terça-feira, 28 de fevereiro de 2017

É Para Rir, Certo?

O verifique resolveu antecipar a reunião com o Conselho de Arbitragem - vá-se lá saber porquê - e fazê-la ontem, tendo comunicado depois que já teria acontecido. Nesse comunicado, tão lindo como delirantemente divertido, mostraram as suas "brilhantes" conclusões.

Vamos rebatê-lo, ponto por ponto? 'Bora!

1 - Ah sim? Agravou-se? Que outros episódios, por parte do FC Porto ou adeptos do mesmo, aconteceram? É que o FC Porto - ao contrário do que disse a ratazana Santos! - repudiou os incidentes, assim como os Super Dragões! Depois disso, que se saiba - e saber-se-ia, ó se não! - nada mais aconteceu. ADENDA: "Baresi" chama-se a atenção para isto, e cito: "Não houve nenhuma invasão: dois indivíduos mandaram umas bocas a um árbitro quando este já tinha abandonado o Estádio Dr. Vieira de Carvalho, estando já em espaço público, portanto.
Mas já há umas semanas me tinha chamado a atenção esta mesma "invasão" pela boca do anão da Silva. Chama-se a isto "plantar"(ou "semear") factos alternativos, subrepticiamente. " Toda a razão, "Baresi". Bardamerda com este argumento!

2 - Que "principais responsáveis desses clubes"? Que eu saiba, o único que se dirigiu directamente a um árbitro foi mesmo o Bieirinha, a mandar vir com o (afinal-já-não)Pode Ser Ferreira!

3 - Concordo! Situações como esta, aqui em baixo, devem ser severamente punidas! Sobretudo quando revelam padrões de difícil explicação!


4 - Claro, claro! Estava tão bem antes! Era só a favor do verifique que se podia errar! Assim é que deve ser! Mas afinal, onde é que nós estamos?

5 - Por fim, se não se portam direitinhos, vimos cá outra vez, com mais "atitude". Got it!

No fundo, no fundo, estavam a gostar muito dos últimos anos, com um FC Porto em adormecimento letárgico e permissivo, e isto de ter de jogar à bola é cansativo. Não importa. Há muitos anos que somos prejudicados e ganhamos na mesma! Só que, agora, não nos vamos deixar ficar! 

Insisto, não queremos que gostem de nós ou nos respeitem! O vosso temor chega porque sabem que o velho espírito guerreiro do Dragão voltou! Sabem que somos feios, porcos e maus e que não precisamos da vossa bênção para nada. Sabem, especialmente, que sem a ajudinhas variadas como entradas assassinas e auto-estalos, cuja relevância e escândalo dependem se são a favor ou contra, vão mostrar a pobreza franciscana da qualidade do vosso jogo. 

Não vos interessa jogar futebol. Interessa que vos deixem ganhar! Seja de que maneira for! Mas desenganem-se! Estaremos cá para impedir o desígnio nacional! Digam de nós o que disserem! Nós sabemos quem somos! E a resposta não tarda em chegar! 

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017

Raiva Contra O Polvo

O que poderia ter sido um bom jogo de futebol, não o foi. Não poderia ter sido, dado o facto de se estar a jogar, como sempre no Bessa, contra o FC Porto, uma espécie de rugby misturado com MMA, com o beneplácito arbitral correspondente. A forma como Fábio Veríssimo consegue a proeza de não expulsar ninguém do Boavista e também ter a fantástica capacidade de pós-verdade de interpretar penalties como faltas ofensivas e penalties como simulações é, essa sim, bem surreal! Enfim.

Para mim, no entanto, há um lance capital que define o senhor Veríssimo e ao que vinha: o da lesão de Corona. Entrada de Talocha absolutamente assassina, que o senhor Veríssimo resolve apenas amarelar, com a absoluta cereja no topo do bolo que foi parar a jogada de contra-ataque em que André André seguia isolado e o FC Porto estava em superioridade numérica, portanto uma jogada de golo eminente! 

Depois, na fantochada que se seguiu ao apito de intervalo, conseguiu o senhor Veríssimo equiparar a atitude do senhor Alfredo do Boavista à de Nuno Espírito Santo que, ao contrário do primeiro, não empurra nenhum jogador, não insulta ninguém e não parte à procura de porrada sobre quem quer que seja! Estava pois o Polvo interessado em equiparar os treinadores e dizer que todos já tinham sido expulsos. Mas o que eu acho curioso é que estes iluminados ainda não perceberam que isto só nos une ainda mais! Hoje foram mais de dez mil nas bancadas, amanhã serão ainda mais! O Dragão é cada vez mais temível e mesmo a malapata fora parece começar a ser coisa do passado! Por isso, continuem! Nós não nos borramos! Nós não precisamos de muletas! Isso para nós é gasolina! Por isso, VENHA! Até os comemos, carago!

Para terminar, sobre o jogo: Fiquei muito feliz de ver o 4x3x3 de volta, enquanto se jogou futebol foi uma alegria de ver. Casillas fez uma defesa genial, Maxi deu tudo de si e foi expulso injustamente, Boly fez um senhor jogo, especialmente para quem tem tão pouco ritmo,  Marcano é o nosso Capitão e merece-o, Alex Telles redimiu-se muito bem. Danilo não esteve tão bem como em jogos anteriores e creio que acusou algum desgaste, para lá de estar um bocado aos papeis com a dinâmica com os médios, mas André André e Óliver estiveram fantásticos, quer no entendimento entre eles, quer nos pormenores deliciosos que, cada um à sua maneira, conseguiram imprimir. Para ser perfeito, faltou apenas, no caso de AA, o acerto no remate e mais cuidado nas entradas - André, o teu pai acertava PRIMEIRO NA BOLA... - e, no caso de Óliver, aquela mancha da perda de bola que quase dava golo do Boavista. Mas, bem-vindo de volta, Mestrinho! O teu passe para o Corona e subsequente golo é delicioso! Brahimi foi... espectacular, a entrega de Yacine é à prova de tudo o que mudou no argelino, Corona enquanto jogou foi muito bom e altruísta, quer na defesa quer no ataque e Soares... é um ponta de lança à séria! Hoje aprendeu a lição de jogar simples e ela é importante. Jota entrou mal, mas também não estava na sua posição, Layún e Otávio cumpriram o que se pedia.

Contra tudo e contra todos, seguimos na luta. Cada vez mais fortes. E mais vacinados contra esta coisinha! Vai ser difícil segurar-nos! Joguem mas é à bola!

ADENDA: Fiz um post na página do Facebook do Porto Universal acerca da avaliação do senhor Carlos Gouveia, cujo link está aqui, para quem quiser ver. Já chega de tanto preconceito!

sábado, 25 de fevereiro de 2017

Depende


Voltou tudo ao normal na liga NOS. Depois da pressão coerciva de sexta feira passada do nosso querido verifique, uma semana depois lá voltou tudo à Paz do Senhor.

"O nosso trabalhinho está feito!", exclamou Rui Vitória! Pudera! Maravilhosa, esta sequência de bailado colinhal que aconteceu ontem no galinheiro! Primeiro, um golinho de Mitroglou, unanimemente considerado ilegal, a abrir as hostilidades, logo de início. A seguir, um penaltiezinho por marcar a favor do Chaves que o punha a vencer e, aos 82 minutos, um lance maravilhoso de golo anulado, que vale contra o Braga, mas não contra o Chaves. Por fim, como não pode haver golinho de Mitroglou que seja legal, vai de haver uma falta antes do golo. Contra nós, rasgam-se as vestes. A favor dos meninos, tudo normal. Depende, se se está do lado de quem é beneficiado ou não.


