sábado, 11 de abril de 2015

Um FC Porto à Porto Na Vila


Quando se entra com vontade, quando não se tira o pé e se está atento, há uma exibição convincente. Forte entrada no jogo, a procurar incessantemente o golo contra o vento, chegariamos ao primeiro por Brahimi logo aos 7 minutos. Ah, não, espera, não chegamos nada. Tiraram-nos um golo perfeitamente legal. Mas a equipa não esmoreceu. Continuou a insistir, a insistir, a insistir, até que o Capitão Danilo consegue cavar um inequívoco penalty - desta vez assinalado - que Quaresma converte de uma forma brilhante, com calma e confiança. Logo depois há um certo abaixamento das linhas, mas durante pouco tempo, e logo se retorna a toda a força, insistindo uma e outra e outra vez. E assim, em cima do intervalo, a bola acaba por dar uma prenda ao Capitão - o 100º golo deste ano é seu.

Assim se foi para o intervalo, assim se veio, a tentar controlar a vantagem de 2-0, já a pensar no Bayern. É justo, é legítimo, não fosse o meio campo relaxar um pouco demais e permitir a redução pelo Capitão Caxineiro, Tarantini. Lopetegui, inteligentemente, persiste na alteração, troca Brahimi por Rúben Neves e deixa para um voluntarioso Hernâni, que entretanto rendera Quaresma, a iniciativa do ataque. Pouco tempo depois, acabaria mesmo por ser Hernâni a definir o resultado final, através de uma excelente temporização e assistência de um formidável Aboubakar, que merecia ter marcado um golo. Mesmo assim, fico feliz porque o meu FC Porto nunca deixou de procurar dilatar a vantagem e segurar os dois golos de diferença até ao fim.

Então e hoje, o Rio Ave é fraquinho também?

(Neste post são dadas a conhecer as novas leis do fora de jogo, nesta inequívoca imagem).


GOLOS

Danilo - O Capitão mostrou que ser contratado pelo Real Madrid só o fez pensar mais ainda... no FC Porto. Fantástico, a todos os níveis. Solidário, comandante, forte, presente no ataque e na defesa. O facto de acabar o jogo ao sprint diz tudo do que é deixar a pele em campo. Vou despedir-me dele de pé, aconteça o que acontecer.

Quaresma - Está a imprimir uma atitude à Porto com as suas entradas raçudas em jogo. Hoje Lopetegui foi inteligente, ao saber substituí-lo quando lhe acabaram as pilhas. Ainda assim, absolutamente essencial na primeira parte, a partir os rins a todos.

Aboubakar - O nosso ponta de lança está cada vez mais completo e sempre a procurar o golo. Nota-se a sua evolução a passos de gigante de dia para dia. Ainda não está completamente afinado, mas indicia uma próxima época cheia de qualidade e de golos.

Hernâni -  Está a adaptar-se muito bem ao seu lugar de extremo veloz e, tal como Tello, só tem de afinar a pontaria. Falta muito pouco. Ainda mede mais ou menos os passes e o seu entrosamento com os seus colegas ainda não é espectacular.

Atitude à Porto - Há lá maior Mística do que reagir a um golo partindo para cima do adversário? Não me falem mais que esta equipa não tem atitude.

FALTAS

Relaxar ma non tanti - Compreensível tentar gerir o resultado para a poupança para o Bayern ao 2-0, mas foi um pouco demais e consentiu-se um golo com muito espaço na área. Inteligente Lopetegui ao segurar o meio campo com Rúben Neves, a impedir a reacção caxineira.

O FDP do vento - Palavras para quê, esta zona é assim.


4 comentários:

  1. Caro Jorge,

    Uma excelente primeira parte, com resultado escasso para as oportunidades criadas, uma segunda parte mais de contenção (Bayern já no pensamento ?) numa vitória tão justa quanto importante perante um adversário com valor. E assim continuamos na luta. Inqualificável a decisão da equipa de arbitragem ao anular o golo ao Brahimi, até pela importância que poderá ter se for necessário recorrer ao goal-average.

    Uma coisa é certa, vou dormir muito bem esta noite.

    Um abraço e...

    FC PORTO SEMPRE

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Uma excelente exibição, a provar que não ganhamos só quando "o adversário não comparece"

      Abraço

      Eliminar
  2. Caro Jorge,
    Não se esperava um jogo fácil, mas o FC Porto foi capaz de transformar as dificuldades em facilidades. Na primeira parte fez um bom jogo, dominou, controlou
    e os golos acabaram por chegar através de Quaresma – de grande penalidade – e de Danilo. No segundo tempo o FC Porto diminuiu um pouco o ritmo e o Rio
    Ave aproveitou para reduzir. Os dragões souberam sofrer e repor a vantagem. Hoje Hernâni conseguiu o golo que já tinha procurado frente ao Estoril.
    Foi um FC Porto dominador e controlador, sobretudo no primeiro tempo, solidário e decidido na segunda parte, principalmente depois de sofrer o golo.
    Em suma, foi uma vitória justa, incontestável e importante, num jogo em que a primeira parte foi melhor que a segunda. Segue-se a Liga dos Campeões.

    Cumprimentos

    Ana Andrade

    www.portistaacemporcento.blogspot.com

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Esta atitude é a que precisamos na quarta!

      Abraço

      Eliminar