segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

Vitória da Raça e Do Querer


Como jogar bem contra uma equipa que só não quer perder? Como abrir brechas contra quem só tenta não levar golos? Estranho jogar futebol assim. Mais um festival de sarrefada que teve como tónica dominante a pressão intensa do Futebol Clube do Porto que tentou sempre por tudo chegar à àrea. O nosso Cristo Jackson sempre a levar pancada de meia noite, com um entrosamento muito interessante. Evidentemente, o jogo excessivamente lateralizado tem de terminar, mas ainda assim, e apesar de se ter visto alguma falta de calma - esta pressão dos 7 pontos, completamente injusta e bárbara, é absolutamente pornográfica - deu, depois da entrada de Brahimi ao centro, lugar ao cerrar de dentes e a uma vitória justíssima arrancada a ferros. Aliás, o golo de Brahimi foi uma libertação orgásmica do alívio da pressão que foi a vitória do futebol. A vitória da única equipa que quis jogar futebol.

GOLOS


Jackson - Este homem, como digo, é um autêntico Cristo. O absoluto festival de pancada, empurrões, penalties, e sarrefada em geral que leva os 90 minutos dá-lhe credenciais para jogar rugby. Um golo delicioso, de quem nunca desiste e que merece cada um dos recordes que tem. Um Capitão pelo exemplo.

Defesa M&Ms - Bem sei que Indi será, tecnicamente, o melhor de todos os centrais. Mas há qualquer coisa no entendimento Maicon e Marcano que parece um muro. A ligação e o entendimento dos dois é muito, muito boa.

Tello - Tello fez um jogo surreal. Jogou pouco tempo, mas o tempo que jogou foi um em que não teve medo do campo, não desistiu das bolas, caiu e levantou-se e pareceu-se redimir de todas as suas ausências anteriores. Muito bem mesmo. Grande cruzamento para golo. E grande assistência para golo!

Brahimi - Entrou com vontade, muito mais capaz do que Quintero no jogo interior e, no fundo, a justificar o discurso daqueles que o querem ver mais a 10 e menos na ala. Solidário, fez um jogo muito mais entrosado e chegou a ser a "voz da razão" quando toda a equipa parecia começar a perder o Norte.

Raça e Querer - A força de vontade e o nunca desistir desta equipa está a começar a ser, jogo após jogo, a imagem de marca de um FC Porto à Porto. Muito bem! Contra tudo, contra todos e contra os tolos.

FALTAS

Quintero - De cada vez que Lopetegui lhe dá opotunidades, Junfer parece deita-las pela janela. Já são demasiados anos, demasiadas oportinidades, de início, a substituir. Quintero não defende, não desce como Óliver e, claramente, precisa de um espaço que 95% das equipas não lhe dá. Ou se adapta ou perderá a batalha de vez.

Herrera - Não tendo de percorrer kilómetros, torna-se estranho, não define, não se define. E isso faz com que fique ansioso, perca a capacidade de defender e de ser aquela parede de meio campo que sabe ser. Muito distante do que pode e sabe ser.

Arbitragem - Já não há palavras. Pareço um papagaio, estou sempre a repetir-me. Mais um (dois?) penalty não assinalado, mais um festival de cacetada e mais importante que tudo, já não é demais. É ridículo. E não parece haver maneira de mudar. Jogar sempre contra 14 cansa. Mas torna-nos rijos.

10 comentários:

  1. O patife de preto não marca o penalty porque não quer - foi a poucos metros e não havia ninguém a estorvar-lhe a vista. O Hernâni foi um saco de pancada. O Quaresma leva uma sarrafada, reclama e ele é que vê amarelo. Isto é inacreditável. Sempre contra 14. Se formos campeões, este será o mais saboroso campeonato de que me lembro. Saúde.- João.

    ResponderEliminar
  2. Só não concordo com a nota negativa ao Herrera, à parte disso, excelente análise.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado Rui, eu comparo o Herrera a outros Herreras durante a época.

      Abraço

      Eliminar
  3. Bom dia.

    De arbitragem foi mais do mesmo... Já estamos habituados...
    O Lopetegui esteve bem no meu ponto de vista. Apostou bem e modificou a estrutura do FC Porto para tentar baralhar as marcações. O problema reside na zona central onde nunca aparece ninguém a apoiar o Jackson. No final esteve novamente bem na exposição do escandalo que vem a acontecer.

    A equipa esteve bem. Muito esforçada e sempre a tentar ir mais além. Gostei bastante do Angel.
    Dadas as condicionantes, era difícil fazer mais...

    Vamos ver o que nos calha na rifa no próximo fim de semana. Penso que vai ser mais um jogo em que iremos ser espoliados. Vamos ver se mesmo assim conseguimos ficar com os 3 pontos.

    Abraços

    ResponderEliminar
  4. Caro Jorge,
    Não se esperava um dérbi da Invicta fácil, e não o foi. Para sair do Bessa com os três pontos, foi preciso um FC Porto competente, guerreiro, paciente e persistente. Isto porque o Boa Vista colocou o autocarro em frente da baliza e o FC Porto teve muitas dificuldades para o remover. Os golos portistas chegaram já no final do encontro, mas bem a tempo de consolidar uma vitória justa.
    Em suma, o FC Porto somou mais 3 pontos, conquistados num teste difícil e mantêm-se a quatro pontos da liderança do campeonato.

    Cumprimentos

    Ana Andrade

    www.portistaacemporcento.blogspot.com

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A cara do Petit depois do 2-0 foi deliciosa!

      Abraço

      Eliminar
  5. Coisinhos vs Estoril
    Centrais do Estoril,impedidos de jogar no galinheiro
    João Capela dirige o Benfica-Estoril,fodasssssse.
    Isto sim é fazer as coisas por outro lado
    Saudações
    Rocha

    ResponderEliminar