domingo, 6 de dezembro de 2015

Análise FC Porto 2-1 Paços de Ferreira (12ª Jornada)


Confesso, ia escrever uma análise diferente. Confesso, irritou-me a mentalidade pequena das substituições de Lopetegui. Mas o senhor Jorge Simão fez-me o favor de me relembrar do anti-Portismo primário que anda nas cabeças de muita gente no futebol. 

Com que então o senhor diz que qualquer equipa impõe o seu jogo no Dragão? Qual, caro amigo? O das simulações de lesões, com direito a maca e 5 minutos de assistência em campo, o do guarda-redes demorar tempos infindos a marcar os pontapés de baliza, dos jogadores demorarem tempos infindos a marcar tudo o que era cantos e livres, de propositadamente adiarem reposições de bola em jogo, é esse o domínio de que está falar?

Se sim, tem razão. Com um árbitro conivente e com falta de coragem para dar uns amarelos por simulação e gasto de tempo, tudo isso é possível, sim. Mas, mesmo assim, não chega. E a falta que o senhor fala, é a falta de jeito que os jogadores da minha equipa tiveram para matar o encontro?! Sim, concordo, apeteceu-me ir lá marcar eu os golos de baliza aberta que falharam. Só eu contei oito. E a si, quantos pareceu?

Já agora, senhor do importante domínio, quantas ocasiões de golo teve? Pois! Marcou por uma falha defensiva grave, e depois, fez mais o quê para assustar Iker Casillas? Pois!

E, por falar em guarda-redes, é claro que estava a achar estranho ele superar-se para lá de si, e de fazer este anti-jogo vergonhoso! Este é o senhor Marafona, aquele do ano passado da assistência para o Lima para golo e daquela vergonha que foi o jogo do ficaben no Moreirense, à espera de ir lá parar! Não foste, não é verdade? Pois, crentes há muitos, felizmente com uma fé num Deus mais certo! Com este currículo, de facto, a tua exibição é consentânea!


Mas, à parte destes dois caramelos, falemos então do jogo. Tivemos uma entrada frouxa, que trouxe o golo ao Paços, com uma falha de marcação do Indi de palmatória - e que me faz pensar que os M&Ms são bem melhores - que abriu espaço a um golo de oferta indefensável.

No entanto, ao contrário de outras ocasiões, vimos que a equipa se uniu e se superou, procurando o golo da igualdade que acabaria por chegar numa iniciativa de Corona - o MVP da partida - e que reporia um pouco do Karma do anti-jogo primário de que já falei. Depois do golo, não houve relaxamento e houve a incessante procura do golo seguinte, que só não chegou, por exemplo, em cima do intervalo, por manifesta azelhice de Herrera.

Herrera esse que tratou de redimir-se ao não dar por perdido um atraso mal medido de um jogador do Paços e roubando a bola que acabaria por provocar um penalty - Aleluia! - que o seu compatriota Layún não desperdiçaria e que traria a justiça ao marcador.

Daí até ao final, houve sim um aumento da procura de um Paços que estava sem pressa até então, por um resultado que a... vaginice... do nosso treinador acabou por tentar permitir ao fazer substituições para segurar o resultado, isto apesar de também pôr a jogar o Tello para fazer transições rápidas (que existiram e poderiam ter aberto o caminho a uma goleada de antologia, não fosse a eficácia dos nossos jogadores ainda estar a sair do aeroporto do Funchal a esta hora). Mas houve também a atabalhoada fome de fazer mais e de matar o jogo. E isso já não se via há muito. E houve a primeira reviravolta em dois anos. 

Estamos no bom caminho e, assim, tenho a certeza que, com mais eficácia, poderemos dar alegrias aos adeptos e tranquilidade e crença num FC Porto à Porto. Ainda não estamos lá, mas o caminho é este.

Hambre, hambre, arriba, arriba, dame-lo, dame-lo, el queso - Jogão mexicano, este. Tecatito a lutar pelas bolas, a furar entre adversários, a abrir linhas de passe e a correr o que as pernas não lhe permitiram, Layún a ter a calma e o foco de fazer tudo bem e de dar o apoio defensivo que sabe e a clarividência ofensiva que tem, e Herrera, que, mesmo falhando passes clamorosos, inegavelmente faz com que esta equipa tenha o sentido positivo em direcção à baliza que tem de ter. Geniales, los três amigos!

