quarta-feira, 9 de dezembro de 2015

Espaço Z - FC Porto vs Vojvodina (37-15) - EHF Champions League

A despedida da Champions de andebol foi um jogo quase perfeito. Uma vitória clara, categórica, justíssima, com momentos duma qualidade arrebatadora, duma equipa que tudo fez para conseguir passar à próxima fase de eliminatórias. Um aplauso para o público que, não tendo enchido por completo o Dragãozinho, soube demonstrar o reconhecimento devido a uma equipa em claro crescimento, e que possui uma ligação muito especial com os adeptos que regularmente se deslocam aos seus jogos. 


Quanto ao jogo, pouco há a dizer. Uma entrada a todo o gás desfez qualquer dúvida que pudesse haver quanto à valia de cada equipa. Ainda os sérvios procuravam perceber o que lhes acontecia, e já a diferença se saldava nuns esclarecedores 9 golos. E foi no binómio perfeito "defesa-transição rápida" que o jogo se foi desequilibrando para valores pouco habituais numa competição deste calibre. Destaque para a forma muito positiva como defendemos, mas tenho que individualizar a enorme exibição de Laurentino, com uma eficácia final de 53% (uma eficácia de 40% já é considerada muito boa, para um guarda-redes). Os sérvios marcaram 15 golos, sendo que o último foi obtido aos 16 minutos da 2ª parte. Até final, nem mais um golo, e apenas um remate para fora. Quando assim é... Tudo fica mais fácil. Nota para o facto de todos os jogadores terem participado no jogo (à excepção de Quintana), e de todos os jogadores de campo terem marcado pelo menos 2 golos.

Com a vitória sofrida do La Rioja em Presov, ficámos afastados do play-off de apuramento para os 1/8 de final, mas temos de considerar esta participação com um brilho nos olhos e um sorriso nos lábios. Tivemos os nosso guarda-redes nos Top 5 de defesas mais do que uma vez, por duas vezes estivemos no Top 5 dos melhores golos, tivemos António Areia escolhido para o 7 ideal da jornada anterior e houve uma menção da EHF ao público fantástico no Dragão Caixa. Como praticante e conhecedor de andebol, sinto que vão sendo dados os passos certos para que possamos ombrear com as grandes potências da Europa num futuro próximo. E é assim, conquistando pequenas vitórias de cada vez, que nos podemos aproximar disso.

O tempo é, agora, de deitarmos esta participação para trás das costas, de fazer a equipa continuar a crescer, e de tentar limpar tudo a nível interno. Neste momento, a conquista do campeonato e da taça passam a ser as grandes ambições. 

Entretanto, na Taça de Portugal, jogada neste feriado. ganhámos ao Arsenal da Devesa, equipa da 2ª divisão nacional, por uns expressivos 40-22. Confesso que não vi, e provavelmente não vou conseguir ver o jogo. Mas deixo aqui essa nota.

Um abraço,

Z

8 comentários:

  1. No sábado fui pela 1vez ao dragaozinho ver um jogo de andebol. Confesso que ainda fiquei mais fa da modalidade e do ambiente no pavilhão, a contrastar o ouvir dos assobios do dragão.

    Foi pena a eliminação mas como voce disse foi uma campanha fantastica. Estou tb admirado da imensa cobertura dada pela CS a esta modalidade do nosso clube (como é evidente tou a ser ironico).

    Agora vamos centrar os esforços no campeonato e taça

    abraço e bom trabalho
    Miguel S

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro Miguel,

      Obrigado pelo comentário. Foi um óptimo jogo para se estrear na modalidade.
      Quanto à CS, digo-lhe: sabia que o ABC disputou uma final duma competição europeia (taça Challenge), no ano passado? E que na 2ª mão foi tão roubado que a EHF chegou a pedir desculpa? Por incrível que pareça, o 2º jogo não foi transmitido. E era uma final! As modalidades amadoras sofrem todos do mesmo mal, independentemente da cor. Acredite!

      Um abraço

      Eliminar
  2. nao precisa de publicar, mas como ainda ano escreveu a antevisao de hoje, so para dizer que um FCP a antiga colava no balenario o canto inferior esquerdo da capa da bola pra servir de combustivel....
    manu365

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Já está escrita, Manu. Sairá antes do jogo da B.

      Abraço

      Eliminar
  3. Bom dia,

    Fui, acompanhado da minha mulher e do meu filho, um dos muitos que estiveram no Dragãozinho no passado sábado... e em boa hora fui. A minha mulher, ainda que "vermelhita" adorou o espetáculo... vibrou, aplaudiu, viveu intensamente o jogo. O meu miúdo, ficou extasiado com o ambiente, com os cânticos da claque... queria saltar do pavilhão para o Estádio... e logo ele que por mais que uma vez já disse que não queria ir ao futebol... Eu, fiquei com as mãos tão quentes de tanto aplaudir aqueles bravos rapazes... Ou seja, o portismo nasce e cresce com o exemplo dado pela paixão que a nossa equipa de andebol transmite. Nota curiosa retida pelo meu filho de 8 anos... ao ver tão soberba exibição do Tino e a forma como o Quintana vibrava no banco com o seu colega, diz-me o miúdo "Ui, os guarda-redes do Porto são melhores amigos"...
    Seria bom, digo eu, vermos este espírito também nos relvados...
    Abraço ao "Z" e ao Jorge

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro João,

      Esse companheirismo, espírito de grupo, é muito mais forte em qualquer outra modalidade colectiva. No futebol, com tudo o que envolve esse "mundo" (dinheiros, empresários, etc), há muito mais egoísmo, muito menos grupo. Poucos são os que ficam de fora e se comportam como Quintana e Laurentino. Também lhe digo uma coisa: se o treinador do futebol desse a titularidade jogo sim jogo não a cada guarda-redes, estava feito ao bife ...

      Eliminar
    2. Com Lopetegui, tudo é possivel :D hehe Brincadeirinha

      Eliminar
  4. Peço desculpa pelo off topic mas parece que o Lopetegui tinha alguma razão para deixar o André André de fora em alguns jogos, de tal forma que deu o estouro fisicamente e hoje já não joga.

    Isto não é só dizer que tem de jogar sempre.

    Foi apenas um desabafo para aqueles que criticam tudo e todos sem saberem as razões.

    Abraço
    Miguel S

    ResponderEliminar