segunda-feira, 2 de março de 2015

A Alegria de Partir Tellados de Vidro


É preciso não esquecer: durante a semana foi-nos vendido, nos media em geral, que era o zbordem quem estaria por cima, descansado, com menos a perder. Foi-nos vendido que eram Julen Lopetegui e os jogadores do FC Porto que estavam sobre brasas, que podiam deitar tudo a perder, vinha aí o apocalispse. Confesso, esse discurso fez um pouco de mossa sobre mim. Eu, pecador me confesso. Estava com um certo receio. Curiosamente, deve ter dotes sibilinos, o meu pai, grande zbordenguista, estava muito mais cauteloso - disse que não era jogo para ir ver comigo ao Dragão. Que estaríamos fortes e que seria necessário um FC Porto muito mau para não levar de vencido este jogo. E não se desculpou com o jogo de quinta feira. Lembrou, e bem, que se joga muito mais frequentemente lá fora, sem este discurso.

Mas vamos ao jogo. Entramos de uma forma cautelosa e trabalhada, com um onze muito muito bom, a medir, a organizar e, claramente, a apostar num (ainda maior) desgaste zbordenguista. Evidentemente, a ansiedade de um Dragão cheio era muito grande, com aquele rame-rame entre Marcano (começou nervoso!) e Maicon, sendo que o zbordem estava a tapar bem Casemiro e tinha um Herrera que começou displicente e não vinha buscar jogo. Ainda assim, foi justamente Herrera a desbloquear este braço de ferro, com uma clara ocasião de golo que acabou por perder por alguma atrapalhação. A seguir, o FC Porto embalou para uma movimentação mais dinâmica, com constantes apoios dos laterais premium que temos e a subir a produção. Num lance rápido, mais um takonazo de Jackson, desta vez a pôr em jogo Tello para um bonito golo, calmo, focado e pensado. Atenção, no entanto, que penso que só "The Flash" Tello chegava àqueles golos, daquela maneira. 


A partir daí, um zbordem à nora, e não foi só por causa da forma física - não me lixem com esta coisa da forma física. É inadmissível que uma equipa que se quer no topo classificativo se justifique desta maneira. Já jogamos jogos mais difíceis com menos tempo entre jogos. Isto é um disparate. É da responsabilidade de Marco Silva trabalhar os jogos importantes antes. Se não o faz, é um problema organizacional, não físico. Marco Silva, já agora que, diga-se, tão elogiado que é, contra a "merda do espanhol", e foi a imagem de um treinador calado, passivo, quieto, a imagem da não-reacção. Até aquela coisa de pôr o Tanaka a aquecer, mas afinal não, é um exemplo do desnorte de treinadores que não têm plano B. Do golo até ao intervalo tivemos um FC Porto em crescendo, que podia ter já arrumado o jogo, mas sem o acerto necessário.

À vinda do intervalo, vimos que Lopetegui apertou os calos a um Herrera que me pareceu muito lento e aéreo, mas que entrou na segunda parte com as "ganas" todas, a abrir espaços, a vir buscar bola, e a movimentar superiormente a bola. Com toda a gente focada e um jogo mais aberto foi um autêntico massacre. Muitas oportunidades de golo falhadas, lances cortados na última, um grande passe de Jackson a Tello para outro grande golo, e depois a mesma coisa do Herrera para um xeque-mate que, na verdade, já tinha acontecido antes. Este foi o melhor FC Porto que vi este ano. Se não fosse algum desacerto na finalização, teríamos tido uma goleada histórica. Todos nos, os Portistas, merecíamos o que tivemos: um sorriso nos lábios, contra o pensamento dominante. E temos razão, os companheiros do pré-match: temos sempre de o fazer, porque é sorte grande garantida! Ana Neves, João Santos, Vila Pouca e, espero, Z e Miguel Lima, lá os esperarei no sítio do costume!