Solidariedade e entrega - Não é todos os dias que se vê Yacine Brahimi a correr 50 metros para cortar uma bola. E isso aconteceu. O FC Porto, apesar de algumas perdas de bola parvas, nunca deixou de tentar pressionar e de recuperar a bola, procurando um futebol mais vertical e oportunidades de golo corrido, que existiram e que se falharam absurdamente! Mas o caminho, insisto, é este, e, seguindo-o, teremos em breve um FC Porto muito mais assustador para os adversários. A posse estéril parece ter os dias contados. Ainda bem.



Vaginices - Um sinónimo um pouco mais calunioso passou-me muitas vezes pela cabeça e pelo discurso, ontem, quando Lopetegui tirou André para pôr Danilo, todo aflito, mal Layún marca o golo. Temos, infelizmente, um treinador intranquilo. E isso passa pelos jogadores. Felizmente, não cola na atitude. Ainda bem, porque isto poderia ter corrido muito mal.

Deixar ficar a eficácia no aeroporto - Minha nossa Senhora, tanto golo cantado desperdiçado! Temos Aboubakar em crise de confiança, que tem de ser invertida urgentemente - quem o viu a chorar no fim, sabe que temos ali um miúdo (e não um velhote, como já se insinuou) que precisava de um bocadinho mais de ânimo do treinador - Tello a falhar golos fáceis, apesar de fazer o que mais nenhum poderia fazer por ele, e Herrera... a herrar na finalização. A boa notícia é que estou certo que a eficácia acabou de entrar no avião em direcção ao Porto.

Já agora, e para terminar um longo post, a conversa de que "só ganhamos de penalty" de Jesus só é possível vinda da parte de um dos mais reles sem-vergonha que já vi no futebol português. Quem não tem vergonha, todo o mundo é seu.

39 comentários:

  1. Jorge Simão é um ex-jogador de futebol que representou o Estrela da Amadora desde as camadas jovens até chegar ao Real Ma…ssamá. Jogou depois no Atlético do Cacém, Fanhões (talvez daqui se conclui o porquê das suas declarações no final do jogo) e terminou a sua magnífica carreira no Carregado (não sei é de quê). Foi (já grande) coordenador técnico da AF Lisboa e como treinador, além de ter sido despedido do Atlético e do Belenenses, terá talvez hoje (após conferência de imprensa) dado um significativo passo à frente na sua carreira.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sem dúvida, estáa dar grandes passos para se tornar imprescindível...

      Abraço

      Eliminar
  2. Boas,

    Antes do Layun marcar o pênalti já eu estava a pensar nessa substituição também. Devo andar com medo também ehehe.. Mas pensei nisso porque pensei logo em quarta e o André vai ter de ser gigante tal como todos...

    Abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois, ok, estava preocupado em ganhar categoricamente...

      Abraço

      Eliminar
  3. Sinónimos de vaginice: precisamos de um grande André na quarta; 3 golos cantados depois do 2-1. Mas ok, foi o treinador, borrado de medo, que os falhou... Nop!
    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não, mas na altura aquele Marafona tirou-me a capacidade de ver para lá de domingo...

      Abraçom

      Eliminar
  4. E não, meu amigo, não foi o Julen que obrigou o ABUMba a falhar tanto e tanto escandalosamente! Tenho a certeza disso. Mas deixa lá, o moço acho que ganha o suficiente para procurar ajuda especializada. Já eu e tu, se calhar teremos que optar por um cardiologista de terceira...

    ResponderEliminar
  5. Ao Jorge Simão, respondeu e bem Lopetegui: foi limpinho, limpinho...

    Herrera? Pois como já tinha dito ao Jorge, o rapaz apenas estava a precisar de descanso. Gradualmente vai tornando-se no Herrera que me "partiu" o sofá...

    Aboubakar, deves aos portistas 3 golos escandalosos, rapaz!!!! A gente perdoa-te só com 1 se for esse o golo da vitória em Stamford Bridge....

    Achei a arbitragem do Carlos Xistra, honesta, competente e eficaz. Em suma, impecavel, descontando os erros próprios de quem faz alguma coisa....

