segunda-feira, 31 de agosto de 2015

O Fardo De Lopetegui E A Estratégia da SAD


Estou em crer que Lopetegui tem, neste momento, um grave problema, para o qual tem a minha simpatia, e espero - melhor, gostaria de - vê-lo resolvido hoje: o da definição do onze. 

Passo a explicar. Não estou certo que a inquestionabilidade de Imbula não seja pelo peso do seu preço. E não só do preço. Esta forma de agir da SAD - que eu defendo dentro de certos limites - está a tornar tudo, no meu entender, mais complicado. Chega um ponto em que temos de nos perguntar: teremos uma equipa de futebol ou uma montra de import-export?

A SAD sempre vendeu 2 titulares - ou três - no seu modelo de gestão para manter a equipa competitiva. O problema é que, este defeso, foram o dobro. Em todos os sectores. O que implica que Lopetegui está a refazer - pela segunda vez consecutiva - uma equipa do zero. Mas com uma particularidade: a que o sistema - estranhamente, confesso, mas só o poderei dizer depois do R&C, porque, no meu entender mais de 100M de vendas deveriam garantir um refrear desta tendência - tem de ser mantido. E isso é, para mim, incompreensível. Imbula tem de ser mostrado, mas estará pronto? Já sabemos, de cor, a fila de espera: Brahimi, Herrera, Imbula. Estas são as pedras garantidamente para venda. Quem sabe, talvez Aboubakar também. E Danilo. Mas, a pergunta impõe-se: são critérios desportivos ou económicos que estão a definir o onze?

Teremos de estar a fazer reset todos os anos? É que estar a começar tudo de novo (sim, não pelo valor do Alex Sandro - para mim manifestamente exagerado - mas por causa da importâncias dos laterais e das suas diagonais com os extremos) desde a defesa, integração do meio campo, ligação com o ataque... tudo novo. Toda a explicação de um sistema de jogo exigente.

Sim, lá para Outubro, Novembro acredito que estaremos a carburar em pleno. Aqui não há saber chutar para a frente, correr à maluca em contra-ataque e esperar o erro adversário. Aqui há coordenar sectores para que tudo funcione em bloco. Em domínio pleno. E é um sistema que funciona. No ano passado garantiu-nos 82 pontos e os quartos de final da Champions

Estou certo que todos dizem que temos um plantel mais fraco. Blá blá blá whiskas saquetas. Ninguém conhecia Marcano, Casemiro, Óliver, Brahimi, Tello. Ninguém. Este ano temos um plantel mais experiente, mas que ainda não está ligado. Nem pode - o sistema de Lopetegui não é o "vamosprafrenteelogosevê". Precisamos de mais verticalidade, melhor ligação com os sectores. Estamos a testar alterações tácticas. Estamos no início.


Mas, se ao treinador é imposta a pecha de ser uma montra, tudo se complica ainda mais. Espero que tal não seja o caso, e que regressemos daqui a 15 dias em força.

E, desculpem, só para terminar: a quem acha que o benfica e o sporting jogam melhor que nós, eu pergunto - É verdade ou mentira que o Estoril que deu 75 minutos de luta ao benfica estava a perder connosco aos sete minutos? É ou não verdade que o benfica se pôs a jogar contra os colossos Moreirense (que não tinha marcado qualquer golo antes do jogo da Luz), Arouca e Estoril e teve de pôr, literalmente, a carne toda no assador (3 pontas de lança!!) para vencer dois deles? Até quando vai fazer esta "táctica" Rui Vitória? 4 jogos em casa - sim, nós não vamos jogar em Aveiro! - contra equipas que não dão luta em condições normais, são poeira para os olhos e nada mais.

E quanto ao sporting, a roleta russa de Jesus nota-se muito bem. Não vale a pena falar. Veja-se o desnorte da defesa, veja-se a forma como sistematicamente deita tudo a perder nas competições Europeias.

Agora, massa assobiativa, pergunto-vos: é isto que querem? Qual dos dois? Todos estamos de acordo que precisamos de mais pendor ofensivo - acredito que Lopetegui também. Mas a solução não é nenhuma destas! E compreendamos o seu fardo. Não é leve. De forma alguma. Apoiar, esperar, decidir com coeerência: é tudo o que se pede.

41 comentários:

  1. Jorge olha só:

    http://www.cmjornal.xl.pt/desporto/futebol/detalhe/20150829_1650_atual_diretor_da_btv_tornou_publico_o_roubo_de_vieira.html

    Ri-me!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Já vi. Alguém me explica como é que o director da BTV está no Prolongamento?!