Resumindo e concluindo, e citando novamente o meu pai: "As SIC Notícias, TVI 24 e RTP Informação gastam horas e horas a dissecar um jogo de futebol quando aquilo se reduzia a uma frase: o Porto jogou pra car.... e o Sporting não jogou um car...o!" . Zbordenguista que fala assim não é gago.

Dedico esta vitória com especial amor e carinho ao dr. Cutty Sark. Estou ansioso por ouvi-lo logo à noite.


GOLOS

Tello - Que mais se pode dizer, resolveu o que faltava. Absolutamente demolidor, quando acerta a única coisa que lhe ainda não estava bem: a frieza e o discernimento na fase final, no remate mas não só, também na calma com que passa para Jackson marcar o golo que devia - e merecia - ter marcado, tirado in extremis, por Cedric, na 25ª hora. Assistências, golos, velocidade, entrosamento. Que mais se pode pedir. Formidável. De patinho feio a herói.

Jackson - Não é um só um ponta de lança. É um 10 excelente. Deu para perceber que as combinações com Tello foram trabalhadas e pensadas, e que não foram fruto do momento. Jackson é um homem fenomenal: solidário, abnegado, pensou o jogo, chamou a si a responsabilidade da misdirection. Dar jogo aos outros não é do modus operandi normal de um ponta de lança e Jackson pensa o jogo em prol da equipa. Um exemplo de Capitania, do qual certamente teremos saudades no próximo ano.

Evandro - Seguríssimo, nos primeiros minutos à procura do seu espaço, quando encontrou o seu lugar foi uma base sólida que, juntamente com Herrera, rebentou com o William Carvalho e abriu espaços que deram muito do jogo interior ao Futebol Clube do Porto. Não sendo genial como Óliver foi uma formiguinha trabalhadora que fez tudo bem. Estou mais descansado nos 11s. Contra equipas fechadas, mais criatividade, com Brahimi ou Quintero, contra equipas mais activas, a segurança de Evandro.

Herrera - Depois de uma primeira parte menos bem conseguida, Lopetegui ter-lhe-á apertado... os ombros ... e Herrera entrou na segunda parte de uma forma absolutamente demolidora. Evidentemente que, à medida que se foi abrindo espaço no meio, ganhou-se mais Herrera ainda. Muito bem, decisivo e forte, Herrera quando está bem eleva o FC Porto à sua potência máxima. 

Lopetegui - Para lá de Tello, o grande vencedor da noite foi Julen Lopetegui. Demonstrou uma preparação formidável do jogo, demonstrou que sabe ler o jogo, ao trocar um insipiente Brahimi por um participativo e entrosado Quaresma - e é tão bom vê-lo feliz, participativo e colaborante quando vai a jogo, ao parecer ter percebido que jogar menos tempo é melhor e mais benéfico para ele - e ao pôr Rúben Neves no lugar de um cansado Evandro, na altura certa e a fechar a torneira do próprio jogo. Julen, és o meu herói. Mais, o facto de, a ganhar e com o jogo controlado, estar sempre participativo e interveniente, o facto de não ficar satisfeito com os resultados e de vibrar com os jogadores, é um claro sinal de que é um treinador à Porto!

FALTAS

Brahimi - Consistência, Yacine! Consistência! Está visto que não há lugares cativos neste FC Porto de Lopetegui e, se não arrepias caminho, vais sentar as costinhas no banco outra vez. Compreende-se que gostas de fazer o teu trabalho, mas pôe os olhos no Jackson: Se não consegues fazer o teu jogo, sê o pólen das abelhas: atrai o 2x1 ou 3x1 e passa a bola nesse momento para o companheiro desmarcado, não a leves para casa ok? Pronto, mas nós gostamos de ti na mesma.

Hesitações iniciais - Não terá sido propriamente culpa dele, que ao longo do jogo anulou várias jogadas com o seu portentoso jogo de cabeça e até quase marcou um golo, mas Marcano estava ansioso - certamente a memória do jogo da Taça ainda estava fresca. A falta de apoio de um Casemiro tapado, mas também de um Herrera displicente, colaborou para isso.  Durou pouco, mas o suficiente para assustar. A rever.