Fabulosamente, também, desta vez, o Chaves, que, contra nós, e apesar de beneficiado, moveu céus e terra, tal como os seus "vizinhos" de Tondela, contra o fifica já acha tudo normal. Não é genial? É, pois! Por isso, embora entenda o Presidente, não pode haver Norte unido com esta escandalosa subserviência ao regime, que quer fazer das suas vitórias desígnio nacional, seja de que forma for. E, com esta gente invertebrada e triste a ir ao beija-mão, bem podemos andar aqui a pregar união Nortenha! São usados e abusados, e ainda batem palmas por cima!

Para terminar, como se já não fosse de pouca monta, fica mais que patente que esta coisa de um canal de um clube ter o exclusivo da transmissão dos seus jogos, é bom e recomenda-se. Não houve repetição em ângulo onde fosse visível o empurrão de Mitroglou, fez-se de tudo para que passasse em claro que Nuno "Ferrari" Almeida estava de frente para o lance. também foi bastante absurdo que a transmissão fosse de tal forma habilidosa que o penalti de Eliseu só fosse possível de analisar...à posteriori, depois de chegarem às redacções dos jornais os elementos visuais para isso. Assusta pouco pensar num video-árbitro nestes termos, não assusta? Sobretudo quando, como se pôde ver no caso do Soares, a SportTV também parece estar a começar a seguir pela linha dos factos alternativos...

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

O David Não Ganhou Ao Golias


Pronto, já está. Está o que seria mais espectável, quando se tem do outro lado uma equipa com a experiência e o orçamento que a Juventus tem. Se juntarmos a isso o "icing on the cake" do evidente poder da vecchia signora... 

Até entramos bem, pressionantes e intensos, a procurar surpreender.. e quase conseguimos. Mas a verdade é que, já antes da expulsão de Telles, a Juve se tinha "adaptado" à nossa ideia e adormecido o jogo, embalando o adversário, como quase sempre faz, dando a entender que não tem soluções, mas na verdade pacientemente procurando o buraco na agulha do autocarro que tinha em frente.

Sim, tínhamos uma equipa de tracção atrás - mais ainda - à procura do contra-ataque e da bola colocada a André Silva e a um Soares que, coitado, teve a fava de ter a Juve como baptismo europeu. Concordo que, se se quer jogar... desta forma..., o melhor parceiro para Danilo é mesmo Rúben Neves. À frente deles, um pouco para a direita e contra a Juve, se se vai optar por um médio encostado à direita, entre Herrera e André André, talvez fosse mais lógico, de facto, o primeiro do que o segundo. 

Mas pronto, nada - rigorosamente nada - a apontar a uma equipa que deu tudo de si, principalmente depois da absurda expulsão de Telles - que já jogou no campeonato italiano e sabia muito bem quem tinha pela frente - onde o difícil se tornou impossível, até porque a Leitaria Garrett é mais para sul.

Aguentamos bem, muito bem até, deu-me a sensação de que a Juve estaria até, por volta dos 50 minutos, já a ficar nervosa e a procurar um remate exterior. Mas Allegri mexeu bem - ao contrário de NES - e trouxe do banco a morte do artista, apoveitando o nosso evidente elo mais fraco, a ala esquerda coxa. Layún, que até nem tinha entrado mal, teve o azar dos azares de dar o golpe de misericórdia involuntário às nossas tímidas ambições.


E depois NES resolveu ajudar. Em vez de fazer a troca por troca evidente pelo inevitável André André, até porque Herrera tinha o pé neste estado aqui em cima, resolveu ir pela táctica Kamikaze, como se a Juve fosse o Chaves ou assim. Corona para o lugar de Rúben, e a estabilidade duplo-pivotiana pró galheiro, deixando um coxo Herrera no campo. E, para combater a entrada do nosso "carrasco" Dani Alves... Diogo Jota, para tornar a nossa ala esquerda numa verdadeira passadeira. E Herrera em campo, a sofrer e com a capacidade de decisão de um homem a arder. 

Foi o esperado, foi o possível. Alex Telles reconheceu a falha, foi homenzinho, e as lições podem vir de forma dura. É o que temos. No entanto, no tempo do futebol de porcaria, a anos-luz desta qualidade, onde em vez de apoio havia assobios, jogamos em casa contra o Bayern e vencemos com coragem, jogamos em casa com o Basileia e goleamos com coragem e jogamos em casa com o Chelsea e vencemos com coragem.

E não me venham falar de Brych. Esperavam o quê? Isenção? Contra a Juventus? Já se sabia que o campo estaria inclinado! E é evidente, o primeiro amarelo foi.. piquinhas... o segundo foi justo. E do outro lado, um homem pode assassinar o pé de outro sem que nada lhe aconteça. Mas quem é que disse que o futebol é justo?

Voltamos então para o nosso campeonato, onde tudo faremos para ser campeões. A nossa raça e atitude - quem viu Brahimi e quem o vê! - não estão em discussão. Temos um bom ataque, uma defesa extraordinária - dois centrais de classe absolutamente estratosférica e um guarda-redes que merecia bem mais do que teve - e um lateral que, quando não lhe dá os cinco minutos, é uma grande contratação. Temos um senhor Danilão e, acredito, o Fernandinho para o seu Fernando, Rúben ao lado dele para criar jogo.

Sim, porque aqui está o problema - mas que é só meu. No sábado, jogaremos exactamente assim, num 4x2x4, onde Herrera será substituído por Corona ou André André. Se calhar, com 30% de posse de bola, ou pouco mais. Em contra-ataque e aqui vai alho. Porque poderíamos ter aprendido como se joga futebol ontem. Mas não vamos aprender. Este é o jogo de NES. Aceite-se. Que seja campeão. E que tudo corra bem. 

terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

Vamos Com Tudo!


Quando, há dois anos, mais coisa, menos coisa, entrei no Dragão para o embate com o Bayern de Guardiola, estava convicto, racionalmente, de uma goleada das antigas. Mas estava, emocionalmente, crente na superação do Dragão. Sinto exactamente o mesmo hoje, sentirei o mesmo amanhã. Por uma vez, tenho - admito-o - o conforto de saber que a pressão está do outro lado. Seja qual for o resultado da minha equipa do Coração, a minha Alma Azul e Branca sente-se superada. Entramos - como há dois anos - praticamente arrumados. Mas atenção: a Roma também não está assim a léguas da Juventus! E conseguimos superá-los - e bem!

Temos muita união no balneário, uma equipa que não desiste e não se dá por vencida, não fico surpreendido se nos continuarmos a superar! Seja como for, acredito num jogo equilibrado. Mas o favoritismo não mora cá. Isso é ponto assente. Estarei, sim, a ver um encontro histórico entre Casillas e Buffon, o regresso de Alex Sandro e - tenho a certeza - um excelente jogo de futebol.

Como costumo dizer, se se deixar cada gota de suor em campo, se não se der nenhuma bola como perdida ou resultado como feito... serei um homem feliz. É a Champions. A nossa obrigação está feita. O que vier a seguir... será bem vindo.

Ai o Tondela reclamou da arbitragem, fez comunicados e tudo, é? Coitados, pá! Roubadinhos que foram, não se admite! Claro que, noutras ocasiões, outras lentes viram lances piores. Pois, percebe-se: há quem goste de ser usado e abusado e ainda agradeça. Afinal, todos sabem que partilham a flor saltitante com pó inebriante no coração! Paneira, Petit, Pepa... mais claro é difícil! E é por estas e por outras, por serem repetidamente comidos e ainda irem ao beija-mão, que depois acabam a jogar a Ledman Pro. Com toda a paixão e coração, ainda a gritar alvíssaras a quem os usa e deles abusa.

E é também por causa de coisas como estas e como as  dos lampiões do Norte que o sonho de um Norte unido, tendo como linha da frente um Clube mundialmente titulado, se afigura impossível, ou pelo menos muito difícil: há quem seja sodomizado por 30 moedas de prata, quem perca uma, e outra e outra e outra vez, quem entregue bolas ao adversário, quem deixe passar uma bola na área, sempre na vã esperança de fazer parte do desígnio nacional. Só que ignoram um facto simples: para esta gente, somos parolos, burros e atrasados. Acima do Mondego, é só parvos, a não ser que gritem, ululantes, em prol de tudo o desígnio queira. 

