segunda-feira, 30 de março de 2015

Soporíferos Jogos e Roubos De Mesa


Por insistência dos de casa e porque estava curioso para ver se Quaresma entrava e a que minutos, acabei por ver o jogo. Devia ter feito uma aposta. Acabou por entrar aos minutos que esperava. Mas adiante, confirmou-se o que esperava: um jogo desconexo, desolante, desorientado, de uma selecção que de equipa tem zero, que sobrevive da superior leitura de jogo de João Moutinho e dos rasgos de Ronaldo. Fiquei contente que Ricardo Carvalho tivesse marcado um golo, imaginei a cabeça do senhor Bento a explodir, mas de resto... mais do mesmo. Quantos daqueles jogadores quereriam jogar de facto aquele jogo? A "qualificação" é uma piada, os compromissos particulares mais ainda e a intromissão no meio de um calendário apertado dos clubes, numa fase tão decisiva, chega quase a ser ofensivo.

O seleccionador da Argélia resolveu dar um puxão de orelhas público a Brahimi. Mal saberá ele que Brahimi afirmou que iria para a selecção descansar. E ainda insistiu que Aboubakar era frágil e que precisava de apoio. Que bonito! No final, lá vai pôr o Brahimi a jogar a titula contra o Omã. Falta de alternativas é lixado!

No Andebol, o FC Porto perdeu, in extremis, a Taça de Portugal de Andebol para o ABC. Não discuto a enorme valência do ABC, estivemos atrás do jogo uns 90% do tempo, a eficácia foi baixa, o nervosismo foi grande, mas ficou claro que, no Andebol como no Futebol, quando necessário, inclina-se o campo com muita força. O meu caríssimo Z me desdirá se eu não tiver razão, mas a expulsão de Ricardo Moreira foi ridícula, a quantidade de exclusões durante o jogo todo foi pavorosa e a expulsão de Obradovic antes do lance decisivo da partida e toda a confusão daí derivante foi o golpe de misericórdia para esta pouca vergonha. Mas o Hepta vem a caminho e quem não quiser, olhem, não coma. Contra tudo,  contra todos e contra os tolos. E os ladrões.

Como todos, anseio pela entrevista de Lopetegui, logo às 22 horas, no Porto Canal. Espero uma entrevista directa e que ponha o dedo em todas as feridas. Se mais ninguém fala, que fale ele. Não deveria falar sozinho. Mas mais vale um treinador com cojones que ninguém.

10 comentários:

  1. Esqueceste-te de mencionar os outros dois jogadores que juntamente com Moutinho foram os melhores, Tiago e Coentrão. Ronaldo jogou pouco.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É possível, não vi o jogo com grande atenção. Por favor assine o comentário.

      Eliminar


  2. @ Jorge

    vi os últimos 40 minutos da partida.
    só te confesso este pensamento: o que não diria, escreveria, vociferaria, muito "boa gente" se o nosso FC Porto fizesse um jogo como aquele, com uma total e mais do que eBidente desconexão entre sectores? então o golo da Sérvia foi de uma falha de marcação que não se admite a este nível...

    abr@ço
    Miguel | Tomo III

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Podes crer! Mas mais uma vez foi elogiado o "pragmatismo"!

      Abraço

      Eliminar
  3. Em relação á selecçao os unicos que se safaram foram o moutinho e o tiago, de resto até mete pena e não é de agora.

    no que diz respeito ao andebol e na mh opinião nos 2 jogos do fds o campo esteve sempre inclinado, com dualidade de criterios gritante.

    Miguel

    ResponderEliminar
  4. é lixado, e tenho que admitir, eu que costumo ver os jogos da seleçao so por os jogadores que sao e que passaram pelo F.C.Porto

    gostei do Matic e Coentrao, gostava de os ter na equipa, admito tecnica tem os dois.

    em relaçao a esta noite a entrevista, que diga tudo que tem para dizer nosso Mister

    e a quinta feira é meter a carne no assador, que ha 5 jogos consecutivos na madeira que nao ganhamos !

    FORCA PORTO

    M. Pinto

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, está na hora de quebrar o enguiço!

      Abraço

      Eliminar

  5. de facto, esta final da Taça de Portugal em andebol foi, para lá de mais uma pouca vergonha, uma filha da putice sem igual.

    marcação da fase final para o reino dos Algarves quando estão presentes dois clubes do Norte do país. dois jogos em que passámos a maior parte do tempo a jogar em inferioridade numérica. dois jogos com a mesma dupla de árbitros, com uma gritante dualidade de critérios.
    de facto, o nosso sucessodesportivo incomoda...

    abr@ço
    Miguel | Tomo III

    ResponderEliminar
  6. Simplesmente, uma pouca-vergonha, o que se passou em Loulé.

    ResponderEliminar