terça-feira, 12 de julho de 2016

A Hipocrisia Da Questão Da Clubite

Ontem tive fúria incontida várias vezes no dia. Num dia de que deveria ser de festa, celebração, senti um asco nojento, senti uma repulsa forte a sair por todos os meus poros.

E senti estas emoções porque, por todo o lado, se foi propagando a conversa de que, lamentavelmente, se iria voltar à "triste clubite" a partir do dia seguinte. Lá se ia o sentimento de "unidade nacional" e de "felicidade cósmica".

Para a SportTV, a RTP, a SIC e a TVI, estávamos a viver o momento idílico ao melhor sabor Imagine, onde o futebol deveria estar. Mas que coisa hipócrita de se dizer. E enuncio porquê:

- Dizer, sem pudor, que Fernando Santos "não é o Engenheiro do Penta, mas antes o Engenheiro que perdeu o "bit-tri"" é de uma desonestidade intelectual sem precedentes. Dizer que Fernando Santos só ganhou o Penta porque os outros clubes estavam fracos é a típica reacção dos fanáticos sulistas, tentado diminuir os - grandes e dificílimos de replicar - feitos do FC Porto.

- Chamar o avião de Eusébio, com direito a imagem à beira da Taça de Campeões Europeus não é só parolo e ridículo: é efectivamente diminuir o feito histórico conseguido pela selecção! A esta altura Cristiano Ronaldo é muito mais uma referência planetária muito superior em dimensão do que Eusébio algumas vez foi. Eusébio não foi uma referência da pátria no seu todo. Eusébio foi uma referência verifique. Insinuar que a selecção estava, em coro, a cantar o hino "Eusébio é o Rei" - sublinhando que era um hino verifique! -  é de uma falsidade e ausência de escrúpulos sem par. Eusébio não tem nada que ser chamado à liça nesta conquista, tal como não têm Peyroteo ou Hernâni. Este é um momento do Presente, não de buscar o Passado bafiento da saudade de alguém de quem a grande memória é do tempo da outra senhora. Temos o melhor jogador do mundo a ganhar, basicamente, o troféu que lhe faltava, temos 23 jogadores em perfeita comunhão e vimos falar de alguém que não tem nenhuma ligação com estes tempos correntes?

- Dizer o clube a que pertencem todos os jogadores e onde eles foram formados, uma e outra e outra vez com a excepção de Danilo Pereira é mais uma vez o culto de nada e coisa nenhuma. Ignorar que o principal responsável por tornar o CR7 no que ele é estava lá para o cumprimentar, é não perceber nada de nada sobre coisa nenhuma. Ou então é um hábil marketing só secundado pela orgásmica forma como descreveram a entrada do autocarro da selecção na segunda circular e da sua passagem pelos seus estádios.

- E pela última vez, o Renato Sanches não é "o nosso menino". É o vosso menino, vós que o promoveste ad nauseam e fizeste dele algo incontornável que está longe de ser, algo consensual que nunca será e um predestinado atleta cuja ética e conduta recente me faz duvidar que alguma vez seja. Evidentemente, o maior prejudicado do flavour of the month é ele próprio, que já vai demonstrando discurso de Ícaro, sem a real noção do que o seu hype traduz. O nosso menino chama-se Rúben Diogo da Silva Neves e tem uma maturidade táctica e um leque de características muito mais completo, mas tem a manifesta infelicidade de vestir "as cores erradas". Ainda bem que as veste orgulhosamente!

Para terminar, como exemplo máximo do que digo, a páginas tantas o iluminado comentador da SportTV, Pedro Henrique, a lamentar a clubite, sai-se com esta frase:

-  "os grandes jogadores da selecção que já alguma vez passaram pela equipa das quinas , e vou citar um de cada clube, para não ferir susceptibilidades, como Rui Costa do benfas, João Mário do sportem e..e...e..."

- "Danilo Pereira" - atalha o outro comentador
"... e Danilo Pereira são jogadores da selecção e não meros jogadores que vestem esta ou aquela camisola".