      Abraço Golden Dragon

      Eliminar
  2. Há que saber ser esperto nesta vida...
    Já da TVI espero de tudo.

    ResponderEliminar
  3. Para além dos 3 avançados, também pôs o Gaitan a defesa esquerdo e a fazer aquela ala toda. Ele que venha jogar assim ao Dragão. E pode esperar sentado pela sorte do ano passado.

    ResponderEliminar
  4. Boas

    Não é fácil para ninguém, perder 2 dos melhores laterais a jogar na Europa.
    1 dos melhores pontas de lança a jogar na Europa e 2 médios de categoria.
    Perdemos meia equipa!
    É evidente que quem entra precisa de tempo e não tem neste momento a qualidade de quem saiu (alguns NUNCA terão).

    Mesmo assim, custa a aceitar estes 2 últimos jogos... demasiado fracos.
    A equipa parece cansada, sem fome de boa, demora demasiado a reagir/decidir, fica à espera da bola, erra passes de 2m... ridículo.

    Terminamos a pré-época em crescendo, entrámos bem no campeonato, com uma boa exibição e um bom resultado contra o Guimarães.
    Depois disso, em vez de manter/melhorar, realizamos 2 jogos fracos.
    A diferença é a saída do Alex Sandro, que sendo mais uma forte pancada no barco, não pode justificar tudo (ou pode?).

    A equipa parece cansada... fisicamente e mentalmente.
    A componente física, é fácil de aceitar... já a mental, não sei não. Pode ser sintoma de algo mais...
    Espero sinceramente que não.
    Que seja apenas fruto da época, deste tempo de decisões/indecisões, de entradas e saídas e que depois do fecho do mercado termine e que todos se foquem no que realmente importa...

    Sou dos que muito rapidamente se deixaram conquistar por Julen e não tenho dúvidas nenhumas que apesar de alguns percalços, e da seca de títulos, em termos de jogos fez uma boa época.
    Continuo 100% ao seu lado.
    Mas confesso que este início de época, apesar do contexto, está-me a desiludir... esperava mais, não dos resultados, mas das exibições.

    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. No esquema de Lopetegui, de ligação profunda entre sectores, a falta de uma peça pode afectar todo o equilibrio.

      Sim, eu concordo, mas tanta gente nova precisa do seu tempo - não muito, mas precisa.

      Abraço

      Eliminar
  5. Imbicto Jorge,

    O Vitória faz-me lembrar a mim quando jogava FIFA 96 em "principiante". Eu era o maior, porque a circunstância me deixava.
    Está aí o momento da verdade, para daqui a umas semanas...

    Já agora, tiraste-me as palavras da boca quanto a Imbula. É precisamente isso que penso!
    E, por arrastamento, vão os emprestados a clubes pouco apropriados...

    Imbicto abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tipo o Gonçalo naquela calamidade académica!

      Abraço

      Eliminar
    2. ehehe Nem mais!
      Já agora e aproveitando o embalo, poderíamos emprestar o Castro, como treinador. Dois coelhos de uma cajadada... Bom para "ambos os dois...

      Eliminar
    3. Inacreditável pá! Não fosse a qualidade individual o FC Porto B ainda descia de divisão.

      Abraço

      Eliminar
  6. o problema é que o porto é visto neste momento como um inimigo por parte de clubes que estao imediatamente abaixo, do real, barcelona, bayern. Portanto as tais descobertas magicas acabaram e a tentaçao para esvasiar a equipa em cada epoca é uma tentaçao para esses clubes e isso vai para alem da necessidade do clube, o mercado dita as leis e as leis sao do mais forte. Reparem no real temos 4 ex porto, o oliver saiu e pegou no atletico. O problema é que o porto é um clube a quem os grandes europeus nao deixam ser mais forte.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Verdade sim senhor. O alex Sandro é caso sintomatico.

      Abraço

      Eliminar
    2. "o mercado dita as leis e as leis sao do mais forte

      Discordo: o mercado, qualquer mercado, é um "local" onde se transacciona bens ou servidos em cuja transacção ambos os intervenientes têm interesse. Por isso, nada obriga do FCP a vender se não precisar, como a mim nada me obriga a vender a minha casa mesmo que por ela façam uma bela oferta. É isto o "mercado", que nada tem de misterioso ou soturno, embora alguns queiram complicar o que é fácil.

      Eliminar
    3. Pedro, queria o Sandro aqui contrariado e a sair a custo zero? Eu não!

