segunda-feira, 25 de janeiro de 2016

Transferências e A Negação Da Realidade [ACTUALIZADO FALHA NO CONTINUUM ESPAÇO-TEMPO]


Antes de mais, começo por dizer que não acredito que se tenham contratado Moussa Marega e José Sá só porque sim. Acho que ambos têm muita qualidade, que têm caminho pela frente e que, como a grande maioria das contratações do FC Porto, serve um bom propósito. Acredito, no entanto, que possam ter vindo em pack, ou seja, com condições vantajosas por terem vindo juntos.

José Sá é um belíssimo guarda-redes, jovem mas com já muitos testes de fogo nas pernas, que poderá representar um bom ponto de transição entre os que estão e os que virão. Casillas e Helton estão em fim de carreira, José Sá e Raul Gudiño estão no início. Evidentemente, há aqui um a mais. Não duvido que um dos jovens irá rodar noutro clube.

Marega é um extremo/ponta de lança forte e possante, que pode estar a vir dar apoio à falta de extremos ou a ser uma alternativa a ponta de lança. Se jogarmos em 4x4x2 (losango ou não) termos diferentes alternativas de ataque nunca fez mal a ninguém. Não poderemos dizer que temos soluções a mais. Quiçá possamos dizer, não duvido, que não são prioridades - certo - mas o mercado ainda não encerrou. Aguardemos para ver se são preenchidas as lacunas importantes no plantel, que todos conhecemos. Depois tiremos as conclusões devidas.


Vamos continuar a falar de arbitragens, pois claro, como aqui e aqui se diz e bem. Vamos continuar a estranhar o silêncio. E vamos poder ter um reprise da única vez em que se reclamou a tempo e horas - no jogo da Taça da Liga em Braga, onde Lopetegui - e bem - se dirigiu ao quarto árbitro - e bem - dizendo que se podia ir embora, Antero se enfureceu - e bem - contra Cosme Machado e o Presidente falou - e bem - no final. Resultado? Equipa galvanizada, unida, adeptos com a equipa, raça e entrega aumentada (lamentavelmente perdida na jornada seguinte, mas mesmo assim com força para dar um plus nos dois meses seguintes a essa jornada).

O que foi, e é, e será, para mim, estranho, é que tal se tenha passado numa competição lateral, sem a importância de um campeonato e, na competição principal, haja um desconfortável silêncio sepulcral. Vítor Pereira deu-nos  nova oportunidade para ver se uma SAD interventiva estará confinada à Taça da Liga e a um árbitro. Se tal for, não fará sentido. Como não faz, nem nunca fará, o silêncio que esvazia vontade e fervor.

Se a liderança dá um exemplo num sentido, como poderá ser racional esperar que a equipa e adeptos tenham um comportamento diferente?


ACTUALIZAÇÃO: Estamos a viver um tempo histórico. Tivemos a primeira falha no continuum espaço-temporal. Ontem era terça feira, hoje é segunda. Fabuloso. Será um dia para filhos e netos recordarem. A prova disso está aqui, apesar do sibilino Francisco J. Marques o ter previsto e ter datado a publicação para terça, dia 26. Só assim se explica falarem do jogo de domingo hoje! E o Universo Porto a mesma coisa!

Fora de brincadeiras - porque isto não tem piada nenhuma! - meus caros Francisco J. Marques e responsáveis do alinhamento do Universo Porto: estamos em 2016. Na era da informação. Na era do mass consumption. O tempo de impacto das notícias e comentários é contado ao segundo. No dia seguinte já é tarde, quanto mais dois dias depois! A não ser que o objectivo seja apenas afirmar que se disse, do género "nós reagimos", se, de facto, se quiser mudar alguma coisa, a comunicação tem de ser mais impactante e imediata. Assim, é apenas (mais) um tiro de pólvora seca, que não tem serventia nenhuma, a não ser o ridículo de ir falar depois de todos os outros o fazerem.

Pelo bem do FC Porto, actualizem-se! O assunto é sério! 

