sexta-feira, 30 de outubro de 2015

A Vã Glória De Definhar


Talvez seja porque eu tenho um trabalho que é virado para o futuro, talvez seja pela minha formação filosófica, que privilegia o presente sobre o passado na projecção de um futuro, faz-me sempre confusão demasiado tempo contemplativo.

É isso que temos assistido, depois de Vítor Pereira, no FC Porto. Desde a criação do Museu - que é lindíssimo e uma grande obra - que não pomos lá uma taça de futebol sénior. Mas acho já preocupante que só se dinamize o Museu. O Museu é que tem atracções, o Museu é que tem dias especiais, o Museu é que tem promoções e publicidade, o Museu é que tem o foco, enquanto, por exemplo, os bilhetes encarecem, é tudo sempre igual em campo e não há nenhum foco sobre o Presente.

Não é admissível que a televisão do Clube - sim, agora é mesmo do Clube - tenha apenas duas horas por dia dedicadas ao FC Porto em si, com blocos de "notícias" que se repetem de uma hora para a outra e com especiais que constantemente se repetem - e com muito mais abertura nas chamadas "modalidades" do que no futebol - e com as "notícias" diárias a serem exactamente as mesmas que qualquer outro jornal diário daria, com o mesmíssimo ênfase e cobertura. Nada para além disso. Nos dias de transmissões, talvez um pouco mais. Mas se uma transmissão cai em cima do 45 Minutos à Porto, este é, pura e simplesmente, anulado. Os cenários são de uma pobreza franciscana - até as mesas retiraram - os comentários, tirando os de Cândido Costa e de Bernardino Barros - quando lá está! - são chavões repetidos que acrescentam zero ao que se sabe.


Um exemplo da falta de cobertura do FC Porto pode ser exemplificado no caso do FC Porto - Belenenses. Tirando o pós jogo, não houve mais nenhuma análise ao encontro. Nada. Zero. Não há opiniões, vontades, posições a nada exterior ao FC Porto, nenhuma ligação entre plantel e adeptos! Como querem que haja vínculo com a equipa, se são eles os primeiros a aumentar o fosso entre uns e outros?

Tirando as peças fantásticas de Ricardo Amorim - e mesmo assim com demasiado ênfase nas "eras douradas" - tudo o resto é só a ultra-protecção dos atletas, como se não se pudesse mostrar nada mais além do que toda a gente vê. Valorizo muito as "Entrevistas de Carreira" de BB, mas, caramba, e a contemporaneidade? Não existe?

Acho natural que Pinto da Costa já não esteja para fazer combate público, acho bom que o FC Porto não tenha empregados a falar nas televisões. Mas não haver UMA voz do Clube a ripostar, não haver UMA iniciativa do Clube para contrariar toda esta lavagem cerebral, para equilibrar os pratos da balança, para proteger o bom nome da instituição?


O FC Porto, está bom de ver, é, neste momento, uma instituição anacrónica, nacionalmente escrita no particípio passado, com o foco virado para a Champions League, a única competição que a SAD parece valorizar. Há respostas na net ao site da UEFA por parte dos jogadores, há entrevistas, há exposição, sempre com o foco na sua valorização internacional. Vê-se no próprio ambiente, no cuidado na preparação dos eventos, na sua publicidade, no foco que se vê nos jogadores, até no sentido do apoio dos adeptos.

Por isso, impõe-se a pergunta: Se a estrutura directiva não valoriza o futebol nacionalmente, como poderão fazê-lo os jogadores?

Assim, corremos o risco de continuar a ficar em lugar elegível para a Champions e isso passar a ser a única coisa que importa. Lopetegui irá embora, vender-se-ão os jogadores e todos ficarão contentes. Menos o FC Porto enquanto Clube e os seus adeptos, definhando numa morte lenta, como areia descendo na ampulheta... até que algo mude ou tudo acabe.

Urge mudar. Já. Ontem. Não foi assim que nos valorizamos. Não é assim que poderemos acabar!

