quarta-feira, 31 de agosto de 2016

Quem Sabe, Sabe E O Norte É Que Sabe


Exemplarmente escrito, como sempre. O meu pensamento como o de muitos e muitos outros Portistas. Acredito que a grade maioria de nós. Escritas da pena de um homem corajoso e frontal, a quem já ouvi dizer tudo isto - ou uma versão aproximada - em pessoa ao Presidente. Bravo, Norte, este post diz tudo! Escusado será dizer que subscrevo na integra!

terça-feira, 30 de agosto de 2016

O Barril De Pólvora [ACTUALIZADO]

Ontem aconteceu uma coisa extraordinária: por todo o lado, nos três canais onde a noite desportiva aconteceu - TVI24, SICN e Porto Canal - houve algo inédito: os três comentadores afectos ao FC Porto tiveram reacções de indignação pelo estado das coisas no FC Porto e/ou sobre o jogo.

Primeiro, claro, Bernardino Barros, a quem aplaudo de pé. Não só sobre o jogo, não só para fora como também para dentro, BB deu todos os recados e explicações que eram necessárias e foi um bom exemplo de como se sente o adepto Portista: farto de tão evidente desprezo e de tão clara inacção dos responsáveis. Foi especialmente relevante e comovente, para mim, a forma furiosa com que BB abordou esta última parte. Tem razão, Bernardino, estamos todos muito fartos desta forma de não-reacção às coisas que grassa pela nossa estrutura directiva! 

Compreendo que não o possa fazer totalmente na TVI24 - não teria espaço para isso e muitas das farpas foram para dentro (e bem metidas) - mas fica aqui o repto: tal como na Revista à Portuguesa no tempo do fascismo, se não o pode fazer directamente no discurso, mande umas indirectas nesses programas - para bom entendedor, meia palavra basta. Acredite: todos nós apreciamos a sua força e Portismo, se ele for o nosso novo doutor Pôncio Monteiro, ficar-lhe-emos para sempre gratos e de si orgulhosos. 

Mas atenção, também Manuel Serrão, habitualmente tão longe do sentir Portista, ontem tomou as nossas dores e indignação perante tão ridículo gozo e foi peremptório e  directo: reagiu como todo o Portista quis perante a dança de tentativa de spining de (um ébrio?) Pina. 

E mesmo José Guilherme Aguiar, habitualmente tão insonso como peixe cozido sem tempero, esteve ontem habilmente reactivo a Rogério Alves.

Se isto, só por si, não é demonstrativo de que estamos todos fartos de tão estranho silêncio directivo, não sei o que mais poderá ser. A forma como o discurso foi mudando nos últimos dias nas redes sociais não chega - como se viu, não teve qualquer impacto mediático e foi a toque da indignação generalizada e não atempadamente críticos. É necessário mais. E necessário mais nervo. 

Como dizem, e muito bem, os Guerreiros da Invicta aqui, "Sinceramente, há coisas difíceis de compreender, até porque todos, mas TODOS, estamos com a sensação de que algo está a manietar a livre atuação da nossa comunicação (FCP)."

Pinto da Costa já teve uma Assembleia Geral de aviso, mas parece não ter entendido. Mas está na hora de ser claro:

Ou o FC Porto deixa de ser de tentar ser consensual e de se achar acima disto - NÃO É E NÃO ESTÁ! - e compreende que seremos sempre INVEJADOS E ODIADOS, que seremos sempre vistos como FEIOS, PORCOS E MAUS, ou o caminho estará aberto para que OUTROS com mais SANGUE NA GUELRA e NERVO PORTISTA possam tomar o lugar.


O actual estado das coisas, a actual não-acção Portista não tem mais caminho. Por todo o lado os Portistas vão ficando fartos deste estranho silêncio que sugere comprometimento que a instituição FC Porto não pode ter! Cada vez mais Portistas se vão fartando de ver um Presidente que só fala nas vitórias e que vai sendo comido - negando os ensinamentos do seu Mestre - nas derrotas, e mesmo os poucos que ainda vão estando com ele, fazem-no pelo que ele já foi e por aquilo que já fez e jamais pelo que faz.

Está nas mãos da Direcção. Ou retorna ao que já foi e que sabe ser - vide a Taça da Liga de Braga - ou o barril de pólvora vai estourar!  

ADENDA: Slimani, Adrien, Coates e William. Todos - TODOS - eles fizeram o mesmo que Sergio Aguero. O resultado para Aguero é este. Reatroactivamente! Haja coragem para se fazer o mesmo em Portugal! Já. 

segunda-feira, 29 de agosto de 2016

Mais Do Mesmo, Mesmo Resultado

Corporativismo FTW!
Se, em vez do polaco, estivesse estado um Tiaguinho no jogo contra a Roma, teríamos perdido, estaríamos na Liga Europa, independentemente da nossa valia.

A juntar a esta verdade crua, diga-se que este foi o mesmo que deu o seu critério interessante ao FC Porto B neste jogo e que já tem um longo e bonito historial de decisões bem giras.

Mas adianta de quê falar? O nosso Presidente só fala quando ganha ou em competições que nada têm a ver com o Campeonato. A ultima reacção de nervo foi há dois anos na Taça da Liga!

A mim não me importa rigorosamente nada em que caldos se encontra o cidadão Jorge Nuno Pinto da Costa. Como Presidente da instituição a que preside, é sua obrigação vir defendê-la. Ou melhor, sua ou permitir que seja de outro qualquer.

Não se admite que o silêncio impere e que venha a "fortíssima" voz do FC Porto através de duas notas no Facebook e Twitter e de uma mensagem deslavada na Dragões Diário. Elas poderiam servir bem como complemento a um argumento e a um discurso, mas não como o discurso em si mesmo!

Naquilo que se vê e ouve, na rádio, na televisão e nos jornais, só ouvi uma pessoa a defender-nos veementemente: João Alves... o paineleiro do benfas  do Play-Off! De resto, o Tribunal d'O Jogo é a vergonha que se vê, o ratazana aproveitou para meter o veneno e no lado dos nossos... nem um deu o murro na mesa!

Tudo entendo.. é complicado, quando temos de fazer pela vida, defender um Clube que nem se sabe defender a sí próprio... como esperar dos outros aquilo que não damos nós? Vão os nossos paineleiros atravessar-se pelo Clube sem nenhuma rede para os apoiar? Vão eles, sem nenhum apoio institucional, directo ou indirecto, contrariar um discurso sincronizado a relógio suíço? Não me parece.

Tenho pena que haja - e cada vez mais parece evidente que há - motivos ulteriores para um silêncio que prejudica activamente o Clube e que permite que se interrompam importantes ondas de moral galvanizadoras. Foi assim com o mês de Abril de Lopetegui, no primeiro ano, é agora com NES, já em Agosto.

Se tivesse havido justiça no primeiro ano de Lopetegui não teria havido tri, se fossemos campeões não haveria a vergonha contra a Académica e não estaríamos nesta situação. É o que é. Finalmente criamos identidade à Porto no campo, mas não se enganem: se não for alimentada com a mesma raça por parte da Direcção, este querer morrerá.

E aí, sim, poderemos queixar-nos de nós mesmos. Mas não por causa da nossa defesa, da táctica ou do plantel. É porque não se pode pedir a jogadores que venham jogar para um Clube onde os adeptos exigem que seja normal jogar contra 14, não se pode pedir a treinadores que venham treinar um Clube que não os apoia e os deixam a ser porta-vozes isolados dos mesmos e não se pode, em bom rigor, exigir à massa adepta que defenda mais o Clube do que quem dele vive.

