quarta-feira, 8 de abril de 2015

Autofagia Contraditória Adepta.


Não compreendo, seguramente, o que é ser adepto de um clube de futebol. Não devo entender o que é ser adepto do Futebol Clube do Porto. Eu pensei que um adepto, mais ou menos fervoroso, era alguém que queria ver o seu clube e jogadores vitoriosos. Sei que há aqueles mais indiferentes, que não sabem a que horas dá o jogo, que não sabem a constituição das equipas, que talvez pensem em ver ao vivo o clube em dias de Clássicos. Sei que há os bonómicos, aqueles para quem "ganhar ou perder tudo é desporto". Para esses é sempre um dia de Sol radiante - quando a coisa corre menos bem, volta-se para casa e pelo caminho encolhe-se os ombros algumas vezes, como que dizendo, "há coisas piores". É uma verdade insofismável que sim.

Depois há os fervorosos, aqueles que encaram os jogos como as batalhas de um tempo moderno, aqueles para quem o Futebol Clube do Porto é a sua tribo e pensam e respiram FC Porto. Em maior ou menor grau - há aqueles que granjeiam ódio pelas outras partes, aqueles que pensam tudo azul, a toda a hora - o adepto fervoroso é aquele que está lá, sempre, chuva, frio, neve, sol, tosta. Esse é o que entoa os cânticos, o que apoia a equipa, que sabe que é o 12º jogador, que muitas vezes sacrifica o seu bem estar monetário e familiar em prol do clube que ama.

Depois há, no FC Porto, uma espécie nova - os autofágicos. Sendo canibais, alimentam-se das perdas do clube que dizem apoiar, como se o segredo da Pedra Filosofal do futebol lhes tivesse sido confiado.Qual Neo quando vê a Matrix pela primeira vez, sentem-se capazes de deslindar o óbvio: o treinador é patético, os jogadores imbecis e o jogo uma vergonha.

Vencer ou dizimar não chega. Tem de ser sempre com jogos superiores, domínio para lá do razoável, nota artística elevada e todo um manancial de exigências que lhes parecem triviais, para que o clube seja digno que tais majestades se sentem na cadeira do Dragão, ou deem o seu selo de aprovação na rede social que preferem, no café que frequentam.Esquecem-se no entanto que é nessa vox populi que acenta a base do comentário faccioso adversário, que os alimenta e os faz olhar sobranceiramente para nós. Não impota, querem ter razão. E isso é o que importa. Mesmo que, no dia 24 de Maio, vão festejar com todos os outros.

Os adeptos autofágicos são Narcisos, não veem para lá do próprio umbigo. Fazem a esquizofrénica tarefa de prejudicar a auto-estima e a confiança de clubes e jogadores, com o único fito de saberem que possuem a resposta que, sobranceiramente, se superiorizam por achar ter.

De nada importa que, em vez de aplausos, haja vaias. Esse tipo de adepto acha-se "exigente". Porque já fomos melhores. Porque tem de ser tudo prêt-a-tout, jogadores, Estrutura, técnico. Arautos da desgraça, calam-se e não comentam quando a coisa corre bem, vem a correr mal a coisa dá para o torto. E depois lembram-se do El Dorado de troca o passo, esquecendo-se que a Nostalgia tem um inebriante perfume que apaga da memória os tempos mortos, os empates nulos, as perdas monstruosas, os ganhos in extremis. Nada disso. Isso nunca houve. Houve um futebol perfeito, lindo, goleadas infindas.

Que agora já não há. E assim ajudam a equipa a perder, não a ganhar. E sorriem, dizendo, "este clube não me merece". Até ao dia em que vence. Aí já é "Somos Porto", "somos campeões". Que tipo de adepto é o leitor? Que tipo gostaria de ser? É que, não esquecer, são esses últimos os que permitem múmias dizerem que "o Quaresma foi assobiado" e o Cutty Sark falar de "frangos" e de "dois erros de arbitragem clamorosos, uma vergonha".

E eu pergunto; "De que lado querem ficar?"

Pensem nisso.

41 comentários:



  1. @ Jorge

    hoje, vais ganhar um monte de "amigos". ai vais, vais...

    ps:
    respondendo à tua pergunta e de uma forma curta, grossa e lacónica, obviamente que fico sempre do lado do meu clube do coração e revolta-me quem só consegue vislumbrar o Mal sem apontar soluções para se regressar ao Bem (não sei se me faço entender...). mas "isto" sou eu, que sou um "iluminado" e tal...

    abr@ço
    Miguel | Tomo III

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. "Iluminado e tal" é muito bom!