22 comentários:

  1. Assim vai ser difícil ganhar jogos com ladrões deste calibre a apitar. Mas eu desconfio que alguém dentro do FCP está a colaborar com estes gatunos do apito, basta ouvir o que disse o Júlio Magalhães na entrevista ao presidente do nosso clube, "o FCP não se pode queixar das arbitragens esta epoca", o homem não deve ter visto nenhum jogo do Porto esta epoca, ou então vem corroborar o que eu disse atrás,assim não vamos a lado nenhum, nem com o Mourinho a treinar.
    Abraço Manuel da Silva Moutinho

    ResponderEliminar
  2. "Não poderemos dizer que temos soluções a mais" Definitivamente que não temos!

    Basta pensar no trio de pdl lampião para perceber quão mais frágil é a nossa trupe que faz golos. É um defeito de há já muitos anos, raramente temos mais do que um bom goleador. De momento, nem um (que esteja a fazer golos)...

    Marega pode ser uma solução complementar, tal como Suk, mas duvido que algum consiga ser "o" pdl. Gostaria de estar enganado, mas...

    Abraço portista,

    LAeB : Do Porto com Amor

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vamos ver se o Peseiro torna uma das pedras em diamantes...

      Abraço

      Eliminar
    2. " raramente temos mais do que um bom goleador. De momento, nem um (que esteja a fazer golos)..."

      Concodo a 100%...e num campeonato com o Português isso faz TODA a diferença...
      E por isso é que acho que deviamos jogar também com 2 PL'S.

      Eliminar
    3. Concordo. E tenderá para aí, penso eu.

      Abraço

      Eliminar
  3. 1) Já vi que vai ser mais do mesmo: esta excelente safra de talentos da equipe B, talvez a melhor dos últimos 20 anos, vai mesmo morrer na praia se no próximo defeso metade deles não forem promovidos à equipe principal e/ou fazerem parte do plantel da próxima época...

    2) Com exceção de Pepe, o resto ou a maioria esmagadora que veio dos guardanapos da madeira ( Alan, Djalma e Bruno anteriormente e Kleber e Danilo recentemente ) não jogou um décimo no Porto do que jogavam...Alan e Djalma no marítimo eram uns diabos à solta, Bruno um patrão do meio-campo, Danilo era tipo varre-tudo e Kleber marcava gols atrás de gols...no Porto foi o que se viu e ainda é, o caso de Danilo é exemplar: quem o viu jogar no marítimo não acredita que é o mesmo jogador... só espero que no Porto, Marega mostre a mesma disposição que vem mostrando desde que cá chegou em Portugal...José Sá era perfeitamente dispensável se não existisse a possibilidade de Casillas atender o pedido do amiguinho Zidane e voltar ao Real...

    3) Em tom de brincadeira, mas à sério, acho que o mister Peseiro devia escalar o 11 inicial com os jogadores que menos errassem passes nos treinos...só aí, penso eu que metade do caminho estava percorrido, porque é um verdadeiro absurdo em finais de janeiro jogadores com ordenados principescos ERRAREM ESCANDALOSAMENTE TANTOS PASSES CURTOS como um time das distritais...errar passes longos é até compreensível, afinal no plantel do Porto não há Decos, nem Rivelinos, nem Beckenbauers, mas errar frequentemente passes curtos de dois, três metros já é inadmissível na pré-época, quanto mais em finais de janeiro...

    4) Agora é a expectativa sobre como o mister Peseiro vai colocar a equipe em condições com tão pouco tempo, embora como já referi ontem, a culpa também é dos nossos jogadores, porque os guardanapos também trocaram de treinador na mesma semana que nós, jogaram desfalcados de 3 ou 4 titulares e neles não se notou diferença nenhuma...tanto que o tal médio fransergio jogou de defesa central numa defesa que jogou junta pela primeira vez, e ninguém notou a falta de ninguém por ali...