Perderemos poder, influência, capacidade de implantação no mercado e até destruiremos a "marca FC Porto".

E, sim, a "marca FC Porto" não passa também por pôr os jogadores a jogar com o equipamento que vende menos. O amarelo não era o terceiro equipamento? Onde fica o preto? E contra o sportem sempre Azul e Branco, carago!

Um Porto à Porto tem de começar de cima! Senão, toda esta Raça, entrega e Querer, não passarão de um bom tempo passageiro.

E, já agora, vamos comparar a verdade com o que dizem os "tribunaleiros" acerca da mesma? Ok... quem não tem vergonha....

domingo, 28 de agosto de 2016

Análise sportem 2-1 FC Porto Perder Na Modalidade Errada E Um Aviso

Fico muito preocupado quando vejo jogadores a jogar a modalidade errada. A sério que fico. Não jogou Daymaro Salina e Yoel Cunni Morales na primeira parte, claramente faltou-nos ponta direita e o Miguel Martins esteve claramente ausente. No entanto, esteve mal Tiago Martins, quando os golos foram claramente marcados com os pés, coisa que no Andebol não é permitido.

Na segunda parte, lamentavelmente faltou-nos um Conor McGregor no seu 1-2 em boxe ou um Anderson "Spider" Silva no Jiu-jitsu brasileiro. De facto, no takedown defence estamos bastante descompensados e há muito treino por fazer. Aliás, no capítulo dos elbows to the head não temos de facto jogadores em condições.

Não tenho mais nada a dizer sobre o jogo. Tenho, sim, algumas notas.


1) Na terça feira éramos heróis e agora já somos uma merda? Ai a equipa quebrou na segunda parte?? Nãaaaa! É que nós não tivemos uma semana de um desgaste absolutamente delirante, onde não pudemos poupar nada nem ninguém, e superamos tudo e todos, nem nada, não é? Pois! Envergonhem-se, carago! Querem o quê? Se vos roubassem a carteira e a seguir o carro, iam estar com a moral toda, é? E é verdade ou mentira que estávamos já na reserva da moral e era essa que estava a alimentar a nossa força?

2) Ai o Óliver é muito mau, é? Com um treino já era obrigado a estar perfeitamente ligado com o jogo, é? Não vale nada o Óliver! Envergonhem-se, carago! Exigir a um jogador com um treino tudo e mais alguma coisa! Todos juntos, todos unidos, onde estão? Não não! O primeiro a bater é o adepto!

3) Como é que alguém com esta classe, este olhar intenso e esta fluidez de discurso, com este capital de respeito internacional e tantos anos disto, com o palmarés que têm, não é Capitão do FC Porto!?

4) Não basta fazer umas notinhas no Facebook e Twitter, pífias e onde falam apenas bits. Há que haver voz e declarações. Alguém de responsabilidade tem de dar a cara! Não deu! 

Há muito a fazer, pôr mais gente na área, criar mais fluidez de jogo e mais intensidade e ligação. Mas parece que, a todos, pelo que fui vendo, faltou uma simples verdade: acabamos um mês terrível onde superamos tudo menos um jogo G-A-M-A-D-O!!!! 

 

sábado, 27 de agosto de 2016

Antevisão sportem - FC Porto (3ª Jornada) e Algumas Notas De Aziados

Vamos, pois, à terceira jornada, enfrentar o sportem no reino de Alvaláxia. Não é preciso puxar de uma cábula para perceber o quanto este jogo é complicado - é sempre. Jorge Jesus já sabe de cor como jogar com o FC Porto, as cautelas que deve ter e os nossos pontos fracos. Nuno também. Estou certo que NES tem razão - vai ser um excelente jogo de futebol. E, atenção, o facto de João Mário não estar no plantel do sportem e de Slimani poder estar "presente-ausente" não diminui o pendor atacante do sportem. O sportem reforçou-se de avançados e vai tentar fazer pressão alta. Cabe ao FC Porto estar no melhor de si para ultrapassar um sportem que vai, com certeza, querer ser mandão.

Embora seja muito cedo para fazer contas, o elan ganho num jogo destes pode ser importante para uma fechar em beleza um mês difícil, que pode ser completo com 100% de vitórias, com o apuramento para a Champions e uma distância pontual que dará a liderança isolada à primeira paragem no campeonato.

Gosto muito, por isso, do discurso positivo e afirmativo de NES. Os jogos grandes são os que dá prazer jogar e que são os ideias para o FC Porto. Muito bem. Nada de medos ou cautelas. Atitude Á PORTO! Bravo! Para cima deles, carago!
Óliver está convocado, mas não acredito que entre directamente no 11.
NOTAS: É fenomenal o que está a acontecer, o "xadrez mental" destes aziados da comunicação social! O senhor Pêrribeiro acha que nś temos um grupo de "Liga Europa". O Campeão da Premier League é muito inferior ao Besiktas ou ao Dínamo, claro! E, por falar em Dínamo, agora já é muito difícil, claro!

Já estão, pois, a dizer que é obrigatório passar e que seria uma "hecatombe" ficar pelo caminho. Já o grupo do fifica é complicado, claro! 

Já sabemos como é, "assimetrias" de análise. O fifica não tem um grupo mais difícil do que o nosso! Não me parece que NES ou os nossos jogadores desvalorizem a dificuldade do nosso grupo, mas é importante que os adeptos tenham a consciência de que se trata dos campeões dos seus países, e que Leicester acabou de, por exemplo, empatar com o colosso Arsenal.

No ano passado, Moussa Marega era sinónimo de gozo, ridicularia e crítica profunda. Pois bem, é um dos melhores marcadores do campeonato e, a esta altura, imprescindível no Vitória de Guimarães, com uma média de um golo por jogo. Já vai sendo tempo do acto de contrição dos "exigentes" e que a colecção de exageros e disparates que vão sendo desprovados possam ser sinónimos de mudança de discurso e de atitude. É que o que é demais é moléstia. Naturalmente, não sei se o estilo de jogo de Marega é favorável ao FC Porto, mas o evidente é que "cepo" é coisa que Moussa Marega, definitivamente, não é.

sexta-feira, 26 de agosto de 2016

As Selecções, O "Infiel" E Um Advice

 É um mal necessário, que também pode ser um bem com um certo travo amargo, mas a verdade é que, uma vez mais vamos parar pós ida a Alvaláxia para mais dois pavorosos jogos das selecções. E, desta vez - e acredito que a partir daqui - vão-nos levar o André Silva para além do Danilão. 

Se, por um lado, nos levam o nosso ponta de lança principal, que não é um gigante e que tem uma mobilidade maior, por outro lado também é, evidentemente, uma alegria merecida para o André e uma forma de valorizar ainda mais os nossos activos. Aceite-se, pronto, que se há-de fazer. Mas há sempre uma parte de nós que, naturalmente egoista, vai querer que faça pouco ou que esteja a aquecer o banco, especialmente no jogo particular

Por falar em selecções, Lopetegui decidiu não convocar Iker Casillas. Também aqui, se por um lado entendo, por outro lado mantenho a crítica que fiz a Del Bosque. Não custava nada deixá-lo competir uma última vez, ter uma condigna despedida e fazer o seu exit, stage left. Bem sei que almoçaram juntos no Porto e que o próprio Lopetegui admitiu que lhe quis explicar pessoalmente o porquê, mas não deixa de soar abrupto e algo insensível. É a vida e, uma vez mais, o meu lado Portista puro fica feliz que não haja viagens e desgaste.