Oh, caro amigo, por quem é - Setenta e nove micro-toques na bola antes de passar e à procura de quem passar, fazem perder jogadas claras e golos cantados. Ouviram, Evandro, Brahimi, Herrera? Ok. Acabou-se, tá?

Artur Soares Dias - Nem com o colinho, caro amigo! E que colinho! Cada jogada mais forte e física de um jogador do FC Porto era falta. Já com o zbordem, tudo era permitido. Expulsões perdoadas de Cedric e de William e um amarelo vergonhoso a Alex Sandro logo a seguir. Queria desestabilizar mas não conseguiu. E os penalties a favor do FC Porto não se marcam, não é? Já estamos habituados, caro amigo! Contra tudo, contra todos e contra tolos.

24 comentários:

  1. Caro Jorge,

    A partir sensivelmente dos 15 minutos, o FC Porto embalou em crescendo para uma exibição categórica, de grande qualidade, com grandes golos, sustento de uma grande vitória. Continuamos assim na luta e bem vivos.

    Ah! Porque não me surpreendo que, para a CS e paineleiros do costume, tal só foi possível pelo desgaste dos jogadores do Sporting devido ao jogo da Liga Europa???!!! Idiotas.

    Um abraço e...

    FC PORTO SEMPRE

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não sabe que é sempre assim, meu amigo?

      Só ganhamos contra equipas fracas ou em baixo de forma!

      Enfim, haja paciência!

      Abraço

      Eliminar
  2. É isso amigo,jogámos pra caralho,e nem com toda a apaf a jogarmos assim nos foderão.
    Eu ainda acredito.
    Saudações
    Rocha

    ResponderEliminar
  3. Antes de mais "chapeau" para Lopetegui, se foi preparado Jackson a 10 e aproveitar as qualidades de Tello que é a velocidade. Também para Evandro que não é dos jogadores que mais gosto, mas no estádio estava a ser o nosso melhor médio. Jackson e Herrera não podem falhar aquelas oportunidades. Competência e vitória inequívoca, era o que pretendia e foi correspondido. Agora vamos pede-se o mesmo em Braga e vamos esperar que os árbitros tenham um pouco de vergonha. Sobre o Sporting havia dito em " Anónimo15 de fevereiro de 2015 às 03:08"
    . Eu não engulo que o Sporting tenha uma equipa jeitosinha e muito bem trabalhada. Para mim nem o Nani calçaria no Porto e a maioria nem na nossa equipa B. Fazer um jogo mau com eles, admite-se. Mais do que isso, não."
    Continuo com a mesma opinião. O cansaço, as desculpas esfarrapadas, são apenas atirar areia para os olhos só para quem anda muito distraído.

    Chiclas! Toma V

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas olhe que vão ser repetidas ad infinitum.

      Abraço

      Eliminar
  4. O teu pai é sábio e pragmático. O mistério é como não te deu a injecção para seres verde.
    A tertúlia do pré-match já começa a ser um caso de estudo.
    Grande Porto, resultado claramente escassso, 5 ou 6 a 0 seria o resultado certo.

    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não é um mistério. É só porque ele tem uma grande costela Portista, Muito maior do que a que ele consegue admitir!

      Eu acho que ele é do zbordem porque o pai também era.

      Abraço

      Eliminar
  5. Jogamos á Porto, e quando assim é ninguém nos trava...
    Telllo o emprestado que não presta trisou de fotocópia.
    Herrera, o meu parte-sofás, apesar dos seus 23 anos é um veterano no meio campo, e se aquele chapéu entrasse era o golo que ele jamais esqueceria...
    E Maicon? O patinho feio da defesa esteve imperial, mandou para a bancada quando teve que mandar, não facilitou.
    Marcano nervoso nos primeiros 10/15 minutos esteve ao nivel que vem evidenciando, e a bola á barra é como se fosse golo. Ficou na retina...
    Ah, Jorge! Brahimi foi apenas e só o jogador mais rematador do FC PORTO a par de Tello... só não teve foi eficácia... na 2ª parte apagou-se...
    E , the last but not the least; Evandro! O melhor jogo que lhe vi fazer de azul-e-branco. Mereceu a ovação de pé e merece continuar no onze...