    5) Falta alguém ou "alguéns" no Porto para "puxar as orelhas do Pelé", e Pelé entende-se por todos sem exceção, porque quando a seleção brasileira tinha Pelé, Garrincha, Didi, Rivelino, Gerson, Tostão e outros super-craques (não estes pseudo-craques que se acham os maiores do mundo hoje em dia ), não havia cerimônia para puxar a orelha de ninguém, fosse ele o Pelé ou o suplente do suplente do suplente...e todos aceitavam o puxão de orelhas quando faziam "merda" em campo, sem tiques de vedeta e cara feia... e ainda pediam desculpas aos companheiros, ninguém ficava de mal com ninguém por causa disso...isto chama-se espírito de grupo, união, companheirismo, vontade de vencer, todos em prol do coletivo...
    Era preciso que isto acontecesse neste plantel do Porto, era preciso um Jorge Costa, um JOão Pinto, gente que doesse a quem doesse, puxava as orelhas de quem quer que fosse, famoso ou não...mas, não há...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Passividade gera inércia, inércia gera apatia...

      Abraço

      Eliminar
  4. As contratações já não me empolgam e não me espantarei se dentro de meia dúzia de meses estes jogadores – José Sá e Marega – forem dispensados, à semelhança de muitos outros num passado bem recente.

    Também continua a não me empolgar, depois de mais uma pouca-vergonha na nossa casa, a inércia continuada de quem é responsável por zelar pelo bem do Futebol Clube do Porto. Tanta passividade e tanto silêncio já mete nojo.

    Peseiro é um bom treinador e temos um bom plantel, à semelhança de muitos outros que passaram pelo clube entre 1959 e 1977. Qual a razão de, naquela longa travessia do deserto, não ganharmos nada? E a razão de, a partir daí e durante 3 décadas, passarmos a ganhar tudo? Estarão cansados de vencer?

    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A "reacção" chega...tarde e mal... devagar, devagarinho.

      Abraço

      Eliminar
  5. Pronto, a pedido e ao retardador, o DD bate leve, levemente, como quem chama por mim, será o Porto minha gente...
    Abraço

    ResponderEliminar
  6. É bom ter opções, e eu acredito que estas tenham qualidade. Como também tinham muitos outros potenciais talentos que cá chegaram antes e não se afirmaram. Mas o futebol é uma ciência exata? Não, não é (embora tenha muita pelo meio), e se há variadíssimos casos de jogadores que, após chegarem, não rendem aquilo que deles esperamos, da mesma forma os há que são enormes cá dentro, e quando saem não se afirmam - Falcão, Jackson, Oliver, mesmo James não é tão preponderante como era, só para lembrar alguns mais recentes. De bom grado aceitaríamos alguns deles de volta. Quer isso dizer que são "fracos"? Não creio, apenas não se encaixaram no esquema da nova equipa, no modelo do treinador, ou ... vários motivos. Portanto os que cá chegam, terão a mesma tolerância. Podem revelar-se craques, ou não, mas em última instância vai depender muito do treinador conseguir tirar deles o rendimento pretendido. Sabendo de antemão que, se isso não acontecer, poderá não ser necessariamente "falta de talento" dos jogadores.

    Voltando ao caso em apreço, reforço a minha confiança neste treinador e nas suas escolhas (imagino que estes 2 sejam "dele"). PdC, na entrevista, foi bastante peremptório ao afirmar que os treinadores no FCP têm total autonomia sobre as suas escolhas - o que até acredito que seja verdade, salvo uma ou outra indicação superior com vista a favorecer a visibilidade&venda de algum em particular, mas isso sempre foi assim, e acontece em todos os clubes.
    É óbvio que ele estava com isso a tentar imputar a responsabilidade do desaire ao treinador anterior, o que fará algum sentido. Assim consegue concentrar todo o lado negativo no "banco mau", o qual foi despachado, dando a ideia que ficamos apenas com o "banco bom". O "tumor" foi retirado, não ficaram metástases para trás (?), apenas um organismo fragilizado que será atempadamente curado e fortalecido com o novo "tratamento". É o conceito típico de "bode expiatório", pode parecer cruel e injusto mas é geralmente eficaz, e até necessário em organizações com vista a repor os índices de confiança e expurgar os males. Nothing personal, just business.