Uma "novela" interessante é esta do suposto anti-Portismo de Diogo Jota, o novo reforço do FC Porto. Só se fala no que terá escrito no Facebook quando tinha 16 anos. Dá muito jeito aos MaisTabacos desta vida, porque, afinal, vale a pena escamotear que o FC Porto garante, pelo menos durante um ano, um extremo de elevada força física, velocidade, técnica e de potentíssimo remate exterior

Nesta parvoíce toda, o único argumento se calhar válido é o do preço da opção de compra, uma vez que passou despercebido, aparemente, a tudo o que é scouter de grandes quando estava no Paços de Ferreira. Também não vale a pena dizer que me parece algo estranho todo este frissom, uma vez que o irmão de Jota, André Silva, está nos júniores do FC Porto neste momento. 

E, se falarmos de fifiquismo, lembremos que já tivemos tantos e bons jogadores  e treinadores adeptos de outros clubes - um deles Campeão Europeu, por exemplo - que fizeram o seu trabalho exemplarmente, e isso nunca foi nenhum problema. Tivemos o "Ministro" Costinha, fervoroso adepto do sportem. Ou também, por exemplo, no alto da guerra Norte-sul, um jogador carinhosamente chamado Rui, irmão desta menina, que não podia ser tratado pelo sobrenome, por este estar carregado de rubor...

Além disso, não temos hoje a jogar com as nossas cores um homem que deve ter batido todos os recordes de insultos dados pelos adeptos Portistas, de seu nome Maxi Pereira?

Desde que haja profissionalismo, o resto é totalmente irrelevante! Suem pelo nossa camisola, não comemorem títulos de rivais nem os publicitem e pronto! Mais a mais, quantos já não passaram a ser Portistas depois de chegar ao FC Porto, como o Moutinho, por exemplo?

 Por fim, uma última palavra para dizer que é tão bom ler e ouvir os fãs do Leicester a dizer que podem ficar em primeiro lugar, que somos equipa de Liga Europa, e por aí em diante! Tudo isto é uma importante gasolina, que estou certo que Nuno Espírito Santo saberá usar para alimentar a nossa Garra e Vontade! 

And to the Foxes, a little advice: if you think it will be easy, read my lips: "Trust in the Virgin and don't run!!"

quinta-feira, 25 de agosto de 2016

O Regresso Do Nosso Dragãozinho E A Champions E A Sorte


Adoro o Óliver Torres. Sempre adorei, nunca o escondi nem escondo. É que nem vale a pena tentar disfarçar a felicidade que sinto em vê-lo de volta. É uma felicidade que ele partilha. É uma felicidade que Pinto da Costa - e Antero Henrique, a quem Óli não se esqueceu de agradecer - sentem. Afinal, quando saiu, Óliver foi tentar a sua sorte no "seu" Atlético mas também sabia que não podia ter ficado.

Óliver Torres nunca mais foi feliz noutro lado como aqui. Todos sabemos da sua entrega, da sua paixão e dedicação. Todos sabemos que é um verdadeiro Dragão - como atestam estes twits em baixo, quando ele não fazia a mínima ideia de que estaria alguma vez de volta a casa.

Óliver encheu o peito, em puro estado de felicidade, quando disse a palavra Porto. Óliver é um dos nossos, nunca deixou de o ser. E agora será dez vez. A opção de compra será acionada a seu tempo devido. Para lá da mais valia desportiva, é um excelente activo. Tudo o que penso dele está aqui, escrito quando era apenas alguém que desejavamos ter por cá.  E, para matar saudades, aqui fica um relembrar do que fez na primeira passagem.

E para quem diz que mais médios não são necessários, recordo que teremos uma época longa e também que precisamos de alguém que saiba definir bem os tempos do jogo, para ocupar bem os espaços atrás e à frente e com o talento natural de Óliver. Óliver não ameaça o lugar no onze de Otávio, pois além de duas posições no meio campo, podem ambos fazer a ala esquerda.

Mais a mais, tenho a certeza que os reforços não ficam por aqui. Por isso, bem-vindo a casa Dragãozinho. Aqui vais (voltar a) ser feliz!


E este foi o grupo que nos calhou em sorte. Leicester, Club Brugge, FC Copenhagen. Destes, naturalmente, só conheço um. O Leicester. O Leicester perdeu Kanté e perdeu-se bastante pelo meio. Ranieri está a apontar à manutenção. Claro que todos conhecemos o poder de Jimmy Vardy e de Mahrez. Mas acabamos de chegar de uma eliminatória bem mais complicada. Temos tudo para passar a fase de grupos. Mas pés no chão e muito trabalho.

O fifica também teve sorte. Tem de demonstrar ser o mais maior grande. O sportem... tem o grupo que o seu treinador diz que é o que está ao seu nível.

quarta-feira, 24 de agosto de 2016

Análise AS Roma 0-3 FC Porto - A Vitória Da Redenção E Da Raça


Qual de nós não tremeu quando soube que o adversário da pré-eliminatória da Champions era o AS Roma? Quem não viu o fantasma da Europa League a pairar nas nossas cabeças?  Tirando o Silva - era quase o cincazero, amigo! - creio que mais ninguém.

Mas entramos bem, atacando cada bola, tendo uma fantástica reacção à perda de bola, e defendendo primorosamente. E, logo a abrir, aos 8 minutos, acontece a redenção de Felipe, para mim o herói da noite, a repôr a justiça no agregado das mãos e a dar o ímpeto para seguir em frente, e aquele acreditar tão importante! 

Logo a seguir, o meu segundo herói da noite, Iker Casillas. Aqui esteve a classe mundial de alguém que já levantou o caneco 3 vezes, com duas defesas surreais a garantir que poderíamos acreditar mais ainda.


Fomos sofrendo, sofrendo, sofrendo e deixando a Roma cada vez mais nervosa, até que De Rossi vê, aos 39 minutos, o mais que justo vermelho directo por  lesionar Maxi. E assim, a tentar depois, em vantagem, chegar aos 2-0, chegamos ao intervalo, depois de 6 longos minutos de compensação.

Começamos a segunda parte como acabamos a primeira, com a vontade de arrumar a eliminatória mas com nervos. Nervos que, inexplicavelmente, ainda aumentaram mais com a expulsão de Emerson, numa entrada assassina sobre Corona aos 50'.

Quer dizer, há uma explicação, sim. A Roma mereceu todo o meu respeito. Apesar de estar a jogar com 9, a super organização da Roma compensou estando balanceadíssima para o ataque e intensa. Apesar disso, o grande organização defensiva do FC Porto compensou a sua clara inexperiência em lidar com situações de vantagem - não estamos propriamente habituados - e os nervos e sofreguidão.


E eis que, então, valeu Layún com uma grande arrancada pela direita a passar tudo e todos, a despachar o guarda-redes romano e a enfiar a bola nas malhas do poste mais distante. Estava feito o 2-0, aos 73', mas não chegava.

Dois minutos depois, era Corona - que exibição ofensiva e defensiva! - que, pela sua esquerda natural, parte os rins a Manolas e faz um grande golo, num remate primorosamente colocado. 3-0, e a Roma deu de si, naturalmente.

Aí o FC Porto conseguiu fazer aquilo que deveria ter feito quando se viu com 9, jogou apoiado, curto, controlou e dominou , nomeadamente no eixo central orientado por André André e Danilo, de tal forma congelando o jogo que o árbitro polaco de uns grandes bagos de adamantium, Szymon Marciniak, resolveu acabar o encontro rigorosamente aos 90'.