      Abraço!

      Eliminar
    2. Dizem que há cogumelos que fazem de algumas criaturas, lumicus.
      Zé Luis

      Eliminar
  2. @Jorge,

    Este teu leitor assíduo é do tipo fervoroso que apenas não sacrifica o bem estar familiar em prol do clube que ama!!!

    @Miguel,

    Acredito que ao Jorge não lhe façam muita falta esse tipo de "amigos"!!!

    Abr@ços!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Por bem estar familiar, entenda-se, deixar de estar com a família para ir para o Dragão, nada mais que isso.

      Abraço

      Eliminar
  3. A nós nos enganam de coração,
    Pois em cada um deles há um Sérgio Conceição....

    http://imbictopoema.wordpress.com

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ou três...
      Se for a conta que Jesus fez...

      Abraço!

      http://imbictopoema.wordpress.com

      Eliminar
  4. Na segunda-feira tive que passar a manhã a fazer uma queixa na esquadra... às tantas um gajo cheio de físico e de escudos na camisola - lá das polícias especiais - toca a dizer:
    "é que eu nem sei se vamos ganhar hoje! o problema é mesmo esse ! "
    levou-me um olhar fulminante, mas continuou na basófia... enfim, esse era um dos que acham que temos de arrasar sempre e de certeza que não ficou contente com o 5-0...
    digo-lhe mais, não são portistas são gente que se cola a quem ganha !
    e, como o porto ganhou muito ultimamente "são" do porto...

    enfim, no nosso clube temos lugar para todos, e recebemos todos bem na nossa casa.
    Por isso mesmo, podem dizer que são avestruzes à vontade que não os tratamos mal por isso. Podemos é não respeitar quem não se respeita!

    PS: achou que alguém ia dar a mão à palmatória nos comentários?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não Reine, estava só a fazer aquilo que faço muitas vezes, expor o meu ponto de vista sobre um assunto :)

      Nunca espero - ou procuro - polémicas.

      Abraço

      Eliminar
  5. Já sabes o meu lado Jorge :)
    Dos que apoiam sempre. Todos dias. E só pensam e sonham com azul!!

    ResponderEliminar
  6. Sinceramente não estava muito confiante para o jogo com o Estoril, mas não foi por isso que deixei de apoiar o clube.
    A minha critica é somente para a politica de comunicação. Jogadores e treinador têm o meu apoio total.

    Abraços

    ResponderEliminar
  7. Faço minhas as suas palavras e só tenho pena que muitos deles tenham a felicidade de se poder sentar a cada 15 dias no Dragão...abraço.

    ResponderEliminar
  8. É curioso... respondi sem querer a esta pergunta no blog do Miguel Lima...

    "... Quando o “nosso” FC PORTO perde, para mim são todos culpados! Desde o presidente, treinador (este como é da praxe tem que levar com as culpas quase todas e com vernáculo acutilante bem á moda do Porto!), jogadores e á senhora que passa o equipamento a ferro, sem esquecer o árbitro, o relvado a baliza, o gajo que está ao meu lado (que por acaso é meu irmão!!!), ou mesmo o meu cão.
    Mas prefiro mil vezes portistas assim, mas que estão sempre lá, aos que jamais criticam, aos politicamente correctos, mas que como “ratos” são os primeiros a abandonar o barco.

    P.S. Já agora, para os portistas mais novos. Sabem porque é que nas Antas existia na curva Sul do lado direito uma falange de portistas que se intitulava … “Tribunal”???
    Porque esses eram precisamente os primeirissimos a assobiar, a criticar, a agitar lenços brancos, enfim, eram a brigada do pessimismo!!! Hoje em dia são referenciados!!!! Há coisas que não entendo…"

    ResponderEliminar
  9. "Que tipo de adepto é o leitor?"

    Sendo um leitor diário do seu Blogue, digo-lhe que sou um adepto que vivendo sempre longe do Porto, teve a alegria de festejar o 1ºTítulo de Campeão do FC Porto aos 8 anos de idade(1959), que depois atravessou o longo jejum de 19 anos sem esmorecer e com a chama Azul e Branca bem viva contra ventos e marés,vencendo a distância e que está e estará sempre do lado do FC Porto a todas as horas, todos os dias
    até ao fim dos seus dias.

    Um grande abraço e...

    FC PORTO SEMPRE

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sabe Fernando, são Portistas como o meu amigo que me inspiram.

