, com um penalty não assinalado sobre Leonardo Ruiz e um penalty marcado a Malthe Johansen que só existiu na cabeça do árbitro, mas que o mesmo Malthe soube ultrapassar, marcando de cabeça um livre. Gostei bastante de ver uma reacção à adversidade à Porto, e em especial os olhares atentos de Lopetegui e Pinto da Costa. Há muito talento por ali, e a raça que vi neste jogo é uma que me dá uma grande esperança que a Chama do Dragão continue.

Assim como estou muito feliz com a exibição do FC Porto B na Premier League International Cup ao vencer o Bilbao de uma forma categórica e convincente. Funcionou tudo muito bem e, apesar do resultado ter sido 3-2, o penalty em cima do apito final que deu o 3-2 foi forçado, no mínimo. Acho que Fréderic Maciel tem um futuro muito bom, assim como David Bruno e Rafa.

Mas a mais saborosa de todos foi a vitória da nossa equipa de Andebol por uma margem de 9 golos! E chegou a estar a 11! Absolutamente demolidoras as exibições de Gilberto Duarte e Alfredo Quintana no ataque e na defesa, reduzindo o benfas a pó, como merece. 17-26! Aliás, basta ver as imagens do pavilhão para ver o quanto a massa adepta benfas gosta de andebol.

E, já agora, por falar em benfas, nada pode motivar mais a nossa equipa principal de futebol do que esta nojice. Não é só provocatória. É a noção de total impunidade que acompanha os de Carnide, com a noção de que têm tudo e todos do seu lado. Se o FC Porto tivesse uma campanha denominada #apito ou #fruta, imagino o escândalo que não haveria por aí. E já que a Estrutura do FC Porto nada faz, ganhemos contundentemente no campo e mostremos que tudo isto não serve para nada porque vencemos contra tudo, contra todos e contra tolos!

De qualquer forma, isto aqui em baixo é uma prova do que está a acontecer. 


quarta-feira, 8 de abril de 2015

Autofagia Contraditória Adepta.


Não compreendo, seguramente, o que é ser adepto de um clube de futebol. Não devo entender o que é ser adepto do Futebol Clube do Porto. Eu pensei que um adepto, mais ou menos fervoroso, era alguém que queria ver o seu clube e jogadores vitoriosos. Sei que há aqueles mais indiferentes, que não sabem a que horas dá o jogo, que não sabem a constituição das equipas, que talvez pensem em ver ao vivo o clube em dias de Clássicos. Sei que há os bonómicos, aqueles para quem "ganhar ou perder tudo é desporto". Para esses é sempre um dia de Sol radiante - quando a coisa corre menos bem, volta-se para casa e pelo caminho encolhe-se os ombros algumas vezes, como que dizendo, "há coisas piores". É uma verdade insofismável que sim.

Depois há os fervorosos, aqueles que encaram os jogos como as batalhas de um tempo moderno, aqueles para quem o Futebol Clube do Porto é a sua tribo e pensam e respiram FC Porto. Em maior ou menor grau - há aqueles que granjeiam ódio pelas outras partes, aqueles que pensam tudo azul, a toda a hora - o adepto fervoroso é aquele que está lá, sempre, chuva, frio, neve, sol, tosta. Esse é o que entoa os cânticos, o que apoia a equipa, que sabe que é o 12º jogador, que muitas vezes sacrifica o seu bem estar monetário e familiar em prol do clube que ama.

Depois há, no FC Porto, uma espécie nova - os autofágicos. Sendo canibais, alimentam-se das perdas do clube que dizem apoiar, como se o segredo da Pedra Filosofal do futebol lhes tivesse sido confiado.Qual Neo quando vê a Matrix pela primeira vez, sentem-se capazes de deslindar o óbvio: o treinador é patético, os jogadores imbecis e o jogo uma vergonha.

Vencer ou dizimar não chega. Tem de ser sempre com jogos superiores, domínio para lá do razoável, nota artística elevada e todo um manancial de exigências que lhes parecem triviais, para que o clube seja digno que tais majestades se sentem na cadeira do Dragão, ou deem o seu selo de aprovação na rede social que preferem, no café que frequentam.Esquecem-se no entanto que é nessa vox populi que acenta a base do comentário faccioso adversário, que os alimenta e os faz olhar sobranceiramente para nós. Não impota, querem ter razão. E isso é o que importa. Mesmo que, no dia 24 de Maio, vão festejar com todos os outros.

Os adeptos autofágicos são Narcisos, não veem para lá do próprio umbigo. Fazem a esquizofrénica tarefa de prejudicar a auto-estima e a confiança de clubes e jogadores, com o único fito de saberem que possuem a resposta que, sobranceiramente, se superiorizam por achar ter.

De nada importa que, em vez de aplausos, haja vaias. Esse tipo de adepto acha-se "exigente". Porque já fomos melhores. Porque tem de ser tudo prêt-a-tout, jogadores, Estrutura, técnico. Arautos da desgraça, calam-se e não comentam quando a coisa corre bem, vem a correr mal a coisa dá para o torto. E depois lembram-se do El Dorado de troca o passo, esquecendo-se que a Nostalgia tem um inebriante perfume que apaga da memória os tempos mortos, os empates nulos, as perdas monstruosas, os ganhos in extremis. Nada disso. Isso nunca houve. Houve um futebol perfeito, lindo, goleadas infindas.

Que agora já não há. E assim ajudam a equipa a perder, não a ganhar. E sorriem, dizendo, "este clube não me merece". Até ao dia em que vence. Aí já é "Somos Porto", "somos campeões". Que tipo de adepto é o leitor? Que tipo gostaria de ser? É que, não esquecer, são esses últimos os que permitem múmias dizerem que "o Quaresma foi assobiado" e o Cutty Sark falar de "frangos" e de "dois erros de arbitragem clamorosos, uma vergonha".

E eu pergunto; "De que lado querem ficar?"

Pensem nisso.