O FC Porto celebrou, então, uma grande exibição e a vitória mais que justa, com sabor a título, à campeão. Com esta garra, esta união e este espírito de sacrifício, não há nada que não se consiga! Tudo se deve a Nuno Espírito Santo, que em pouco tempo conseguiu criar a imperiosa mentalidade raçuda À PORTO na equipa. Esta noite mágica, não a vou esquecer tão cedo. Tenho a certeza que vocês também não.


NOTAS FINAIS: 

Layún é uma grande dor de cabeça para NES. Tamanha qualidade não pode, não deve, não se admite, que esteja no banco. Se ele ataca melhor do que defende, porque não avançar mais no terreno?

Todas as bocas que eu poderia mandar, o Presidente Pinto da Costa já o fez melhor do que eu esta noite na zona mista. Desde o MaisTabaco, ao Chouriço, a MST, foi tudo a eito. Gosto de o ver nesta forma. Gostava era também de o ver assim, corrosivo como só ele sabe ser, quando perde, ou a sair em defesa da sua equipa quando esta perde. É importante esta força para unir. Fica a sugestão. Fica o pedido.

É sempre fantástico fazer um zapping de aziados. Hoje dormiremos melhor. E esta confiança e moral não trará só recursos. Traz a mentalidade ganhadora que nos poderá levar aos títulos. Não estou a ver ninguém melhor que nós. Domingo é para arrasar.

Real Madrid, Barcelona, FC Porto. 21 presenças na Champions League. Mais ninguém. É só para lembrar.

SILVA, TINHAS RAZÃO. O PRÓXIMO MENU É ON ME.  

segunda-feira, 22 de agosto de 2016

Se Outros Calam, Falemos Nós

 No fim do empate do verifique com o Vitória de Setúbal, e apesar de Nelson Semedo, que devia ter ido para a rua com um duplo amarelo e nem um só sequer tenha visto, viu-se o ataque cerrado que treinador e presidente fizeram à arbitragem, exactamente da mesma forma que no ano passado. Aliás, achei especialmente interessante isto. Pinto da Costa, no ano passado, foi multado por críticas à arbitragem. Aqui, Vieira faz uma clara ameaça e uma tentativa de condicionamento nas nomeações.

Estou à espera das penalizações a Luís Filipe Vieira e da veemente resposta de João Ferreira ou de, principalmente, Fontelas Gomes! Estarei, também, muito atento à classificação e à nota do jogo - não era suposto serem públicas, a esta altura? - de Manuel de Oliveira e em saber se volta, ou não, a arbitrar o benfas!

É vergonhosa a irritante passividade do meu Clube. Isto que se passou ontem foi muito grave! É nestas alturas que se vê que nada se aprendeu com os anos anteriores. Se Lopetegui tivesse sido minimamente defendido, e não estivesse ele próprio sozinho a dar a cara pelo Clube semana após semana - Pinto da Costa falou uma única vez quando chegou a primeiro - teríamos sido campeões, no ano do #colinho. Não haveria tetra nada em perspectiva e poderia, quiçá, ter havido um bi-campeão Azul e Branco. Mas como o FC Porto parece falar a uma única voz e essa se cala, estas manipulações à vista de todos vão passando incólumes e levantando o andor de uma hegemonia mentirosa.

Mas que fazer? O FC Porto importa-se com  o pensamento dos adeptos? O FC Porto importa-se com a opinião geral e a tendência de pensamento exposta nas, cada vez mais importantes, redes sociais? O FC Porto importa-se com a opinião pública e públicada? NÃO!

Perante a defesa acérrima dos clubes da segunda circular em tudo o que é programa desportivo - diário, entenda-se! - com o sportem e o verifique a porem "os seus" a defenderem os interesses dos clubes e a sua mensagem, no caso do FC Porto, não se quer nem saber. Infelizmente, temos, muitas vezes, os próprios comentadores a fazer o trabalho dos rivais.  

Rodolfo Reis é reiteradamente contra as opções Portistas. Ontem, o Play-Off apenas passou ao de leve - 6 minutos, no fim - pelo jogo contra o Estoril. Desses 6, 4 foram com o senhor Rodolfo - e ninguém mais - a criticar violentamente o FC Porto por não incluir Brahimi e Aboubakar (ou Braim e Abobocar, como ele diz) nas opções e a dizer que o André Silva perde golos fáceis. Além disso, criticou o "treinador do FC Porto" - Rodolfo parece que, neste caso, nem o nome do treinador diz - por não pedir opinião a Rui Barros "que sabe muito mais de futebol do que ele e o adjunto juntos". Afinal, não era só o "Lopteg". Afinal, parece que o problema de Rodolfo é mesmo com o FC Porto.

Mais que tudo, estou ultimamente triste com alguém que prezo muito e cujo discurso actual não compreendo, Bernardino Barros. Na semana passada disse que os únicos que poderiam estar interessados no Quintero "devem ser as companhias discográficas". Ontem frisou, com orgulho, o facto do FC Porto não se ter queixado do flagrante penálti sobre Varela. Pois, meu caro BB, não há nada em que ter orgulho nesta postura. Isto é ser papado. E, já agora, quero lembrar-lhe que, no ano passado, o BB citava Pedroto. Que se passou, então, do ano passado para este?

Já agora, meu caro Inácio, se está a contar que o FC Porto vá para Alvalade jogar como "equipa pequena".... Ainda bem. Parece que o meu caro confunde uma defesa compacta e entrosada com "11 atrás da linha da bola". Pensem assim. Depois não diga que não avisei.

Todo o pensamento do Homem é influenciado, para além da sua experiência, pelo seu ambiente. Em 2016, a presença mediática e opiniativa não é para ser levada de ânimo leve. Não é só nas quatro linhas que se ganham campeonatos. E fora delas estamos a perder de goleada. 

NOTA: Não vale a pena fazer antevisão do jogo de amanhã. Todos sabemos da sua vital importância, da sua dificuldade e, mais que tudo, que devemos ganhar a qualquer custo. Já foi visto que é possível. A eles, Dragões! Que sejam no campo tudo aquilo que os responsáveis parecem não saber ser fora dele.

domingo, 21 de agosto de 2016

Análise FC Porto 1-0 CD Estoril Praia - Tanta Raça Pedia Mais


Dizia-me, e muito bem, uma querida amiga também part-time blogger e agora companheira de lugar, num dos maiores blogs desta bluegosfera, o importantíssimo Bibó Porto, Carago!,  a Mafaldinha, que uma equipa deveria ser obrigada a levar um amarelo à sorte de cada vez que se verificasse que passava mais de 5 minutos seguidos a jogar com os 11 jogadores atrás da linha da bola.

O Estoril veio com a lição bem estudada, sabendo bem que, entre o cansaço de quarta-feira e o pensamento no jogo de terça - que não aconteceu - o FC Porto poderia tirar o pé do acelerador e o Estoril poderia pontuar. Sim, digo pontuar, porque o Estoril não quis ganhar. Teve um número de remates ridículo e Casillas foi apenas obrigado a defender uma bola mais complicada com uma palmada, enquanto Moreira - esse rubro menino - fez o favor de, tal como 90% dos guarda-redes quando entra o Estádio do Dragão, fazer a exibição da vida dele, entre defesas de categoria mundial e os postes benzidos por magia negra. Também, protesto pelos nossos auto-golos entrarem sempre, enquanto os remates colocados dos defesas adversários à própria baliza terem direito a bilhar às três tabelas!