E a agir assim, não serão? Estende-se a passadeira, deita-se na lama para a passagem dos "escolhidos" e espera-se pela côdea que vem do beija-mão. Depois espantam-se com as despromoções, espantam-se com as faltas de oportunidades, espantam-se que o combinado se descombine. 

Quem é tolo e gosta de o ser... merece o que tem. A nós, não vencerão. Contra tudo e contra todos. Contra o pensamento dominante. Por muita campanha que se faça.

E, por falar em campanha, deixo aqui uma imagem do Papa Pinto da Costa que diz tudo. Quem quiser acreditar no que se publicita incessantemente... faça-o.


segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

Como Vos Compreendo....


Ontem foi um daqueles dias em que se viu a nação papoila exultar mais uma "exibição de gala", em que se passou da ansiedade ao orgasmo libertador num ápice e se falou de divindades e alegorias várias nas capas de desportivos. Mas foi também mais uma noite em que o coro das velhas, como muito bem lhes apelidou o nosso Bernardino Barros, saiu à rua para fazer o seu trabalho. E o trabalho é bem simples: apelidar de escandalosa a nossa vitória sobre o Tondela e a arbitragem de Luís Ferreira.

Pediam a expulsão de Soares - que jeitinho lhes dava! - e de Felipe - idem, ibidem - porque o primeiro dera uma cotovelada - tipo estas? - ao santo do Osório, que pouco antes até nem deveria ter ido para a rua com um vermelho directo por esta gravata, ao melhor estilo UFC, sobre Otávio, nem nada. O segunda sabe Deus porquê. Porque é forte e bom central. E dava jeito que fosse posto a salgar tipo bacalhau.

E, claro, Jorge Faustino e a sua fantabulástica dualidade de critérios de análise - que incluiu uma análise ao penalti sobre André André, mas en passant - tão, mas tão bem entalado por BB! Já chega desta palhaçada!

É que, no final de contas, prejudicados até fomos nós: não só o penalti o era, como Osório teria de ser expulso antes, como ainda haveria outro penalti a assinalar! Transformar isto num escândalo a nosso favor foi uma linda tentativa! 

Só que, na verdade, não é só o departamento de comunicação do FC Porto que está a trabalhar melhor - os nossos comentadores também estão a dar-lhe forte. Como também o grande Pedro Marques Lopes no Trio D'Ataque, majestosamente a cortar cada uma das insinuações viperinas do senhor gobernador, que tentou colar - sem sucesso - a operação Fénix ao FC Porto e insinuar a história #nãosejaslaranjo e a do microfone. Só que PML não é parvo, e cedo o demoveu.

Pelo que soube, a (des)honrosa excepção  coube, claro, a um Rodolfo Reis sempre igual a si próprio - tens razão, ó Rui! - que se nega a ver imagens e quer "pensar pela sua cabeça"... e negar-se a ver a evidência.

Meus caros, se um Portista que se preze for atrás de toda esta maquinação... nem sei que diga. É tão evidente, tão despudorada e descarada que chega a fazer rir. Acreditar numa palavra desta gente, é não acreditar no Clube que se ama. É uma guerra sem quartel.

Mas o curioso é que continuam sem perceber, e ainda bem, que não precisamos de ninguém mais senão de nós mesmos! Já sabemos que somos feios, porcos e maus. Já sabemos que, independentemente das Taças internacionais que ganhamos a cores, seremos sempre os "corruptos" do "apito dourado" e da "fruta".

Só que nós não precisamos de aprovações nem de loas: precisamos do Amor dos nossos, do apoio dos nossos e da energia dos nossos! Nada mais!


Não andamos interessados em tornar exibições de uma pobreza franciscana em "exibições de gala" para enganar o povinho - temos uns padrões de qualidade e de exigência que não coadunam com este tipo de sorte e de vaquinha. Sabemos que o trabalho resulta, a sorte esgota-se! Por isso, continuem! Estão maravilhosos! Jogam lindamente! Fazem golos geniais! É assim, soberbos, anafados, hedonistas, que vos queremos! 

sábado, 18 de fevereiro de 2017

Um Festival De Oportunidades E Umas Notas De Surrealismo [EDITADO e ACTUALIZADO]


Vou escrever este post nuns moldes um pouco diferentes dos normais, desculpem. Há muito que falar e nem tudo sobre o jogo. Mas vamos lá.

Sobre o jogo. Vitória natural de um FC Porto com muitas mexidas no meio campo, com as quais não concordei. Se Rúben Neves precisa de minutos e foi em crescendo durante o jogo - assinou um belíssimo golo - já Otávio estava nervoso e ansioso. Tem, obviamente, muita qualidade nos pés mas, assim como a equipa, precisa de afinar a finalização e não perder oportunidades cantadas. Ainda assim, mais uma assistência e um sorriso ao vê-lo de volta. Contrariamente à opinião que vou lendo, não acho mesmo nada que André André saiba entregar bem e possa ser construtor de jogo. Não gostei de o ver na primeira parte e só na segunda é que, voltando à posição de 8 mais recuado onde está confortável, é que rendeu bastante bem. Tivemos ocasiões mais do que suficientes na primeira parte e na segunda para dar uma goleada histórica, mas a perdularidade, especialmente de um desinspirado mas muito solidário André Silva, levou a que o resultado previsto por esse Merlin da bola que dá pelo nome de Xebeu se viesse a realizar. Vinte ocasiões de golo deram conta do desnível que se criou, e o único esboço de jogo do Tondela veio com o avançar da primeira parte e da perdualidade do FC Porto, que lhes deu alguma confiança. No entanto, não será sério quem disser que o Tondela alguma vez esteve por cima. Mas, antes de avançar para aí, queria só fazer referência ao extraordinário golo de Soares. Cada dia que passa, justifica mais a sua contratação. Mudou o FC Porto para muito, muito melhor.


Mas vamos à vaca fria. [EDIÇÃO] Tem toda a razão o Victor F. Depois de ver as imagens - não tinha visto - parece-me bastante claro que Osório agarra Soares e que este o sacode! (ADENDA: vídeo embaixo!) Quem é que não pode agarrar e desequilibrar quem na área?! E não falei da expulsão, mas falo: pela gravata feita a Otávio aos 45, era vermelho directo ao senhor Osório! Que choca ou não com o Soares, que ia direito à baliza? Santa paciência! Acho é lindo - surrealista, mesmo - que equipas a quem são dados penaltis por empurrões de X-Files e saltos para a piscina variados, estejam agora a dar uma de santinhos e a rasgar as vestes. Mais! Meus caros, isto tem sido assim, entendem? Enquanto o FC Porto sofreu dezanove penaltis por assinalar, estava tudo bem, a arbitragem era espectacular, uma maravilha e o que nos diziam era #joguemàbola. Pois que, de facto, jogamos. Não temos, claramente, a leitaria nem o permanente golden shower de alguns, por isso vai ao esforço e sacrifício, só para variar. E, se aqui e ali somos beneficiados, temos também muita da contabilidade de prejuízos para apresentar. E até parece que não tem nada em favor, como o penalti remontante contra o Boavista, que se pode ver aqui, só para dar um exemplo!


Estão revoltados com as "situações anómalas que estão a acontecer". Realmente, como vos compreendo! É realmente "anómalo" que o FC Porto não coma e cale, é realmente "anómalo" que não vos estenda a passadeira dessa vossa cor rumo a um objectivo que perseguem há décadas, e que começou a ser construído com a nossa anuência e passividade permissiva, no ano do #colinho, onde jogar dez vezes consecutivas contra dez, onde jogadores adversários vos faziam assistências primordiais e onde golos em fora de jogo, penaltis manhosos e condicionamentos vários eram o prato do dia! Temos pena, caros amigos! Esse FC Porto está morto e enterrado, e a brincadeira acabou! O tempo em que as equipas, grandes e pequenas, vinham ao Dragão com a certeza que poderiam fazer o que lhes desse na telha, dar porrada velha e fazer penaltis vários, passou! Agora digo eu: joguem à bola! Serão beneficiados, serão prejudicados, como todas as equipas. Sejam intelectualmente sérios e que ganhe o melhor! Mas jogar contra cones, isso nunca mais! O Dragões Diário deu a melhor resposta, que subscrevo em absoluto!