      Abraço

      Eliminar
    4. Eu não disse que queria ou deixava de querer. Mas se corríamos o risco de vê-lo sair a custo zero é porque não conseguimos renovar-lhe o contrato em devido tempo. O essencial do meu arumento, porém, é que não devemos fazer do mercado um papão, nem dele fazer bode expiatório. Do mesmo, se calhar, se queixarão os adeptos de clubes como o V. Guimarães e o Marítimo quando adquirimos o André André e o Danilo Pereira.

      Eliminar
    5. querem um exemplo de um clube que subiu devagarinho assim?? atletico de madrid, começou com as negociatas esquisitas com vieira e o braga, depois começou a roubar jogadores ao porto ( P assunçao ) e depois a contratar, resultado esta entre os 3 primeiros de espanha, tem um treinador aguerrido e muito particular tambem é verdade.

      Eliminar
  7. «Mas com uma particularidade: a que o sistema - estranhamente, confesso, mas só o poderei dizer depois do R&C, porque, no meu entender mais de 100M de vendas deveriam garantir um refrear desta tendência - tem de ser mantido.»

    Nada de estranho, meu caro, nem precisa de esperar pelo próximo R & C. O do 3º trimestre do exercício anterior - portanto, relativo a 31 de Março deste ano - indica um passivo corrente (ou seja, exigível nos próximos 12 meses, a contar, neste caso, de 31/3/2015) de €217.251.872, do qual €74.258.721 são relativos a empréstimos bancários, €30.941.908 a empréstimos obrigacionistas e €56.314.485 a fornecedores. Como vê, não são os €100.000 de proventos em transferências (brutos, note-se, brutos!), aos quais há que deduzir o que se gastou em aquisições, que resolvem o problema.

    Pedro Correia

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acrescento que acho que estes números são verdadeiramente preocupantes. Há poucos anos, quando uma vez vi um passivo corrente de € 100 M, assustei-me, mas agora a coisa ainda está pior. Isto são números, indesmentíveis, portanto, e insusceptíveis de manipulação. São a verdade nua e crua, e um retrato de uma muito preocupante situação. O R&C vai apresentar um modesto lucro, fruto da venda de Jackson Martinez in extremis, mesmo antes do fecho das contas, a 30 de Junho. Mas o número do passivo corrente é aquele para onde devemos sempre olhar, pois trata-se de um sinalizador de problemas próximos.

      Eliminar
    2. Alguma coisa terá de ter mudado, caramba!

      Abraço

      Eliminar
    3. Nada mudou. A mesma imprevidência financeira de sempre. Mas em que está, concretamente, a pensar? Aumentaram as receitas assim tão astronomicamente (as receitas de transferências são sempre contingentes, claro)?

      E depois quem manifesta preocupação é logo acusado de "desestabilizador", de "ter uma agenda" e de não confiar numa gestão "com provas dadas em mais de trinta anos". Pois no campo financeiro essas "provas dadas" são muito negativas. Por alguma razão temos assistido a um corropio de administradores do pelouro financeiro.

      Eliminar
    4. Pedro, creio que, neste blog, nunca ninguém lhe acusou de coisa alguma. Se isto não tiver um efeito nas contas real, serviu para quê?

      Abraço

      Eliminar
    5. Sim, meu caro, tem toda a razão: não me referia a este blog, nem tampouco à minha pessoa, que até poucas vezes abordo este tipo de temas. Mas é o que se vê mais por aí fora, porque o pessoal só se preocupa com a bola que entra na baliza.

      A resposta à sua pergunta é a mesma que se daria a pergunta semelhante ao longo dos inúmeros anos de lautos negócios. Nunca esses negócios serviram para abater ao passivo. Infelizmente, ele tem vindo sempre a aumentar. Isto também são números, até porque, ao longo dos últimos dez anos, se subtrairmos ao que recebemos em vendas aquilo que gastámos em compras, pouco sobrou.

      Mas a sua pergunta não é a mim que deve ser endereçada, obviamente.

      Eliminar
    6. É uma pergunta naturalmente retórica, é uma preocupação naturalmente bem prática.

      Abraço

      Eliminar
    7. Quanto ao saldo de entre compras e vendas: http://otribunaldodragao.blogspot.pt/2015/08/quem-arrisca-e-quem-corre-o-risco.html. O excesso tem servido sempre pra cobrir a gorda folha salarial, o clube tem de resto poucas fontes de receita, aparte as competições europeias...

      Quanto ao passivo corrente: o que importa não é a execução orçamental? O exercício do ano passado vai ser feito com lucro, cobrindo o prejuízo imenso da época anterior. Os juros do passivo fazem parte do exercício de cada época, e são coberto aí. O passivo só tem de ter um activo correspondente, de forma a manter a folha de balanço a zero.