Cortesia Ana Ferreira, FCP Para Sempre
A juntar a isso, em jeito de icing on the cake, a habilidosa arbitragem de Luís Ferreira, mais um daqueles internacionais à pressa patrocinados. Se concordo com o deixar jogar, isso não pode significar que se permita uma reiterada teatralização de tudo o que é falta, faltinha e falteca, ao jeito de pré-falecimento dos meninos do Estoril, em claro queimar tempo. No entanto, fico feliz que seja verdade que "Karma is a bitch" e o feitiço se tenha virado contra o feiticeiro, porque aos 86' já o Estoril não podia mudar a rotação. O crime não compensa, caríssimos! Joguem mas é à bola! E, claro, como não podia deixar de ser, um penálti claro roubadinho sobre Varela, logo aos 5 minutos, que mudaria completamente o sentido do jogo, e abriria caminho à merecida goleada.

Sim, goleada. O FC Porto atacou, atacou muito, dominou totalmente o jogo, foi pressionante, intenso, apaixonante e raçudo. O FC Porto tentou, tentou, tentou, e lá conseguiu furar a muralha do anti-jogo. Antes, perdeu algumas ocasiões de golo, virtude da natural inexperiência do nosso goleador da casa. Mas, mérito ao Estoril, para o estilo de "jogo" que veio fazer, fê-lo competentemente, estando sempre espantosamente no caminho de tudo o que era tentativa de remate e passe de rotura. Mas o resultado premiou a equipa que quis jogar, que nunca deixou de querer até ao fim, e que resistiu na sua vontade.

Ah, tal, está-se a cagar prá equipa, Ah e tal, é um cancro da SAD, ah e tal, está sempre a jogar no telemóvel.

Se a pressão faz diamantes, estes são o estilo de jogos que fazem uma equipa - com união, intensidade, ligação, entrosamento. Quando se tem uma equipa, muito dificilmente se perde pontos! Vamos a notas.


André Silva - Onze jogos seguidos sempre a marcar. Só por si é maravilhoso. Evidentemente, terá fases durante a época, a média de um golo por jogo é dificílima de manter, ainda para mais quando se é tão novo e inexperiente. Sim, inexperiente. Ocasiões houve em que um ponta de lança mais experiente teria enfiado a redondinha nas redes com maior facilidade. Ainda assim, rigorosamente nada a apontar na entrega, na luta, e na dor de cabeça que provoca a qualquer adversário. Justo MVP da partida. E, já agora, para aqueles que tinham medo, André Silva renovou até 2021, com um aumento grande de salário - não divulgado - e um cláusula anti-tubarões de 60M. Urge, no entanto, que haja mais uma alternativa para lá de Depoitre, uma vez que o menino não deve aguentar a carga estúpida de minutos e número de jogos que tem de fazer. Esperemos que não dê de si antes do tempo.

Layún - Não é o melhor lateral do mundo, mas poderá ser um fenomenal extremo. De qualquer forma, a esta altura, os seus 6 passes para ocasião de golo são um regalo, a sua raça e combatividade e os seus cruzamentos são de ouro. Muito bom jogo. A defender é que... bom... Alex Telles deve ter cuidado com os cartões.

Defesa - Felipe jogou lindamente e que jogão fez Marcano! Pelo ar, não houve nada que não limpassem e que regalo foi ver a recuperação de metros aquando das poucas vezes que ficavam atrás do atacante, nos contra-ataques. Assim, sim! Eu sei, vale o que vale num jogo como estes, mas o Estoril também subiu, e não me recordo de uma vez que dali tenha vindo disparate. A juntar a isso, a reacção à perda e a pressão defensiva de toda a equipa é uma transformação extraordinária, inteiro mérito de NES.

Banco - Se a entrada de Adrián - num jogo menos conseguido que o anterior, mas que, a bem dizer, não é o estilo de jogo que o favoreça - apenas ajudou a baralhar as marcações dos defesas - onde anda Bueno?! -  a entrada de Sérgio Oliveira e de André André vieram dar uma muito maior acutilância ao ataque e, no caso do segundo, ainda melhor reacção à perda de bola. André² é como uma lapa, não larga. No caso do Sérgio, fico apenas com pena que não tivesse sabido fazer melhor uso do seu remate exterior.


Dar razão a Sousa Tavares - É público e notório que Miguel Sousa Tavares tem uma embirração com Herrera e Varela. Normalmente, chamo-lhe doença. No entanto, se no caso do primeiro só é verdade intermitentemente, no segundo há anos que é um caso de estudo! Varela faz um jogo bom em dez. Mas, sei lá, deve fazer uns treinos excelentes. Não faço ideia. A única coisa em condições que fez foi sacar um penálti - que não foi marcado. Muito, muito fraquinho. Quanto a Herrera, a sucessão de passes falhados e de más decisões anula o bom que tem sempre - a entrega, o espírito de sacrifício e o seu pulmão. Queremos mais Hector Miguel e menos Herrera! Ou, então, uma boa venda...

Luís Ferreira de vermelhinho trajado - A cor de dentro traduzida por fora. O resto já foi em cima exposto.

Massa assobiativa - Sim, é verdade! Depois de Lopetegui, da saída da "armada espanhola", ainda substistem os burros que assobiam! Felizmente, este ano, o Dragão parece - ainda... - não tolerar estes burros que querem, sei lá, que se marque golo por decreto ou o carago! Que vos falta, senhorias? Dizei! Antes, havia a conversa que o FC Porto não jogava à Porto e mais não sei quê. Ontem faltou entrega? Envergonhem-se! Voltem lá para o PES, o FIFA e o FM, enfiem o assobio no rabinho e desamparem a loja!!!

sábado, 20 de agosto de 2016

Antevisão FC Porto - GD Estoril Praia (2ª Jornada)


É tempo de jogar a sempre difícil jornada entre eliminatórias da Champions. O complicado não é, por vezes, a formação adversária, mas antes a cabeça estar no lugar e não a ouvir o hino da Champions. 

Há uma real possibilidade do FC Porto não se apurar e ir parar à Liga Europa, e este jogo contra o Estoril é de vital importância para chegar em hipotética igualdade de circunstâncias com o directo rival sportem a sua casa ou, até, por ventura, chegar na sua frente, naquela que é a mais importante competição de todas, o campeonato nacional.

Há, contudo, um bicudo problema: só temos um ponta de lança de raiz disponível. Laurent Depoitre lesionou-se. A Lei de Murphy impera no FC Porto e não parece haver nada a fazer, senão jogar com André Silva na frente, numa altura em que a rotação seria tão importante. Mas que fazer? 

O Estoril, apesar de vir com menos "peito" do que o ano passado para o Dragão, de certeza que vai querer aproveitar a indefinição e esta estranha neblina de incerteza que pelas hostes Azuis e Brancas grassa.

NOTA:  Tive vários amigos que me enviaram sms a queixar-se do infortúnio de Joel Campbell estar a caminho do reino de Alvaláxia, e nós sermos incapazes de garantir um ponta de lança. 

O sportem tem duas vantagens: pode acenar com a cenourinha da Champions, como nós antes deles, e  não andou a correr atrás de miragens meses a fio, não ouviu o canto da sereia e preparou-se. É, indubitavelmente, uma vantagem, sobretudo quando se parece conseguir avançados de qualidade por todo o lado menos por aqui. 

