terça-feira, 7 de abril de 2015

Um Jogo Feliz Numa Realidade Alternativa


 Vou começar pelo assunto mais polémico. Eu, que vivo numa realidade seguramente alternativa, em 36 anos nunca tinha visto Rui Barros a ser agressivo para ninguém. Supostamente, no jogo em Estoril te-lo-á sido com Tozé, ao dizer-lhe da sua imoralidade no gesto que teve. E esse gesto não foi cavar um penalty e converte-lo. Isso é indubitavelmente profissional. Não queremos ganhar com benesses e abébias de ninguém. Muito menos de ex-jogadores nossos. Sim, ex. Se o Tozé tem 50% do passe no Estoril, ele já é jogador do Estoril, não nosso. E o que ele teve foi uma atitude falsa ao simular uma falta do Indi de uma forma vergonhosa, e ao sair daquela forma para prejudicar o jogo dos seus ex-companheiros de equipa.

Ontem, no Dragão, insultei o Tozé. Porque gostava muito dele, porque achei que ali estava o futuro do FC Porto, especialmente alguém da minha terra natal. Mas nada de move contra o Tozé. E acho que deve ser profissional. O que me custa, me frustra, me entristece e, sim, me enerva, é que ele seja o primeiro a reclamar das decisões da arbitragem e principalmente, que tenha jogado contra nós como não jogou contra mais ninguém.

Posto isto, durante o jogo também gritei para o Herrera passar a bola, para se mexer, para o Danilo olhar o flanco, para o Quintero não ser palerma e para o Óliver não descair para o mesmo lado, sempre. O que, no meu entender, é exactamente igual. 

Mas mais. Neste momento, o Tozé é um adversário. Já não é "um dos nossos". Por isso posso mandá-lo para que parte me aprouver, como posso cantar "só eu sei porque não fico em casa" ou chamar filho da meretriz ao Nani. Porque um ex-jogador do FC Porto que sinta o FC Porto vai marcar golos, como o Hulk, mas vai sempre não os festejar, vai sempre ser contido e respeitar quem o fez, não sendo aquele que vai primeiro contestar as decisões em jogos contra nós. São ambos profissionais, mas um será sempre "dos nossos", o outro não. 

Acho que o coro de virgens ofendidas é absurdo. Como absurdo é assobiar os da casa, mas não os nossos adversários. Principalmente aqueles que, contra nós, jogam sempre um bocadinho mais.


Eu, que vivo numa realidade alternativa, adorei o jogo. Certo que entramos com medo, ansiosos e um bocado temerários. O fantasma madeirense estava presente, mas não fizemos mais que sacudi-lo. E ainda bem que assim foi. Com o passar do tempo o nosso caudal ofensivo foi aumentando e chegamos ao golo com naturalidade. E é assim que tem de ser. É assim que deve ser. 

A mim não me aborrece que a nossa equipa vá crescendo até final, se aos 53 minutos já venciamos por 3 - e não paramos. Portanto eu gostei do jogo, gostei da atitude e de não descansar. A mensagem passou bem. E, principalmente, ver o Quaresma a correr atrás de uma bola aos 89 minutos. E ver uma equipa a jogar para a equipa, que é o objectivo último. Cinco golos, de quatro jogadores diferentes.

É verdade que tiveram o mesmo catalizador - Ricardo Quaresma - mas até quando vamos permanecer na falsa ideia de que o FC Porto vive mais das individualidades do que o colectivo? Já tivemos, ao longo deste ano, fases decisivas de Brahimi, Jackson, Óliver, Tello e ontem, Quaresma. Já tivemos três jogos consecutivos de penalties marcados pelo Evandro, para quebrar o enguiço e o preconceito dos penalties falhados.

Isto é, para mim, um jogo de equipa. E depois, onde estavam as críticas na altura de Mário Jardel? E do Hulk? E do Falcao? E do Moutinho? Todos eles, em determinada fase, levaram o FC Porto às costas e decidiram jogos!

Talvez fosse da minha expectativa baixa, mas vim do Dragão muito feliz. Ou talvez fosse da minha cada vez mais apreciada companhia, do meu caro Miguel Lima e dos Dragões de Ouro Ana Neves e João Santos, do sempre extraordinário momento de sabedoria pré-match com o meu Yoda Azul e Branco, Vila Pouca e um post match muito agradável - mas sempre curto - com o grandioso Z.


GOLOS 

Quaresma - Que dizer, o nosso cigano bem-amado ontem foi um verdadeiro líder. Começou nervoso, egocêntico, individualista, mas logo se percebeu que, de todos, era o mais ansioso - e ainda bem! - para desatar o nó do nulo. A partir daí, foi um festival de Quaresma, recuperado da primeira vez que esteve cá, onde fez tudo - cruzou, rematou, conduziu, defendeu. Quaresma de Lopetegui - qualidade a olhos vistos.