      Estou errado?

      Eliminar
  8. Ricardo Pereira emprestado ao Nice. Não deve caber [servir] à montra de import/export.


    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ou então foi crescer noutro sitio com mais possibilidade de jogar...

      Abraço

      Eliminar
  9. Caro Jorge,gostei do poste,como já vai sendo habitual.
    Gostei também da assertiva pergunta à massa assobiativa.
    Saudações
    Rocha

    ResponderEliminar
  10. O Benfica de Rui Vitória tem vivido destes 15 minutos finais onde as bolas vão entrando porque mete sete/oito jogadores de vocação ofensiva em campo. É uma equipa bastante desequilibrada e com tracção quase exclusiva à frente e uma crença inabalável no "vai correr bem". Já não via um treinador tão desorientado num banco desde Paulo Fonseca no FC Porto.

    A vantagem do Benfica é precisamente o problema do FC Porto: com excepção de Maxi e Lima (este último bem substituído), o núcleo está lá todo. Até o crónico emprestado ao United parece estar pronto para passar mais uma temporada a rodar em Portugal.

    Já o FC Porto mudou a mobília toda. Vai demorar até deixar de dar pontapés nos cantos da mesa. Processo normal. Cabe a Lopetegui acelerar o processo o mais rapidamente possível.

    Lopetegui perdeu meia equipa; não está satisfeito e faz questão de demonstrar isso à SAD. É o papel dele. Podemos um dia, ao fazer o balanço, constatar que o basco não soube fazer omeletes com os ovos que lhe deram. Mas, pelo menos, está longe de ser como Rui Vitória: um tipo que diz que sim, mas pensa que não.

    Abraço, Jorge.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Hipócrita é coisa que Lopetegui não é.

      Abraço

      Eliminar
  11. Estou curioso para ver a proxima jornada, o belenenses está a jogar muito bem mas vamos ver se abre as pernas como no ano passado. Vamos ver que tipo de treinador é Sá Pinto.
    Benfica a precisar de reforços e a contratar jogadores para a B...hm...estou com a pulga atrás da orelha...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E que tal "não há dinheiro não há palhaço"? Não é só para nós...

      Abraço

      Eliminar
    2. E que tal "não há dinheiro não há palhaço"? Não é só para nós...

      Abraço

      Eliminar
  12. A faneca mediática que constituiu a mudança de Jesus para o Zebordem alterou em muito a paralaxe futebolística do adepto. Sportinguistas enchem-se de esperanças, mas não vejo nada no inicio desta temporada que signifique portentosa progessao em relação ao famigerado Marco Silva. Foram de Nabi Sarr para Naldo. E a estratégia de tropel jesuíta algum dia estoira, por falta de matéria-prima que a sustente. O plantel verdinho é curto. Lembram-se de quando o Benfica chegava a fevereiro e dava o peido-mestre?

    O Benfica de Vitoria não engana e topava-se a légua o que ai vinha. Uma catástrofe colossal em potencia vive no clube da Luz. Uma questão de tempo. A equipa parece um grupo miúdos tontos, perdidos em campo. Muitas vezes tenho a sensação de que Vitoria não entende sequer o que lhe esta a acontecer.

    No nosso caso, tenho as ideias claras e assentes. Se Lopetegui rectifica a tempo, teremos uma época feliz. Ate gosto do plantel. Se, pelo contrario, insiste em ter as faixas sobrepovoadas, os extremos sem procurarem o jogo interior, apostar no duplo-pivot de Fonseca, ter a construção no miolo entregue a jogadores de características defensivas, não ter construção entre linhas e manter os avançados desapoiados, isto vai ser uma merda. O modelo de Lopetegui, tal como o conheço, é uma merda. Não existe outra forma de o dizer, porque viola princípios fundamentais de ocupação de espaços. Mantê-lo, será facilitar muito ao adversário a preparação do jogo contra nos. Um descanso para o mister contrario, vamos... Mas tenho fé, gosto do carácter do nosso timoneiro e há-de tudo correr bem.

    P.S: Haja uma alma caridosa que me explique a nossa manobra ofensiva. Qual a visão inspiradora que nos leva a ter os extremos afastadissimos, cozidos as linhas, e servindo de tampao aos laterais?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro André,

      Em relação aos primeiros parágrafos, subscrevo-os e desejo-os com ardor. :)

      Em relação ao modelo de Lopetegui, este duplo pivot é novidade, penso eu de que. Só jogamos com algo parecido na Luz e no Allianz Arena, e espero que se tenha percebido que a frase "duplo pivot" no FC Porto deveria ser proibida.