    É verdade que as arbitragens nos são penalizadoras a maior parte das vezes, o que obriga trabalho a dobrar para compensar esse handicap. Neste momento estou bastante curioso e até ansioso com a evolução que podemos ter. Não sei se chegará a tempo, mas enquanto há possibilidades, continuo a acreditar.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu também acredito que ultrapassar erros arbitrais sem reclamar pode ser benéfico, quando esporádicos. Quando conscientes e unilaterais... o caso muda de figura.

      Abraço

      Eliminar
  7. Atenção, eu não sou a favor do "silêncio" perante injustiças. Acho que devem ser realçados os erros graves como os que vimos (e que nos podiam ter custado caro), mas convém termos os pés assentes na terra para não corrermos o risco de cair no ridículo. Por um lado, porque de tempos a tempos também há uma ou outra falha a nosso favor (sacrilégio!!!). Por outro, porque a qualidade do nosso futebol ainda não nos permite isso, estamos numa fase fragilizada e usar essa cartada neste momento poderia colocar-nos a jeito para a CSD (que tanto procuram esses pontos fracos para nos atacar e ridicularizar).

    Aquilo que Lopetegui fez, embora tivesse mérito na forma aguerrida como nos tentava defender, não terá sido a melhor solução. Há que repensar bem toda a estratégia, na minha opinião o treinador PODERÁ tocar no assunto sempre que seja pertinente, mas dentro de certos limites, deve resguardar-se um pouco para não desgastar a sua imagem. Peseiro parece-me ter boa imprensa, é uma figura simpática e tem algum crédito por cá, acredito que será tratado de forma diferente pelos jornalistas - até algo correr mal e começarem a desenterrar os fantasmas do passado. Lopetegui entrou a matar, e foi "morto" por eles - resultado: nunca teve boa imprensa. Goste-se ou não, e mesmo sabendo que as odds estão sempre contra nós (a imprensa é claramente centralista), essas relações devem ser mantidas num nível aceitável. Senão de "amizade", no mínimo de respeito mútuo (isto é, podem não gostar de nós, mas terão que nos respeitar). Nem que seja preciso um ou outro blackout de vez em quando - isso se os novos contratos televisivos ainda o permitirem...

    Silêncio é de ouro, mas só às vezes. Também não sou a favor de ter criaturas ligadas ao clube a fazer figuras tristes diariamente nas redes sociais, a newsletter ainda assim tem mais nível, pode é não ser tão incisiva como gostaríamos. Certamente alguém lá dentro estará a pensar nisso (?). Espero.

    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não me parece que Peseiro fale de arbitragens. Ou é a estrutura, ou ninguém por ela.

      Abraço

      Eliminar
  8. A newsletter não chega a ninguém e não é através dela que as nossas queixas se farão ouvir. Para que serve o Porto Canal? Para ter programas ridículos que ninguém vê e dar emprego a filhos e amigos, quando devia servir para levar a nossa voz e as nossas ideias longe. É de inutilidade a toda a prova mas que não vai mudar de linha editorial enquanto PC for Presidente. Ele nesta fase da vida tem medo do confronto de ideias e está numa fase ditatorial em que não vê nem ouve a opinião de ninguém. Veja-se como geriu o caso Lopetegui em que todos víamos que era preciso mudar e ele teimoso ainda veio dizer que ia com ele até ao fim do mundo.Quando mudou já foi tarde e por isso terá de ser responsabilizado por mais um ano de insucesso. Devia até de indemnizar o clube pois quando ganha títulos também recebe prêmio.Haja vergonha e não se tenha medo de falar as verdades.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Calma, temos que pensar um pouco nas alternativas.