Este é o exemplo absolutamente paradigmático do umbiguismo sulista que grassa esta cambada, para a qual somos apenas alergias, comichões e empecilhos que seria excelente exterminar.

Pois é, meus amigos, mas viemos para ficar! E vamos voltar a provocar-vos azia e noites mal dormidas, despeito e inveja colossal. E, sim, seremos sempre bairristas. E não "provincianos". Não somos uma mera província. Somos a força motriz deste País. E quanto mais nos tentarem menosprezar, maiores ficaremos, sim.

Temos Clubite, claro. Somos, primeiramente, do Futebol Clube do Porto. Não somos é, como vós, uns abjectos hipócritas

28 comentários:

  1. Boas, é mais do mesmo e será sempre assim a centralidade do poder é mais que notória e no futebol não iria fugir à regra!

    Voltamos ao que importa o F.C.Porto, agora é esperar para perceber as saídas e as entradas, claro que se fala de muita coisa mas temos que esperar para que seja oficial. Todos temos planteis ideais mas quem manda é que decide.

    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Todas serão analisadas a seu devido tempo.

      Abraço

      Eliminar
  2. Tem toda a razão Jorge.
    Vi, sofri, apoiei e delirei com os jogos e vitória final da selecção Portuguesa.
    Por selecção, entendo os jogadores que no campo estão a representar Portugal. Estão a representar o meu país.
    Quando passamos para comentadores, analistas, e demais corja televisiva, simplesmente desliguei. Esses não representam Portugal. Não me representam a mim, nem à grande maioria dos portugueses fora daquela coisa macrocéfala a que chamamos capital.
    Contudo, lembro que os portugueses (e Nortenhos), foram chamados a decidir se queriam ser mais autónomos, ou continuar a ser pisados pela capital. A maioria decidiu que gostava de ser subserviente. Mas isso são outras conversas.

    Quanto a Eusébio, se ele pudesse jogar nesta equipa, não sei se tiraria a titularidade, ou não, a Nani. Comparar Eusébio a Ronaldo só na distorcida mente vermelha. Eusébio foi um jogador que esteve numa final da taça dos campeões do slb e fez um excelente campeonato do Mundo em 66. E depois? E antes? Eclipsou-se internacionalmente.
    Ronaldo ganha títulos internacionais há mais de 12 anos.
    Eusébio fez um grande jogo contra a Coreia, e...? Quantos grandes jogos internacionais não fez Ronaldo? Aquele da Suécia, pela dificuldade, mete o da Coreia no bolso.

    Cansa a visão distorcida dos programas de TV relacionados com futebol. Já basta termos que aturar os péssimos comentadores durante dos jogos. Como tal, aconselho a fazer o que eu faço. Desliguem a TV!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não há nenhuma comparação sequer possível entre as exigências tácticas e técnicas dos dois tempos...

      Abraço

      Eliminar
  3. Olá Jorge,

    E voltamos ao mesmo... sempre a mesma coisa.

    Mas uma coisa foi gira ontem e penso que foi na crónica do ojogo sobre a final, que dizia uma frase soberba que era qualquer coisa como esta... "Sissoko é o que o Renato Sanches quer ser quando for grande"... Isto diz tudo sobre o endeusamento de alguém que ainda nada é...

    Em relação a clubite sempre foi... chega-se ao cumulo de dizer que William Carvalho fez uma bom jogo na final(?!?!?!!?) e que a equipa começou a jogar melhor depois de Danilo sair na 1ª jornada... mas Espera... Áustria... Hungria(?!?!?!).

    Chega-se ao cumulo de dizer que Adrien saiu valorizado... será que não foi mais vulgarizado? Eu só eu é que vi que Adrien ou tinha alguém para anular ou era um jogador sem técnica, sem táctica, completamente perdido e incapaz de ganhar um duelo individual?

    Tivemos grandes jogadores neste Euro e devem ser realçados... Rui Patricio, José Fonte, Pepe e Raphael Guerreiro estiveram num patamar de excelência!

    Nani, Ronaldo, João Mário, Cedric e Ricardo Carvalho tiveram bem a espaços e foram influentes.