21 comentários:

  1. Caro Jorge Vassalo,
    Oportuno post. Está tudo controlado pelos dois ou três grupos da comunicação social Portuguesa. Entretanto o simpático Júlio Magalhães fez saber que está muito satisfeito com o seu Porto Canal e que ele, o Porto Canal, é mesmo um "case study". Por este andar, o "case study" acabará por ser vendido à Cofina ou à Media Capital... Enfim; há que remar contra a maré e acabar com o conformismo que nos amolece. Mostrar-lhes que estamos vivos e que não gostamos do que se está a passar na bola em Portugal. A nossa vida não tem de passar pela capital nem pela ideia do país pequenino e fadista [que não é] com uma visão profundamente centralista que amarfanha tudo e todos. Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Esperemos que os responsáveis do FC Porto também queiram saber do que diz.

      Abraço

      Eliminar
  2. Luís Miguel, a sua posição sobre os clubes e as selecções já foi sobejamente conhecida. Faça um comentário sobre o assunto, sem as ironias de "V Exa" e de "pede deferimento" e tretas assim, que eu publico, ok?

    Mais do mesmo, não.

    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quais selecções pá?

      Estou a mencionar sobre lavagem cerebral e a urgência de mudança de certos aspectos operacionais no FCPORTO SAD.

      Eliminar
  3. Caro Jorge

    Se me permite não me lembro de um post seu tão corrosivo em relação ao clube e ao canal, o que se passou? No entanto estou plenamente de acordo. Deveriamos ter alguem do clube, com o aval do presidente, a tomar posição no canal.

    Em relação ao canal não ia haver alteração da grelha?

    Abraço
    Miguel S

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ser apoiante indefectivel do Clube, dos seus jogadores e treinador, não me impede de ser crítico. E em relação à postura da SAD, tenho-a, nos últimos anos,achado pavorosa. Especialmente no consulado Lopetegui. É um absurdo total que gozem connosco, que se riam de nós, sem resposta.

      Por exemplo, ontem Bruno Prata chegou para Manuel José sobre Jesus defendendo Lopetegui, ao dizer que, com a idade de Lopetegui, Jesus não estava a fazer nada de especial e que, na europa, é uma nódoa. Não há responsáveis Portistas que venham defender o bom nome da instituição? Inadmissível!

      Abraço

      Eliminar
  4. Não autorizo comentários não assinados.

    Abraço

    ResponderEliminar
  5. Deixei de comentar neste espaço (mas não deixei de o visitar) por ter entrado em "colapso" com o Vassalo acerca do nosso treinador (e nisto continuamos ambos irredutiveis com cada qual para o seu lado), mas este post é de louvar!
    Desde a criação/inauguração do Museu, uma boa parte da liderança portista, enfiou-se lá, não sai de lá e se calhar até já é capaz de ser confundida com alguma peça de lá!
    Bem sei que com a idade, o género humano tende a viver de recordações, agarrando-se com unhas e dentes ao passado, porque o presente é sinónimo do fim... e eu que me orgulho de ser "andrade" bem compreendo, mas caramba; não haverá linha sucessória para dinamizar o FC PORTO?
    Dá-me a impressão que tal como os últimos governos, o FC PORTO deixou de ser liderado por um pulso forte, único mas responsável, por tecnocratas bem remunerados, bem vestidos mas sem aquela paixão, sem o "nosso sangue azul"...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nisso estamos completamente de acordo. Tirando uma ou outra figura, entre as quais incluo Antero Henrique, há ali muito yes-man e pouco pulso!

      Longa vida ao Presidente Pinto da Costa, mas há uma distinção entre Chairman e CEO por alguma razão...

      Abraço

      Eliminar

  6. fantástica prosa, Jorge.
    é a prova-provada de como é possível ter uma atitude crítica construtiva e, lá está, pró-activa, apontado falhas inequívoca e manifestamente incontestáveis, em termos da Comunicação do Clube e do (des)aproveitamento dos seus canais oficiais e à sua completa disposição.

    abr@ço
    Miguel | Tomo III

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Infelizmente... bem queria escrever outra coisa...