Por fim, ao senhor Pepa: Estavas cheio de moral, não estavas? Eras "grande", vinhas para "ganhar", não vinhas? Pois, pois é! Não te vi indignado assim no galinheiro, pá! Não te vi indignado assim quando a tua equipa foi varrida a amarelos e sofreste um penalti risível, pá! Pois, pois não, estavas a jogar contra o coração, verdade? Até estavas todo contente depois de levar 4, pá! Pois! A resposta para ti não sou eu que ta vou dar, vai ser o grande Rui Cerqueira, no pós-match do Porto Canal, e olhos nos olhos, aqui. É isto que resume um lacaio: submisso para com os mestres, de peito feito para os inimigos do mestre, mas, no fim, sempre irrelevante, sempre pequeno.

Somos líderes. Esperamos o desfecho do jogo deles contra os Bs. Curiosamente, nem assim estão confiantes. Estão, assim, a modos que mais para o borradinho. Como sempre. Porque a História aleija e traumatiza, e tende a repetir-se. Cá vos esperamos!

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

A Armadilha Na Estrada, O Perigo Que Sempre Espreita

Não gosto dos jogos antes da Champions. Não gosto daquilo que trazem, da divisão de atenção, do deslumbre, do desgaste, da gestão. Não gosto, porque continuo a preferir o campeonato do que chegar a uma determinada fase da Champions League. Quem viu os jogos de ontem, por exemplo, ou mesmo o PSG-Barcelona, pode tirar conclusões. Há equipas cujo talento, rodagem e entrosamento, superam, e muito, uma noite de sorte. Sim, porque já todos sabemos que o mijinho dos coisinhos, elevados que foram a "super-heróis" de um jogo ridículo e paradoxal, certamente não acontece duas vezes.

Na verdade, lembremos-nos deste épico jogo. Neste jogo, em que efectivamente jogamos e que não fomos dominados, tive uma noite memorável no Dragão como não pensava que viria a ter. Só que a segunda mão trouxe um daqueles amargos como sentiu ontem o Arsenal. E a verdade é que, dois anos volvidos, praticamente tudo o que é bom continua lá, e ainda houve alguns acrescentos de qualidade - obviamente, não "o melhor em campo", que quase não joga.

Digo isto porque, como diz o nosso Capitão sem braçadeira,  "é bom poder sonhar, mas temos de ser realistas". E o realismo passa por concentrar-nos no título que, efectivamente, está ao nosso alcance e o que ele significa. O caminho para o título nacional. Não se esperem facilidades, amanhã. O polvo tem muitos braços, incluindo ex-jogadores doentes tornados treinadores que, contra nós, vão dar o litro para ajudar a equipa do coração.

É importante, por isso, relembrar aos jogadores que, nesta jornada, poderemos ficar à frente vencendo e, quem sabe - embora as esperanças não sejam muitas... - esperar que o rival possa perder pontos. Temos equipa para isso e mais, e nada ganhamos em jogar um jogo a pensar no seguinte. Fizemos a nossa parte na Champions, a partir daqui a sorte dita tanto como tudo o resto. 

O Tondela tem de ser a nossa Champions. O Tondela, que diz que vai jogar olhos nos olhos - não acredito - tem de ser a nossa prioridade. Então sim, a partir das 23 horas, pensar na vecchia signora. Se não for assim, poderemos comprometer, desnecessariamente, o objectivo principal, e entregar o desígnio nacional aos nossos rivais, ou desperdiçar uma excelente oportunidade de ser líderes isolados, com tudo o que isso significa. Dar tudo para ser Campeões tem sido o lema até aqui. Não pode deixar de ser por 180 minutos de um torneio. Porque aquilo que parece uma linda estrada, pode ter um buraco que nos afunde a qualquer altura. Atenção e foco totais exigem-se!

Já se esperava muita coisa baixinha, mas a alaranjada jornalista foi bem longe. Fica bem patente nesta imagem que, amor pelo nosso Clube, é coisa que ela não tem. Fica feita a exposição das motivações e verdadeira face da laranja. Mas um parágrafo chega. Não há que dar mais tempo a quem não o merece.

Mostremos dentro do campo que bem podem nos podem tentar desestabilizar, só nos tornaremos mais fortes!



terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

Autofagia à Porto!


Não sou capaz de compreender, juro que não, esta impressionante tendência Portista de se chicotear e penitenciar até ao absurdo, quase que sendo o primeiro a duvidar de tudo o que de bom lhe acontece. É muito frequente ver o Portista a dizer "calma, é preciso saber não embandeirar em arco!" quando vê outro Portista a comemorar uma vitória importante - e esse número é TODAS! - e dizer coisas como "os outros estão muito fortes, é preciso desconfiar" e por aí em diante. 

Porquê, senhores?  Porquê? Porque podem os outros cavalgar "ondas verdes" e dizer "#rumoaotrocópasso" enquanto o Portista tem de estar sempre na retranca, sempre com hiper-realismo, sempre como que a olhar para a imaginária espada de Dâmocles pronta a trespassar-nos se ousarmos sequer estar minimamente confiantes, com o acto de Contrição ao virar da esquina se ousarmos deleitar-nos no gozo de uma vitória? Afinal, a exibição nunca é suficiente, o jogador nunca é bom que chegue, o que hoje é bom amanhã pode resvalar.

Falo com o à vontade de que diz, frontalmente, que não gosta do futebol apresentado por Nuno Espírito Santo e a sua ideia mais ou menos recente. Digo-o com o à vontade de quem diz que, no entanto, quem sabe, naturalmente, é ele. E digo-o com o à vontade de quem diz que quer é ganhar.

Tenho a certeza que, se Lopetegui tivesse tido metade do apoio dos adeptos e da Estrutura em defesa de si e do seu grupo de trabalho que tem NES, teríamos ganho o primeiro campeonato a brincar. E nunca, mas nunca, me vou esquecer do ridículo coro de assobios à entrada de Alberto Bueno em vez de André Silva, que agora até pode "ir de pinote", como diz Rodolfo Reis - curioso, não é verdade? Ganhávamos então 3-0 sobre a Académica e estávamos no primeiro lugar do campeonato. 

Mas, mais ainda do que a estupidez de assobiar alguém desde o seu jogo de apresentação, baseado no critério da nacionalidade, só mesmo a crítica autofágica às compras do Futebol Clube do Porto.

Qual é o crivo, senhores? Qual é a linha? Se um jogador for vendido pelo dobro do preço que custou - Danilo Luiz - será caro ou barato? O que ganha o FC Porto a ver um jogador que se entrega de corpo e Alma ao Azul e Branco ser criticado vilmente por "ter sido demasiado caro"? Sim, falo, evidentemente, de Óliver Torres, a última moda em termos de críticas autofágicas, desta vez na pena do senhor Breyner Andressen - via Dragão Até à Morte - que ignora, como muitos outros, que Óliver está a jogar completamente fora da sua posição natural e esperam os mesmos resultados ou melhores do que tinha em funções anteriores. De pouco adianta dizer o que está demonstrado em blogues de especialidade que Óliver não tem chegada à área, que está a jogar a 8 recuado, e não raras vezes, em duplo-pivot. 