    Alguns tiveram momentos entre eles William, Danilo, Quaresma, Moutinho, Eder, Renato Sanches e mesmo Bruno Alves(que esteve muito bem mas como só jogou um jogo fica aqui).

    De resto e nos patamar dos piores do Euro vem o Adrien, André Gomes, Vierinha e Eliseu.

    Isto sim é uma análise séria e sem clubites!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fica lá com o Cédric e deixa-nos meio Vieirinha que ficamos melhor servidos.

      Fernando Monteiro

      Eliminar
    2. O único jogo que ganhamos foi com Danilo a titular de princípio a fim.

      Eliminar
  4. Reparem, mas reparem MESMO, na convocatória dos sub-19... é só uma pista. Ok, já a tinha deixado noutro local, mas a malta estava a festejar... Uma gargalhada cai sempre bem. Aconselho-vos.
    Abração

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É lindo... e dá no que já deu.

      Mas não há cá clubites! Nãaaaaaaa!!!

      Abraço

      Eliminar
    2. Têm que aprender com os AA a empatar. Com 6 empates há milagres

      Eliminar
  5. 100 por cento de acordo, por isso é que depois de entregue a taça, nem estive a ver os comentadeiros, Repito o que já disse noutro dia, muito contente pela Seleção, mas em modo mute na tv. Venha o F.C.PORTO agora que é o que interessa, e que os jornaleiros continuem a falar mal de nós, pois é bom sinal. Abraço
    João Moreira

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, limpar a antena do nome do rapazinho, que já não se podia mais ouvir!

      Abraço

      Eliminar
  6. Esses comentadores profissionais que dizem; nós avisamos que tinha de meter o meio campo do Sporting, que ligam tanto às opiniões estrangeiras dizendo que 2 reformados atletas ingleses afirmaram que WC era um monstro, mas no entanto já não dão a mesma importância ao editos de desporto da ESPN que afirma que o futebol de Portugal é uma vergonha. Dão mais valor à traça Eusébio que pousou no nariz de CR7 e lhe passou uma mensagem do além. É isto de comentários dos arregimentados, por isso é que eu quero que eles se f**** todos.
    Carlos Teixeira

    ResponderEliminar
  7. Caro Jorge
    Apoio total e incondicional.
    Temos que utilizar esta revolta que nos une para sermos mais fortes e darmos cabo deles. Foi sempre assim que tivemos êxito....
    Abraço
    Manuel Magalhães

    ResponderEliminar
  8. É por tudo aquilo que escreveu que, no fundo, no fundo, não fiquei nada aborrecido com as referencias a respeito da selecção feitas pela maioria da imprensa internacional, mais evidentemente os chauvinistas franceses. Porque é verdade. Claro, para quem lá vive foi insuportável, mas para os provincianos de cá foi para mim um gozo. Repito, fiquei contente com a vitoria, mas não rejubilei, considerei até esta vitoria uma espécie de tributo ao Europeu disputado em Portugal, que só a incompetência dum treinador, impediu uma, essa sim, uma justa vitoria. Só outra coisa: o provincianismo é de tal maneira bacoco, bafiento e prostituído que o próprio Eusébio, na sua imensa bondade, deve estar a rir-se, pois ele e a sua geração nunca jogaram um Europeu. E Ronaldo, que eles só fingem gostar por não jogar em Portugal, porque se isso acontecesse e jogasse noutro clube que não o dos corruptos vermelhos, era tratado como Mourinho, foi, é e será melhor que Eusébio. Em tudo, profissionalismo incluído.

    ResponderEliminar
  9. Caro Jorge,

    É por estas e por outras, a que já me habituei há muito, que assumo sem reservas a minha clubite. Não me envergonho nem me sinto menos Português por isso. Não me sinto obrigado ao politicamente correcto, o meu compromisso é com minha consciência e com o meu FC Porto, o Clube que escolhi e razão do meu orgulho.

    Um abraço e...

    FC PORTO SEMPRE

    ResponderEliminar
  10. Ainda bem que esta fantasia da selecção já acabou.
    Foi bom festejar aquele golo do Eder, mas depois quem é verdadeiramente intelectual, como nós Portistas sabemos que isto não é tudo um conto de fadas e que existe gente por "de trás disto tudo" que nos desrespeita.