Aboubakar - Cada vez mais a adaptar-se àquilo que querem dele, agora só a ter de limar o doseamento de onde termina o médio de costas para a baliza e começa o ponta de lança do seu ADN. Complicada e confusa, esta missão do nosso futuro maior, mas aquele passe para o Danilo fez as delícias da noite, e vai certamente figurar na minha memória como um dos melhores golos que vi no Dragão. E voltou a facturar! Ainda sem todo o acerto, mas ele vai lá chegar, se não nesta época, no início da próxima! Muito bom!

Hernâni-  Um espectáculo. Velocidade e técnica, aliada a uma generosidade a toda a prova. Merecia ter marcado um golo, apesar de falhar clamorosamente uma oportunidade. Temos aí mais um extremo de pura qualidade.

Danilo - Um verdadeiro Capitão, com classe e as suas grandes diagonais. Danilo já é madridista, mas ainda não deixou de ser Portista. E não deixará de ser. Um exemplo de profissionalismo. Será Dragão para sempre. Nunca me vou esquecer.

União e só descansar no fim - Todos juntos, a lutar pelo mesmo objectivo, sem esmorecer um minuto, atrás do sexto golo aos 90+2. Assim é que eu gosto!

FALTAS 

Alerta Fabiano® - Expressão registada pela Ana Neves, para designar o som que deve gelar todos os companheiros cada vez que o bisonte Fabiano resolve ir a uma bola que não a sua. Agora foi o Marcano que quase ia para casa de maca. E que tal dizer "É minha!" antes de se mandar!? Ou então jogar o Helton! Como é possivel, nada que fazer e mesmo assim quase mandava um colega para o hospital... outra vez!

As #!?@ das bolas paradas!-  Palavras para quê? Não se acerta uma! Incrível! Chega-se ao ponto de que os adversários, como me dizia ontem João Santos, e bem, não se importam de nos ceder cantos. Dalí não vem nada!

Quintero - Mais uma vez, fechado sobre si mesmo, mais uma vez negou-se a desmarcar um colega, mais uma vez zero de apoio defensivo! Assim....não sei onde cabe.



ADENDA CURTA PORQUE O POST VAI LONGO: As capas da Travessa da Queimada e do Rascord de hoje mostram bem o tamanho da azia que vai por este rubro Portugal! Que se lixem! Não precisamos deles para nada!

27 comentários:

  1. Passei aqui só para te dizer que o Tozé é um "grande" jogador...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Piadas sobre tamanhos são de gente.. Diminuta :)

      Abraço!

      Eliminar
  2. Caro Jorge,

    Felizmente, os corvos do Poe estavam longe...
    Fiz acto de contrição de monge.

    Estou meio de acordo com o assobio.
    Não que queira fazer de opinião geral sole mio;
    No entando, vejo Tozé doutra forma,
    E assim faço a outros como Micael, por norma.

    Fui um dos primeiros revoltados em Estoril.
    Falta simulada,
    Penalidade marcada,
    Primeira bola de golo de colega com ele festejada.

    Associo apenas a crítica à mística.
    Longe de rivalidade clubística,
    É dele vontade de regressar.
    Formação nossa exemplar.

    Não entrarei por caráter do sujeito.
    Entendo essa mágoa ao peito,
    Mas entendo-a de outro jeito,
    Com todo o respeito!

    Ao outro assobio,
    Que se quede vazio,
    O Dragão.
    Se não os houvesse, mais fácil veria campeão.

    Um abraço com a concordância Fabiana.
    Teimosia espanhola virada casca de banana...

    http://imbictopoema.wordpress.com

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não vou estar eternamente,
      A massacrar tal jogador,
      Quis apenas deixar premente,
      O tamanho da minha dor.

      Acredito que possa ser Portista,
      Esta tão badalada pessoa,
      O que me confunde em tal artista,
      E o que esta atitude ressoa.

      Quer ele mostrar o valor,
      Ou o tamanho da sua vingança?
      Quer ele do Dragão sentir calor?
      Ou perder disso a Esperança?

      Não percebo como é possível,
      Jogar mais contra quem se Ama,
      Do que com os rivais do mesmo nível,
      Tentar fazer a mesma trama!

      Eliminar
    2. :D

      Resposta assim dada
      Não merece outra paga
      A não ser vénia quebrada!

      Está perto o dia do convite...
      Em vez de palavra que o cite,
      Em meu espaço venha escrever
      Sem que alguém o imite ;)

      Penso ainda assim,
      Podendo ser de mim...
      Que o jovem foi mal interpretado
      E talvez não mereça por nós ser tão mal amado...