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, acho a troca decente! :)

      Ao Xistra, pedia-se apenas o mesmo cuidado com Marafona e o plantel pacense que teve com o Iker...


      Abraço

      Eliminar
  6. Bom dia Jorge Vassalo,

    Acabo de ver a resposta do Julen a algumas perguntas da conferência de imprensa de ontem depois do jogo e é preciso que alguém proteja o homem. Ele está sempre a proteger o Porto. Sózinho, sózinho, sózinho. Se ontem o resultado fosse outro que não a vitória a culpa era de quem? Dos nossos jogadores que falharam golos cantados ou da estratégia do mister. Fica a pergunta. Por mim o Lopetegui mantém todo o crédito, até pela coragem que demonstra na defesa do brasão abençoado.
    Vamos ganhar a Londres. Está é a minha fé...
    Um abraço
    Alberto Queirós

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. As conferências de imprensa de Lopetegui são de antologia! Tivesse o resto da SAD metade da coragem...

      Abraço

      Eliminar
  7. Houve muito desperdício, mas como disse o Jorge houve vontade, solidariedade, e a certeza que neste campeonato, não se pode dar nem mais um pontinho a ninguém!... Acho que a mensagem chegou até aos jogadores: estamos em portugal, o campo vai estar sempre inclinado! (às vezes até por nossa santa culpinha!)

    Quanto ao Jorge Limão, ( vozes de burros não chegam ao céu! ) se a equipe continuar a melhorar - como todos desejamos - e o Abou resolver os seus problemas, na segunda volta leva 4 secos em casa e talvez possa de novo falar das arbitragens e do fator dragão, etc...!

    ResponderEliminar
  8. Meu caro, antes vaginices que vaginites. Já viu o problema para quem procura sadiamente, manter um saudável e recomendavel exercício, se encontrasse tamanho óbice?
    Se há dias que devemos reconhecer méritos a Lopetegui ontem foi um deles, em 12 dias ( creio ) fazerem-se 4 jogos, tentando manter em campo jogadores influentes quando o plantel dá garantias, não deve ser fácil e ainda por cima ser vilipendiado, não só no campo como nas conferências de imprensa. Por mim, conforme deu para perceber depois de ver o treinador do PF, Joaquim, mais os treinadores dos corruptos rivais, que analisaram os seus jogos como se fossem deuses, então digo-lhe isto: Julen, podes ( ainda ) não ser Pedroto, Mourinho, etc, mas és melhor que os pseudo-mestres da bola indígena, que só conseguem ganhar porque as máfias e triades da capital fazem que isso aconteça, tal como ganharias se lá estivesses.

    ResponderEliminar
  9. Fizemos um jogo Suficiente +, poderia ter sido bom ou até excelente não fosse a ineficácia à frente da baliza (a culpa não é do treinador) . É um facto que o "matador" não está a finalizar, uns dirão ineficácia, outros falta de confiança, outros ainda falta de qualidade para o FCP, outros falta de faro de golo (o André Silva tem muito!). São jogos seguidos assim, sem golos e falhanços incríveis. Espero que regresse ao golos rapidamente e que entre numa sequência de jogos a marcar, precisamos disso para desbloquear jogos e tornar as vitórias mais fáceis. Abraço RG

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acho que a ineficácia só deve fazer descer um degrau.

      Tipo Bom.

      Abraço

      Eliminar
  10. Quando hoje em dia, muito se questiona o SER PORTO, o rumo que o nosso clube tem vindo a trilhar(eu própria condeno a postura que a nossa direcção tem vindo a seguir ao longo destes últimos três anos), o facto do nosso FC PORTO não ser o mesmo de há uns anos atrás, a postura do nosso treinador e equipa, será que também nós, adeptos estamos a SER PORTO?
    Não estou com isto a generalizar todos os adeptos do nosso clube, mas há uma significativa porção que nem nas horas de vitória estão com a equipa.
    Como disse no meu primeiro comentário no seu blogue há uns dias atrás, por muitas opções ou atitudes que questionasse ao treinador, equipa ou clube, ou por pouca confiança que tivesse nos mesmos, nunca iria deixar de apoiar o FCP.
    Compreendo a frustração de muitos, de todos, após exibições menos conseguidas, eu própria fico pior que estragada, mas nunca deixarei de apoiar ou de ficar contente com uma vitória.
    Ontem à noite, após o jogo, fui dar uma olhadela aos fóruns e facebook do nosso clube, e em alguns adeptos o bota abaixo é constante, assim como o engrandecimento do Sporting e do Jorge Jesus por parte de muitos. Fico triste por ver tal distanciamento entre equipa e adeptos.
    Em jeito de conclusão, parabéns por mais um excelente post caro Jorge :)
    Grande abraço.
    Ana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Deus me livre ter Jesus no Nosso Grande Clube. Aquilo é patético!