A nossa única opção goleadora - pelo menos a que o nosso treinador considera - é um miúdo de 20 anos, com tudo o que isso tem de bom e mau. Recuso-me a depositar nas costas de André Silva a responsabilidade do sucesso da instituição.

Quando aqui falei - juntamente com muitos amigos da bluegosfera - sobre a preparação amadora desta época de mercado, muitos criticaram. Eis aqui o resultado: uma carência pavorosa no lugar daquilo que é, no fundo, a essência do futebol - a marcação de golos. Esperemos que André Silva continue de pé quente. Tudo em contrário é responsabilidade de quem não quis ser responsável.

Lá estarei, no sítio do costume. Aos meus companheiros de pré-match, também lá estarei uma hora antes do jogo, no lugar habitual.


Este separador, com Nuno Espírito Santo, parece fazer pouco sentido. Depoitre e Evandro estão lesionados. Como não sei a convocatória, vou apresentar o onze que eu poria. Acho que Otávio deve estar no meio, Corona à esquerda. André André não me parece com grande pedalada para jogar de início, a esta altura. E Alex Telles está, incrivelmente, castigado à segunda jornada. Adrián, quanto a mim, merece esta titularidade depois de quarta feira.


sexta-feira, 19 de agosto de 2016

Quimeras E Outras Parvoices - O Rebentar Da Bolha [ACTUALIZADO]

Eis que a novela teve o fim por mim esperado e escrito, apesar de, uma vez mais, ao que soube, exigências de última hora terem virado o fiel da balança para o outro lado.

Ainda bem.

Rafa Silva já joga à verifique há que tempos. Os valores veiculados (16M por 90% do passe, empréstimo de Celis e Benitez e Rui Fonte em definitivo - conforme dito aqui) são uma estupidez. O nível salarial de 1,5M líquidos é outra. O desfecho agrada-me. Está na hora do FC Porto acordar e pôr os pés no chão.  

Imaginem que o FC Porto tinha pago os primeiros valores mais, digamos, Hernâni e Sérgio Oliveira mais Josué a título definitivo. Gostavam? Eu não! Estes, como os de Imbula e quejandos, nunca foram negócios à FC Porto. Evidentemente, Rafa tem velocidade e golo. Mas é assim tão essencial? Não. Não haverá extremos de raiz a um preço melhor que este? Naturalmente que sim!

Vale a pena, sim, tirar duas ilações importantes:

1 - Chega de quimeras. Chega de sonhos e de perseguir moinhos. Chega de cantos de sereia. Depois de Lucas Lima, Guido Carrillo, agora Luiz Adriano e Rafa tiveram exactamente o mesmo fim - a mão vazia. E, insisto, ainda bem. No entanto, o tempo e energia dispensados a tentar sonhos deveria ter sido gasto à procura de jogadores e negócios à Porto. Hulk, Falcao, Jackson, James, Lisando, Lucho, não eram nomes sonantes e estrelinhas que deram a carga dos trabalhos para trazer. Eram jogadores cujo interesse vimos, nuns casos antes dos outros todos, nos outros casos garantimos a tempo sem nenhum tipo de estupidez pornográfica, como seria o caso de Rafa Silva.
 
2 - Já chega de negócios com o Sporting de Braga? Ainda não perceberam o "terceiro anel" verifique-Mónaco-Valência-Atlético-Braga e agora Wolverhampton? Não perceberam quem esta "amizade" está presa por pelos pelos púbicos? Não sabe um Presidente há 34 anos que lhes chamam "os lampiões do Norte"? Por causa de Rafa, não temos um título, cedemos um jogador que usaram para nos ganhar esse título, andamos a aturar a ideia de um central tosco, e quase eramos nós a dar ditos 16M no inverno passado - e que a essa altura não aceitou! Salvador trai-nos sempre na 25ª hora, privilegiando a sua "cidade geminada". Não valem nada, nunca valeram nada e não vão nunca valer nada!

No final de contas, não me sinto ultrapassado, sinto-me aliviado. Mas, já agora, qual o papel de Mendes nesta história toda? Valia a pena saber! Qual foi a vantagem de ter Mendes perto do FC Porto? O que é que ele já nos garantiu? Até agora, banhadas uma atrás da outra. Também é alguém preso ao verifique pelos short and curly e está na hora de o perceber, de uma vez por todas. Talvez seja uma vingançazinha sobre o discurso do Presidente acerca do negócio de Adrián. Só que, sei-o, o Presidente, neste caso, falava verdade. 

Neste espaço de tempo, é curioso ver que NES não garantiu junto do seu amigo rigorosamente ninguém. O que aconteceu, sim, é que dois caros activos de negócios com a Doyen foram encostados. Se calhar, aqueles que eram contra a chegada deste estilo de coisas ao FC Porto não estão assim tão errados.. veremos o que por aí vem.

Está mais que na hora de tomar decisões. Está mais do que na hora de ter pulso  e nervo e pôr os pés no chão. Estar à espera de dinheiro da Champions para trazer jogadores que queiram jogar a Champions é mais um erro. Temos de pensar como se estivéssemos na Liga Europa, com todos os sacrifícios que isso represente. A Champions tem de ser um acrescento, não um sustento. Se não há dinheiro, assuma-se. Vamos à guerra com os que temos, vamos metendo jogadores de uma B campeã nacional, vamos aproveitando e potenciando o talento que temos. E vamos recomeçar a apontar baterias ao que realmente importa - o campeonato. Voltar a pensar à Porto é fundamental. 

Fomos sempre equipa de colectivo sobre individual. Deixemos as estrelinhas e os salários proibitivos - este orçamento benfas vai ser um regalo - mais para Sul. Garra, nervos, atitude, união, solidariedade. Saibamos ver quantas vezes com pouco já fizemos muito. Saibamos aproveitar o que temos. E fazer o reset que precisamos de fazer. 

Chega de sonhos. Há que ter certezas. Com maturidade chegamos lá. Ainda vamos a tempo.

Quanto ao "portista" Rafa, boa sorte. Ou bem que não vai jogar a ponta de um corno, ou bem que vai criar mais uma cena de MMA no balneário benfas. Vai tirar o lugar a quem? Vai jogar onde? Mas este é o caminho pesetero. Dá sempre um excelente resultado. Godspeed! 

quarta-feira, 17 de agosto de 2016

Análise FC Porto 1-1 AS Roma - Reacção Raçuda Ficou A Um Danoninho


O jogo de hoje, na minha perspectiva, não foi bonito. A entrada do FC Porto foi completamente em falso, no meu entender, devido à utilização de um 4x4x2 nunca testado em competição. A insegurança do FC Porto ficou bem patente e a ansiedade dominou e o auto-golo de Felipe - azarado mas, na minha perspectiva, não responsável - foi o corolário disso mesmo.

Não sei se é a libertação da tensão ou um acordar tardio, mas o FC Porto não pode estar, recorrentemente, a correr atrás de resultados e só a encaixar no seu jogo quando está a perder! Esta raça, esta atitude tem de ser vista de início! 

É claro que, a partir daí, o FC Porto foi em crescendo até ao final (embora os descontos tenham sido extremamente confusos)  e foi apenas "graças" à ineficácia extrema - a que não é alheia ao facto do nosso único ponta de lança seja um miúdo - que não fomos capazes de levar o resultado justo para Roma.

A arbitragem foi absolutamente pavorosa e discricionária, foi-nos sonegado um penálti, embora o golo de Adrián me pareça irregular.