      Ponto 1. O Porto Canal. É um canal relativamente generalista, e com isso consegue audiências acima do esperado. De que servia ter um canal "100% propagandista", se ao fim de algum tempo as audiências se iam limitar a algumas centenas de pessoas e os seus cães e canário? Sejamos realistas, nem nós, adeptos, íamos aguentar muito tempo. Os programas, ridículos que sejam, às tantas conseguem atrair mais gente.
      Concordo num ponto - pode e deve ser usado para levar as nossas mensagens, num ou noutro programa em horário nobre. Ainda assim, tenho a certeza de que chega a menos gente do que a newsletter...

      Discordo da opinião quanto à forma como PdC geriu o caso Lopetegui. A aparecer publicamente, teria que ser a elogiar e reforçar, outra coisa seria "sentença de morte" do treinador, nem faz sentido. Se pensarmos um pouco para trás (2-3meses), apesar de exibições mais ou menos pálidas, os resultados não eram péssimos: Estávamos quase apurados para os 8ºs, tínhamos derrotado o Chelsea, tínhamos derrotado o SLB, estávamos com recorde de vitórias e invencibilidade em casa, nem tudo corria mal! Chegamos ao 1º lugar! Mas de repente, tudo se desmoronou, não vale a pena voltar aí, mas tenho dúvidas de quanto disso terá verdadeira responsabilidade o treinador. Acho que grande parte da culpa está em nós - adeptos - particularmente os que enfardam opiniões adversas dos comentadores e jornais, os que vivem nas redes sociais a criticar tudo e todos. Mas ok, são opiniões. Seja como for, friso, penso que PdC agiu de forma relativamente lógica. Chegou ao ponto de rutura em muito pouco tempo, não teve alternativa, foi a contra-gosto que mudou de treinador e notou-se (não estava preparado). Está feito, temos outro, 'bora pra frente.

      Uma coisa estamos todos de acordo - temos que ter um "canal" onde colocar a nossa "voz". Newsletter? Pouca abrangência, pouco impacto. Porto Canal? Idem, e potencialmente danoso para a imagem do próprio. Comentadeiros/Paineleiros? Artigos de opinião em jornais estratégicos? Entrevistas encomendadas? Não sei... mas não me cabe a mim decidir, também.

      Eliminar
    2. Alguém a falar em nome do Clube. Onde quer que fosse. E a tempo. Garanto que teria notoriedade.

      Abraço

      Eliminar
  9. Boa tarde, desde já quero dar-lhe os parabéns pelo excelente blog que tem e que nos oferece .

    Em segundo gostaria só de saber a sua opiniao relativamente a um assunto um pouco "estranho", acha que virá algum jogador mais sonante neste mercado? é que é estranho que o numero 10 ainda nao esteja a ser utilizado.

    Cumprimentos e mais uma vez parabens

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A mim, parece-me que esse será Alberto Bueno, com Brahimi e Corona ao lado. No 4x2x3x1, autêntico trio maravilha.

      Abraço

      Eliminar
  10. Boa Tarde Jorge Vassalo,
    Uma coisa é reclamar por erros arbitrais outra é a mostrar a indignação por ser roubado escandalosamente como aconteceu no no Domingo no Estádio do Dragão, a exemplo do que tinha acontecido na época passada no jogo com o Boavista com este mesmo árbitro. Como previsto, ontem, nos programas com painéis de adeptos procedeu-se ao habitual branqueamento do nosso prejuízo, lances normais, o árbitro [Jorge Ferreira] é um bom árbitro pois ficou em sétimo lugar na época passada. Mais uma vez se abafará a aldrabice, tal como as que contribuíram para a vitória do Benfica na época passada. Afirma peremptoriamente Vítor Pereira que não houve colo e até Manuel Serrão teve a lata de argumentar que o Benfica mereceu ganhar e que os erros de arbitragem em nada contribuíram para isso. Estou-me a encher de nojo do futebol português e se esta pouca vergonha continuar não tarda que o mande à fava. Abraço.

    ResponderEliminar