    Portanto é bom poder estar de volta ás épocas futebolísticas.
    É bom estar de volta para defender as Nossas Verdadeiras Cores.
    O 'resto' está lá só para ser o nosso combustível.

    Belo murro na mesa Jorge.

    PS: Ainda bem que o Danilo não se lesionou nem se cansou muito.

    Abraços.

    ResponderEliminar
  11. os lisboetas do esporting e benfica sao os chauviniostas franceses de portugal, AQUILO QUE CRITICAM DOS FRANCESES E CONTRA O QUAL OS JOGADORES SE UNIRAM PAREA GANHAR E PRATICVADO EM LISBOA E O PIOR NAO APRENDERAM A LIÇAO PEOS VISTOS.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Embora em Caps Lock. Está aqui tudo dito. A mim a Selecção não me aquece nem arrefece. Recuso-me a defender a mesma equipa que os inergúmenos que me atacam o ano inteiro defendem. Mas a verdade é que, o que os Franceses fizeram, antes, durante (lesão do Ronaldo) e depois da final me levou a identificar naqueles 23 Jogadores o sofrimento do qual sou alvo o ano inteiro. Portanto na final, a partir do minuto 25, identifiquei-me com a luta daqueles 23 e torci por eles. À restante corja já informei. Parabéns, talvez daqui a 2 anos possamos torcer outra vez pela mesma equipa. Talvez...

      Saudações Portistas
      Pedro
      Sócio desde 1987

      Eliminar
  12. Sou um leitor assíduo deste blog e não tenho por hábito intervir ou opinar acerca dos assuntos aqui tratados.
    Sou português, patriota e, como a esmagadora dos portugueses, apoio a nossa seleção, embora por vezes não concorde com as convocatórias.
    Mas sou acima de tudo um apaixonado portista.
    Em relação a este tópico apenas uma palavra: Chapeau...
    Chapeau sr Vassalo pela forma como defende o nosso Porto.
    Bem haja...

    ResponderEliminar
  13. Fosse agora eu deixar de apoiar a Selecção do meu país por causa de meia dúzia de porcos que comentam em tv's e jornais, apesar de perceber o seu ponto de vista. Jorge, a Selecção não é deles, é nossa. Será sempre nossa, dos adeptos portugueses e mal de nós se os deixarmos que a tornem deles. A Selecção é eterna e esses porcos acabarão por ir parar ao matadouro como outros antes deles. Viva a Selecção Nacional, Viva Portugal Campeão Europeu.Abraço.

    ResponderEliminar
  14. OK, eu gostava de dizer uma coisa que ainda não vi nenhum portista a dizer: vocês já repararam que esta vitória da seleção foi uma vitória à Porto, não o de agora, mas o dos 90s? Desconsiderada por todos, vilipendiada pela imprensa, e usando esses factos como gasolina para se motivar, sem ter necessariamente a melhor equipa, mas sempre com a máxima concentração, vontade e esforço. Se calhar vocês não concordam, com o ódio que grassa pela seleção pelas hostes portistas (tanto e de tal forma que até prejudica os nossos - para mal dos meus pecados eu moro em Lisboa, e irrita-me ter que estar sempre a lembrar aquela gente que o Deco foi o verdadeiro motor da equipa no mínimo até 2008, ou que dos três portugueses a ser candidato à Bola de Ouro enquanto jogadores do campeonato português, dois deles foram-no enquanto jogadores do Porto: Futre e Deco), mas essa percepção fez-me apoiar a seleção com um fervor que não tinha desde o Euro '00.

    Jaime Silva

    ResponderEliminar
  15. Ouvir o Dani na TVI24:
    "Ver o percurso de Pepe é gratificante, Sporting, Marítimo e depois o salto par o Real Madrid é excecional!" Ouvi, registei, e pergunto;
    Qual o interesse daquela besta, em omitir o FC Porto, da carreira do jogador, como se fosse algo proibido de dizer? Por ignorância ?

    ResponderEliminar