      Aqueles Portistas que, mesmo sofrendo, sem títulos em lado algum, contra marés e, no seu caso, em terras marcadamente hostis, continuam orgulhosamente com o Brasão Abençoado no Coração.

      Bem-Haja!

      Abraço

      Eliminar
    2. Há anos num Juramento de Bandeira, o nosso pelotão marchava na parada de Vendas Novas, perante as autoridades militares e familiares. Como sempre o S. Lopes com uma ganda ganza e passo trocado. Gajo fixe e família do melhor. A mãe deu-lhe um abraço sufocante , besuntou-o com beijos e exclamou "no meio de tantos, eras o único que ia com o passo certo". Felizmente não é so o Vassalo a ver o passo certo do Lopetegui, tem sempre a reconfortante companhia dos que só vêm o seu familiar.
      Colectivo

      Eliminar

  10. dezanove anos. d-e-z-a-n-o-v-e.
    a minha geração o máximo sydney esteve sem vencer um título nacional foi durante três singelos anos.

    são portistas como o sr Fernando Pinto que temos que temos que acarinhar, porque essa experiência de portismo não se encontra à venda nas lojas azuis.

    forte abr@ço
    Miguel | Tomo III

    ResponderEliminar
  11. Boas,eu quero que os os autofágicos, sendo canibais,e narcisos se fodam.
    A ganhar ou a perder sou do PORTO até morrer.
    Saudações
    Rocha

    ResponderEliminar
  12. Eu sou um adepto que no Championship Manager só treina dois clubes: FC Porto e Benfica de Castelo Branco (sim, é triste, mas é o clube da terra...). E que já recusou convites tentadores para ir treinar lá para fora. Sim, ao contrário do Villas Boas eu não abandono a cadeira de sonho, nem quando os convites são dos colossos da Europa! Saúde.- João.

    ResponderEliminar
  13. Sou dos doentes, mal habituados dos últimos 30 anos, que detesta perder, fica fulo com todos e tem de aturar muitos lampiões....
    Acima de tudo sou dos que pode dizer com orgulho que viu ao vivo vitórias europeias, vitórias nacionais e empates históricos como o de Manchester que nos levou ao título na champions. Acima de tudo sou dos que adora o FCP a todas as horas e exige que os profissionais que representam façam o mesmo. Isso não me retira a capacidade critica e a necessária racionalização. Pelo menos assim espero que seja.

    Raoc

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A crítica é sempre necessária quando feita de forma honesta e não como alguns portistas a têm feito. Em alguns blogs e não só ( alguns cronistas e comentadores considerados portistas), o Lopetegui é criticado porque a equipa (pasme-se) aos 30 minutos da primeira parte ainda não estava a ganhar. O FCP ganhou 5-0, mas isso conta pouco ou nada porque aos 30 minutos ainda não tinha marcado. O Estoril não foi ao Dragão passear. Lopetegui cometeu alguns erros (o jogo na Choupana, essencialmente), mas mesmo quando não comete nenhum e ganha folgado é criticado ou pouco apoiado.

      Eliminar
    2. @ Raoc,

      O meu caro amigo acompanha este blogue, sabe que sou crítico quando tenho de ser. O que não significa que desate a fazer críticas malucas e injustas por dá cá aquela palhota. E o objecto deste post é falar daqueles "orgulhosos" que parecem só estar bem quando o clube não está.

      Sentido crítico != autofagia (referência geek :) )

      Abraço

      Eliminar
    3. Caro Jorge Vassalo,

      Concordo consigo e reconheço o seu sentido critico. Concordo que há criticas e elogios sem sentido mas isso é mesmo o normal no futebol e não é um fenómeno exclusivo protuguês. Bem longe disso. Eu procuro analisar o que é dito pelos reponsáveis do clube e muitas vezes o que não é dito (tal é o tamanho silêncio que impera por estes dias). Não sou dos que apoia ás cegas só porque sim. Isso para mim não faz qualquer sentido e leva a uma perda de sentido critico construtivo. Sou dos que se chateia com a banalização do "somos porto" e dos que antes de criticar a arbitragem olha para os erros que cometemos. Fui habituado a isso. Também não ligo a comentadores, pseudo jornalistas e interesseiros. Espanta-me o silencio de quem dirije o FCP em certas ocasiões mas compreendo que o tempo tudo leva e por isso expomos em demasia o nosso mister, seja ele qual o for. Isto deixa marcas e terá forçosamente que ser resolvido nos proximos tempos.