      Já agora, no ano passado, Brahimi e Quaresma não entravam por dentro, deixando as faixas laterais para os...laterais? E, no caso do Tello, não era o Danilo a entrar por dentro - coisa que o Maxi já faz? Hummm...

      Se calhar o que viu foi o Tello na Lua, a não aproveitar as diagonais do Maxi e, no lado esquerdo, o facto de não haver lateral para diagonalizar com?

      Abraço

      Eliminar
    2. Não Jorge, no ano passado vi jogo interior dos extremos muuuuuito tarde, no último terço do campeonato. Até lá, Lopetegui amarrou sistematicamente os criativos às laterais. E os resultados, quando decidiu alterar os movimentos dos extremos, não foram muito reproduzíveis, porque a mudança foi implementada tarde e em competição.

      Maxi não tem de, nem deve entrar por dentro, não ser enquanto factor de variação de jogo. Não, enquanto movimento da manobra normal, quero dizer.
      É verdade que não temos lateral esquerdo, mas quando tivemos, as coisas também não saíam entre extremo e lateral - apenas com roturas individuais (Brahimi, Quaresma e Tello, ou individualmente os laterais). Mas o Jorge está a falar da última fase de construção. Eu estou a falar da 1ª fase sobretudo e das transições. O espaço entre extremos e faixa central é enorme (o Estoril aproveitou isso muito bem). Quem conduz a partir da zona defensiva não pode procurar a profundidade, porque os jogadores mais avançados estão sempre tapados nas zonas centrais de recepção e os extremos demasiado abertos nas laterais. Resultado: joga-se para o lado, o adversário defende confortavelmente. Precisamos de mais profundidade, baseada numa mudança de modelo. Só. Acho que um ano e tal depois, esta ordem de coisas é clara como água e o mister vai mudar de certeza absoluta. Temos tudo para vencer.

      Abraço

      Eliminar
  13. Boas,
    Sempre fui um defensor de Lopetegui, e continuo a ser enquanto estiver no FCP, mas existe algo na equipa que "falta". Fizemos 15 minutos de bom futebol contra o Estoril, um golo numa excelente jogada de futebol e pronto. Fico com a sensação que ninguém quer a bola porque a maior parte deles tem medo de a ter. Temos centrais que por vezes têm 20 metros livres á sua frente e em vez de subir para tentar os desequilíbrios em equipas que defendem praticamente homem a homem, preferem jogar no trinco que está a 2 metros deles, que por sua vez prefere jogar no lateral em vez de tentar ganhar metros com ela. Não consigo perceber esta "aversão" a ter a bola no pé e subir com ela. Será que o Mister não tem os jogos gravados e mostra aos jogadores o que fazer, como fazer e quando o devem fazer? Será que têm ordens para arriscar o mínimo possível? Alguem vai ter de assumir o transporte de bola no meio campo.Não podemos passar 65 minutos a jogar futebol inócuo, sob pena de termos alguns dissabores como o ano passado, com jogos em que tínhamos tudo para dar a machadada final e não conseguimos. Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. 3 jogos, 3. Tudo o resto foram jogos em que, mormente nos meses finais da Champions, se deu tudo por tudo. Futebol apoiado. Goste-se ou não dele. É esse o modelo.

      Abraço

      Eliminar
  14. Quem será o excluído para a LC?
    Temos 17 vagas sem restricões + 4 formados em PT + 4 formados no FCP
    4 formados em PT (so temos 3):
    Danilo, André André e Varela
    4 formados no FCP (só temos 2)
    Sergio Oliveira e Ruben Neves (+ André Silva e 1 GK)
    17 sem restricões
    Iker e Helton;
    Maxi, Layun, Cissokho, Indi, Marcano, Maicon;
    Imbula. Herrera, Bueno
    Brahimi, Tello, Corona
    Aboubakar e Osvaldo
    TOTAL: 16
    Sobra uma vaga entre Evandro, Gudino, Lichnovsky e Angel. Gudino não deverá ser. Evandro também não por termos 7 opcões para o meio campo. Lichnovsky ou Angel?

    De qualquer modo, parece que temos uma plantel com bastante profundidade para atacar a Champions (22 Jogadores) apesar de ficar uma posicão sem 2 opcões.

    Ass: Bolota Mítica

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O Lichnovsky não é formado em Portugal? Acho que já é... Angel não deve ficar, portanto, Evandro.

      Abraço

      Eliminar