      Abraço

      Aqui somos exigentes. Não somos é tolinhos!

      Eliminar
  11. O porco Jasus é apenas isso, um porco. Quanto ao jogo, ontem gostei do empenho, não dos falhanços. Mas achei bem feita a substituição do André. O rapaz precisa de descanso e Quarta tem de estar em forma. Tenho pena eu o Boubas não tenha marcado, o rapaz merecia. Enfim, tudo a correr melhor. Quanto ao resto, a (a)normalidade habitual: primeiras páginas de jornais, um bácoro a dedicar a vitória ao presidente do Marítimo mostrando que não sabe ganhar, etc, etc. Saúde. João.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ok, pronto, já percebi. Gestão e tal. Eu preferia gerir aos 4-1.

      Abraço

      Eliminar
    2. Eu tb concordei com a substituição do André André pelo Danilo, sendo que o timing pode não ter sido o mais acertado (5 minutos mais tarde e teria dado outro "ar" à mesma), mas é sempre complicado analisar estas situações. O treinador do Paços com as bacoradas que mandou no fim de jogo, conseguiu uns minutinhos de fama que amanha já ninguém se lembra. Não saiu do Dragao com o saco cheio porque lhe acertou o euromilhoes. Num dia normal levava meia dúzia de volta para Paços. O Jesus é o mesmo atrasado mental do ano passado, só mudou a cor. Espero que nunca tenha a possibilidade de treinar o meu FCP. De resto um jogo bastante competente e uma vitória indiscutível. Abraço

      Eliminar
  12. Relativamente ao jogo fica a vitória justa que peca apenas por escassa, quanto ás declarações do treinador e do redes do paços é mais do mesmo, quando jogam contra nós os adversários arranjam sempre queixas e desculpas e quando jogam contra os de lisboa e em jogos que até há razões de queixa ficam caladinhos, agora venha o chelsea e deixar a pele em campo, aconteça o resultado que acontecer, abraço.
    João Moreira

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se se entregarem ao jogo, poderemos vencer! Porque não? Já ganhamos ao Bayern!

      Abraço

      Eliminar
  13. Caro Jorge

    Ontem fui quer ao dragao caixa quer ao dragão. Antes de mais quero dar os parabéns á equipa de andebol que fez um grande jogo apesar de insuficiente.

    Qto á equipa de futebol só pergunto como é possivel falhar tantos golos de baliza aberta. Qto ao JS será que não tem vergonha na cara? A equipa dele fez anti jogo desde o 1min e tem a lata de se queixar? Se como disse houvesse um arbitro com tomates e começa-se a dar amarelos pelos constantes atrasos o futebol melhorava e não havia estes comentarios. Mas em 3 jogos seguidos levarmos o mota o paixão e o xistra é preciso ter dose.

    Abraço
    Miguel S

    ResponderEliminar
  14. Os meus conhecimentos sobre tácticas do futebol resumem-se ao reconhecimento de que, quando se ganha tudo fica na paz do Senhor. Porém, a experiência de há muitos anos a ver ao vivo ou pela TV (e alguma leitura e conversas sobre o tema, bem como alguma dose de bom senso e sentido de análise) permitem-me ter (também) uma opinião sobre as substituições feitas pelo treinador do FC do Porto, as quais me parecem ajustadas e consequentes relativamente ao momento de jogo em que aconteceram. Porque: pelo que até ali havia mostrado, o Paços de Ferreira tinha capacidade para causar estragos no sector defensivo da nossa equipa e o desgaste de Herrera e Rúben, como do próprio André André, tornavam o miolo do campos mais vulnerável ao avanço dos pacenses. Danilo Pereira veio trazer maior consistência e força (e segurança) ao meio campo da nossa equipa e não foi chamado a jogo para que o FC do Porto se retraísse como ficou demonstrado no desenrolar da partida. Nesta simples análise de "treinador de bancada" não está implícito um juízo de valor sobre a competência ou incompetência de Julen Lopetegui mas simplesmente uma opinião sobre uma atitude pontual do técnico espanhol.