Sou o primeiro a dizer que um FC Porto recuado, a dar bola ao adversário e a jogar no erro e no contragolpe, não precisa de Óliver. Para ser duplo-pivot, Rúben Neves é o ideal. Agora, num 4x3x3, a posição mais adiantada do meio campo, no meu entender, tem lugar cativo, Óliver tem um perfume de bola, uma leitura de jogo e uma capacidade de segurar e entregar com qualidade absolutamente ímpares. Mas "é caro". Mesmo que já tenha ouvido um rumor de que, para o ano, já não está cá, acertado que estaria por perto do triplo do seu custo. Mas como não dou crédito a rumores, digo, sem hesitar: se há alguém que sei que nunca dará prejuízo, esse será Óliver Torres!

Só que, como Danilo, Alex Sandro ou Hulk antes dele, veio com uma etiqueta que não é de saldo. Mas o único que dará prejuízo será Adrián. Quem quiser comparar o rendimento de Óliver ao de Adrián, não poderá estar a falar a sério! 

Mas, mais importante do que isso, quantas vezes se ouviu uma papoila falar dos mais de 22M pagos por Jiménez? Se este fosse do FC Porto, o que seria? E qual seria o escrutínio da prestação de Rafa Silva e do seu custo total efectivo de mais de 20M? E se nós tivéssemos gastou 14,4M num Cervi? Ou outros 14 já tivesse custado, entre salários e custas, um Taraabt desta vida?  As papoilas sabem que têm de defender os seus, sobretudo se dão tudo em campo e se entregam de corpo e Alma! Claro que, sem surpresa, as papoilas e os vendilhões de templo fazem "escândalos" sobre os 20M "pagos" - só serão pagos a partir de 2018 e a prestações - porque sabem que Óliver é o eixo da roda do FC Porto, como bem se pode comprovar quando ele está e não está em campo, e que lhes interessa e muito que este seja desacreditado e nem jogue! Eles sabem bem quem foi o melhor em campo no jogo contra eles!

Mas não se iludam! Não estou a falar de Óliver que, por este andar, para o ano está na Premier League a deliciar uma qualquer equipa que fará carburar! Estou a falar de uma tendência parva de sermos os nossos maiores críticos e de termos razões arbitrárias para nos prejudicarmos. 

Os outros agradecem! 

domingo, 12 de fevereiro de 2017

Cabecinhas Bem Enfiadas Na Areia

Dia seguinte após a vitória do FC Porto sobre o Guimarães, e estas são as capas dos jornais do sul. Como o Luisão vai jogar terça feira, convém já dar todo o destaque merecidíssimo ao facto de, daqui a dois dias, ser o terceiro mais utilizado de sempre no verifique. É isto, uma azia que não tem fim, bem patente na expressão e nas palavras do reco-reco Guerra aqui, bem como na cara de enterro de tudo o que era paineleiro a analisar o jogo ontem antes, durante e depois do jogo e também nos comentários em directo do jogo.

É verdade, estavam todos de mãozinhas dadas a cantar o Kumbaya, à espera que o FC Porto escorregasse com o Vitória. Não aconteceu, e sente-se já o medinho. Não há pressão que esmoreça nem os nossos adeptos - em fantástico número em Guimarães - nem nos jogadores. Já se percebeu ao que vem a corja, o que quer fazer. Mas já aqui falei da resiliência desta equipa e como o foco está sempre posto no objectivo principal.

Como disse, e muito bem, a Joana Marques na TVI24 hoje - que desperdício o Porto Canal não aproveitar este extraordinário talento Portista! - toca a pôr que o FC Porto "pôs a quinta", como nota de rodapé quase ilegível, a ver se passa. Mas o problema é que nós, adeptos e jogadores, não precisamos de loas nem de egos afagados: sabemos quem somos e ao que vamos!


Jorge Coroado deu, sexta feira passada, uma interessantíssima entrevista ao Observador - um jornal não propriamente Portista - e a Rui Miguel Tovar - que todos sabemos que, de Portista, também tem zero - onde mostra muito bem quem foi quem, sempre, com ele. A intimidação, a coacção, a ameaça, o insulto, a provocação e mesmo as tentativas de agressão foram bastante mais ruborizadas! Por isso, vamos lembrar-nos desta pérola quando vierem dar uma de santinhos do pau oco e falar de apitos. A verdadeira face das papoilas está fácil de ver: não importam os meios para os fins que se querem atingir. Felizmente há pessoas de coragem. Eco na imprensa generalista, é coisa que está fácil de ver que não haverá.

Se outros calam, falemos nós!

Análise Vitória de Guimarães 0-2 FC Porto - Na Marra!!!

Fato de macaco, vitória daquilo que esta equipa tem como mais nenhuma - uma união que já não se via no Dragão há demasiado tempo! Mais de 6000 adeptos Portistas em Guimarães, a apoiar uma equipa que luta, se sacrifica e se esfalfa em cada bola, solidária e em que todos jogam para todos. Esse mérito, é de Nuno Espírito Santo. Mas ganhar desta forma, por muito que vá resultando, pode um dia não resultar. Esperemos que resulte sempre. Vamos a notas.


A grande muralha do Dragão - Sim, eu sei que não estavam no Dragão. Mas já não há palavras para Felipe e a sua capacidade de luta e potência física, mas, principalmente, estou absolutamente embasbacado com Marcano. Marcano vai a todas com uma excepcional qualidade e chega ao cúmulo de, nas poucas vezes que falha, ir ele próprio corrigir o seu erro! De uma segurança e uma qualidade absolutamente fascinantes! Se juntarmos a isto um Maxi que, apesar de não ter velocidade tem manha para dar e vender e um Alex Telles tão bom na defesa como no ataque... há muito pouco a dizer. E que dizer de um Iker que faz defesas impossíveis até quando os lances são inválidos? Ponha-se à frente o "ponta de lança" defensivo Danilão e tudo aquilo que ele é, e pronto... não falta nada. Mais! O resto da equipa participa, sem hesitar, na defesa, sacrificando o seu estilo de jogo e objectivos pessoais pelo bem da equipa! Este gesto de Brahimi fala por si. E isto, meus amigos, é ouro!

Soares - Luta, trabalho, entrega, determinação e classe. Quase roubar duas bolas a Douglas, aparecer em todo o lado no ataque, querer tanto marcar como oferecer... a mim já me conquistou! Num jogo que, emocionalmente, deve ter sido bem complicado, Soares foi um bicho imparável. E suspeito que será assim todo o resto do tempo. E vem aí dores de cabeça para os adversários. Passamos de um ataque de pólvora seca para um ataque de múltiplas soluções. E isso vai ser difícil de travar.

As substituições -  NES ainda foi a tempo de corrigir o problema criado por si mesmo - ver Faltas - porque, ao trocar um perdulário André Silva por Corona, restituiu o FC Porto à sua matriz mais confortável - o 4x3x3 - e deu os equilíbrios que foram importantes para que o FC Porto tivesse, finalmente, uma dinâmica consistente de ataque. Depois foi a gestão. Diogo Jota por Brahimi deu o descanso merecido a um Yacine combativo como nunca e muito, muito, fora do seu lugar natural, onde rende mais. Soube aproveitar os contra-ataques e, depois de ter ameaçado, soube concluir com classe um lance vertical de Alex Telles como mandam os livros e fechou com chave de ouro uma segunda parte onde finalmente se viu o FC Porto. Por fim, Óliver por André André deu uma qualidade maior ao centro do terreno, embora 7 minutos não tenham chegado para se ver nada de especial, a não ser que NES continua a pôr o Óli atrás de Herrera....


A confusão táctica - Ao melhor estilo Estoril, lá se foi uma primeira parte onde tudo era confuso e desligado, que se traduziu em não ter bola apesar de ter sido marcado o primeiro golo assim, neste confuso e imprivisado estilo de jogo. Herrera e André André atropelavam-se - outra vez! - nas mesmas missões e Brahimi a jogar pelo meio, naturalmente não rende tanto. Ter a humildade de saber reconhecer e mudar não significa que não se deva aprender com os erros. Esperemos que NES tenha aprendido a lição... É que tantas vezes o cântaro vai à fonte... que pode um dia quebrar. Esperemos que não.