      Grande abraço!

      http://imbictopoema.wordpress.com

      Eliminar

  3. cuidado com as piadolas (sobre os) infantis :D

    abr@ços
    Miguel | Tomo III

    ResponderEliminar
  4. Sobre o Tozé, não foi só a sua voz, também eu lhe chamei de tudo menos bonito. Esse deve ser definitivamente banido do F. C. Porto.
    Sobre o jogo, bem, eu espero sempre ver o F. C. Quaresma e o mago cigano não defraudou as expectativas. Quando o jogo se arrastava para mais uma Maritimada, resolveu partir a louça e reduziu o Estoril a cacos. Contagiou Danilo, Aboubakar e até Oliver se deixou de rodriguinhos para começar a jogar futebol. Até Herrera conseguiu passar 90 minutos com os olhos semi-abertos o que já é uma evolução.
    Jorge

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Haja sempre um catalizador, é o normal!

      Abraço!

      Eliminar
  5. Pegando o jogo com o Estoril, Herrera confirmou tudo o que antevi. A retoma iria ser dura. Os efeitos estão aí. Foi penoso ver o mexicano, abúlico e idiota a ver um amarelo. Foi o 1º a sair. Os médios estavam por arames, Oli Torres também saiu. E não estava a jogar nada até Quaresma lhe oferecer um golo. Para trás e para o lado também eu jogo. A 1ª parte foi lastimável ontem. Não fosse Quaresma, sozinho, e tudo se complicaria se o 0-0 persistisse. O Harry Potter obrigou Torres e Aboubakar a marcarem. Depois fez ele mesmo 2 golos. Danilo fez o melhor da noite, na única jogada colectiva de jeito.

    Mas vimos Alex Sandro a não criar uma jogada. Vimos Fabiano a sair mal da baliza outra vez precipitado e a derrubar mais um colega (Marcano) quando podia ter sofrido golo por sair mal, tarde e sem razão a um cruzamento onde chegaria atrasado se o estorilista desviasse a bola para a baliza deserta.

    O 5-0 pode deixar muitos satisfeitos, eu não analiso pelo resultado. A exibição foi pouco convincente. E convém o nível físico subir muito e a dinâmica de jogo ser recuperada.

    Isto está mau e não adianta esconder.
    Ze Luis

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Subscrevo os reparos, não as conclusões.

      Não acho que esteja mal. Acho que está numa fase de cansaço de hiper jogos. Óliver e Herrera foram casos sintomáticos.

      Abraço

      Eliminar
    2. Elogia ao máximo o FC Quaresma e só diz mal do FC Porto, mesmo depois de um 5-0. Adeptos assim são do pior que há, sinceramente. Uma coisa é ser exigente, outra é só dizer mal. Parece uma analise de um benfiquista a um jogo do FC Porto.

      Eliminar
  6. Devo ter visto outro jogo. Na primeira meia hora não jogámos nada e se não fossem os 2 frangos do guarda redes e tivéssemos empatados ao intervalemos contra mortos, não sei não.
    Dois golos por erros grosseiros do árbitro. Enfim, não vejo melhoras no jogo ao fim de 9 meses o Lopetegui canta mas não encanta.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Copo meio cheio ou copo meio vazio.

      Eu gostava de ver os comentários do tempo do Vitor Pereira, com jogos salvos in extremis por Hulks e Moutinhos...

      Por favor assine os comentários.

      Eliminar
  7. Boas. Em primeiro lugar, pela primeira vez estamos em desacordo. Não concordo com os assobios no momento da entrada do Tozé, sobretudo porque me pareceram que muitos foram apenas pelo rapaz ter feito o trabalho dele no primeiro jogo, ficando a sensação que era apenas ressabiamento por esse facto. A historia contada sobre os insultos ao Tozé, honestamente nao me parece muito bem contada. Segundo, os jogos contra equipas como o Estoril são sempre complicados até ao primeiro golo, já que os mesmos alugam meio campo ofensivo. Não foi o FCP que criou os dois lances de golo, com dois excelentes cruzamentos do Quaresma e duas excelentes finalizações do Oliver e do Aboubakar? No entanto, após ler alguns comentários fico com a impressão que foi o Estoril que os marcou na própria baliza ou que deu dois passes de morte para os jogadores portistas. Já diziam os antigos, mais vale cair em graça que ser engraçado. A Lopetegui calhou lhe a segunda opção. Despeça se o Lopetegui e vá se buscar o Guardiola. Aposto que o senhor aceita o mesmo salário. Ganhamos 5 - 0 ao Estoril e o mérito todo foi do guarda redes do Estoril e do arbitro. Andamos mesmo muito mal habituados, quando ganhar 5 -0 em casa é considerado uma porcaria.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se num campeonato ao fim tivéssemos 34 vitórias e 150 golos marcados, ainda apareciam alguns adeptos a dizer mal de alguma(s) coisa(s). Pensam que ao ser assim são muitA "cool" e "edgy" e claro, "isentos".