    P.S. É por isso que me aborrece, me entristece e até me enraivece, ver portistas declarar que fulano não tem lugar no FC PORTO, que o treinador é inexperiente, ou como diz um orgulhoso portista, somos todos uns parolos da paróquia.
    Se o sou então sou parolo com muito gosto e muita honra!!!!

    ResponderEliminar
  6. Meu caro Bluesky,

    Gosto muito do Brahimi, é possível não gostar? Mas ele tem de ligar o descomplicometro...

    Este FC Porto é uma delícia.

    Abraço

    ResponderEliminar
  7. A maior qualidade do Brahimi, é a capacidade de enfrentar o 1/1 e a imprevisibilidade do seu jogo. Na minha opinião, perde muito jogando numa faixa. Ontem notou-se, quando Quaresma o substituíu, que se acabaram as más recepções e o controle de bola passou a ser avassalador. A jogar no meio e Jackson no seu lugar de ponta de lança, Quintero o "meu" 10, tem mesmo de ficar no banco, mas bendita crise que nos permite desenhar esquemas ofensivos como ninguém.

    "Gosto muito do Brahimi, é possível não gostar? Mas ele tem de ligar o descomplicometro... "

    Eu gosto, concordo que não esteve em grande plano, mas acho que temos de ter na equipa 2/3 jogadores "complicados" capazes de nos fazerem praguejar quando erram, mas que quando " a coisa sai" nos deixam boquiabertos (e os adversários de gatas).
    Nalgas! Toma III

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Subscrevo, mas entenda que os treinadores não podem contar com rasgos de génio. Brahimi sabe ser consistente e eu confio no retorno pleno da sua forma.

      Abraço

      Eliminar
    2. As nossas pequenas divergências residem aí. Se todas as equipas fossem "certinhas" encaixavam tacticamente umas nas outras e os jogos eram uma pasmaceira. Não haviam erros, muito posse e decidir jogos, quando muito, só nas bolas paradas. Mesmo as equipas pequenas rigorosas tacticamente, batiam-se para o 0-0 com as grandes. Se o Jorge se lembrar mesmo as equipas do Artur Jorge, eram um rolo compressor, mas tinham os complicadores (Madger, Futre, Frasco, Magalhães) exterminador (Gomes) e bolas paradas (Celso) e claro os carregadores de piano que jogavam muito à bola, João Pinto, Eduardo Luis/Inácio, André, Quim, alicerçados na baliza num rochedo quase impenetrável Mlinarzic/Zé Beto. Neste F.C.P. actual temos tudo isso. Os carregadores de piano, os cerebrais capazes de equilibrar a equipa e temos 3 ou 4 geniais capazes de desequilibrar a qualquer momento. Temos que ser capazes de manter a bola ( o que conseguimos quase desde o início da época) mas temos que ter as acelerações que ontem vimos e claro os Brahimis, Quaresmas, Quinteros, Jacksons que tiram coelhos da cartola quando menos se espera. Bem sei que vou contra a opinião da maioria, mas eu acho que temos grandes hipóteses na Liga dos Campeões, para ganhar!!!! (Num campeonato concordo com a maioria, dificilmente ganharíamos, mas em jogos a eliminar, é perfeitamente possível). Mas que diabo, não me parece que o At. Madrid seja melhor que nós. O Villareal é infinitamente mais fraco que o Porto e no entanto ontem ficou a dever a si próprio não ter derrotado o Real, em Madrid. Haja concentração, ambição e vontade. (Não pode é o Herrera sentar 3 jogadores, bem como o GR e depois mandar a bola por cima dos paus).
      Nalgas!Toma III