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2017

A Verdade Por Detrás Do Ruído


Não seria de esperar outra coisa. Depois de mandar os viscondes para dez pontos, a máquina de propaganda do verifique voltou-se para aquele que é o seu adversário mais temido: nós! Põe em causa as nossas contas, inventam necessidades astronómicas, põe em causa as condições de utilização dos nossos atletas, descobrem não-assuntos de compras divulgadas em Agosto para falar em "escândalos", chamam nomes aos nossos dirigentes e até falam em resultado combinado... no FC Porto - sportem! Não falta nada! É um fartote de riso!

A verdade é que tenacidade, estofo e uma carapaça dura é tudo o que os nossos inimigos não têm. Não estão habituados a penar, a ganhar as coisas na raça, contra o desígnio dominante e precisam de afagos constantes. Têm de ouvir, quais Narcisos, a toda a hora, que são os maiores e os melhores

É curioso, não é? Bastou aproximar-nos para tremerem, para abanarem como varas verdes, bastou sentir o bafo do Dragão para se começarem a trocar todos. Qual o remédio? Elevar à condição de "histórica" uma vitória absolutamente normal sobre uma equipa num estado anímico deplorável, em queda livre desde a saída do seu treinador. 

Temem-nos porque sabem de devem. Estávamos tão bem a ter meia dúzia de irredutíveis nos jogos fora, verdade? Estávamos tão bem quando assobiávamos vitórias, não é? Pois seremos, em Guimarães, mais de 5000, e estamos prontos para aquilo que não compreendeis: sabemos que o campeonato é uma maratona, que vai ter de ser ganha ao sprint e, provavelmente, em photo finish, e que todos vão ainda, certamente, perder pontos.

Medo, é o que têm as papoilas, pois sabem que não atiramos nunca a toalha e que daremos tudo de nós, sempre. Não garantiremos um título, mas não o damos de barato.

Vai ser preciso um bocado mais de stones para vencer o campeonato, amigas! A nenhum Portista que se preze, está o preço de um dos seus atletas, ainda para mais se sente o Clube como seu, o estado das contas ou qualquer outra inventona, à frente do desígnio maior: o Campeonato. Não andamos em pré-vendas de atletas - nem gostamos de saber do efectivo interesse nos atletas que gostávamos de ter por cá até serem velhos, não andamos a embandeirar em arco por cada traque.

Somos obstinados, somos duros, estamos habituados à pancada. Não precisamos que gostem de nós. Nem de ser populares. Sabemos que as conquistas são na marrana raça. Ála Arriba, carailhe!

Azul e Branco é o Coração!

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

Com Todas As Variáveis Controladas


Não haja dúvida, quando estamos frágeis, há sempre um conforto mágico em sentir-nos quentes e protegidos. Saber, ao enfrentar o mais pequeno desafio, que não importa qual o tamanho do salto, há sempre um trampolim em baixo, pronto a amparar a queda e nos impulsionar para o nosso destino, caso seja necessário.

É esta a realidade presente do polvo galináceo, cada vez mais agitado e ansioso. Para enfrentar o colosso Arouca, que está a um míseros vinte e um pontos de distância, nada melhor do que ter o amparo de uma Mota metalizadamente rubra. E, como o seguro morreu de velho, ganhar em duas frentes, preparando já o jogo da semana seguinte frente a esse corajoso colosso que é o verifique B, eternamente, frente a eles, uma meretriz gasta e cansada, uma verdadeira autoestrada cheia de Paixão que lhes garanta que chegam ao sítio onde nunca ninguém cheg... ah, espera! Nós já chegamos! Duas vezes! E outra, até passamos!

Já sabemos, espera-nos uma verdadeira contagem de montanha daquelas bem íngremes, nas próximas jornadas. Jogaremos, como sempre, contra 14. E sabemos que o ar é mais rarefeito quanto mais chegamos ao topo. Cabe aos nossos Dragões, apoiados por uma massa adepta que se sabe já que vai ser de qualidade e quantidade, ganhar, ganhar e ganhar.

O resto, mais depressa se apanha um mentiroso do que um coxo, mesmo que este não deixe nenhum espaço para a imaginação (aqui numa versão muito papoila). Pode ser que, quem está do outro lado, também se canse da sua eterna condição de meretriz e ganhe um pouco de vergonha na cara, sobretudo sabendo que está sempre a ser comido. É que os adeptos do dito clube podem não ter todos uma paixão tão rubra. 


NOTAS: Os nossos Heróis de Andebol não dão hipótese nenhuma. São tão bons e tão fortes que até gostam de dar assim um avançozinho aos adversários para dar um bocadinho mais de luta. Só que eles têm a poção mágica do Azul e Branco no Coração e... bem, é o que se sabe! Sem playoffs manhosos, vamos no bom caminho para reaver aquilo que é, naturalmente, nosso.

E, para terminar, ficaram as galinhas todas aos saltos com a "bombástica" revelação que o  FC Porto está "obrigado" a comprar Óliver. Cabe-me aqui escrever, pela última vez, espero, sobre esta muito estúpida questão, que me irrita sobejamente. Em primeiro lugar, como assim, obrigado? Não, O FC Porto comprou Óliver com um empréstimo prévio até Dezembro de 2017, situação nada incomum por esta Europa fora. Tal já tinha sido noticiado no Verão! Acordaram agora, foi? Em segundo lugar, talvez seja discutível se o FC Porto estivesse em condições para fazer esta aquisição, mas Óli vale 20M e valerá muito mais! Compare-se com os preços dos papoilos como Hélder Costa e diga-se alguma coisa. E até parece que não temos nenhumas contas a acertar com Mendes e companhia! Por fim, veja-se a diferença entre este Óliver e este. Ela é bem óbvia! São uns bons metros da chegada à área, que com NES pura e simplesmente não existe. Sendo um baterista ambidextro,  consigo tocar à esquerda e à direita. Mas à esquerda toco melhor. Como li num blog - e felizmente as reacções dos adeptos a esta "notícia" têm sido bem positivas e inteligentes - para Óli fazer mais golos e assistências, jogando onde joga, só se ele passar a bola e a for receber também! Mesmo assim, conte-se, no último vídeo, a quantidade de passes que seriam assistências se houvesse um pouco mais de engenho na finalização. O talento está, indubitavelmente, lá. Óli tem 22 anos feitos há três meses. Bem aproveitado - que não está a ser - é a força motriz da equipa! E é nosso! Chega de parvoíce! Por favor!

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

Mais Uma Corrida, Mais Uma Viagem

Pois é, pois é... tal como seria de esperar, o Tempo Extra da ratazana Santos foi um fartote, esta semana. Pois que somos muito faltosos, que o verifique quase não faz faltas - um exemplo de fair play! - e que o Soares é uma besta de pancada! Até seria giro, no meio de um festival desresponsabilizador do sportem e do seu treinador - Lopetegui era uma besta quando falava aos jornalistas, mas já com JJ são estes que, maldosos!, tiram as frases todas do seu contexto e "momento emocional" - se não se seguisse a um rol de acusações extraordinárias e repetidas ad infinitum: para a nossa amiga ratazana, expulso deveria ter sido Maxi e não Zeegelaar, que, coitadinho, fez falta mas não para segundo amarelo - curiosamente, já Layún tinha sido super agressivo e maldoso! - e faz a campanha do regime de que é preciso ter "cuidado" com a agressividade extrema de Soares! Para lá disso, pede celeridade no castigo ao FC Porto por causa da questão dos petardos - sem no entanto dizer uma só palavra sobre isto - e continua a insinuar que o FC Porto condiciona a arbitragem! Vê-se! Manuel Mota no galinheiro  e o Xistrema em Guimarães dizem tudo do nosso "fantástico poder".