    DRAGÃO, SEMPRE!

    ResponderEliminar
  15. ganhamos, o mais importante. Realmente a pulhice do simao ou simoes ou la como se chama merecia que o abou e o tello e ou outros la tivessem enfiado todas as bolinhas para perder a garganta. Um pulha que deve ser tratado como tal. Em relaçao aos falhanços apostando com paciencia, o paciencia ou o silva nao tinham desperdiçado aquilo tudo mas de certeza absoluta ate porque tem uma qualidade tecnica superior ao abou que é muito diligente mas falta lhe escola. tello enfim é uma pena mas é o costume. Layun e otimo a atacar. Maicon faz falta pelo peso ( kgs ) e agressividade ( ganhou muitas bolas na area adversaria de cabeça ) temos uma equipa macia e lenta e intranquila mas nao jogamos mal de todo tirando a azelhice da finalizaçao. As bolas paradas parece que começam a resultar finalmente. Corona tem muito criterio diante da baliza e talvez seja o mais inteligente dentro da area. O TREINADOR DO PFERREIRA ALEM DE PULHA É IGNORNTE, anda deslumbrado.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Gostei muito do Maicon. Pelos vistos somos poucos...

      Abraço

      Eliminar
  16. Cada vez fico mais convencido que o constante ataque ao treinador, pelos nossos adeptos, já devia ter sido alvo de um estudo psiquiátrico sério e aprofundado. Ontem, nos Dragões de Lisboa, estava sentado um tipo ao meu lado que, no final do jogo, quando se discutiam os 4 (!!) falhanços de baliza aberta, dizia: "epa isto para mim é culpa do treinador, se o Jesus lá estivesse...". Que o homem comete erros (e alguns bastante graves...), estamos de acordo. Mas culpar o homem pelos falhanços absolutamente escandalosos de ontem já é do domínio do patológico...

    Manuel

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Esta autofagia esquizofrénica é um absurdo.

      Abraço

      Eliminar
  17. Claro que merecemos ganhar e folgadamente não sei mesmo como se podem falhar golos da forma escandalosa como falhamos mas não posso concordar com o modo como acabamos o jogo, com dois trincos e a jogar quase em contra-ataque. E se num golpe de sorte eles empatassem? Pusemo-nos a jeito educadamente. Falhar golos da forma escandalosa que falhamos só reflete a enorme falta de confiança que por ali nada. Esperemos realisticamente por quarta pois o chelsea tem jogadores que a qualquer momento podem fazer a diferença.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. ... e nós também.

      Abraço

      Assine o comentário.

      Eliminar
  18. Caro Jorge Vassalo,

    Por muito que eu critique Lopetegui não há treinador que resista e que valha perante falhanços como os de ontem. Inacreditável. E há jogadores que se revelam nestas alturas e Tello é um deles e não é pelo golo falhado é mesmo pela atitude com que entrou em jogo.

    Ganhamos bem e devíamos ter goleado. Ponto.

    Agora vem aí um jogo para jogadores e treinadores de barba rija. Vamos Porto.

    Raoc

    ResponderEliminar
  19. Pronto agora é a nossa vez,já começou!Este gajo é ou não é um verdadeiro atrasado mental?
    http://www.record.xl.pt/futebol/futebol-nacional/liga-nos/sporting/detalhe/bruno-de-carvalho-que-a-boda-seja-apadrinhada-pela-doyen.html

    ResponderEliminar
  20. Bom dia Sr.Jorge e amigos portistas.
    Completamente de acordo com o que disse, mãs só não entendi esta parte:
    "A boa notícia é que estou certo que a eficácia acabou de entrar no avião em direcção ao Porto"...
    Alguma prenda no sapatinho? bem precisamos de eficácia.
    Abraço

    ResponderEliminar