      Eliminar
  8. Já aqui tinha mencionado se nao estou equivocado que esta era a forma de aproveitar o Tello. Não existe um lateral a jogar em Portugal que consiga acompanhar este miudo. Bolas nas costas dos laterais e eles nao ganham uma, só no cacete e aí não vao ficar muito tempo em campo, apesar dos bois amarelos que usam um apito e dizem se arbitros de futebol. Artur Soares Dias foi mais um exemplo: o penalti do Cédric e a sua não expulsao diz muito deste artista. Por equivoco (pensava que o jogo era as 20.15), perdi os 30/35 minutos inicais. Do que vi o Zbordem foi totalmente atropelado pelo FCP e não pelo "Colapso Fisico e pelo Defesa Subida). Se o cansaço apareceu foi devido á elevada rotatividade que o FCP impos no jogo e que nao permitiu que o Zbordem defende-se conforme tinha planeado fazer, esperando outro brinde como no jogo da Taça. Foi um FCP de elevada qualidade que atarantou os jogadores sportinguistas e os levou a quebrar quer fisicamente, quer animicamente. Agora venha sexta e o Braga. Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Essa conversa do cansaço... Sim, ficaram cansados como ficam todos os que jogam contra nós, pelo menos os que jogam sem autocarros.

      Já tinha dito isso sobre o Tello, neste blogue, sim.

      Abraço

      Eliminar
  9. Tello com muita classe a decidir um jogo importante :D

    Ainda é possível, eu quero acreditar! Siga FCP!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Há alguma dúvida? É vê-los tremer como gelatinas.

      Abraço

      Eliminar
  10. O Sborde estava cansado e isso viu-se nos três autogolos que marcaram. E o árbitro perdoou-nos três penaltys e o Fabiano devia ter sido expulso porque jogou a bola com as mãos. Paineleiros e jornaleiros de merda, metem nojo. Grande vitória, e agora quero ver uma vitória em Braga e o Kayembe a marcar o golo da vitória do Arouca sobre os benfas aos 92 minutos!- Saúde!

    ResponderEliminar
  11. Jorge,

    Já reparas-te que todas as equipas contra o Porto são sempre muito fracas ou se não podem ser fracas estão cansadas...?

    ResponderEliminar
  12. Então parece que o Paulinho, ex-vice da mui séria e digna instituição scp, foi preso? por assaltos à mão armada? deve haver aí coisa... imaginam o que seria se isto sucedesse connosco? assim, os prostitutos vão dizer que "não se pode confundir a instituição scp com o comportamento de um indivíduo". Com sorte ainda dizem que era um portista infiltrado só para denegrir o zborde.- João.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Zbordem sempre na linha da frente da moral e da ética.

      Abraço

      Eliminar
  13. Jorge, glosando com o seu blog "Portista Universal" eis que a verdade também é universal (não a desportiva cá da parvónia):
    Excerto do jornal catalão "AS":

    «El viento sopla a favor del Benfica en Portugal. También el arbitral. Las constantes decisiones beneficiosas para los benfiquistas tienen a los de Jorge Jesus con siete puntos de ventaja sobre el Oporto y un partido más (ayer goleó al Estoril por 6-0), que asiste impotente al habitual ejercicio de errores arbitrales en Portugal. Lo malo es que siempre tienen una misma dirección, sobre todo este curso.

    Hay datos para refutarlo. Hasta en trece partidos de los 27 disputados ha jugado el Benfica en superioridad numérica; ocho de ellos, además, durante un tiempo superior a la media hora. Demasiada ventaja con respecto al Oporto. Los de Lopetegui sólo se han visto cuatro veces en esa situación de ventaja, mientras que en otras dos estuvieron en inferioridad.

    (…) la prensa de Lisboa tampoco se hace mucho eco del asunto. Los diarios deportivos con más tirada del país (Record y A Bola) son de la capital y no quieren definirse.»

    ResponderEliminar