É tão lindo ver os dois pesos e duas medidas, consoante as cores das camisolas. Quando se passou isto que se vê nesta imagem, onde se rasgaram as vestes? Quando uma tocha benfas feriu gravemente uma criança colchonera, onde estava o dedo acusador? Não estava, verdade? Pois, como diz a RTP - a estação pública e portanto paga por todos nós. "desculpa lá, amor, valores mais altos se levantam". Este país é uma brincadeira corrupta e ridícula! Nada parará o desígnio nacional de tentar fazer do benfas o mais maior melhor grande de sempre e arredores! É toda uma paixão que todos os crimes ignora e todos os atropelos permite!

Siga a marcha, portanto! Mais uma corrida, mais uma viagem! Ignore-se, por exemplo, que os queridos só têm menos faltas porque os árbitros não as marcam e que a Premier League é conhecida por marcar poucas faltas. Não importa! Construam-se quadros e altares para a rubra exultação! Por mim, não passará. A verdade não deixa de o ser porque alguém a aldraba. E, mais cedo ou mais tarde, a máscara cairá! E ver-se-á o medo, a ansiedade e a dependência deste mesmo andor.

NOTA: Ficaram agora a saber que o Óliver tem cláusula obrigatória em Dezembro de 2017? Oh! Que surpresa! Para mim, são excelentes notícias - embora já soubesse porque já era conhecido. Mas, lá está, para o adepto Portista nunca chega: se vestisse de vermelhinho, era génio, playmaker e não sei que mais. Para o Portista, "foge à bola e é fraco". Claro, claro, por isso é que, junto com a defesa, esteve a fazer recuperação. Deve ser porque esteve todo o jogo sem fazer nada! Quando ele não estiver, vai ver-se a diferença. Por mim, experimente-se! Felizmente, o treinador é lento a reagir, mas burro é uma coisa que NES não é! Embora insista que Óliver continua a jogar fora da posição dele.

terça-feira, 7 de fevereiro de 2017

Galinhas Deflectivas, Parte N+1

Genial, pá! Jonas Piscinas é o mais melhor maior de sempre, pá! Está numa forma bestial, pá! Saiu de uma lesão e já conseguiu o imenso feito de marcar 5 golos no campeonato - dos quais 3 são penaltis - e a clubes estonteantes em dificuldade como o Tondela ou o Nacional. Grandes golos contra o último classificado, com a pior defesa e o pior ataque! Porreiro, pá! Seria de sorrir, não fosse o facto da imprensa andar sempre - sempre! - a fazer um colinho estúpido para que os meninos nunca tenham medo, ansiedade ou qualquer tipo de nervo! São os mais maior grandes da rua deles, enquanto, no nosso caso, o que há sempre pela frente são Adamastores de elevado grau de dificuldade.

Estamos agradecidos aos rubros zerozeros desta vida por isso. Eu, por mim, agradeço e aplaudo de pé. Assim, o jogador Portista tem sempre a noção da elevada dificuldade daquilo que terá pela frente, terá sempre os níveis de concentração dentro daquilo que é desejado e dificilmente se apanhará a perder por três em casa.

Insisto: gosto que vão "rumo ao topo" - mesmo que Bas Dost esteja, ainda, a dez golos de distância e André Silva a oito do senhor Piscinas. De penalti em penalti, de jogo fácil em jogo fácil, se vai ao longe. Sim, porque o "fenomenal goleador" tende a "dar um sumiço" cada vez que a dificuldade do jogo sobe um bocadinho. Forte com os fracos, fraco com os fortes.

Para terminar, e já que falamos de Piscinas, o que deu agora aos comentadeiros fifiqueiros para estar a dizer que André Silva se manda para a piscina? Perdeu-se completamente a vergonha?! Então estes exemplos abaixo, não são tão bonitos? Que lata! É o quê? Se se disser com muita força, os piscinaços do fifica passam a pós-verdades? Não, meus amigos! Aqui estão eles, até ao fim dos tempos! Envergonhem-se! Haja o mínimo de decoro antes de se falar! E isto para já nem trazer à liça esse portento do mergulho que foi João Vieira Pinto.... epá, galinhas, menos! Descarados, já sabemos! Absolutamente sem vergonha nenhuma na cara, não!



segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

Tudo Está Bem, Nada A Ver Aqui - Petardos É Só No Caso Dos Azuis


Et tu, Brutus?
Tudo está bem quando acaba bem! Qual crise é que há, meus amigos? Nenhuma! Conseguiram ganhar 3-0 ao Nacional em casa, como o senhor piscinas a fazer a "melhor média de golos" e é tudo uma alegria! Faz meses que perderam pontos com o Boavista, uma eliminatória com o Moreirense e que perderam com o Vitória de Setúbal, verdade? Claro que sim! Afinal, basta só a dificílima tarefa de vencer o último classificado para se "fuzilar a crise" - OJogo ein? Quem diria! - e ultrapassar em casa a equipa com pior ataque e a pior defesa do campeonato é coisa para ter honra de abertura de todos os telejornais dos principais canais nacionais.

É o desígnio nacional em todo o seu esplendor, que conta com a ajuda de personagens duvidosas para fazer lobbying para uma causa dúbia enquanto se esconde para debaixo do tapete acontecimentos em tudo semelhantes, mas que são, neste caso, falados - e en passant  - apenas em um dos jornais desportivos e de uma forma discreta e desculpabilizadora. Deve ser mesmo só para dizer que, com eles, é diferente. Pois é! É pior!

Quem não tem vergonha, todo o mundo é seu...
O acontecimento do Verilight 95, os acontecimentos das tochas no Vicente Calderón e por aí em diante, não foram com o FC Porto, como bem relembrou Bernardino Barros ontem no Campeonato Nacional, na TVI24.  Haja vergonha , senhores. Sou contra qualquer engenho pirotécnico num estádio, mas uma equipa que tem claques que lançam petardos directamente aos rivais, como se de balas ou mísseis se tratasse, como no caso de um sportem-benfas e o célebre caso no Vicente Calderón, contra o Atlético de Madrid, onde ficou ferida uma criança colchonera, não têm qualquer moral para fazer qualquer tipo de pressão ou sequer falar de pirotecnia! 

Menos, senhores! Embandeirem em arco com vitórias contra equipas em vertiginosa queda, exultem e mintam nas classificações como no sábado passado, numa espécie de ejaculação precoce, mas saibam que quem tem telhados de vidro não deve atirar pedras ao vizinho. Tentem ganhar-nos dentro de campo. Eu sei, é muito mais difícil, chegam a comemorar-se empates como vitórias, mas ainda assim, tentem!

Antes de ser, já o era. Até o dia em que não for...
Ah, e já agora, acho curioso que, quando o FC Porto venceu o Nacional por 4-0, na primeira volta, a única coisa que se falou foi do "suicídio" do Nacional e que esta era uma equipa "fraca" e "desnivelada competitivamente". E isto foi na Choupana! Se calhar é isso: no galinheiro, todos os adversários ganham um je ne sais quois de mérito absoluto. Continuem a pensar "ok, pronto, já está!". Nós não nos importamos!

NOTA: É curioso. Há dois anos, Jorge Jesus ganhava, com dois golos de Lima em contragolpe, no Dragão, com uma equipa que não atacara, se limitara a defender de um FC Porto que tentou por tudo, e esmagou ofensivamente os galináceos. Na altura, foi apelidado de "mestre da táctica". NES faz algo parecido, apesar de ter tido um equilíbrio muito maior do que esse benfas de JJ, na primeira parte, e foi apelidado de "fraco" e "preocupante". De facto, as avaliações dependem muito da cor das camisolas, não haja dúvida.