Apesar da entrega absoluta de todos após o golo - incluindo Adrián - a verdade é que ficam bem patentes as lacunas no plantel e a falta de soluções vindas do banco. Ainda assim, o FC Porto da segunda parte pode vencer qualquer jogo, desde que seja mais eficaz.

NOTA FINAL: Nuno Espírito Santo é livre de mudar de ideias. No entanto, chamar um jogador - seja ele qual for - e voltar atrás com a vontade, descartando-o quando ele está prestes a entrar, fica-lhe muito mal. Recordo que outros foram vaiados por muito menos. Que sirva de exemplo para o que ele não pode fazer.

Antevisão FC Porto - AS Roma (1ª Mão Play-Off Acesso à Champions League) - Vamos Com Tudo


Eis-nos então chegados ao tão ansiado jogo com a AS Roma, que tanto nos pode definir desta época que agora inicia.

Não é necessário falar da vital importância e dificuldade do mesmo para as duas partes. A Roma de Dzeko, Sallah ou El Shaarawy é um osso muito duro. O melhor ataque italiano da época passada estará frente a nós a partir das 19:45h.

Acredito numa vitória embora saiba que não somos favoritos. Mas tenho a certeza que um Dragão em peso a puxar pelo FC Porto será aquilo que mais necessário é contra a organização e experiência italianas: o décimo segundo jogador, a superioridade numérica.

Até à última gota de suor, não espero outra coisa senão um Porto à Porto!
Não foram divulgados os convocados.


terça-feira, 16 de agosto de 2016

Nada. Zero. Niente. Uau. Quo Vadis FC Porto?


Laurent Depoitre não pode ser inscrito no Play-Off da Fase de Grupos da Champions League. Muitos de nós esperávamos que, ao bom velho estilo Portista, fosse sacado um coelho da cartola na última hora. Nada aconteceu. Tentamos e ficamos com um ponta de lança que contratamos para dar soluções de ataque.. para nada. E depois não fazemos mais... nada.

Estou pasmo com o nível surreal de inépcia do FC Porto. Se o FC Porto espera o encaixe da fase de grupos da Champions como algo garantido, está a sonhar alto. A Roma reforçou-se, reuniu-se, reagrupou-se, restruturou-se, está estupidamente forte. Tem os processos assimilados. O estilo de jogo tratado. Os jogadores são de uma qualidade excepcional. Pode um Corsa ganhar a corrida a um Ferrari? Pode. Se o Ferrari se espetar. Ponto final, parágrafo. Não posso acreditar - e daí, pelo que tenho visto, até posso - que não haja um dossier a dizer "FC Porto na Liga Europa" em cima da mesa de trabalho. É que o favoritismo, a probabilidade, o expectável não estão connosco. Nem pouco mais ou menos!

E se o FC Porto está à espera de vender para comprar, é a pôr os activos que mais quer vender de lado que o vai fazer? 

Não entendo mais nada. Só sei de uma coisa. Culpar Nuno Espírito Santo pela anunciada hecatombe financeira não pega. A culpa vem de cima. Bem lá do alto.

domingo, 14 de agosto de 2016

Não Estamos Assim Tão Mal

Apesar das parangonas que se escreveram e disseram ontem e hoje, após a jornada de sábado dos nossos amigos segundo-circulareiros, o que vi deixou-me mais confiante.

Os verdes estão bem melhor que os vermelhos, mas não deixaram de beneficiar da total incapacidade maritimista de marcar golos de baliza aberta e de aproveitar falhas defensivas de palmatória em tempo útil, sofrendo eles próprios numa bola parada pateta. Mas falta muito ao sportem em termos de organização e fio de jogo que não passe por aquele que vai partiiiiir, naquela istraaaadeeee. Não havendo europeus, lá se vai o sportem. E sim, o jasus tem razão: na segunda parte o Marítimo evaporou - vá-se lá saber porquê. Quando uma equipa desiste, vá-se lá saber porquê (contra nós, nunca!) fica tudo fácil!

E à noite, o que foi aquilo em Tondela?! Fio de jogo, posicionamentos, organização? Esquece lá isso! Um golo de origem bem duvidosa e depois um corre-corre tolo ao nível das distritais! 

Mas apareceu isso nos jornais? Não! Foi um "grande jogo" cheio de "intensidade e paixão" com um "grande golo de André Horta" que "celebrou à Renato"! Sim, evidentemente, Le Roi est mort, vive le Roi! Há que elevar André Horta a superstar, mais uma venda milionária a caminho! Não interessa nada de se esse "grande golo" - sim, isto são tudo citações de paineleiros, pós jogo - foi marcado aos 92', numa altura em que o Tondela procurava o chuveirinho para empatar - e quase conseguiu - e estava descompensadíssimo, isto depois de terem expulso o Petit vá-se lá saber porquê! É que o golo de Herrera, muito mais decisivo - foi o da reviravolta - e muito mais bem marcado, não mereceu nada destas loas! Desde coisas como "golo à Messi" até "obra de arte", o golo, de frente para a baliza, e com uma oposição em esforço, foi muito melhor... NOT!

Mas atenção, largartos e galinhas, não me encham a caixa de comentários que eu não quero saber disto para nada! Se para vocês está bem assim, fixe! Não tenho nada a ver com isso, falo para Portistas

E aos Portistas digo: deixem de emprenhar pelos ouvidos! Jogamos muito melhor do que os outros dois, organizados, equilibrados e intensos, contra uma equipa que já tinha disputado o Play-Off da Europa League e com um ritmo competitivo e uma intensidade que foi bem visível! Deixemo-nos, pois, de críticas instantâneas e de desejos de ópera, apoiemos, pois, os nossos, que estão com uma união, querer, vontade e raça que nos fazem merecer esse apoio.

Deixemos a ópera para o seu devido lugar e percebamos que talvez não estejamos propriamente de igual para igual com a Roma, mas temos tudo para poder dar cartas neste campeonato. 

Como diziam os Public Enemy, "Don't Believe The Hype". Mas ainda bem que parecemos não contar para o Totobola. Assim, poderemos fazer um melhor campeonato. Afinal, nunca precisamos da bajulação dos decadentes média para fazer coisa nenhuma! Basta que os adeptos não emprenhem pelos ouvidos e que estejam atentos!

sábado, 13 de agosto de 2016

Uma Azia Fálica

Post curto, muito curto, sobre a realidade que nos assola, esta de que quando ganhamos, todos querem que não aconteça. Acontece wishful thinking consciente e inconsciente de múltiplas maneiras. Ele são notícias a dizer que o benfas abre o campeonato, ele são golos do Herrera que passam para o Rio Ave ou, na mesma linha, o site menos, muito menos, futebol, a dar o golo do penálti a Marcelo, o defesa dos caxineiros que havia sido expulso.

Devo dizer, aliás, que a Cláudia Lopes começou o menos, muito menos, futebol a dizer que o FC Porto estava a ganhar 3-2. Muito deseja o seu verdinho coração que tal não se passe mas... temos pena! E aqueles quatro aziados - especialmente Luís "porra-que-o-FC-Porto-não-perdeu" Mateus - e o seu melãozinho gigante? De antologia. O FC Porto jogou mal... foi lento... muito pior do que esperavamos... mas só vimos a primeira parte. Tá bem, abelha.

A todos eles, Tadeias e menos, muito menos, futebóis incluídos, aconselho vivamente Chupa-Chups!