      Eliminar
    2. @ Rebelo

      Não discordamos em nada, pelos vistos. Eu não insultei o Tozé por ter feito o trabalho dele, mas antes pelo anti-jogo sistemático dele no Estoril. Mas também não vi este tipo de reacção da generalidade dos bloggers aquando dos insultos ao Adrián Lopez!
      Sobre o resto, evidentemente subscrevo.

      @ Claudio Baptista,

      é assim mesmo! Subscrevo e sublinho!

      Abraços!

      Eliminar
    3. @Jorge
      Acredito que não terá sido o seu caso (até porque pelo leio, parece me uma pessoa bastante ponderada), mas pareceu me que em mais de 50% do resto da malta foi esse o principal motivo. Em relação ao insultos a jogadores do FCP, é do mais triste que um adepto pode fazer. Ao Adrian junto a triste atitude que muitos tiveram numa famosa substituição do Quaresma pelo miudo Ricardo. Todos queremos o melhor para o FCP.

      Eliminar
    4. Será?Olhe que tenho dúvidas! Há muita gente que quer é "ter razão". E não é com vitórias!

      Abraço

      Eliminar
    5. Com todos, queria dizer aqueles que sofrem pelo FCP mas respeitam (apesar de alguns impropérios pelo meio no calor do jogo) os seus jogadores e corpo técnico...

      Eliminar

  8. apenas dois apontamentos:
    1)
    o Alex Sandro não perdeu um único lance de cabeça e foi dos mais acertados a defender

    2)
    convém referir que o Óliver está a recuperar de lesão. é certo que foi num ombro mas perdeu ritmo de jogo

    3)
    já agora, Óliver, Casemiro, Brahimi, Herrera, Tello, esta época, têm mais minutos do que na anterior. excepto o mexicano, em todos os outros há casos de estarem a jogar o triplo dos minutos. e a época ainda não terminou.

    abr@ço
    Miguel | Tomo III

    ResponderEliminar
  9. Com amigos como estes nem me lembro dos inimigos. Ganhamos por 6 ao BATE? por 5 ao Arouca, Estoril, Rio Ave? Por 4 ao Basileia? o que é isso? há otários (para não lhes chamar outra coisa) que mesmo que ganhássemos sempre por cinco ou seis diriam algo de mal. Ou o jogador que entrou aos 72 e devia ter entrado aos 71 minutos, ou as chuteiras de um que tinham uma cor muito berrante ou... Esses otários pensam que ser crítico é dizer mal. Não lhes ensinaram que o conceito de "crítica" é mais abrangente do que isso. Mas podem sempre pegar num livrito e ler umas coisas, se conseguirem. Quanto ao resto, uma adivinha que também deixei no DVP: qual o clube que vai defrontar o benfas, indo antes a Arouca com sete jogadores em risco? Saúde.- João.

    ResponderEliminar
  10. Depois deste jogo acho que podemos entregar os pontos, game over! Se não estamos a ganhar 5-0 aos 10 minutos, com hattrick do gr, de bicicleta, claro!, é pq não merecemos mesmo. Oh eu aqui no FIFA a mostrar como se faz. Lopetegui, vê o Oliver e Benji e mostra a esses toscos como se chuta uma bola. Até faz lume. Não vale a pena esconder, isto está mau, muito mau. Quem vive numa realidade alternativa? ;)

    ResponderEliminar
  11. @João @Silva,

    A autofagia adepta é uma coisa que não sou capaz de entender! Uma felicidade quase orgásmica de mostrar que as coisas estão mal! O que é, para este povo, ser adepto, exactamente?

    Abraço

    ResponderEliminar
  12. Caro Jorge,
    Infelizmente não consegui fazer um comentário a este seu post mais cedo, mas como mais vale tarde do que nunca, aqui fica a minha opinião acerca desta vitória.
    Não se esperava um jogo fácil, porque era espetável que o Estoril fosse ao Dragão jogar à defesa. E foi o que aconteceu. O FC Porto controlou e dominou o encontro e acabou por traduzir esse domínio numa vitória com cinco golos sem resposta. Assim, o FC Porto venceu com toda a justiça um jogo em que o adversário, o Estoril, não incomodou o guarda-redes portista. E o primeiro lugar continua a três pontos de distância.

    Cumprimentos

    Ana Andrade

    www.portistaacemporcento.blogspot.com


    ResponderEliminar