sábado, 23 de janeiro de 2016

Antevisão FC Porto - CS Marítimo (19ª Jornada)


Primeiro jogo de Peseiro à frente do FC Porto, onde, estou certo, poderemos ver os primeiros sinais de um FC Porto mais atacante e com um futebol mais positivo. É sensato e realista não esperar mudanças imediatas em tudo, é normal que haja a circulação de bola Lopeteguiana nos jogadores, mas já com um sentido de baliza mais forte.

A motivação é uma coisa extraordinária e creio que é mesmo o que faltava aos jogadores. Todos têm qualidade para mais, e um treinador motivador e com uma atitude de potenciar características em vez de as limitar a um determinado modelo, poderá fazer maravilhas a um plantel que vale muito mais do que o que tem mostrado.

Curiosamente, creio que saber circular a bola não é, em si mesmo, uma coisa negativa, e até pode ser uma mais valia para Peseiro. O suplemento atacante deste último será, contudo, aquilo que faltava mais - preencher o último terço. 

Não estou, sublinho, à espera que se dê uma mudança mágica. Esta vem com o tempo, E temos de dar esse tempo. Por isso, peço que tenhamos paciência com uma equipa em transição de modelos, com tudo o que isso acarreta.

A boa notícia é que o Marítimo está, nesta altura, a passar pelo mesmo processo, o que pode ser positivo. E perdeu Marega para o sportem, o seu poderoso avançado. No entanto, há sempre Darth Salin, esse homem-elástico que cresce na baliza sempre que defronta o FC Porto. Não será, de todo, um jogo fácil, mas a casa cheia que se adivinha (já foram vendidos mais de 35 mil bilhetes) vai dar, certamente, o apoio que este FC Porto renovado merece.

Na convocatória, André Silva cede, naturalmente, o lugar a Suk. Concordo. André Silva não pode ver etapas queimadas desta maneira. Solidificar na B é o que necessita.

Helton e Casillas (guarda-redes); Maxi, Martins Indi, Maicon, Marcano, Rúben Neves, Varela, Brahimi, Aboubakar, Sérgio Oliveira, Herrera, Corona, André André, Miguel Layún, Danilo, Imbula e Suk.

(4x3x3): Casillas; Maxi, Maicon, Marcano, Layún; Danilo, André André, Herrera; Corona, Aboubakar, Brahimi;

Cristián Tello foi para o Fiorentina de Paulo Sousa. Foi, para mim, muito mais vítima das circunstâncias e de um tipo de jogo que não o favorecia, do que qualquer outra coisa. Vi grandes jogos do Cristián Tello, acho-o uma boa pessoa, teve sempre uma boa atitude e nunca foi obstáculo, despediu-se de uma forma muito digna e, pese embora o desalento dos meses finais, a garra com que venceu o sportem, com que marcou em Borisov, que fez a assistência em Donetsk e venceu em Braga, não esquecerei.

Obrigado Cristián Tello e boa sorte.

O MaisFutebol de ontem foi uma autêntica palhaçada anti-FC Porto. Mas, como diz, e bem, João Valente Aguiar num comentário na página de Facebook do Porto Universal (link ali em cima, à direita), "Detestam o Porto, são futebolisticamente ignorantes e armam-se em engraçadinhos. Pior mesmo só aqueles de 2ª feira à noite que felizmente não vejo há meses." Lá está, há coisas que não vale a pena combater. Basta ignorar.

Foi apresentada a equipa de ciclismo W52-FC Porto -Porto Canal. Boa sorte e muitas vitórias! 

15 comentários:

  1. Entrar num novo rumo de pé(seiro) direito.

    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bem, pelo menos estes trocadilhos são soft... :)

      Abraço

      Eliminar
  2. ....tire o Corona, ponha Suk e recua o Brahimi para a ponta do losango....vai uma aposta?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A prazo? Possível. Com dois treinos? Duvido. Abraço

      Eliminar
  3. As alterações nas equipas técnicas suscitam à sua volta grandes espetivas e a que agora se verificou no Futebol Clube do Porto não diverge da regra comum. A entrada de José Couceiro traz ainda consigo a curiosidade (e a esperança) de ver confirmada, na prática das vitórias, as qualidades que lhe são reconhecidas na área do treino e no tipo de futebol que segue, tendencialmente de ataque. Há, porém, que perceber que a melhoria da equipa, que se impõe aconteça no menor tempo possível, não resultará de um milagre sobrenatural instantâneo (Couceiro, como todos os treinadores não faz milagres) mas à custa de trabalho intenso e sério onde o empenho de todos seja sublimado ao máximo.

    Se tudo "entrar nos eixos" sem mais hesitações, temos ainda pela frente tempo e oportunidades para concluir a época "à Futebol Clube do Porto".
    Eu, acredito.

    DRAGÃO, SEMPRE!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim concordo.

      Mas, meu caro Remígio, é Peseiro e não Couceiro. Também me enganei.

      Abraço

      Eliminar
  4. É preciso ganhar para moralizar mas não podemos esperar milagres. Falta uma semana para o fecho das inscrições e esperemos por novidades pois um defesa central de categoria é urgente que chegue. Aguardemos é força Peseiro. Amanhã é encher o Dragão.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vai chegar, e não só. Esta semana vai ser boa para notícias.

      Abraço

      Eliminar
  5. Jorge,
    Muito bem dito no seu post. Temos de ganhar. As vitórias moralizam a equipa e estamos a precisar de uma para levantar o ânimo. É só isso que peço.
    p.s. já o sigo no facebook!

    Abraço
    Pedro Nuno

    ResponderEliminar
  6. A diferença vai ser aquela bola que vai entrar...cedo! Cincazero, pois claro.
    Até já.

    ResponderEliminar
  7. Novas ideias, nova era de futebol no Nosso Clube.
    Espero. Mas antes de mais que seja uma oportunidade de os jogadores sentirem-se confiantes, e com o público marchar para uma vitória, que espero eu, seja a primeira de muitas neste novo caminho com o novo treinador.

    Depois de ver 3 grandes vitórias dos juniores A, basquetebol e hóquei, recuperei algum optimismo.

    Vamos lá, com força para este domingo.

    Abraços.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pior do que Famalicão não pode ficar.

      Lembrar disso é sempre importante.

      Abraço

      Eliminar
  8. Caro Jorge,

    Hoje não podemos mesmo vacilar... este Marítimo adorava o Lopetegui e temos que cortar e definitivo com isso hoje (para além de não podermos perder mais pontos)!

    Não espero Opera, apenas e só objectividade.

    Vai ser trapalhão, por vezes confuso e desarticulado... os jogadores vão andar a tentar-se entender e por em prática novas ideias que ainda não praticaram o suficiente para estarem pré-rotinadas sequer, mas os nossos são melhores e tem mais qualidade e para além de ser obrigatório, estarem com o orgulho ferido.

    Tácticas? Não sei se haverá mudanças, mas certo é que nem Brahimi, nem Corona são ou jamais serão extremos... jogam ali sempre a fugir para o meio sem procurar uma única vez a linha... são uns desenrascas.

    Tenho alguma curiosidade para ver o 1º onze, mas não deve ser diferente do ultimo portanto vamos ver como as coisas correm e apoiar!

    Força para todos nós que este é o primeiro dia do resto das nossas vidas!

    ResponderEliminar