Ah, e, já agora: tal como suspeitava, um amigo meu confirmou-me. Ouviu, a dada altura, o adjunto de NES dizer-lhe que deveria pôr o Óliver ao lado de Danilo. Digo-o então, peremptoriamente, nem por 5, nem por 10, nem por 20M. Óliver não é jogador para fazer duplo-pivot. Nem um que tenha tamanho, já agora, para interceptar as bolas que vão directamente de Felipe, ou de Casillas, directamente para os atacantes. Para isso Herrera é muito, muito melhor. Mas já estou farto do mesmo tema. Só não gosto de ver novo patinho feio a aparecer. E sempre por causa do preço!

domingo, 5 de fevereiro de 2017

Pragmatismo Karmico


Somos líderes, à condição. Temos um avançado-ponta de lança-coiso novo muito jeitoso. Iker Casillas é muito caro, o caraças! Mas, há que admitir, não foi o melhor jogo do Futebol Clube do Porto este ano. Nem lá perto. Só que, lá está, assim de repente, lembro-me de um FC Porto-verifique, treinado por um treinador cheio de azia, ontem, onde houve duas subidas à área, dois golos do mais maluquinho que poderia haver, e onde todos falaram de pragmatismo. Lá está, o Karma é fodido. Há mar e mar, há ir e voltar. E nós, ontem, cobramos o retorno. Com juros. Vamos a notas.


Soares - Soares é fixe, Soares é fixe, Soares é fixe e já venceu! Sim, era um catraio quando o meu pai - sportenguista, temos pena, pai! - foi para a varanda numa célebre noite eleitoral, como um tolinho, cantar esta música. Mas Soares é mesmo muito bom. Tem técnica (o segundo golo é à matador, para AS ver e tirar notas), tem um elevado sentido posicional e uma força e uma entrega como poucos. Uma excelente contratação com uma estreia de sonho, que só por si já valeu o seu preço! Mas o que achei mais extraordinário foi ter ouvido logo a seguir Tiquinho a dizer que "vai lutar mais". Homem, se isto é o teu meio... vamos lá a isso!

San Iker - Não escondi, não escondo nem esconderei que sinto um orgulho imenso por ter uma lenda deste calibre com o Brasão Abençoado no seu peito. E ontem, como com o benfas no ano passado ou contra a Roma e Chelsea, Iker fez aquele estilo de defesas só ao alcance de predestinados. Está longe de ser barato, mas isso não é, nem pode ser, tudo. Enquanto estiver nesta forma física, com estes reflexos, enquanto for o líder que é e sentir esta camisola como se viu que a sente, Iker Casillas deve ser o dono da baliza, o Capitão sem (ou com, foda-se!) braçadeira, a referência e o farol. Arrumamos com um concorrente directo, praticamente - salvo hecatombe - asseguramos a Champions, estamos na luta para o Campeonato. E muito foi por isto, que correu mundo inteiro. Como só lendas podem fazer. "San" Iker Casillas. Guarda-redes do Futebol Clube do Porto.

As substituições, ainda que tardias - Tarde que foi, a entrada de André André e de João Carlos Teixeira deram um pouco de equilíbrio ao meio campo quando este estava claramente a perder a batalha. E não pelos intervenientes, mas pelo número. André André foi agressivo e lutador, João Teixeira ajudou a esticar o jogo ao seu mínimo razoável. Nenhum dos dois foi extraordinário, mas foram mudanças importantes. Jota entrou bem, com tudo, e com a velocidade que se impunha. Mesmo assim, há muito a fazer e a rever, em jogos deste estilo. Já a seguir falaremos disso.


A anti-posse - Durante muito tempo, Vítor Pereira teve o estigma dos jogos sensaborões, das secas que dava nos jogos sem intensidade, muito feitos na base da troca de bola entre defesa e meio campo, na procura da largura e profundidade apoiada. Assim como Lopetegui era acusado de ter jogos que enervavam um santo por serem tão obsessivamente assentes na posse de bola que tiravam o sumo a tudo o resto, tinham poucas ocasiões de golo e eram assentes no rugby, para Lopetegui, a bola tinha que entrar baliza dentro, no pé do jogador. Ontem tivemos o inverso absoluto de tudo isso, em especial na segunda parte. A bola parecia queimar, o jogo era feito na base do pontapé para a frente, sem passar pelo meio, sem ter a calma e a paciência de percorrer colegas ou procurar espaços. Evidentemente, tivemos uns paupérrimos 39% de posse de bola, um número absolutamente indecoroso para uma equipa que se quer campeã. Uma equipa a vencer por 2-0 tem de saber segurar a bola, irritar osadversários, deixá-los pouco confiantes, apostar no erro para, incisivamente, matar o jogo. Não se percebe os nervos da segunda parte. E, se era óbvia a assimetria a meio campo, entre o nosso efectivo 4x2x4 e o 4x3x3 contrário, se o sportem estava a dominar, aí sim, um estilo "Estoril-primeiraparte" tinha feito sentido. E não só depois de um (indefensável) e moralizador golo de resposta. Acabar jogos com o credo na boca, com muita crença e vontade mas sem nenhum discernimento, resulta uma vez. Não resultará, de certeza, duas.

O Macron-man - Bem sei que o Tribunal d'O Jogo não acha isso, mas foi óbvia, para mim, a inclinação de campo verdinha, nas faltas, faltinhas e faltecas permitidas ao sportem e não permitidas ao FC Porto. Pareceu-me que houve, igualmente, penalti sobre Soares e que Marvin Zigelaar não deveria ter acabo aquele jogo. Se qualquer toque é marcado a uma equipa e não é a outra, se o amarelo voa para um lado e sai com muita inércia para outro, e o lado beneficiado é o que é patrocinado pela empresa para a qual se trabalha....não se pode falar de outra coisa senão inclinação.

O menino da lágrima reprise

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

Respeito? Sim. Medo? Nunca!

Acho fofinha a forma como acordou a imprensa desportiva nacional, mormente os vendilhões da bolha e do rascord. Parece que os lagartos vêm cá acima comer-nos de cebolada, que são favas contadas que Bas Dost nos vá marcar golos e por aí em diante. Parece que o sportem foi na onda e acredita nisso. Ainda bem. Confiantes e arrogantes é como gostamos deles. Parece que se esqueceram daquela vez em que sofreram os golos sempre da mesma maneira. Mas tudo bem, eles é que sabem.

Cá por casa, tenho a certeza que toda a equipa do FC Porto sabe da seminal importância de, por umas horas que possa ser - ou não, ou mais - estar dois pontos à frente na liderança, e assim continuar sempre que a calendarização o permita. E só há uma equipa para quem o campeonato praticamente se resolve em caso de derrota - e essa é a equipa do sportem. Seriam nove pontos a separar-nos, e ainda com as galinhas pelo meio. 

De resto, compreende-se o porquê de tanto tentar levantar o moral do sportem: Se o sportem vencesse, voltariam os quatro pontos de diferença - sim, é o máximo que o benfas poderia ganhar nesta jornada - e o "conforto" razoável. Pífio, mas eles é que sabem.

Estamos num momento ascendente, com reforço no ataque, com o plantel em força praticamente máxima, com os nossos criativos de volta, o centro do ataque mais rematador e com soluções díspares e a motivação no máximo.

Será um jogo importante e muito difícil, que exige um FC Porto com os mesmos níveis dos primeiros 60' contra o verifique - e já agora, se possível, com um onze e dinâmicas parecidos - mas este é o FC Porto que venceu a AS Roma e deu 5-0 ao Leicester. E com casa cheia a puxar por nós.

Respeito por um adversário complicado, motivado e bem treinado, não é sequer questionável. Agora, medo? Nunca!!!!

PS: A mim pouco me incomoda que Hugo Miguel tenha sido nomeado para o jogo. O facto de trabalhar para o patrocinador do sportem só lhe deve dar ainda mais sentido de dever e responsabilidade. O FC Porto luta contra inclinações há muito tempo. Se o árbitro não permitir golos com as mãos, cotoveladas e pontapés, já estará a fazer melhor do que o colega que arbitrou a primeira volta. Estaremos preparados para tudo!