      Abraçom

      Eliminar
  7. Foi confrangedor ver o Bernardino Barros e o Cândido Costa sentados numa cadeira com um bocado de tabopan pintado de azul a servir de decor, o apresentador encostado a uma mesa estilo de tomar café em pé num qualquer estabelecimento de um supermercado a debater a jornada do F.C. do Porto deste fim de semana. O B.B. com o tablete no regaço, via-se que conjuntamente com o C.C. estavam pouco confortáveis nessa posição... será que o Porto Canal vendeu o mobiliário ou desviaram-no para alguma entrevista a algum anti-portista do sul. Eu senti-me mal ao ver a pobreza do cenário e pior ainda quando alguém que estava comigo na altura comentou o mesmo que eu estava a pensar. Resultado... não acabei de ver o programa e mudei de canal.
    Cumprimentos
    A. Martins

    ResponderEliminar
  8. Ontem tínhamos o melhor plantel do mundo, o melhor treinador do mundo, o melhor presidente do mundo. O que se passou para vários blogs no mesmo dia passarem a dar uma sova de todo o tamanho na SAD?
    L. Miguel

    ResponderEliminar
  9. O Porto, o grande Porto, o Norte adormecido e acomodado têm de despertar e banir o jugo da capital do império. Os exemplos para referir seriam muitos, mas o mais nefasto e notório estará sempre relacionado com a disparidade na distribuição dos fundos comunitários dados a Lisboa, e os mesmos fundos dados ao Porto, ao Norte e ao resto do país. Ah, não venham com a desculpa da densidade populacional da área metropolitana de lixboa porque também cá no Norte somos muitos!!! Partindo deste exemplo e passando para o que me traz aqui, o futebol, gostaria de dizer e sugerir algumas coisas: 1- É um facto que para muitos portistas, o Porto Canal, o canal oficial do clube, deixa muito a desejar na defesa do clube e da própria integridade da competição da 1.ª liga. Com os mass media sediados em lixboa, pouco sobra para contrapor a infâmia e inverdades propagandísticas no que ao futebol diz respeito. Em vez de termos uma voz televisiva ativa sobre todos os escândalos e mentiras, temos um canal manso, com pouca opinião, com pouca defesa ou quase nunhuma dos interesses do clube, e um ataque nulo aos "senhores da verdade desportiva". Não defendo um canal à btv, mas sim, um canal coerente, com verdade e responsabilidade, com mais Porto e mais programas sobre o quotidiano do FCP, que lute e defenda o clube com educação. Se o Júlio Magalhães não o faz, qual a razão para continuar no cargo?
    2- É urgente haver uma voz oficial dentro do clube, que nos defenda da opressão lixboeta e que denuncie o sistema vigente, que fale até que a voz lhe doa, que ponha o dedo na ferida e carregue com firmeza, que denuncie e possa contribuir para limpar a lama e queimar o manto!!! Não chega ter um dragão diário de palavras escritas, não chega o já referido Porto Canal mudo, umas entrevistas do nosso presidente, é preciso uma voz de dentro que a todos ponha em sentido, que seja incisiva e aproveite todas as deixas dos inimigos, e são tantas!!! Para quando essa voz? Abraço RG

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Subscrevo totalmente.

      Pedro Marques Lopes, João Nuno Coelho, Diogo Feyo. 3 Portistas que já vi REBENTAR completamente com os seus interlocutores, pós apito dourado. Pessoas civilizadas, excepcionalmente preparadas e com uma grande cultura Portista, para contrariar a parvoíce e a brejeirice vigente.

      Mas há muitas figuras prestigiadas e indefectíveis Portistas que poderiam limpar isto.

      É preciso acompanhar os tempos!

      Abraço

      Eliminar
  10. E pronto, discordo completamente com essa da instituição anacrônica. A sério? O FCP é anacrónico? Oh bem, naonpidemos concordar em tudo...
    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A SAD? Na defesa dos seus interesses? A acompanhar os tempos? A preparar e construir o futuro? COMPLETAMENTE anacrónica!

      Abraço

      Eliminar
  11. Jogo muito bom dos Bs com o Chaves - Empate a 2.

    ResponderEliminar
  12. Bom dia, moro em lisboa e todos os dias falo quer com benfiquistas quer com sportinguistas.
    As conversas não fossem elas sobre futebol, a paixão e sempre mais forte que a razão.
    A forma que defendem o clube e as respectivas estruturas, que tentam desculpar o indesculpável faz me pensar no nosso Porto...
    Não gostamos da Btv e da stv... é mau, mas defendem o clube e mobilizam adeptos, ao invés de assobiar a equipa, quando não existe o toca a reunir das tropas e os adeptos são bombardeados diariamente que os jogadores são só bonzinhos que o treinador é muito mau e que a Sad quer é saber das comissões, muitos são os que se deixam enganar.
    Precisamos do clima de guerra, contra tudo e contra todos... mas mais unidos que nunca.
    Abraço Jorge Vassalo

    ResponderEliminar