      Raoc

      Eliminar
  14. Jorge,

    De perder, ninguém gosta! Mas a amargura duma derrota, de ser pisado, de passar as putas das passas do Algarve - de longe a longe, claro - é a melhor via para, com calma, regressar ao topo. Olha, para te responder a questão: na época passada, com o campeonato perdido, gastei umas massas e fui a Braga, num Domingo, só para ver o meu Porto. Podem tirar-me tudo - vá, quase tudo - mas a honra de poder amar o Porto morrerá cravada no meu peito. E agora verti duas lágrimas. Olha o que arranjaste...

    Abraço!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Um gigante sensível. Eu acho que nós este ano já ganhamos muito... e vou estar lá até ao fim.

      Abraço

      Eliminar
  15. Não acho nada que a "nova geração" esteja mal habituada. Eu cá estou muito bem habituado: a ganhar! Assim possamos permanecer. É tipicamente lusa essa coisa de "falar mal", de diminuir o nosso e os nossos perante os outros, uma espécie de hiper-modéstia inculcada por gerações "orgulhosamente sós". A versão 2.0 disto é cibernética e moderna e cosmopolita. O que lhes afia os meios e a língua, mas não lhes muda o fundo. Em resumo, podemos tirar as pessoas da parvoíce, mas não podemos tirar a parvoíce das pessoas :)
    Sobre que hoje se passa em torno da equipa e do treinador, calo-me. Já disse tudo a esse respeito. Hodor! ;)

    ResponderEliminar
  16. Estou em plena concordância com o Silva. Então só porque ganhamos, ganhamos e ganhamos, estamos mal habituados????
    Mal habituado estava eu que vi o FC PORTO ser campeão pela 1ª vez, tinha eu 17 anos, na extinta e mistica Antas!!!!
    E jamais esquecerei esse campeonato, mas mesmo assim apesar dos 6 milhões já eramos muitos... agora somos o que somos com sangue, suor e lágrimas, reconhecidos, prestigiados e respeitados além-fronteiras, porque santos da casa não fazem milagres e neste país estupidamente centralista estamos á espera de quê???

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Penso que o "mal habituados a ganhar" se refere á tolerância zero que infectou alguns portistas...e isso tem se visto sobretudo nos últimos tempos. A tal questão da "ópera" que um dia o AVB levantou.

      Eliminar
    2. E nunca tivemos os espanhóis tão atentos ao futebol tuga. Mais uma ofensa a Portugal e aos portugueses!
      Mosh! :) \m/ :)

      Eliminar
  17. Quando o “nosso” FC PORTO perde, para mim são todos culpados! Desde o presidente, treinador (este como é da praxe tem que levar com as culpas quase todas e com vernáculo acutilante bem á moda do Porto!), jogadores e á senhora que passa o equipamento a ferro, sem esquecer o árbitro, o relvado a baliza, o gajo que está ao meu lado (que por acaso é meu irmão!!!), ou mesmo o meu cão.
    Mas prefiro mil vezes portistas assim, mas que estão sempre lá, aos que jamais criticam, aos politicamente correctos, mas que como “ratos” são os primeiros a abandonar o barco."

    Diria mais, alguns desses ratos bajuladores se o boifica for campeão até passam UHF nas festolas de batizados e casamentos, adornados por umas dançarinas a condizer com a música.
    Miguel

    ResponderEliminar
  18. P.S. Já agora, para os portistas mais novos. Sabem porque é que nas Antas existia na curva Sul do lado direito uma falange de portistas que se intitulava … “Tribunal”???
    Porque esses eram precisamente os primeirissimos a assobiar, a criticar, a agitar lenços brancos, enfim, eram a brigada do pessimismo!!!

    Pois.... mas essa brigada do pessimismo com um presidente caduco e que não fala, transformaram um clube simpatico e acolhedor, na maior potência desportiva do país.
    Miguel

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O problema é que o Presidente falava um bom bocado mais...

      Abraço

      Eliminar
  19. Eu cá por mim fico sempre do lado do Pinto da Costa e do Rodolfo, Gabriel, Oliveira, Seninho, Duda, João Pinto, Vitor Baía, Mlinarczic, Zé Beto, Lima Pereira, Celso, Branco, André, Gomes, Madger, Jaime Magalhães, Frasco, Domingos, Kostadinov, Drulovic, Jardel, Jorge Costa, F. Couto, Jorge Andrade, Ricardo Carvalho, McCarthy, Deco, Quaresma, Diego, Falcão, Quintero, Brahimi e de tantos e tantos outros que o Sr. JNPC nos proporcionou vestir aquela camisola e não de qualquer contador de histórias por muito bem falante que seja.
    Jorge

    ResponderEliminar