Num tom mais sério, o que se passou ontem em Vila do Conde é escandaloso. Fernando Saul, speaker do FC Porto, já fez conhecer, na sua página de Facebook, que a queixa foi apresentada às autoridades competentes. Apesar de louvar a iniciativa, a Dragões Diário deveria ter falado disso. Mas é assim, infelizmente: a uns deixam "reservar" rotundas, a outros dificultam a entrada e sobrelotam bancadas. 

NOTAS: 
 
- A bolha fez algo raro hoje - pôs-nos na capa em destaque. Vamos indo. Só é pena que parece ser demasiado tarde.

- O verifique B nem com colinho vai lá. O "meu" Varzim espetou-lhes duas batatas. Este ano não há Farense... mas pode ser que haja outros amiguinhos para trocar malas.

- O nosso André Silva respondeu muito bem, de uma forma bem-humorada, à capa da lixeira. É assim mesmo André - ser superior SEMPRE! Bravo!

sexta-feira, 12 de agosto de 2016

Análise Rio Ave 1-3 FC Porto - Ainda Há Muito Para Fazer, Num Bom Jogo

A entrada do FC Porto está assim há anos: numa velocidade lenta, com algumas oportunidades (a de André André merecia uma melhor finalização de André Silva - é a pecha de ser "verdinho", embora seja muito normal) perdidas e que depois dá azo a que o Rio Ave suba no terreno e acredite. E aqui sai evidente o problema principal defensivo do FC Porto : as bolas paradas defensivas. Muita confusão e atabalhoamento. Mas o problema não fica por aqui. 

Fez-me confusão o posicionamento de Herrera e de André André na primeira parte. Herrera parece querer subir e o André fica perdido. MAS na segunda parte já tudo encaixou (seria conversa ao intervalo?), houve um pêndulo Herrera/André, quando um atacava o outro estava mais defensivo. Mostra que há caminho para este meio-campo.

Continuando. A partir do golo sofrido, o FC Porto jogou futebol. A velocidade da reacção ao golo foi estonteante, e o golo de Corona foi de antologia, depois de um belo ganho de bola de André Silva. Desde então, a rotação aumentou - não mais se perdeu até ao 1-3 - e a intensidade ofensiva e defensiva também, apesar de, a espaços, o Rio Ave ter controlado a posse. Daí até ao super-hiper-mega-golaço de Herrera foi um pequeno passo, e a vontade e raça de Otávio deu o penálti que ditou o resultado final.


Não esquecer que o Rio Ave é uma equipa que derrota grandes e que joga muito bem. Não jogamos sozinhos, nem pouco mais ou menos, e o Rio Ave é uma das equipas top do nosso campeonato, treinada por um grande treinador - como, aliás, se viu. Depois do 3-1, houve a ridícula expulsão de Alex Telles (que ficou já a perceber o que é isto, cá no burgo). Não penso, vistas e revistas as imagens, que tenha #colinho. Acho que Fábio Veríssimo é um péssimo árbitro.  Tenta começar seguro mas, a partir do momento em que o jogo aquece ligeiramente, dispara cartões a torto e a direito. Um ser inseguro não deve ser árbitro.

Layún entrou, naturalmente para o lugar de Alex Telles - muito bem ofensivamente, menos incisivo do que o segundo defensivamente - e as entradas de Depoitre e de Adrián (para quê?) descaracterizaram e desequilibraram o FC Porto até final.

Uma boa entrada, em crescendo durante o jogo, que dá indicações de que, com um pouco de trabalho, há querer e vontade para muito e bom futebol.


Herrera - O Capitão capitaneou pelo exemplo. Não há ninguém mais entregue ao jogo do que Herrera. Um jogador injustiçado no FC Porto, que temo que só vá ter o merecido reconhecimento quando não estiver cá. Como disse, depois de acertar agulhas com André André, foi uma máquina.

Danilo - O nosso carro-vassoura fez um jogão. Forte, agressivo, intenso, dominador, conseguiu ainda, a espaços, fazer aquilo que se deseja que faça mais - sair com a bola controlada, criar linhas de passe e ter clarividência ofensiva. Por Danilo só passa a bola ou o jogador. Os dois, não passam.

Casillas - Não teve qualquer espécie de culpa no golo sofrido, fez 3 excepcionais defesas e ainda saiu bem pelo ar. Os pés é que continuam a ser uma - desnecessária - fonte de ansiedade. Não há caminho? Biola para el pinhialio. Ou para a mata da Vila. Ou para cima dos Arcos.

Felipe/Marcano a defender - Tirando as bolas paradas e a saída de bola (ver Faltas), Felipe e Marcano foram providenciais e sólidos nos cortes, pelo ar e pelo chão. Uma defesa de qualidade que soube cortar um fortíssimo ataque vilacondense. Se calhar não estão assim tão mal.

Os laterais esquerdos - Alex Telles tem uma agressividade defensiva muito boa. Só que exagerada. É providencial nos cortes de cabeça. É, em suma, melhor que Layún a defender. Mas Layún é melhor que Alex Telles a atacar. A sabedoria de jogo, o controle dos tempos de jogo de Layún foram, hoje, extraordinários. Uma boa dor de cabeça para NES.

As formigas - Otávio e Corona. Qualidade, entrega, raça, superação. Palavras para quê. A magia está-lhes nos pés. Muito bom jogo dos dois.

Um obrigado especial à imensa mole de adeptos que se deslocou ao Estádio dos Arcos, em apoio permanente, apesar de mais uma vergonha na sua entrada e acomodação! FORAM O 12º JOGADOR!

Bolas paradas defensivas - Orientem-se, povo! Que calafrio! Esta ansiedade tem de terminar. Cada um tem que saber quem faz o quê. Não tenho dúvidas que NES vai ensinar bem.

Saída de bola - Todos mal nesse capítulo, do guarda-redes ao ponta de lança! Não há espaço? Buela para el pinhialio! O colega está apertado? Buela para el pinhialio! Simples, ein? Not complicate, ok? ObrigadoS!

Antevisão Rio Ave FC - FC Porto [1ª Jornada] - E Tudo Começa

E cá estamos de novo. Começa tudo, roda a bola, o nosso Coração Azul e Branco vai voltar a fervilhar novamente, a nossa Fé vai querer levar-nos à conquista do título que mais almejamos - o Campeonato!

Desta vez não partimos favoritos, diria inclusivamente que a maioria dos Portistas estará inseguro e temeroso. A única coisa que, no meu caso particular, me dá alento, é que Nuno Espírito Santo parece estar a conseguir fazer uma omelete bem gourmet apesar de não ter ovos de encher o olho.

É curioso que assim se passe - especialmente no caso do FC Porto - mas não hesito minimamente em dizer que confio muito mais na equipa do que na estrutura que a sustenta.

NES parece ter, de facto, construído um grupo sólido e entrosado, que será a base de uma equipa coesa e solidária. O Rio Ave, treinado por alguém que muito aprecio, Nuno Capucho, será uma entrada a doer neste campeonato, que exigirá um FC Porto atento e equilibrado, com uma componente defensiva forte que seja capaz de contrariar os seus contra-ataques, mas também que seja capaz de uma grande ofensividade e trocas de bola que sejam capazes de desequilibrar uma defesa experiente e objectiva.

Ainda assim, é óbvio que só a vitória é expectável. E assim, apesar de não sermos favoritos no campeonato, se começará a construir, jogo a jogo, com a humildade devida de ter os pés assentes na terra, sem delírios de Ferraris e Lamborghinis, o caminho que nos levará ao escudo no peito da camisola do próximo ano.


O FC Porto não disponibilizou a lista dos convocados para este jogo.